Atos 7

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Atos 7
Codex laudianus.jpg
Trecho de Atos dos Apóstolos no Codex Laudianus
Livro Atos dos Apóstolos
Categoria Histórico
Parte da Bíblia Novo Testamento
Precedido por: Atos 6
Sucedido por: Atos 8

Atos 7 é o sétimo capítulo dos Atos dos Apóstolos, de autoria de Lucas, o Evangelista, no Novo Testamento[1] da Bíblia. Ele relata o discurso de Estêvão perante seus acusadores no Sinédrio antes de sua execução em Jerusalém[2][3].

Manuscritos[editar | editar código-fonte]

Atos 7 foi originalmente escrito em grego koiné e dividido em 60 versículos. Alguns dos manuscritos que contém este capítulo ou trechos dele são:

Estrutura[editar | editar código-fonte]

A Tradução Brasileira da Bíblia organiza este capítulo da seguinte maneira[4]:

  • Atos 7:1-53 - A defesa de Estêvão
  • Atos 7:54-60 - A morte de Estêvão

Temas Principais[editar | editar código-fonte]

Discurso de Estêvão[editar | editar código-fonte]

Estêvão responde aos sumo sacerdotes com um longo discurso repleto de referências ao Antigo Testamento, uma demonstração de sue profundo conhecimento das Escrituras. A estrutura da narrativa pode ser dividida em duas partes.

Discurso de Santo Estêvão, tema central de Atos 7.
1447/9. Afresco de Fra Angelico na Cappela Niccolina, no Vaticano.

Estêvão reconta a história de Israel[editar | editar código-fonte]

Verdadeiro Tabernáculo[editar | editar código-fonte]

Martírio de Santo Estêvão.
1447/9. Afresco de Fra Angelico na Cappela Niccolina, no Vaticano.

Em seguida, Estêvão começa a contrapor o pensamento tradicional judaico com o ensinamento de Jesus, o que enfurece os sumo sacerdotes. Ele primeiro relata as tentativas de se construir um tabernáculo para ser a "casa de Deus", um ordenamento de Moisés e seguido por Josué até os tempos do rei Davi. Depois, Salomão constrói o Primeiro Templo de Jerusalém (Atos 7:44-47). Neste ponto, Estêvão primeiro afirma que Deus não deseja um templo («Mas o Altíssimo não habita em casas feitas por mãos; como disse o profeta: O céu é o meu trono, E a terra o escabelo dos meus pés; Que casa me edificareis, diz o Senhor, Ou qual é o lugar do meu repouso? Não fez, porventura, a minha mão todas estas coisas?» (Atos 7:48-50)[9]) e termina acusando seus acusadores:

«Homens de dura cerviz e incircuncisos de coração e de ouvido, vós sempre resistis ao Espírito Santo; assim como fizeram vossos pais, também vós o fazeis. A qual dos profetas não perseguiram vossos pais? Eles mataram os que dantes anunciaram a vinda do Justo, do qual vós agora vos tornastes traidores e homicidas, vós que recebestes a Lei por ministério de anjos, e não a guardastes.» (Atos 7:51-53)

Martírio de Estêvão[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Santo Estêvão

Enraivecidos pela acusação do diácono Estêvão, os judeus o levaram para fora da cidade e o apedrejaram. Numa reação que depois se tornaria padrão entre os mártires, Estêvão pediu a Deus que recebesse seu espírito, pediu perdão para seus assassinos e morreu (Atos 7:57-60).

Ver também[editar | editar código-fonte]


Precedido por:
Atos 6
Capítulos da Bíblia
Atos dos Apóstolos
Sucedido por:
Atos 8

Referências

  1. «A Formação do Novo Testamento». Portal da Sociedade Bíblica do Brasil 
  2. Halley, Henry H. Halley's Bible Handbook: an abbreviated Bible commentary. 23rd edition. Zondervan Publishing House. 1962.
  3. Holman Illustrated Bible Handbook. Holman Bible Publishers, Nashville, Tennessee. 2012.
  4. «Atos 7, Tradução Brasileira da Bíblia». YouVersion - Life.Church 
  5. Original em Gênesis 11:31Gênesis 35:26.
  6. Original em Gênesis 37:4Gênesis 49:33.
  7. Original em Êxodo 1:7Êxodo 16:35.
  8. Original em Deuteronômio 18:15-19; Êxodo 32.
  9. Uma referência a Isaías 66:1-2

Ligações externas[editar | editar código-fonte]