Requiem for a Dream

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Requiem for a Dream
A Vida Não É um Sonho (PT)
Réquiem para um Sonho (BR)
 Estados Unidos
2000 • Cor • 102 min 
Direção Darren Aronofsky
Produção Eric Watson
Palmer West
Roteiro Darren Aronofsky
Hubert Selby, Jr.
Elenco Ellen Burstyn
Jared Leto
Jennifer Connelly
Marlon Wayans
Género Drama
Idioma Inglês
Música Clint Mansell
Direção de fotografia Matthew Libatique
Edição Jay Rabinowitz
Distribuição Artisan Entertainment
Thousand Words
Orçamento US$ 4.500.000
Receita US$ 7.390.108
Página no IMDb (em inglês)

Requiem for a Dream (Réquiem para um Sonho (título no Brasil) ou A Vida Não É um Sonho (título em Portugal)) é um filme estadunidense de 2000, do gênero drama, dirigido por Darren Aronofsky. O roteiro é uma adaptação de um livro de mesmo nome escrito por Hubert Selby Jr. e publicado em 1978. A obra estrelou Ellen Burstyn, Jared Leto, Jennifer Connelly e Marlon Wayans, e Burstyn foi indicada para o Óscar 2001 de Melhor Atriz por sua atuação.

O filme descreve diferentes formas de vícios, conduzindo os personagens ao aprisionamento em um mundo ideal, que é então tomado e devastado pela realidade.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

O filme se desenvolve em três estações do ano das vidas de mãe e filho, Sara (Ellen Burstyn) e Harry Goldfarb (Jared Leto), a namorada de Harry, Marion Silver (Jennifer Connelly) e o amigo de Harry, Tyrone C. Love (Marlon Wayans). Cada um dos personagens terminará destruído pelo vício e pelo delírio.

A história começa no verão. Sara Goldfarb, uma jovem viúva que vive sozinha em seu apartamento em Brighton Beach, passa o tempo assistindo infomerciais na TV. Após um telefonema que lhe diz que ela será convidada para ser uma participante de um programa de TV, torna-se obcecada em recuperar a aparência que tinha numa fotografia sua da época da graduação de Harry, seu momento de maior orgulho. Para caber no antigo vestido vermelho, o favorito de seu falecido marido, ela começa a fazer um regime com pílulas de anfetamina durante o dia e sedativos à noite. As pílulas alteram seu comportamento, mas ela passionalmente insiste que a chance de aparecer na TV lhe deu uma razão para viver, e que o fato fez com que ela passasse a ser admirada pelas vizinhas de prédio. Até o outono, entretanto, seu convite não chega, e ela começa a aumentar a dosagem, o que lhe provoca alucinações onde ela é a principal estrela do programa de TV.

Seu filho Harry é um irresponsável viciado em heroína. Junto com seu amigo Tyrone e sua namorada Marion, todos viciados, ele se envolve com o narcotráfico em uma tentativa para realizar seus sonhos. Com o dinheiro que ganham durante o verão, Harry e Marion sonham em abrir uma loja de roupas para os desenhos de Marion, enquanto o sonho de Tyrone é escapar das ruas e deixar sua mãe orgulhosa. Entretanto, no início do outono, Tyrone se vê no meio do assassinato entre gangues de traficantes e acaba preso mesmo sendo inocente. Harry usa a maior parte do dinheiro deles para pagar a fiança e tirá-lo da cadeia. A partir daí, por causa das prisões e dos tiroteios entre os traficantes, torna-se difícil conseguir drogas, levando Harry, Marion e Tyrone a um estado de privação. Cada vez mais desesperados, Harry convence Marion a fazer sexo com seu psiquiatra em troca de dinheiro, o que acaba por causar um desconforto entre eles. O grupo continua a se deteriorar à medida que Marion começa a se prostituir e o braço de Harry fica severamente infeccionado e começa a desenvolver gangrena em decorrência de sucessivas injeções feitas de forma imprópria.

Com o inverno ocorre o arco final da espiral descendente dos personagens. A sanidade de Sara se vai e ela acaba internada em um hospital psiquiátrico contra sua vontade . Lá passa por tratamento de eletroconvulsoterapia. Harry e Tyrone viajam para a Flórida, acreditando poder recomeçar lá, mas a condição cada vez pior do braço de Harry o força a ir ao hospital, onde eles são presos após o médico se espantar com o estado de seu braço e reconhecer a situação como típica de um viciado. Harry é conduzido a outro hospital onde seu braço é amputado. Tyrone precisa lidar com guardas prisionais racistas e hostis, trabalho forçado e abstinência das drogas sozinho. Harry tem um sonho recorrente onde Marion o aguarda em um pier, mas acorda e vê que ela se foi e ele perdeu seu braço. Marion vai se degradando em orgias em troca de cocaína, enquanto Sara torna-se catatônica em um asilo para doentes mentais. Perdidos e na miséria, cada um dos personagens curva-se em posição fetal. No sonho de Sara, ela ganha o grande prêmio do programa de TV e encontra Harry lá, o qual aparece como um bem-sucedido homem de negócios, casado com Marion. Mãe e filho se abraçam e dizem o quanto amam um ao outro enquanto são aplaudidos pela platéia imaginária e ofuscados pelas luzes do palco.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

  • Ellen Burstyn — Sara Goldfarb
  • Jared Leto — Harry Goldfarb
  • Jennifer Connelly — Marion Silver
  • Marlon Wayans — Tyrone C. Love
  • Christopher McDonald — Tappy Tibbons
  • Louise Lasser — Ada
  • Marcia Jean Kurtz — Rae
  • Janet Sarno — Mrs. Pearlman
  • Suzanne Shepherd — Mrs. Scarlini
  • Joanne Gordon — Mrs. Ovadia
  • Charlotte Aronofsky — Mrs. Miles
  • Mark Margolis — Mr. Rabinowitz
  • Michael Kaycheck — Donut Cop
  • Jack O'Connell — Corn Dog Stand Boss
  • Chas Mastin — Lyle Russel

Estilo[editar | editar código-fonte]

Assim como em seu filme anterior, π, Aronofsky utiliza montagens de cenas extremamente curtas durante o filme. Na média, um filme de cem minutos possui entre seiscentos e setecentos cortes, já Requiem apresenta mais de dois mil.[1] Outros recursos usados são a divisão da tela e a anáfora cinematográfica, que consiste na repetição de cenas, para dar ênfase.

As cenas intensas do filme são alternadas rapidamente, e acompanhadas por uma trilha sonora que cresce em intensidade. Após o clímax, há uma breve serenidade até o final retratando quatro vidas devastadas.

Principais prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Ano Prêmio Categoria Recipiente Resultado
2001 Oscar Melhor Atriz Ellen Burstyn Indicado
2001 Golden Globe Awards Melhor Atriz - Drama Ellen Burstyn Indicado
2001 Screen Actors Guild Awards Melhor Atriz Ellen Burstyn Indicado
2000 Satellite Awards Melhor Atriz Ellen Burstyn Venceu
2000 Saturn Awards Melhor Filme - Terror Indicado
Melhor Atriz Ellen Burstyn Indicado
2000 Independent Spirit Awards Melhor Filme Indicado
Melhor Diretor Darren Aronofsky Indicado
Melhor Atriz Ellen Burstyn Venceu
Melhor Atriz Coadjuvante Jennifer Connelly Indicado
Melhor Fotografia Matthew Labatique Venceu

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.