As Filhas da Mãe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
As Filhas da Mãe
Informação geral
Formato Telenovela
Duração 45 min
Criador(es) Sílvio de Abreu
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Elenco Fernanda Montenegro
Raul Cortez
Tony Ramos
Cláudia Raia
Regina Casé
Bete Coelho
Andréa Beltrão
Thiago Lacerda
Cláudia Ohana
e elenco[1]
Tema de abertura "Alô, Alô, Brasil", Eduardo Dusek[2]
Transmissão original 27 de agosto de 2001 [3]18 de janeiro de 2002
N.º de episódios 125
Cronologia
Último
Último
Um Anjo Caiu do Céu
Desejos de Mulher
Próximo
Próximo

As Filhas da Mãe[4] (abreviação de: A Incrível Batalha das Filhas da Mãe no Jardim do Éden) é uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo no horário das 19 horas, entre 27 de agosto de 2001 a 18 de janeiro de 2002, em 125 capítulos [3] , substituindo Um Anjo Caiu do Céu e sendo substituída por Desejos de Mulher.

Foi escrita por Sílvio de Abreu, Alcides Nogueira e Bosco Brasil, com colaboração de Sandra Louzada. Teve direção de Marcelo Travesso e Marcus Alvisi, e direção geral e de núcleo de Jorge Fernando.

Contou com Fernanda Montenegro, Andréa Beltrão, Bete Coelho, Cláudia Raia, Thiago Lacerda, Claudia Jimenez, Patrycia Travassos, Yoná Magalhães, Raul Cortez, Alexandre Borges, Francisco Cuoco, Cláudia Ohana, Tony Ramos e Regina Casé nos papéis principais da trama.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

A história central é focada nas filhas de Lulu de Luxemburgo (Fernanda Montenegro) - Tatiana (Andréa Beltrão), Alessandra (Bete Coelho) e Ramona (Cláudia Raia) (que era Ramón até mudar de sexo e virar Ramona) - que brigam entre si pelo resort Jardim do Éden, que o pai, Fausto Cavalcante (Francisco Cuoco), deixou para trás ao dar um imenso golpe na praça e em seus dois sócios, Arthur Brandão (Raul Cortez) e Manolo Gutierrez (Tony Ramos). Com o sumiço de Fausto, toda a família que estava separada e espalhada pelo mundo (entre Roma, Los Angeles e Las Vegas) volta ao Brasil. E é aí que começa a verdadeira batalha das filhas da mãe, que estarão não só interessadas na herança deixada pelo pai, como também em descobrir o que realmente aconteceu com ele. Neste rolo todo, ainda existe um lobo em pele de cordeiro: Adriano Araújo (Thiago Lacerda), o afilhado bonitão de Fausto, que fará de tudo para botar as mãos no dinheiro do padrinho. E as sempre prestativas Milagros Quintana (Patricia Travassos) e Margot (Jaqueline Laurence) que, respectivamente, estarão sempre ao lado dos patrões Lulu e Fausto.

Já a família Brandão viverá às voltas com as mulheres, até o dia em que o filho mais velho, Leonardo (Alexandre Borges), ficará enlouquecido por uma misteriosa mulher, conhecida como Ramona, mas que se apresentará como uma transexual. O outro filho, Ricardo (Reynaldo Gianecchini), também será pego de surpresa pelo cupido, quando se apaixonar por um colega de trabalho, do sexo masculino, Dagmar Cerqueira (Cláudia Jimenez), até descobrir que o mesmo, na verdade, é uma mulher. O pai destes conquistadores, Arthur, também passará bons bocados com a sua noiva Valentine Ventura (Lavínia Vlasak), que fará de tudo para conquistar o cinquentão boa pinta e cheio da grana. E, no meio destes homens lindos, circulará Dona Divina (Cristina Pereira), a governanta apaixonada pelos patrões que afoga sempre as suas mágoas no álcool.

Outra turma é a dos Gutierrez, de Manolo, um dos sócios do Jardim do Éden e proprietário de uma rede de bingos, que mora com a sua avó Gorgo (Cleyde Yáconis); Aurora (Cláudia Ohana), uma ex-stripper, analfabeta, e sua companheira; e seu filho adolescente, Diego (Mário Frias). Também convive neste ambiente o amigo de Manolo, Barnabé (Flávio Migliaccio), que mora no quintal da casa dele e tentará, a todo custo, transformar Diego num grande lutador de boxe.

Perto mora Rosalva Rocha (Regina Casé), uma nordestina de Canhotinho, pequena cidade de Pernambuco, que (depois de muitas andanças) irá se mudar para a zona norte de São Paulo, junto com o marido Edimilson Rocha (Edson Celulari) e seus quatro filhos: Joana (Priscila Fantin), Pedro (Pedro Garcia Netto), Zequinha / José (Bruno Gagliasso) e a caçulinha Amada (Ana Beatriz Cisneiros). O sogro de Rosalva, Seu Dedé (Elias Gleiser), também mora com essa trupe e é grande amigo de Manolo, para desagrado da nora, que não o suporta. Com a morte de Edmilson, o seu primo Nicolau (Tuca Andrada) acabará fazendo de tudo para conquistar o coração de Rosalva, resultando em grandes confusões.

Ainda tem a família Ventura, onde Dona Violante (Yoná Magalhães) passa às voltas com os filhos Valdeck (Lulo), personal trainer do Jardim do Éden; e Valentine. Sem falar no amigo Faísca (Gustavo Falcão) que forma com Valdeck uma dupla dinâmica. Além destes, Webster Pereira (Diogo Vilela), casado com Maria Leopoldina (Virginia Cavendish) e pai de Maria Elizabeth (Isabella Cunha) e Felipe Augusto (Felipe Latge) terá a sua vida caseira transformada totalmente quando começar a dar aulas de Português à Aurora.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Fernanda Montenegro interpretou "Lulu de Luxemburgo".
O ator Tony Ramos interpretou Manolo Gutiérrez.
Patrícia Travassos interpretou "Milagros Quintana".
Ator [5] [6] Personagem
Fernanda Montenegro Lucinda Maria Barbosa (Lulu de Luxemburgo)
Cláudia Raia Ramona Cavalcante (Ramón Cavalcante)
Andréa Beltrão Tatiana Cavalcante
Bete Coelho Alessandra Cavalcante
Raul Cortez Artur Brandão
Tony Ramos Manolo Gutiérrez[7]
Cláudia Ohana Aurora (Orora Anarfabeta)
Regina Casé Rosalva Rocha[8]
Francisco Cuoco Fausto Cavalcante
Edson Celulari Edmilson Rocha
Thiago Lacerda Adriano Araújo[9]
Lavínia Vlasak Valentine (Valentina Ventura)
Alexandre Borges Leonardo Brandão[9]
Reynaldo Gianecchini Ricardo Brandão[9]
Cláudia Jimenez Dagmar Cerqueira
Patrycia Travassos Milagros Quintana
Yoná Magalhães Violante Ventura
Tuca Andrada Nicolau
Diogo Vilela Webster Pereira
Cleyde Yáconis Gorgo Gutiérrez
Elias Gleiser Seu Dedé
Nelson Xavier Mauro das Flores
Emiliano Queiroz João Alberto
Jacqueline Laurence Margot de Montparnasse
Flávio Migliaccio Barnabé
Rosamaria Murtinho Dona Cissa Italiana
Isadora Ribeiro Madalena
Carolina Dieckmann Luise de Mershéél
Angelita Feijó Hudeny
Maurício Gonçalves Martinez
Virgínia Cavendish Maria Leopoldina Pereira
Hilda Rebello Dona Geralda
Cristina Pereira Divina
Priscila Fantin Joana Rocha
Mário Frias Diego Gutierrez
Bruno Gagliasso Zeca (José Rocha)[10]
Marcelo Barros Polenta
Mário Cardoso Dr. Aírton
Daniela Cicarelli Larissa
Henri Castelli Pércio
Norton Nascimento Investigador Marcelo
Bárbara Paz Caroline Alves
Nelson Freitas Clóvis
Pedro Garcia Netto Pedro Rocha
Felipe Latge Felipinho (Felipe Augusto Pereira)
Gustavo Falcão Faísca
Ana Beatriz Cisneiros Amada Rocha
Isabella Cunha Maria Elizabeth Pereira
Joana Medeiros Milena
Lulo Valdeck Ventura
Roberto Bataglin Mr. Andrews
Sokram Sommar Rick
Ana Carbatti Luzineide
Cláudia Lira Dalete
Henri Pagnoncelli Comendador Mengion
Viviane Novaes Érica

Elenco de apoio[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
Fernanda Torres Lulu de Luxemburgo (jovem)
Cláudio Lins Fausto Cavalcante (jovem)
Silvio de Abreu como ele mesmo (Mestre de cerimônia do oscar)
Henrique Taxman Artur Brandão (jovem)

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

Trilha sonora nacional[editar | editar código-fonte]

Capa: logotipo da novela

  1. Ela é Bamba - Ana Carolina
  2. Acima do Sol - Skank
  3. Odara - Lulo Scroback
  4. Primavera - Maria Bethânia
  5. Sem Parar - Gabriel O Pensador
  6. Dream - John Pizzarelli
  7. Janela Indiscreta - Lulu Santos
  8. Química Perfeita (Quimica Perfecta) - Banda Eva - part. esp.: Netinho
  9. São Paulo SP - Fernanda Abreu
  10. Os Olhos do Meu Amor - Sylvia Massari
  11. Orora Analfabeta - Exaltasamba
  12. You Don't Know Me - Diane Schuur & B.B. King
  13. Mero Detalhe - Lenine
  14. Fuck The Fashion - Vinny
  15. Dancing In The Dark - Diana Krall
  16. Vai Pegar - Zé Ricardo
  17. Alô Alô Brasil - Eduardo Dusek

Trilha sonora internacional[editar | editar código-fonte]

Capa: Reynaldo Gianecchini

  1. Mirame a Los Ojos - Paulina Rubio
  2. When You Told Me You Loved Me - Jessica Simpson
  3. Me, Myself & I - JiveJones
  4. Emotion - Destiny's Child
  5. Baila Sexy Thing - Zucchero
  6. I Believe In You - Joe (with N'Sync)
  7. Eternal Flame - Atomic Kitten
  8. Your Song (Versão Power Mix) - Billy Paul
  9. Dance Anymore - Double You
  10. Pra Você Eu Digo Sim (If I Fell) - Rita Lee
  11. Se Nos Muere El Amor - Ricardo Arjona
  12. Addicted To Love - Adriana Mezzadri
  13. Colo de Menina - Rastapé
  14. Selfish - N'Sync
  15. Hero - Enrique Iglesias
  16. The Land - Ibiza

Audiência[editar | editar código-fonte]

Seu capítulo de estréia registrou 39 pontos. Seu último capítulo registrou 37 pontos, menor que o da estréia. A média geral registrada foi de 38 pontos.[11] .

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • A novela apresentou inovações nos quesitos linguagem e edição. O autor Sílvio de Abreu qualificou a narrativa como sendo um "cordel-sulista-paulistano", já que a maior novidade de As Filhas da Mãe eram os raps que uniam os diferentes núcleos da trama. Foi criado um rap para cada personagem, além de outros usados, em cada capítulo, para a explicação de cenas e passagens de tempo. A novela também contou com muitas citações teatrais, televisivas e cinematográficas.
  • As Filhas da Mãe foi escrita para um elenco pré-escalado pelo autor e pelo diretor, uma das exigências do autor Sílvio de Abreu em sua volta à comédia, após mais de oito anos. Os personagens foram criados de acordo com as características pessoais de cada intérprete.
  • Segundo o diretor Jorge Fernando, a ideia era fazer uma novela não centralizada, com cinco sitcoms amarrados por um rap, cada um protagonizado por duas estrelas. O autor Sílvio de Abreu confirma. A proposta era que não houvesse um personagem central, um ponto de identificação. Ele não elegeu a mocinha, o mocinho, o vilão. Mas, quando a novela já estava no ar, o desenho de produção inicial foi alterado -- o que era para ser uma junção de histórias independentes, acabou virando uma história.

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Troféu APCA

  • Melhor ator - Tony Ramos[12]

Troféu Imprensa

  • Melhor ator - Tony Ramos[13]

Referências

  1. Memória Globo (julho de 2010). As Filhas da Mãe - Ficha Técnica (em português) Rede Globo.. Página visitada em 21 de janeiro de 2014.
  2. Memória Globo. As Filhas da Mãe - Trilha Sonora. Página visitada em 21 de janeiro de 2014.
  3. a b Memória Globo (julho de 2010). As Filhas da Mãe - Trama Principal (em português) Rede Globo. Memoriaglobo.globo.com. Página visitada em 21 de janeiro de 2014.
  4. Memória Globo (julho de 2010). As Filhas da Mãe - Curiosidades (em português) Rede Globo. Memoriaglobo.globo.com. Página visitada em 21 de janeiro de 2014.
  5. Redação Folha Online (24 de agosto de 2001). Conheça os personagens de "As Filhas da Mãe" (em português) Site da Folha de S. Paulo. Página visitada em julho de 2010.
  6. Calixto, Leandro (26 de agosto de 2001). "Filhas da Mãe" traz elenco de consagrados (em português) Jornal Vale Paraibano. Jornal.valeparaibano.com.br. Página visitada em julho de 2010.
  7. Redação Contigo! Online (julho de 2010). Perfil Tony Ramos (em português) Revista Contigo! Online. Contigo!. Página visitada em julho de 2010.
  8. Redação Globo.com (8 de julho de 2009). Conheça as mil faces de Regina Casé na tela da Rede Globo (em português) Rede Globo. Página visitada em julho de 2010.
  9. a b c Franca, Luciana (27 de agosto de 2001). A constelação de As Filhas da Mãe (em português) Isto É Gente Online. Exclusivo.terra.com.br. Página visitada em julho de 2010.
  10. Felícia, Carla (27 de janeiro de 2003). Revelação: Bruno Gagliasso - Frutos do sucesso (em português) Revista Isto É Gente. Terra Networks. Página visitada em julho de 2010.
  11. Feltrin, Ricardo (18 de setembro de 2008). Ibope de novelas desaba na Globo (em português) Terra Gente & Tv. Noticias.uol.com.br. Página visitada em julho de 2010.
  12. Redação APCA (27 de janeiro de 2003). Os Melhores da APCA - Premiados de 2001 (em português) Associação Paulista de Críticos de Arte. Apca.org.br. Página visitada em julho de 2010.
  13. Redação Terra (9 de março de 2008). Silvio Santos anuncia melhores de 2007 com Troféu Imprensa (em português) Terra Gente & Tv. Exclusivo.terra.com.br. Página visitada em julho de 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]