Bárbara Paz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde julho de 2012). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Bárbara Paz
Bárbara Paz.jpg
Bárbara Paz em 2011.
Nome completo Bárbara Raquel Paz
Nascimento 17 de outubro de 1974 (40 anos)
Campo Bom, Rio Grande do Sul
 Brasil
Ocupação atriz
Atividade 2000-presente
Cônjuge Hector Babenco (2010-2014)[1]
Página oficial
IMDb: (inglês)

Bárbara Raquel Paz OMC (Campo Bom, 17 de outubro de 1974) é uma atriz e modelo brasileira.

Em 2001 participou da primeira edição do reality show Casa dos Artistas, do SBT, tendo sido a vencedora e recebido um prêmio de 300 mil reais, em 2003 recebeu o prêmio de melhor atriz de curta-metragem no 31º Festival de Gramado, pela atuação em Produto descartável.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Bárbara Paz em 2006.

Bárbara nasceu na pequena cidade de Campo Bom, no interior gaúcho. Era a caçula das quatro irmãs: Silvana, Daniela e Adriane. Bárbara foi a única a nascer em hospital, pois todas as outras nasceram em casa. Sua mãe era loira dos olhos azuis, se chamava Iraí, e era filha de um padeiro conhecido na região. A jovem teve complicações em seu parto normal, e um rim secou, e para sobreviver, passou a fazer hemodiálise. Lhe deram 04 meses de vida, depois 04 anos, mas sobreviveu por mais tempo, sempre tendo que ser internada. Ela se recusava que uma das filhas sofresse para lhe transplantar um rim, e a família toda fez exames, mas ninguém era compatível.[2] O pai de Bárbara, Oripe, era o prefeito da cidade, que também havia sido vereador, e era dono de uma rodoviária. O nascimento de Bárbara foi uma grande alegria e comemorado por muitos dias na cidade.[3] Ao completar seis anos de idade, seu pai, que era alcoólatra, e por conta disso perdeu tudo que tinha, faleceu de cirrose.[4] A mãe de Bárbara, mesmo doente, teve que criar e cuidar das cinco filhas sozinha e para isso, mesmo muito mal de saúde, trabalhava de costureira e vendedora de doces. Na infância, Bárbara se divertia escrevendo em seu diário, desenhando e frequentando um pequeno circo próximo a sua casa. Seu lado artístico já era muito nítido, pois gostava de se maquiar, vestir roupas de sua mãe e criava um circo com falas para a família ver, e todos riam demais. Com dificuldades no lar, Bárbara, já aos nove anos, decidiu ajudar financeiramente a mãe, e assim, pintava esculturas de gesso e vendia na praça da cidade, embora sua mãe e suas irmãs não quisessem que ela fizesse isso, Bárbara sentia-se na obrigação de ajudar a família.[5] Aos 12 anos, estudando em escola estadual, enfrentava muitas necessidades. Suas tias lhe davam óleo de bacalhau para Bárbara engordar, visto que era muito magra, devido a desnutrição causada pela fome.[6] A escola que estudava sempre entrava em greve e nessa situação, seu futuro era incerto. Vendo a cada dia a mãe mais doente e atolada em dívidas para comprar os remédios e fazer o tratamento renal, e sabendo que o dinheiro que as irmãs ajudavam em casa não dava para o sustento do lar, Bárbara decidiu tirar sua carteira de trabalho e começou a trabalhar numa fábrica de calçados, onde ficou dois meses, até as aulas no colégio voltar. Estudando de manhã, conseguiu um emprego a tarde de vendedora numa boutique, e trabalhou lá até os 14 anos. A partir dessa idade, conseguiu emprego de vendedora numa loja de surfwear (roupas de surfe), onde foi promovida para trabalhar como consultora de vendas na área de publicidade da empresa e começou a realizar seu antigo sonho: Ser modelo. Ali, começou a tirar fotos e fazer books.[7] Nesta época, gostava de ir ao Centro de Traduções Gaúchas para dançar, onde comemorou seu aniversário de 15 anos, vestida de prenda.[8] Bárbara sempre visitava a mãe na UTI dos hospitais, mas sempre tentava fazê-la sorrir. Nesta época, suas irmãs já haviam casado, e Bárbara estava sozinha cuidando da mãe enferma, ou no hospital ou em casa. O pior momento da sua vida fora quando completou 17 anos, e pouco tempo depois, sua mãe faleceu de insuficiência renal. Sua vida desabou, entrou em depressão, se viu sozinha e desesperada. Neste momento, Bárbara percebeu que precisava expressar todo seu lado artístico sufocado, ou ficaria louca de tanta tristeza.[9]

Sem recursos no interior gaúcho, e tendo sido demitida de seu emprego, e não querendo morar com as tias nem com as irmãs afim de não incomodá-las, e querendo ir em busca de seu sonho de ser modelo, juntou suas últimas economias e embarcou num ônibus rumo a Cidade de São Paulo, ainda menor de idade, em 1991. Foi um começo difícil, tendo que ficar sem comer alguns dias para poder pagar o aluguel de um quarto de pensão com o último dinheiro que lhe restava. Procurou muitas agências de modelo para divulgar seu book profissional, mas quase nenhuma lhe deu oportunidade. Entristecida pensando que não conseguiria realizar sua carreira de modelo, conseguiu ser contratada por uma agência, ao passar num teste de fotografia e desfile, derrotando outras candidatas. Nesta agência, Bárbara trabalhou por toda São Paulo em desfiles, editoriais de moda e fotos publicitárias. Com o dinheiro que ela ganhava, começou a pagar um curso de teatro, pois também sonhava ser atriz.[10]

Antes de sofrer uma das piores tragédias de sua vida, seu último trabalho de modelo em São Paulo havia sido numa feira de promoções. Ela representava uma boneca Barbie, na versão "Feliz Aniversário". "As crianças deliravam. Adoravam. Achavam que eu era idêntica à boneca", contou Bárbara em entrevistas. Ainda nesta época, Bárbara foi a escolhida para um dia de paquita, e contracenar com a rainha Xuxa num comercial de TV.[11]

Vivendo em São Paulo há seis meses, sempre recebia a visita de suas amigas de infância, pois morava sozinha e estava muito depressiva pela perda de sua mãe. Não bastando tantos problemas em sua vida, a jovem sofreu um acidente que quase a matou: Ela e mais duas amigas beberam muito ao som de música alta na casa de outros amigos, na véspera de natal. Era a primeira vez que Bárbara havia bebido. Estava muito depressiva e revoltada, era o primeiro natal sem sua mãe. Na madrugada do dia 25 de dezembro de 1991, Bárbara e duas amigas, muito alcoolizadas, decidiram ir para o Rio Grande do Sul visitar a família. Uma das amigas de Bárbara, que estava junto da irmã, pegou escondida o carro do pai, e mesmo menor, dirigiu o veículo. As três adolescentes não colocaram cinto de segurança. Andaram apenas 500 metros e a pilastra de um prédio apareceu na frente, e o vidro do carro entrou rasgando no rosto de Bárbara. As duas amigas desmaiaram instantaneamente. A única desperta, Bárbara, saiu pelo vidro do veículo. Seu maxilar pendia, solto, no rosto. Os músculos faciais estavam dilacerados. A língua e o céu da boca, cortados. As amigas de Bárbara tiveram traumatismo craniano. Bárbara, ao despertar as sete da manhã, assustada, viu as amigas ensanguentadas do seu lado. Ela abriu a porta do carro, quebrou o vidro, e por causa disso quebrou seu braço ao tentar quebrar o vidro. Aterrorizada, Bárbara saiu do carro, ajoelhou na rua e começou a rezar. Bárbara revelou em entrevistas que gritava pelo nome da mãe, e que pedia desculpas a ela, que não achava que aquele acidente havia ocorrido, e quer tudo o que estava vivendo ali na hora era um sonho terrível. Bárbara estava em choque. Seu rosto estava totalmente dilacerado, aberto: Bárbara cortou todo o céu da boca e maxilar, e tomou 500 pontos. Cada vez que ela gritava de dor, a ferida abria mais, estava cheio de caco de vidro. na hora do acidente, a rua estava deserta. Uma mulher a viu e não teve coragem de chegar perto. Dois dias depois ela foi atrás do hospital para saber quem era a adolescente desfigurada, e se tinha morrido. O acidente fora tão grave, que a única testemunha desse fato estava traumatizada. Após ser resgatada, Bárbara tentou ver o próprio rosto logo que a ambulância chegou. Não conseguiu. O grande choque foi na máquina de raio X, ao ver que não possuía mais um rosto e sim um grande pedaço aberto, para seu desespero. As amigas de Bárbara, que eram irmãs, foram operadas pelo próprio pai, que era cirurgião plástico. Bárbara foi operada por um amigo deste médico. Caso a atriz não tivesse sido operada, morreria, e se não tivesse feito pontos de plástica, estaria desfigurada até hoje. Após o acidente, nunca mais teve contato com suas amigas. Voltou para Campo Bom, e ficou na casa de parentes até se recuperar por completo, quando voltou a São Paulo em meados de 1992, para dar um novo rumo a sua vida.[12]

Bárbara ganhou duas enormes cicatrizes na face. A maquiagem passou a fazer parte de sua vida diária. Por causa disto, perdeu todos seus trabalhos como modelo, ninguém aguentava olhar para seu rosto. Tentou atuar em um comercial de cerveja, mas foi humilhada e ficou muito mal. Como recordação de sua felicidade, até hoje a atriz guarda a única foto de quando tinha dezessete anos, antes do acidente, com o rosto perfeito, em um ensaio fotográfico. Ela costuma dizer que além de ter perdido a mãe, perdeu sua pele de pêssego. Revela que após o acidente amadureceu muito e teve que crescer antes do tempo, ainda mais do que já havia tido que crescer. Com o último dinheiro que tinha dos trabalhos de modelo, manteve seu curso de teatro. Sua imagem passou a ser uma obsessão em sua vida, e carregou os curativos das cirurgias pelas quais passou após o acidente durante um ano, tentando disfarçá-los com maquiagem e até com os cabelos. Estava muito atormentada e complexada. Ainda passou por diversas outras micro cirurgias, e passou a usar de forma contínua um filtro solar e cremes especiais para amenizar as marcas em seu rosto. Para sobreviver, arrumou um emprego de secretária em uma universidade. Prestou o vestibular na mesma instituição e começou a cursar jornalismo, mas não chegou a terminar o curso, pois conseguiu se firmar no teatro, e passou a viajar pelo Brasil para fazer peças, sempre obtendo muito sucesso.[13] [14]

Em 2013, após mais de 20 anos usando maquiagens corretivas e fazendo tratamento com cremes e filtros solares, a atriz se submeteu a uma cirurgia plástica completa, pois só nesta época seu rosto estava preparado para tamanha intervenção. Apesar de ter tido ótimos resultados, ainda precisará se cuidar a vida toda.[15]

Vida Pessoal[editar | editar código-fonte]

Bárbara sempre manteve sua vida pessoal muito discreta, apesar de que somente em no início dos anos 2000 que se tornou conhecida do público, e como consequência, sua vida pessoal, incluindo seus romances, foram expostos. Seu primeiro namoro durou dos seus 15 anos até seus 17, ainda em Campo Bom, com um rapaz poucos anos mais velho. Eles viviam entre indas e vindas, já que o rapaz era muito ciumento. Devido a grande possessividade dele com Bárbara, o rapaz passou a acusá-la de traição, e até a persegui-la após o fim do namoro, terminado primeiro por Bárbara, mas eles reataram, e novamente ele acabou acusando-a de traí-lo. Não conseguindo mais conviver com o ciúme doentio que sentia pela namorada, o rapaz a abandonou, e terminou o namoro, e Bárbara sofreu demais.[16] Na época que fazia faculdade e trabalhava como secretária, se envolveu com o fotógrafo Marcos Lopes, em 1992. Com dois anos de namoro, em 1994, Bárbara e ele foram viver juntos, e não oficializaram o matrimônio. Por conta de brigas constantes, o casamento terminou em 1995. Em 1996 começou a namorar o ator Raul Barretto, e arelação durou até 2001, terminando devido a desentendimentos constantes. Neste mesmo ano, participou do reality show Casa dos Artistas, e sempre muito querida do público, foi a grande vencedora, levando o prêmio de R$300 mil reais. No reality, Bárbara derrotou o roqueiro Supla, que ficou em segundo lugar. Os dois se envolveram no reality, e formaram um casal. Eles trouxeram essa paixão para a vida real, e foram namorados por dois anos, até 2003, quando se separaram, para surpresa do público, pois eles se davam muito bem e falavam em casamento. O término fora por causa dos ciúmes de Supla, mas o namoro terminou de forma amigável, e eles se tornaram colegas.[17] No mesmo ano de 2003, Bárbara conheceu o ator Dalton Vigh e em pouco tempo se tornaram namorados. A relação durou quatro anos, até 2007, e o rompimento da relação ocorreu por conta das diferenças de temperamento, Mesmo separados, mantiveram uma amizade colorida por alguns meses, onde se relacionavam sem compromisso sério, mas com o tempo a aproximação esfriou e se tornaram bons colegas de profissão.[18] Após se separar de Dalton Vigh, começou a namorar o cineasta Hector Babenco.[19] Neste mesmo ano de 2007, no mês de setembro, Bárbara posou nua pela primeira vez, e foi capa da revista Playboy.[20]

Em 2010, Bárbara casou-se pela segunda vez: Após quatro anos de namoro, Bárbara e Hector foram viver juntos, mas não quiseram oficializar a união.[21] Após um matrimônio de quatro anos, e de forma amigável, o casamento de Bárbara e Hector chegou ao fim em 2014. A atriz contou em entrevistas não ter tido nenhum problema pelo fato do seu marido ser 29 anos mais velho, e que a relação terminou de forma natural, e a paixão se transformou em amizade, e que não gosta de usar o termo separação para o fim desta relação, que ela considerou uma das mais importantes de sua vida. Também contou que há um momento em que cada um deve seguir seu caminho, e que não tem mágoas de Hector. Bárbara revela que mesmo separada, a parceria profissional e a amizade continuam, e que o amor que sente por ele é infindável.[22] [23]

Em relação a maternidade, Bárbara diz que gostaria de ter filhos, mas nunca foi uma necessidade forte. Bárbara revela que sempre priorizou sua vida profissional, e que não se importaria se não se tornasse mãe, e que ficaria feliz caso acontecesse. Bárbara revelou que ter filhos é uma imposição da sociedade, mas que pode ser feliz sem ter um filho.[24]

No dia 11 de janeiro de 2015, a família de Bárbara ficou abalada com uma grande tragédia: Seu sobrinho, Luan Paz Siqueira, de 18 anos, foi assassinado com seis tiros em Campo Bom, no Rio Grande do Sul, ao sair a noite de uma lan house. O jovem tentou fugir, mas foi atingido e caiu no local. Um veículo havia se aproximado da lan house e o carona efetuou os disparos.[25] O jovem foi assassinado por um rapaz da mesma idade, com quem tinha uma rivalidade antiga, por conta de brigas de adolescentes.[26]

Bárbara ficou abalada com mais essa desgraça em sua vida pessoal. Revoltada, a atriz postou uma foto do pôr do sol da cidade de Campo Bom em uma rede social e pediu por justiça. “Nosso luto tem cor. Justiça!”, escreveu. A atriz recebeu inúmeras mensagens de apoio dos fãs na web. O corpo do jovem foi sepultado no Cemitério Católico de Campo Bom.[27]

Em 09 de abril de 2015 o jovem de dezoito anos, suspeito do assassinato de Luan, foi preso numa perseguição policial, pois ele estava assaltando um banco junto de outro rapaz da mesma idade. O crime também teve a participação de um menor de dezesseis anos.[28]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Sempre talentosa, interpretou diversas protagonistas em telenovelas, e atuou em alguns filmes e peças de teatro, sempre muito bem avaliada por diretores e autores. Obteve grande sucesso da crítica e do público ao interpretar a sofredora protagonista da novela Marisol, em 2002. Pôde colocar em prática seu lado cômico ao interpretar a perua Inocência na novela Cristal, em 2006. Em 2007, fez sucesso e comoveu o público ao interpretar a heroína Maria, da trama Maria Esperança. Nessa época, se arriscou como compositora, cantora e dançarina, e escreveu a letra da música para sua personagem, gravou a música, além de criar a coreografia, e a canção fez um grande sucesso. Em 2009, Bárbara conseguiu um papel na novela das 8 da Rede Globo, e obteve grande repercussão como a jovem alcoólatra e que sofria de bulimia, a Renata de Viver a Vida. Também fez muito sucesso em 2013 como uma estilista que possui uma bondade oculta, mas esconde isto sendo muito interesseira e vingativa: A milionária e ex-prostituta Edith, casada de faixada com um gay e ex-amante do sogro, e que abandona toda sua vida de mentiras, e o plano de aplicar um novo golpe do baú, ao encontrar o verdadeiro amor, na novela Amor à Vida, de Walcyr Carrasco.[29] . Em 2011 esteve no ar como Virgínia, de Morde & Assopra, uma mulher invejosa e má, que era assistente de Júlia (Adriana Esteves), e planejava acabar com todos os seus planos. Foi a primeira vilã em sua carreira e foi muito bem recebida pela crítica.[30]

Em 2014, foi anunciada no elenco de Lady Marizete, que teve o título mudado para I Love Paraisópolis.[31]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Televisão
Ano Título Papel
2000 Ô Coitado Marta
2001 Acampamento Legal Guardiã do Portal
Sandy & Júnior Tereza
As Filhas da Mãe Caroline Alves
Casa dos Artistas Ela mesma (participante)
2002 Marisol Marisol Lima do Vale/Verônica
2005 A Diarista Nini Potranca
2006 Cristal Inocência Perez
2007 Maria Esperança Maria Furtado de Trajano Queiróz
2008 Alice Guiga
2009 Unidos do Livramento Leontina
Força-Tarefa Laura Barreto
Viver a Vida Renata Ferreira
2010 Episódio Especial Ela mesma
Companhia das Manhãs Ela mesma
As Cariocas Denise
2011 Morde & Assopra Virgínia Lolatto
2012 Dança dos Famosos 9 Ela mesma (participante)
2013 Amor à Vida Edith Sobral Khoury
2014 O Caçador Taís [32] [33] (1 episódio)
A Mulher da Sua Vida Ela mesma [34]
Dupla Identidade Ana

Cinema[editar | editar código-fonte]

Teatro[editar | editar código-fonte]

Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde setembro de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Discografia[editar | editar código-fonte]

Single[editar | editar código-fonte]

  • Maria Esperança

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Ano Prêmio Categoria Obra Resultado
2006 Vitória Cine Vídeo Melhor Atriz "Manual para atropelar cachorro" Venceu
2011 Prêmio Quem Melhor atriz de teatro Bárbara Paz Venceu
2014 Prêmio Quem de Televisão Melhor Atriz Coadjuvante "Amor á Vida" Indicado

Referências

  1. Casamento de Bárbara Paz e Hector Babenco chega ao fim, diz jornal.
  2. [[1]]
  3. [[2]]
  4. [[3]]
  5. [[4]]
  6. [[5]]
  7. [[6]]
  8. [[7]]
  9. [[8]]
  10. [[9]]
  11. [[10]]
  12. [[11]]
  13. Bárbara Paz n'O Globo.
  14. [12]
  15. [[13]]
  16. [[14]]
  17. [[15]]
  18. [[16]]
  19. [[17]]
  20. [[18]]
  21. [[19]]
  22. [[20]]
  23. [[21]]
  24. [[22]]
  25. [[23]]
  26. [[24]]
  27. [[25]]
  28. [[26]]
  29. [27]
  30. Bárbara Paz e seu visual para a nova novela global das sete
  31. Flávio Ricco (14 de setembro de 2014). Bárbara Paz é reservada para nova novela da Globo UOL Televisão. Visitado em 14 de setembro de 2014.
  32. Florença Mazza (27 de abril de 2014). Bárbara Paz fala de 'O caçador' e diz que está solteira: 'Ainda estou vivendo o luto da separação' O Globo. Visitado em 27 de abril de 2014.
  33. Flávia Muniz (21 de junho de 2014). Bárbara Paz volta à cena na pele de outra garota de programa O Dia. Visitado em 02 de janeiro de 2015.
  34. G1 (07 de agosto de 2014). Bárbara Paz participa de 'A Mulher da sua Vida' com Marcelo Serrado G1 - Fantástico. Visitado em 10 de agosto de 2014.
  35. G1 (20 de julho de 2014). Espetáculo 'Hell' chega a Salvador com Barbara Paz e André Bankoff G1 - Bahia. Visitado em 10 de agosto de 2014.
  36. G1 (09 de agosto de 2014). Gianecchini e Bárbara Paz levam peça 'A Toca do Coelho' a Vitória G1 - Espírito Santo. Visitado em 10 de agosto de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Este artigo sobre uma atriz é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.