Superclássico das Américas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Copa Rocca)
Ir para: navegação, pesquisa
Superclássico das Américas
Dados gerais
Organização AFA
CBF
Edições 14
Outros nomes Copa Dr. Nicolas Leoz
Copa Roca
Local de disputa  Argentina
 Brasil
 China
 Austrália
Número de equipes 2
Sistema Ida e volta
Único jogo
Soccerball current event.svg Edição atual
editar

Superclássico das Américas ou Copa Dr. Nicolas Leoz, antiga Copa Roca, [1] é uma competição de futebol instituída em 1913 - mas disputada pela primeira vez em 1914 - pelo presidente argentino Julio Argentino Roca. É disputada entre as seleções nacionais de Brasil e Argentina. [1]

Interrompida desde 1976, a competição voltou a ser disputada em 2011, após acordo entre a Confederação Brasileira de Futebol e Associação do Futebol Argentino, com jogos de ida e volta na Argentina e no Brasil. Até 2012, apenas jogadores que atuavam nos campeonatos nacionais destes países podiam participar, devido ao fato de os jogos não ocorrerem em datas oficiais da FIFA para jogos internacionais (caso ocorressem, os clubes do exterior seriam obrigados a liberar seus jogadores). [2] [3]

Até 2014, o Brasil havia vencido o torneio onze vezes e a Argentina, quatro (em 1971, o título foi dividido por ambas as seleções). Na edição de 2012, o jogo de volta na Argentina foi interrompido por falta de luz no estádio da cidade de Resistência. O jogo de ida aconteceu em Goiânia no dia 19 de setembro e o jogo de volta foi adiado por mais de 1 mês. O jogo de volta foi realizado no dia 21 de novembro, no estádio La Bombonera. Em Goiânia, o jogo terminou em 2 a 1 para o Brasil, e o jogo de volta, 2 a 1 para a Argentina, com o placar agregado de 3 a 3. A disputa foi, então, decidida nas penalidades máximas, e o Brasil acabou vencendo por 4 a 3. Com esse título, o Brasil se tornou bicampeão do Superclássico das Américas, mas, no geral, o país detinha 10 títulos agregados da antiga Copa Roca e o atual Superclássico das Américas. Em 2013, atendendo a um pedido do então treinador da Seleção Brasileira, Luiz Felipe Scolari, a competição não foi disputada.

O retorno da competição aconteceu em 2014, na China, no dia 11 de outubro, no Estádio Ninho do Pássaro. [4] Nessa edição, o Brasil mais uma vez saiu vencedor do certame ao bater a Argentina por 2 a 0 em jogo único, estabelecendo, assim, o tricampeonato. [5]

Em 2015, a edição estava prevista para acontecer no dia 4 ou 8 de setembro, possivelmente no Canadá. [6] Entretanto, após a prisão dos organizadores do evento nos Estados Unidos, o torneio foi novamente cancelado. [7] Para suprir a ausência do jogo, a Seleção Brasileira enfrentou em amistosos as equipes da Costa Rica e dos Estados Unidos, vencendo as partidas por 1-0 e 4-1, respectivamente. A Argentina, por sua vez, goleou a Bolívia por 7-0 e empatou com o México em 2-2. As quatro partidas ocorreram em solo americano. Em 2016, não houve jogo por falta de datas.

Formato[editar | editar código-fonte]

O modo como as edições são disputadas varia de acordo com o interesse da AFA e CBF. Até a edição de 2012, a competição era disputada em dois jogos: um na Argentina e outro no Brasil, ou vice-versa. Tal regra foi, porém, quebrada na edição de 2014, disputada em jogo único, algo que não acontecia desde 1923. Costumeiramente, a equipe que hospeda o primeiro jogo é alternada a cada adição. O local da primeira partida na edição de estreia, em 1914, foi determinado por um sorteio. O país com o maior placar agregado após as duas partidas é o grande campeão, seguido por saldo de gols e pênaltis, se necessário. Os elencos de cada equipe eram, também até 2012, compostos por jogadores de futebol atuando somente na Liga Brasileira ou Argentina.

Na edição de 2014, disputada em partida única na China, o formato da competição foi reformulado, permitindo a participação de futebolistas renomados como Neymar e Messi. Outra mudança dessa edição foi a inserção da competição no calendário oficial da FIFA de jogos para as seleções. [4]

Esta competição era semelhante ao Campeonato Africano das Nações, devido à característica de restrição à participação de jogadores atuantes fora da liga nacional.

Edições[editar | editar código-fonte]

Ano Sede Final
Campeão Placar Vice
1914
Detalhes
 Argentina Brasil
Brasil
1 – 0 Argentina
Argentina
1922
Detalhes
 Brasil Brasil
Brasil
2 – 1 Argentina
Argentina
1923
Detalhes
 Argentina Argentina
Argentina
2 – 0 Brasil
Brasil
1939
Detalhes
 Brasil Argentina
Argentina
5 – 1
2 – 3
2 – 2 (pro)
3 – 0
Brasil
Brasil
1940
Detalhes
 Argentina Argentina
Argentina
6 – 1
2 – 3
5 – 1
Brasil
Brasil
1945
Detalhes
 Brasil Brasil
Brasil
3 – 4
6 – 2
3 – 1
Argentina
Argentina
1957
Detalhes
 Brasil Brasil
Brasil
1 – 2
2 – 0
Argentina
Argentina
1960
Detalhes
 Argentina Brasil
Brasil
2 – 4
4 – 1
Argentina
Argentina
1963
Detalhes
 Brasil Brasil
Brasil
2 – 3
5 – 2
Argentina
Argentina
1976
Detalhes
 Brasil
 Argentina
Brasil
Brasil
2 – 1
2 – 0
Argentina
Argentina
2011
Detalhes
 Argentina
 Brasil
Brasil
Brasil
0 – 0
2 – 0
Argentina
Argentina
2012
Detalhes
 Brasil
 Argentina
Brasil
Brasil
2 – 1
1 – 2
4 - 3 (pen)
Argentina
Argentina
2014
Detalhes
 China Brasil
Brasil
2 - 0 Argentina
Argentina
2017
Detalhes
 Austrália Argentina
Argentina
1 - 0 Brasil
Brasil

Campeões[editar | editar código-fonte]

Seleção Títulos
Brasil Brasil 11 (1914, 1922, 1945, 1957, 1960, 1963, 1971, 1976, 2011, 2012 e 2014)
Flag of Argentina.svg Argentina 5 (1923, 1939, 1940, 1971 e 2017)

Artilheiros por edição[editar | editar código-fonte]

Ano Seleção Jogador Clube Gols
1914* Brasil Brasil Rubens Sales Brasil Paulistano 1
1922* Brasil Brasil Alberto Gambarotta Brasil Corinthians 2
1923* Flag of Argentina.svg Argentina Cesáreo Onzari Argentina Huracán 1
Brasil Brasil Dino (gol contra) Brasil Flamengo
1939 Brasil Brasil Leônidas da Silva Brasil Flamengo 4
1940 Flag of Argentina.svg Argentina Carlos Peucelle Argentina River Plate 4
Flag of Argentina.svg Argentina Herminio Masantonio Argentina Huracán
Flag of Argentina.svg Argentina Emilio Baldonedo Argentina Huracán
1945 Brasil Brasil Ademir Menezes Brasil Vasco da Gama 3
1957 Brasil Brasil Pelé Brasil Santos 2
1960 Brasil Brasil Delém Brasil Vasco da Gama 3
1963 Brasil Brasil Pelé Brasil Santos 3
1971 Brasil Brasil Paulo Cézar Caju Brasil Botafogo 2
Flag of Argentina.svg Argentina Rodolfo Fischer Argentina San Lorenzo
1976 Brasil Brasil Lula Brasil Internacional 2
2011 Brasil Brasil Lucas Brasil São Paulo 1
Brasil Brasil Neymar Brasil Santos
2012 Flag of Argentina.svg Argentina Ignacio Scocco Argentina Newell's Old Boys 2
2014* Brasil Brasil Diego Tardelli Brasil Atlético Mineiro 2
2017* Flag of Argentina.svg Argentina Mercado Espanha Sevilla 1

* Edições disputadas em jogo único.

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Estatísticas
Número de jogos 27
Vitórias da Argentina 10
Vitórias do Brasil 14
Empates 3
Gols marcados pela Argentina 54
Gols marcados pelo Brasil 56
Maior goleada da Argentina 1940: Argentina 6 – 1 Brasil
Maior goleada do Brasil 1945: Brasil 6 – 2 Argentina

Referências

  1. a b «Brasil vence Argentina por 1 a 0 na 1ª edição do Superclássico - então Copa Roca - em 1914». CBF. 6 de outubro de 2014. Consultado em 11 de outubro de 2014 
  2. «Fifa anuncia amistoso entre Brasil e Argentina». Estadão. 21 de agosto de 2010. Consultado em 29 de setembro de 2011 
  3. «CBF e AFA confirmam jogo de ida da Copa Rocca em La Plata». GloboEsporte.com. 19 de outubro de 2010. Consultado em 29 de setembro de 2011 
  4. a b «Superclássico das Américas será na China em outubro». Esporte Interativo. 17 de abril de 2014. Consultado em 18 de abril de 2014 
  5. «Ficha do jogo». GloboEsporte.com. 11 de outubro de 2014. Consultado em 11 de outubro de 2014 
  6. «Canadá é o primeiro país na lista para sediar Superclássico das Américas-15 | Seleção Brasileira | Esportes O POVO». esportes.opovo.com.br. Consultado em 16 de novembro de 2015 
  7. «Com organizadores presos, Brasil x Argentina é cancelado». Terra. Consultado em 16 de novembro de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre futebol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.