Cambalacho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou secção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde outubro de 2011). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Trechos sem fontes poderão ser removidos.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing.
Cambalacho
Informação geral
Formato Telenovela
Duração 50min 
Criador(es) Sílvio de Abreu
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Jorge Fernando
Antônio Rangel
Elenco Fernanda Montenegro
Gianfrancesco Guarnieri
Natália do Valle
Cláudio Marzo
Suzana Vieira
Maurício Mattar
Andréa Avancini
Edson Celulari
Regina Casé
Roberto Bonfim
Rosamaria Murtinho
Consuelo Leandro
Débora Bloch
(Ver mais)
Tema de abertura "Cambalacho", de Walter Queiroz
Transmissão original 10 de março de 19863 de outubro de 1986
N.º de episódios 179 (original)
115 (reprise)
10 (vídeo show)
Cronologia
Último
Último
Ti Ti Ti
Hipertensão
Próximo
Próximo
Programas relacionados Jogo da Vida
Guerra dos Sexos
Sassaricando

Cambalacho é uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo no tradicional horário das 19 horas, entre 10 de março e 3 de outubro de 1986, substituindo Ti Ti Ti e sendo substituída por Hipertensão, em 179 capítulos.

Foi escrita por Sílvio de Abreu, que abrdou como tema a "situação vergonhosa" no qual o Brasil passava, na visão do autor.[1] Com direção de Jorge Fernando e Antônio Rangel, e direção geral de Jorge Fernando.

Foi reapresentada pelo Vale a Pena Ver de Novo, entre 8 de julho e 13 de dezembro de 1991, substituindo Top Model e sendo substituída por Fera Radical, em 115 capítulos.

Foi reexibida pelo quadro Novelão, do Vídeo Show, entre 17 a 28 de setembro de 2012, substituindo Direito de Amar e sendo substituída por Dancin' Days, em 10 capítulos.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Andréia planeja um crime perfeito para eliminar seu marido, Antero Souza e Silva, e ficar com sua herança. Só que o testamento remete a fortuna para Leonarda Furtado, a Naná, suposta filha desaparecida de Antero e que vive aplicando cambalachos para sobreviver ao lado de Jerônimo Machado, o Jejê. Para aliviar a culpa que sente por ser trapaceira, Naná leva para sua casa crianças que recolhe nas ruas de São Paulo.

Andréia sentindo-se perdida, constitui seu advogado, o homem que ama, Dr. Rogério, marido de sua irmã Amanda. Amanda, também advogada, por sua vez, sentindo-se traída, coloca-se à disposição de Naná defendendo-a contra todos, principalmente do marido e da irmã.

Mas a história tem uma reviravolta com a chegada de Daniela, suposta filha de Naná que morava no exterior e a mãe não via desde pequena. Acompanhados de Daniela chegam Armandinho e João Pedro, dois vigaristas que se fazem passar por nobres franceses.

E ainda há a pretensiosa Tina Pepper, fã da cantora Tina Turner, que usa uma peruca a imitando. Ela é filha de Lili Bolero, que passa o tempo todo queixando-se da carreira de cantora que teria lhe sido roubada por Ângela Maria.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Participação especial
As crianças
Participações especiais em outros capítulos

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Mais uma novela que mostrou o espírito inventivo de Sílvio de Abreu, transformando sua trama folhetinesca numa deliciosa e divertida comédia. Muitas idéias excelentes, com uma integração perfeita do texto com o elenco e direção.
  • Também pôde discutir a moral do país, o que seria inconcebível nos tempos da ditadura militar. Através da novela, Sílvio de Abreu criticou o comportamento condescendente frente a falcatruas e à corrupção.
  • Ótimos momentos de Fernanda Montenegro, Gianfrancesco Guarnieri e Natália do Valle - ela, como a inesquecível vilã Andreia Souza e Silva, a "perigosa", como repetia o refrão do tema musical da personagem.
  • Destaque também para as presenças hilariantes de Regina Casé e Consuelo Leandro, que viveram Tina Pepper e Lili Bolero, mãe e filha na novela.
  • As primeiras chamadas da novela aguçavam a curiosidade do telespectador: "você sabe o que quer dizer 'cambalacho'?". O termo se popularizou, e se tornou uma expressão comum para designar golpe, trapaça.
  • Poucos antes de a novela estrear, no governo de José Sarney, o Brasil lançou o Plano Cruzado. Algumas cenas da novela, por conta disso, tiveram de ser adaptadas, pois faziam referência a valores ainda cotados em Cruzeiro (a moeda anterior). A solução foi mostrar na tela a correspondência de valores.
  • A novela era ambientada em São Paulo, e tinha as passagens de tempo e troca de cenas marcadas por letreiros luminosos criados por computador e postos no alto dos prédios da cidade. Nesses painéis apareciam desenhos e frases do tipo "Cai a noite".
  • O encerramento da novela fugiu do tradicional. Com imagens gravadas de um helicóptero - ao som da música "Armando Eu Vou" (cantada por Cida Moreira) -, as sequências finais contaram com a participação de um corpo de balé caracterizado com figurinos dos personagens da novela. No final da coreografia, vistos do alto, os bailarinos formavam a palavra "cambalacho" pelas ruas de São Paulo.
  • Por motivos de saúde, a atriz Joana Fomm encerrou sua participação na novela, logo no início, obrigando o autor a abandonar a personagem dela, Joana Duarte.

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

Trilha sonora Nacional[editar | editar código-fonte]

Cambalacho Nacional
Trilha sonora de vários intérpretes
Lançamento 1986
Gênero(s) Vários
Formato(s) Vinil
Gravadora(s) Som Livre
Cronologia de vários intérpretes
Último
Último
-
Cambalacho Internacional
Próximo
Próximo

Nacional[editar | editar código-fonte]

  • Capa: logotipo da novela
  1. "Perigosa" – Syndicatto
  2. "Armando Eu Vou" – Cida Moreira
  3. "Jerônimo" – Germano Mathias (part. esp. Canto a Canto)
  4. "Parece Mas Não É" – Carbono 14
  5. "Estrela de Bastidor" – Ângela Maria
  6. "Vila Curiosa" – Passoca (part. esp. Papavento)
  7. "Cambalacho" – Wálter Queiróz
  8. "Filho da Cidade" – Sérgio Dias
  9. "Só Eu Sei" – Gilliard
  10. "O Ganso Que Dança" – Zona Sul
  11. "Jardins" – A Voz do Brasil
  12. "Deus Nos Acuda" – Fundo de Quintal
  13. "Alguém Que Olhe Por Mim (Someone To Watch Over Me)" – Emílio Santiago

Trilha sonora internacional[editar | editar código-fonte]

Cambalacho Internacional
Trilha sonora de vários intérpretes
Lançamento 1986
Gênero(s) Vários
Formato(s) Vinil
Gravadora(s) Som Livre
Cronologia de vários intérpretes
Último
Último
-
Próximo
Próximo

Internacional[editar | editar código-fonte]

  1. "The Captain Of Her Heart" – Double
  2. "Bad Boy" – Gloria Estefan & Miami Sound Machine
  3. "Don't You Love Me Anymore" – Joe Cocker
  4. "Let's Dance" – Chris Rea
  5. "Greatest Love Of All" – Whitney Houston
  6. "Don Quichotte" – Magazine 60
  7. "Somebody Won't Sleep Tonight" – Frederick
  8. "On My Own" – Patti LaBelle e Michael McDonald
  9. "Something About You" – Level 42
  10. "Manic Monday" – Bangles
  11. "Cherish" – Kool & The Gang
  12. "Better Be Good To Me" – Tina Turner
  13. "Rough Boy" – ZZ Top
  14. "I'm Losing You" – Ven-Uto

Referências

  1. Gomez, Heloiza (5 de maio de 2010). Silvio de Abreu fala sobre PASSIONE (em português) M de Mulher Minha Novela Online. Visitado em 09-07-2010.
Ícone de esboço Este artigo sobre telenovelas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.