Batman: Silêncio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hush
Imagem ilustrativa padrão; esse artigo não possui imagem.
Editora(s) DC Comics
Formato de publicação americano
Lançada em dezembro de 2002
Terminou em setembro de 2003
Edições 12
Primeira publicação Batman (Vol. 1) #608-619[1]
Argumento Jeph Loeb
Desenho Jim Lee
Colorista(s) Alex Sinclair [1]
Arte-finalista(s) Scott Williams
Personagens principais Batman
Mulher-Gato
Silêncio
Superman
Título(s) em português Batman: Silêncio
Editora(s) lusófona(s) Panini Comics
Eaglemoss

Batman: Silêncio (Hush no original em inglês) é uma série de histórias em quadrinhos estreladas por Batman, publicadas pela DC Comics entre 2002-2003, em 12 edições mensais da revista homônima. É de autoria de Jeph Loeb (texto), Jim Lee (desenhos), Scott Williams (arte-final) e Alex Sinclair (cores). A trama é sobre um misterioso vilão apelidado de "Silêncio" que persegue Batman e o faz lutar contra um grande número de vilões que estão com algumas características mudadas e mais perigosos. Também aparece com destaque na história os vários membros da "Família Batman" e o aliado Superman. A trama também explora o relacionamento do herói com a ex-vilã Mulher-Gato.[2]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Batman resgata um menino rico sequestrado por Crocodilo mas durante a luta a Mulher-Gato aparece e rouba a mala com o dinheiro do resgate. Ao persegui-la, a batcorda é rompida misteriosamente e Batman sofre uma tremenda queda e fratura o crânio. Caçadora é chamada para levá-lo até Alfred Pennyworth que por sua vez recebe instruções do herói para que contate um antigo amigo de infância dele, Thomas Elliot, agora um renomado neurocirurgião. Recuperado, Batman reinicia as investigações e descobre que a Mulher-Gato estava sobre controle da Hera Venenosa, que fugira para Metrópolis. Batman e Mulher-Gato vão até lá e se defrontam com o Superman, também controlado pela ardilosa vilã. Usando de vários artifícios Batman sobrevive à luta e consegue livrar Superman e deter Hera.

Mais tarde, de volta a Gotham City, Bruce Wayne, Selina Kyle, Leslie Thompkins e o Dr. Elliot vão à ópera assistir Pagliacci, quando Arlequina surge para roubar o publico presente. Ao perseguir a vilã, o médico é aparentemente morto pelo Coringa. Batman fica enraivecido e está prestes a matar o vilão quando o comissário aposentado James Gordon surge para acalmá-lo.[1] Durante o funeral do Dr. Elliot, Batman conta a Dick Grayson que não fora o Coringa que matara o médico, e que suspeita de que um inimigo misterioso esteja por trás das recentes ações de seus antigos inimigos. Um homem com bandagens no rosto aparece em todas as cenas de crimes e passa ser chamado de "Silêncio".

Na sequência, Batman impede um roubo do Charada e investiga alguns vestígios que o levam a Ra's al Ghul. De volta a sua cidade, Mulher-Gato é atacada pela Caçadora que depois se revela estar sob o efeito do gás do Espantalho. Robin (Tim Drake), é capturado pelo antecessor, Jason Todd, que havia sido dado como morto no episódio conhecido como Morte em família. Enquanto lutava com Jason, Batman descobre que na verdade era seu antigo inimigo, Cara de Barro, que assumira a aparência do falecido parceiro.

Batman descobre que seu computador tinha sido violado e confronta seu mecânico, Harold, que não mais aparecera nas histórias desde o arco No Man's Land. Ele confessa que se vendera a Silêncio. Em seguida, Batman descobre a identidade do misterioso homem com as bandagens e durante a luta surge um renovado Duas Caras. Ao final, Batman consegue desvendar todo o mistério e descobrir quem foi o autor do plano que o ameaçara durante meses. Porém, resolvido o mistério do Silêncio, surge uma nova questão para atormentar o Cavaleiro das Trevas: a cova de Jason Todd permanecera vazia e seus inimigos se negaram a revelar o que aconteceu com o corpo do rapaz. Na cena final, Batman e a Mulher-Gato resolvem interromper o relacionamento romântico, até "algum dia".

Consequências[editar | editar código-fonte]

Após o sucesso da história de Silêncio entre os leitores, Lee e Loeb chegaram a programar a continuidade da trama por mais seis edições, o que acabou não se concretizando. Quem a prosseguiu foi AJ Lieberman na revista Batman: Gotham Knights.

Os elementos da subtrama envolvendo Jason Todd mais tarde foram recontados em outras aventuras de Batman. Em Under The Hood, foi revelado que na verdade Batman lutara contra o real Jason Todd no cemitério, mas que o Cara de Barro o substituíra durante a luta. Todd se tornou o misterioso vigilante conhecido como Capuz Vermelho. Em As the Crow Flies, Batman já suspeitava que seu antigo parceiro estava à espreita para confrontá-lo.

Numa sequência de autoria de Paul Dini e Dustin Nguyen chamada Heart of Hush, Silêncio retorna para se vingar de Batman através da Mulher-Gato e faz cirurgia plástica para se passar por Bruce Wayne numa tentativa de roubar a identidade secreta do herói. A origem do vilão foi contada em Detective Comics, números 846-847.

Recepção[editar | editar código-fonte]

IGN Comics classificou os volumes 1 e 2 da republicação de Batman: Hush como a 10ª das 25 melhores graphic novels de Batman, afirmando que "existem alguns momentos verdadeiramente inesquecíveis" e "o trabalho artístico de Jim Lee é inacreditável ".[3]

Craig Lemon de Comics Bulletin criticou a trama, dizendo que agora muitas pessoas conhecem a identidade secreta de Batman e ainda que a história não era muito emocionante e que o herói fora inepto ao não estar preparado para uma situação previsível como a de cortarem sua batcorda. No entanto, elogiou os diálogos, a falta de exposição desnecessária, o ritmo e ação, e aspectos menores como a ideia do mecanismo de autodefesa do battraje. Em relação a arte, Lemon afirmou ter sido em geral boa, mas reclamou que "os dentes rangem em todos os homens. E os seios são enormes em todas as mulheres. É uma anatomia impossível para todo mundo", embora admita que alguns leitores apreciem esse tipo de desenho.[4]

Coletâneas[editar | editar código-fonte]

As histórias foram reunidas primeiramente em dois volumes de capa dura (publicado no Brasil pela Editora Panini em julho de 2006 em um único volume) e mais tarde em volume único:

No Brasil[editar | editar código-fonte]

A saga foi reunida pela Panini Comics numa edição definitiva em capa dura, em 2006.[1] Posteriormente, foi republicada em dois volumes capa dura na Coleção DC Comics de Graphic Novels, da Eaglemoss.[5]

Referências

  1. a b c d «Crítica | Batman: Silêncio». Plano Crítico. 21 de julho de 2014. Consultado em 13 de setembro de 2017 
  2. Wallace, Dan (2008). «Batman». In: Dougall, Alastair. The DC Comics Encyclopedia. London: Dorling Kindersley. pp. 40–44. ISBN 0-7566-4119-5 
  3. Hilary Goldstein (13 de junho de 2005). «The 25 Greatest Batman Graphic Novels». IGN. News Corporation 
  4. Lemon, Craig. «Batman: Hush Review». Comics Bulletin. Consultado em 21 de março de 2008 
  5. Naliato, Samir (14 de setembro de 2015). «Eaglemoss lançará coleção de graphic novels da DC Comics em outubro». Universo HQ. Consultado em 24 de junho de 2017