Monique Evans

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Monique Evans
Nascimento 5 de julho de 1956 (58 anos)
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Nacionalidade  brasileira
Ocupação Modelo, atriz e apresentadora de televisão
Cônjuge
Oswald Evans
Pedro Aguinaga
José Clark


Monique Rezende Nery da Fonseca (Rio de Janeiro, 5 de julho de 1956), popularmente conhecida como Monique Evans, é uma modelo, atriz e apresentadora de televisão brasileira.

Carreira[editar | editar código-fonte]

A carioca Monique Evans começou a carreira como modelo, aos 18 anos já era famosa. Foi uma das principais modelos do Brasil a partir da segunda metade dos anos 1970. Fez ensaios para diversas publicações, como as revistas jovens Geração Pop e Capricho, e revistas especializadas em moda. Também já posou para as revistas masculinas Playboy em 1985, 1986, 1993, e para a revista Sexy em 1996.

O grande destaque como modelo culminou em outras propostas artísticas, como participações em novelas e diversos programas de televisão, principalmente o Cassino do Chacrinha, onde foi jurada por muitos anos, e o Chico Anysio Show, onde fazia a empregada de Nazareno.

Monique participou de algumas campanhas no estilo We Are The World, entre elas, a campanha contra a AIDS que passou no programa Fantástico, da Rede Globo, em 1987, de nome Viver Outra Vez, autoria de Osmir Neto, ao lado de artistas como Guilherme Arantes, Tim Maia, Erasmo Carlos, Sylvinho Blau-Blau (ex-vocalista da Banda Absyntho), Emílio Santiago, Adriana, Elza Soares, entre outros.

Em 1987, Monique ganhou um Troféu Imprensa, na categoria Mellhor Modelo de TV referente ao ano de 1986, junto com Luíza Brunet.

Em 1998, teve a ideia de apresentar um programa no canal de vendas Shoptime e virou apresentadora. O programa se chamava De Noite na Cama, onde ela vendia produtos eróticos. Com seu humor debochado e a forma natural com que ela apresentava os produtos, alcançava bons índices de audiência. Também foi quando começou a falar a frase “Vem com a Tchitchia”, que falava olhando para o seu diretor, essa frase virou seu bordão.

Em 2000, estreou na RedeTV! na apresentação do TV Fama, ao lado de Paulo Bonfá. Também fazia reportagens para o programa.

Entre 2001 e 2004, Monique apresentou o programa Noite Afora, que mostrava dicas de sexo de uma forma muito descontraída e engraçada, além de entrevistas, matérias, prevenção contra AIDS, entre outros. O programa chegou a dar dois dígitos no ibope. Ao mesmo tempo, continuava como repórter do TV Fama.

Saiu da RedeTV! ainda em 2004, e foi apresentar um quadro no programa Domingo Legal no SBT, que se chamava “Bate Coração”. Gravava numa van, toda decorada como uma casa. E aos Domingos entrava ao vivo, com o Gugu Liberato. Ficou 1 ano trabalhando no programa.[1]

Voltou para a RedeTV! em 2005, onde apresentou por um curto período o programa A Casa é Sua. Em seguida, voltou para o TV Fama como repórter, onde ficou até 2010. Após deixar a atração, ganhou por pouco tempo um quadro no Manhã Maior.

Em 2010, participou do reality show A Fazenda 3, mas foi a primeira eliminada do programa[2] . Em 2011, a produção do reality decidiu dar uma nova chance a uma das ex-peoas eliminadas na primeira semana das edições anteriores, e após concorrer a uma vaga com Franciely Freduzeski e Ana Paula Oliveira, foi a mais votada e voltou no elenco de A Fazenda 4.[3] E dessa vez ela foi longe, após passar oito vezes pela aprovação do público, chegou à final do programa e foi vice-campeã, perdendo por apenas 4% para a primeira colocada, Joana Machado. Monique ganhou um carro como prêmio.[4]

Em 2012, a apresentadora foi contratada novamente pela RedeTV!, para ser repórter do programa Sexo a 3 com o Dr. Robert Rey. O programa ficou no ar durante 3 meses.[5]

Em Setembro de 2013, Monique foi participante no quadro Monique Quer Namorar, que ia ao ar no programa O Melhor do Brasil, da Record, mas o programa foi cancelado sem explicações por parte da produção.[6]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Aos 19 anos, se casou com o empresário americano Oswald Evans, de quem viria a ficar viúva dois anos depois, e passou a se chamar Monique Evans em sua homenagem. A apresentadora e repórter tem dois filhos: o empresário Armando Aguinaga, com o modelo Pedro Aguinaga, e a também modelo Bárbara Evans, com o empresário José Clark.

Monique sempre gostou de trabalhos manuais, sabe bordar, tricotar e fazer crochê. Faz semi-jóias, bijuterias, e já teve uma linha de roupas, que já vendeu no Mercado Mundo Mix e na feira do Jockey. Gosta de escrever e criar, mas fala que desenhar nunca conseguiu. Quando saiu da TV, em 2005, sentiu vontade de pintar, mas não sabia como começar. Então, comprou o material e tentou, hoje ela diz que é um dom. Já pintou flores e folhas gigantes, que estão espalhados em sua casa, e nas casas de seus amigos e familiares.[7]

Em Dezembro de 2011, Monique fez um desabafo no programa Superpop, disse que sofre de depressão desde sempre, e que as pessoas não entendem que depressão não é frescura e sim uma doença. Ela também relembrou momentos difíceis que viveu, como quando ficou viúva, aos 21 anos, e quando venceu um câncer no braço, em 1996.[8]

Em Outubro de 2013, Monique foi internada em uma clínica psiquiátrica, após uma proposital ingestão de calmantes, e ficou durante 15 dias internada, onde foi diagnosticada com a doença Boderline[9] .

Em julho de 2014, Monique se interna novamente, dessa por vontade própria, ela justificou dizendo que não tomava os remédios no horário certo e que sentia solidão. Levou alta da clínica, após um pouco mais de 20 dias internada.[10]

Carnaval[editar | editar código-fonte]

Uma vez, em 1984, o apresentador Chacrinha perguntou a Monique se ela já tinha desfilado em uma escola de samba, ela disse que não, e então ele a indicou a escola Mocidade. Ela aceitou a ideia e foi, lá não sabia o samba e muito menos o enredo, pensou que só ia sair em uma ala. Tiraram suas medidas e pediram para ir com uma sandália prateada, também não tinha visto ou provado a fantasia. Foi com uma sandália prateada alta e normal, o carnavalesco Fernando Pinto deu a ela um biquíni de strass e uma pluma na cabeça. Sua sandália saía do pé e machucava, ela parava pra consertar o tempo todo, na correria nem percebia que estava na frente da câmera da Rede Globo. A escola foi vice-campeã e teve que desfilar novamente, no desfile das campeãs, o enredo era Mamãe eu quero Manaus. Monique foi muito criticada por causa da letra do samba e da sandália, mas foi um sucesso e acabou saindo em todos os jornais e revistas. Após o susto, aprendeu o samba e comprou uma sandália de passista, assumindo o posto de primeira Madrinha de Bateria, e começando levemente com a onda das famosas que desfilam como Musas do Carnaval. No ano seguinte, a escola foi campeã com Ziriguidum 2001, em 1985. Foi a primeira vez que alguém desfilou sem sutiã, pois na hora uma das estrelas de strass quebrou, ela teve que pintar o peito com uma estrela prateada. Em 1986, Monique se apoia no posto de madrinha e é a mulher mais fotografada do Carnaval, ela desfilou com uma fantasia de gato, a fantasia ficou popular e foi bastante copiada. Em 1987, vira de vez moda, todas as escolas colocarem modelos e famosas como madrinhas. Ovacionada na avenida com a fantasia Iracema, Monique se despediu da Mocidade, sendo novamente vice-campeã com o enredo Tupinicópolis. Em 1988, foi ser madrinha da GRES São Clemente. Em 1989, desfilou com a linda fantasia Serra Pelada. Em 1990, Monique estréia como Madrinha das Passistas. Em 1991, chamou atenção ao desfilar grávida da filha Bárbara, encantou na ala das crianças, em frente a bateria. Em 1992, partiu para ser madrinha da escola GRES Estácio de Sá, que foi campeã com o enredo Paulicéia Desvairada - 70 anos de Modernismo. Em 1993, desfilou pela escola com o enredo A dança da Lua. Em 1994, foi para escola União da Ilha, como destaque num carro alegórico. Em 1995, como porta-bandeira da Ilha, e foi chamada de Rainha branca da Sapucaí. Em 1996, ela surgiu como Deusa Artemis no alto do carro do abre alas. E por fim, em 1997, se despediu como madrinha da Grande Rio, se tornando um ícone do Carnaval. Monique diz não sentir mais aquele arrepio na espinha, e que o Carnaval mudou muito, mas mesmo assim adora assistir.[11]

No Carnaval de 2014, Monique foi convidada pela sua escola do coração, Mocidade, para desfilar novamente, depois de anos, ela aceitou o convite e foi homenageada pela agremiação, onde ela foi destaque de um carro que trazia junto, várias mulheres usando a mesma fantasia que ela usou no desfile de 1985.[12]

Trabalhos[editar | editar código-fonte]

Como Apresentadora[editar | editar código-fonte]

Ano Programa Emissora
2012 Sexo a Três RedeTv!
2010 Manhã Maior RedeTv!
2006/2010 TV Fama RedeTv!
2005 A Casa é Sua RedeTv!
2004 Bate Coração Sbt
2001/2004 Noite Afora RedeTV!
2000 TV Fama RedeTv!
1998/2000 De Noite na Cama Shoptime
1987/1988 Cassino do Chacrinha Rede Globo
1983 Domingo Bingo Rede Globo

Como Atriz[editar | editar código-fonte]

Ano Título Papel Emissora
2010 O Curral Ela mesma Rede Record
2008 Alice Sil HBO
1991 O Guarani Truíra Rede Manchete
1996 Chico Total Maria Tereza Rede Globo
1986 Hipertensão Alaíde Rede Globo
1986 Cambalacho Pâmela Rede Globo
1986/1989 Chico Anysio Show Shirley Rede Globo
1981 O Amor é Nosso Monah Rede Globo

Cinema[editar | editar código-fonte]

Ano Título Papel Gênero
1990 O Escorpião Escarlate Madame Ming Comédia
1988 Fogo e Paixão Monique Comédia
1987 Eu Diana Drama Erótico
1986 Sexo Frágil Cristina Comédia
1984 Aguenta Coração ... Drama

Reality Shows[editar | editar código-fonte]

Ano Título Papel Emissora
2013 Monique Quer Namorar Participante Rede Record
2011 A Fazenda 4 Participante Rede Record
2010 A Fazenda 3 Participante Rede Record

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Categoria no Wikiquote
Commons Categoria no Commons