Atos 2

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Atos 2
Uncial 076 (Gregory-Aland).JPG
Trecho de Atos 2 no Uncial 076
Livro Atos dos Apóstolos
Categoria Histórico
Parte da Bíblia Novo Testamento
Precedido por: Atos 1
Sucedido por: Atos 3

Atos 2 é o segundo capítulo dos Atos dos Apóstolos, de autoria de Lucas, o Evangelista, no Novo Testamento[1] da Bíblia. Ele relata os eventos do dia de Pentecostes, por volta de dez dias depois da ascensão de Jesus, reportada no capítulo anterior[2][3].

Manuscritos[editar | editar código-fonte]

Atos 2 foi originalmente escrito em grego koiné e dividido em 47 versículos. Alguns dos manuscritos que contém este capítulo ou trechos dele são:

Estrutura[editar | editar código-fonte]

A Tradução Brasileira da Bíblia organiza este capítulo da seguinte maneira[4]:

  • Atos 2:1-4 - A descida do Espírito Santo
  • Atos 2:5-13 - O dom de línguas
  • Atos 2:14-36 - O discurso de Pedro
  • Atos 2:37-42 - Três mil batizados
  • Atos 2:43-47 - Como viviam os primeiros convertidos

Temas Principais[editar | editar código-fonte]

O Pentecostes, um dos eventos narrados em Atos 2.
Afresco na Stiftskirche de Hechingen, na Alemanha.

Pentecostes[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Pentecostes

O capítulo começa com o evento do Pentecostes, durante o qual os discípulos reunidos foram tocados por "línguas de fogo" e, "cheios do Espírito Santo", passaram a falar em outras línguas (Atos 2:1-4). A população da cidade, formada por pessoas das mais diversas origens e falando as mais diversas línguas, ficou "atônita e perplexa" ao ouvir "as grandezas de Deus" cada um em sua língua (Atos 2:5-13), apesar de alguns ainda zombarem acusando-os de estarem bêbados: «Estão cheios de mosto» (Atos 2:13).

Sermão de Pedro[editar | editar código-fonte]

Ao ouvir a zombaria, Pedro levantou-se e proferiu um longo sermão sobre o que havia acontecido e o que se passaria. Citando o profeta Joel (Joel 2:28-32), contou sobre os prodígios, sinais e profecias que se produziriam pelo poder que lhes fora conferido e prometeu que «todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo» (Atos 2:21). A seguir, relatou a profissão de fé que está no cerne da doutrina cristã:

«Jesus o Nazareno, varão a quem Deus acreditou junto a vós com poderes, prodígios e sinais, que Deus fez por meio dele entre vós, como vós mesmos sabeis; sendo este entregue pelo determinado conselho e presciência de Deus, vós o matastes, crucificando-o por mãos de iníquos; ao qual Deus ressuscitou, desatando os laços da morte; porque não era possível que fosse por ela retido.» (Atos 2:22-24)

Ele termina o diálogo fazendo um paralelo entre Jesus e David citando pelo menos dois trechos do Antigo Testamento (Salmos 16:8-11 e Salmos 110:1) para reafirmar não só a relação entre ambos, mas também para afirmar Jesus como a realização de antigas profecias. À multidão, Pedro aconselhou o caminho para a salvação que proclamava: «Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão de vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo (Atos 1:39). Segundo o autor, mais de 3 000 foram batizados naquele dia.

Depois do discurso, o relato avança contando como a nascente igreja crescia e se multiplicava com base nos "prodígios e milagres" dos apóstolos e da repartição comunitária de todos os bens dos fieis (Atos 2:40-47).

Ver também[editar | editar código-fonte]


Precedido por:
Atos 1
Capítulos da Bíblia
Atos dos Apóstolos
Sucedido por:
Atos 3

Referências

  1. «A Formação do Novo Testamento». Portal da Sociedade Bíblica do Brasil 
  2. Halley, Henry H. Halley's Bible Handbook: an abbreviated Bible commentary. 23rd edition. Zondervan Publishing House. 1962.
  3. Holman Illustrated Bible Handbook. Holman Bible Publishers, Nashville, Tennessee. 2012.
  4. «Atos 2, Tradução Brasileira da Bíblia». YouVersion - Life.Church 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]