Doctor Who (1ª temporada)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Doctor Who (série 1))
Ir para: navegação, pesquisa
Doctor Who (1ª temporada)
Doctor Who (series 1)
Logo da primeira temporada.
Informação geral
Série Doctor Who
País de origem  Reino Unido
Idioma original Inglês
Exibição
Emissora de
televisão original
Reino Unido BBC One
Emissora(s) de
televisão lusófona(s)
N.º de episódios 13 episódios
Transmissão original 26 de Março de 2005-18 de Junho de 2005
Lançamento em DVD
Região 1 04 de Julho de 2006
Região 2 21 de Novembro de 2005
Região 4 08 de Dezembro de 2005
Cronologia
Último
Último
Filme
(1996)
2ª temporada
(2006)
Próximo
Próximo

A nova primeira temporada do programa britânico de ficção científica Doctor Who começou em 26 de março de 2005 com o episódioRose”, marcando o fim da ausência de 16 anos que o programa teve na televisão após seu cancelamento em 1989, e o episódio final "The Parting of the Ways" indo ao ar em 18 de junho de 2005. O show foi revivido por Russell T Davies, que esteve fazendo pressão a BBC desde o final dos anos 90 para trazer o show de volta. A primeira série é composta por 13 episódios, oito dos quais Davies escreveu. Além dele, Julie Gardner e Mal Young serviram como produtores executivos e Phil Collinson como produtor.

A mostra retrata as aventuras de um misterioso e excêntrico alienígena conhecido como O Doutor, que viaja através do tempo e do espaço em sua máquina do tempo, a TARDIS, com qual normalmente aparece sendo uma caixa de polícia azul dos anos 1960. Com seus companheiros, ele explora outros planetas, enfrenta uma variedade de inimigos, ajuda as pessoas e salva civilizações inteiras. A primeira série apresenta Christopher Eccleston como a nona encarnação do personagem seguido por Billie Piper como primeira e principal companheira Rose Tyler. Ele também viaja brevemente com o indisciplinado menino-gênio Adam Mitchell, interpretado por Bruno Langley, e com o vigarista do século 51, ex-“Agente do Tempo”, capitão Jack Harkness, representado por John Barrowman. As ligações recorrentes da frase Bad Wolf ou Lobo Mau no decorrer da historia formam um arco de história solto e envolvem diversas aparições ao longo da jornada. No final, é a chave para derrotar um arqui-inimigo do Doutor.

A estreia da temporada foi assistida por 10,81 milhões de telespectadores, e quatro dias depois foi renovada para um especial de Natal, bem como uma segunda temporada. A temporada de estreia foi bem recebido pela crítica e fãs, vencendo pela primeira vez o prestigiado prêmio BAFTA. O mais surpreendente foi à aprovação de Michael Grade, que já havia forçado um intervalo de 18 meses no programa, em 1985, e tinha adiado Doctor Who de antipatia pessoal em várias ocasiões. A popularidade do show levou a um ressurgimento da família orientada no drama de sábado à noite.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Protagonistas[editar | editar código-fonte]

Antagonistas[editar | editar código-fonte]

Convidados[editar | editar código-fonte]

Episódios[editar | editar código-fonte]

Número Episódio Título Dirigido por Escrito por Espectadores no Reino Unido (em milhões) Índice de Valorização (%) Data de Exibição Código de Produção
157 1 "Rose" Keith Boak Russell T Davies 10.81 81 26 de Março de 2005 1.1
Rose Tyler conhece um misterioso estranho conhecido como o Doutor, e sua vida nunca mais será a mesma. Logo, ela percebe que sua mãe, seu namorado, e todo o planeta Terra estão em perigo. A única esperança de salvação está dentro de uma estranha cabine policial azul... … 
158 2 "The End of the World (O Fim do Mundo)" Euros Lyn Russell T Davies 7.97 79 02 de Abril de 2005 1.2
O Doutor leva Rose em sua primeira viagem no tempo, ao ano Cinco Bilhóes. O Sol está prestes a se expandir e engolir a Terra. Contudo, entre as raças alienígenas que se reúnem para assistir ao espetáculo na Plataforma 1, há um assassino. Quem está controlando as aranhas misteriosas e mortais? 
159 3 "The Unquiet Dead (Os Mortos Inquietos)" Euros Lyn Mark Gatiss 8.86 80 09 de Abril de 2005 1.3
O Doutor leva Rose de volta no tempo, para 1869. Em uma Cardiff vitoriana, os mortos andam, e criaturas feitas de gás estão à solta. O viajantes no tempo se unem a Charles Dickens para investigar o Sr. Sneed, agente funerário local, e sua empregada doméstica psíquica, Gwyneth. Será que eles podem deter os planos do etéreo Gelth
160a 4 "Aliens of London (Os Aliens de Londres)" Keith Boak Russell T Davies 7.63 81 16 de Abril de 2005 1.4
O Doutor leva Rose para casa - um ano depois do planejado. Contudo, toda a atenção está em outra nave alienígena, que cai no Tâmisa. Londres é fechada, e o mundo todo está em alerta vermelho. Enquanto o Doutor investiga o sobrevivente alienígena, Rose descobre que sua casa não é mais um porto seguro. Quem são os Slitheen
160b 5 "World War Three (III Guerra Mundial)" Keith Boak Russell T Davies 7.98 82 23 de Abril de 2005 1.5
10 Downing Street anuncia a Primeira Guerra Interplanetária da Terra, mas o perigo real está muito mais perto de casa. Enquanto O Doutor, Rose e Harriet Jones correm contra o tempo para desmascarar o vilão Slitheen, a mãe de Rose e seu namorado têm a chave para a salvação. Será que os mísseis serão interrompidos? 
161 6 "Dalek" Joe Ahearne Robert Shearman 8.63 84 30 de Abril de 2005 1.6
Abaixo das Planícies de Sal de Utah, o bilionário colecionador Henry Van Statten detém a última relíquia de uma raça alienígena. Quando O Doutor e Rose investigam, eles descobrem que o inimigo mais antigo e mais mortal do Doutor está prestes a se libertar. É uma luta até a morte, com Rose presa no meio. 
162 7 "The Long Game (O Jogo Longo)" Brian Grant Russell T Davies 8.01 81 07 de Maio de 2005 1.7
Adam Mitchell vislumbra as maravilhas de viajar no TARDIS. No futuro, o Satélite 5 transmite ao Império Terrestre inteiro. Mas qualquer um promovido ao andar 500 nunca mais é visto novamente, e O Doutor suspeita que a humanidade está sendo manipulada. Nada escapa ao olho do sinistro Editor, mas para quem ele está trabalhando? Adam tem o que é preciso para se tornar o companheiro do Senhor do Tempo
163 8 "Father's Day (Dia dos Pais)" Joe Ahearne Paul Cornell 8.06 83 14 de Maio de 2005 1.8
Rose era apenas um bebe em 1987 quando o seu pai, Pete Tyler, foi morto por um carro. O Senhor do Tempo a leva de volta ao ano em questão, para o local onde aconteceu o acidente. Claro, Rose não consegue ficar inerte ali apenas vendo seu pai morrer, então ela o tira do caminho do carro que se aproxima. Ao fazer isso, ela irrita o equilibrio do Tempo e muda a historia. De repente, a Terra está sob a ameaça de demônios terríveis na forma de pterodátilos que tentam corrigir as anomalias do Tempo
164a 9 "The Empty Child (A Criança Vazia)" James Hawes Steven Moffat 7.11 84 21 de Maio de 2005 1.9
O Doutor e Rose viajam de volta a 1941, no auge da Blitz a Londres na II Guerra Mundial. O Exército está guardando um cilindro misterioso, enquanto crianças de rua (que viviam nos locais das explosão) estão sendo aterrorizados por um garoto sobrenatural. Rose conhece o impetuoso Capitão Jack Harkness. Teria ela encontrado um herói ainda melhor do que o Doutor
164b 10 "The Doctor Dances (A Dança do Doutor)" James Hawes Steven Moffat 6.86 85 28 de Maio de 2005 1.10
A praga está se espalhando por toda Londres nos tempos de guerra, e o exército de zumbis está em marcha. O Doutor e Rose formam uma aliança com um vigarista intergaláctico, o Capitão Jack, mas encontram-se presos em um hospital abandonado. A resposta está nos locais das explosões, mas o tempo está se esgotando... 
165 11 "Boom Town (Cidade Explosiva)" Joe Ahearne Russell T Davies 7.68 82 04 de Junho de 2005 1.11
Quando a tripulação da TARDIS tira férias, O Doutor encontra um inimigo que para ele estava há muito tempo morto. Logo, percebe que planos de construir uma usina nuclear na cidade de Cardiff estão escondendo um complô estrangeiro para acabar com o mundo. E quando O Doutor janta com monstros, ele descobre armadilhas dentro de armadilhas
166a 12 "Bad Wolf (Lobo Mau)" Joe Ahearne Russell T Davies 6.81 85 11 de Junho de 2005 1.12
O Doutor, Rose e Capitão Jack tem que lutar por suas vidas a bordo da Estação do Jogo, mas uma ameaça mais perigosa está à espreita - apenas fora da vista. O Doutor percebe que toda a raça humana foi cegada para a ameaça à sua porta, e o Armageddon se aproxima rapidamente. 
166b 13 "The Parting of the Ways (A Separação dos Caminhos)" Joe Ahearne Russell T Davies 6.91 89 18 de Junho de 2005 1.13
Rose Tyler tem enfrentado perigos e visto maravilhas ao lado do Doutor, mas agora a amizade deles é posta à prova quando a Terra mergulha em uma guerra épica. Com a raça humana sendo abatida, O Doutor é forçado a uma ação terrível. Será que os viajantes do tempo se reunirão novamente algum dia

Produção[editar | editar código-fonte]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Durante os anos 90, Davies, um vitalício de Doctor Who, pressionou a BBC para reviver o show de sua interrupção e chegou à fase de discussão no final de 1998 e início de 2002.[1] Suas propostas iriam atualizar o programa para ser mais adequado ao publico do século XXI, incluindo a transição da fita de vídeo para filmar, duplicando a duração de cada episódio de 25 minutos para 50. Manter O Doutor principalmente na Terra no estilo dos episódios em que o Terceiro Doutor encontrava-se na UNIT, e remover o "excesso de bagagem" como Gallifrey e os Senhores do Tempo.[1] Seu tom concorreu com outros três: a fantasia de Dan Freedman, o estilo gótico de Matthew Graham e a proposta de reinicio por Mark Gatiss , que tornaria O Doutor o substituto público, ao invés de seus companheiros.[2] Em agosto de 2003, a BBC havia resolvido as questões relativas aos direitos de produção que tinham surgido como resultado do filme de 1996 - conjuntamente Universal Studios, BBC & Fox - levando o controlador da BBC One (Lorena Heggessey) e o controlador do Comissionamento de Drama (Jane Tranter) a abordar Gardner e Davies para criar um renascimento da série a ser transmitido em um horário nobre nas noites de sábado, como parte do plano da BBC de delegar a produção em suas bases regionais. Em meados de setembro, eles aceitaram o acordo para produzir a série ao lado de Casanova (2005).[3]

Doctor Who (1ª temporada) Fomos informados de que trazê-lo de volta seria impossível, que nós nunca capturariamos esta geração de crianças. Mas nós fizemos isso. Doctor Who (1ª temporada)

 — Russell T Davies, BAFTA 2006[4]

Após Scream of the Shalka, um episódio de animação que foi mostrado no site de Doctor Who, o retorno "real" foi anunciado em 26 de Setembro de 2003, em um comunicado de imprensa da BBC.[5]

Regularmente, Russel optou por delinear conceitos do show para os executivos do comissionamento e se ofereceu para escrever o episódio piloto, porque sentiu que a série precisaria de um arremesso.[6] Além deste, Davies voluntariamente escreveu um passo de 15 páginas (essa foi sua primeira vez), no qual delineou um Doutor que era "o seu melhor amigo, alguém que você quer ficar o tempo todo; aos 18 anos de idade, Rose Tyler como um "par perfeito" para o novo Doutor, evitando o retorno aos 40 anos, exceto partes boas; a retenção da TARDIS, chave de fenda sônica e Daleks; a remoção dos Senhores do Tempo e um foco maior sobre a humanidade.[6] Seu passo foi submetido à primeira reunião de produção em dezembro de 2003, com uma série de treze episódios obtidos por pressão da BBC Worldwide e um orçamento viável de Julie Gardner.[6]

No início de 2004, o show havia se estabelecido em um ciclo de produção regular. Davies, Gardner e o Controlador da BBC Drama, Mal Young, levaram posts como produtores executivos, apesar de Young ter desocupado do papel no final da série. Phil Collinson assumiu o papel de produtor.[7] Keith Boak, Euros Lyn, Joe Ahearne, Brian Grant e James Hawes foram os diretores da série. O papel oficial de Davies como escritor cabeça e produtor executivo, ou showrunner, consistia em colocar uma trama esquelética para toda a série, “reuniões tom” para identificar corretamente o estilo de um episódio, sendo muitas vezes descrita em uma palavra - por exemplo, a palavra tom para Moffat em "The Empty Child" era romântico - e supervisão de todos os aspectos da produção.[7]

Escrita[editar | editar código-fonte]

Russell T Davies tentou reviver o show desde o final dos anos 90 e escreveu oito histórias dos 13 Episódios na primeira série.

A primeira série de Doctor Who apresentou oito roteiros escritos por Davies, sendo o restante atribuído a escritores de teatro experientes e escritores anteriores do show em lançamentos auxiliares:[8] Steven Moffat escreveu uma história de dois episódios, enquanto Mark Gatiss, Robert Shearman, e Paul Cornell escreveram cada um seu script.[8] Davies também se aproximou do seu velho amigo Paul Abbott e da autora de Harry Potter, JK Rowling, para escreverem na série, mas ambos declinaram devido a compromissos já existentes.[8] Pouco depois de garantir escritores para o show, Davies afirmou que ele não tinha intenção de aproximar os escritores da série antiga, o único com o qual ele teria desejado trabalhar era Robert Holmes, que morreu em maio de 1986,[8] a meio de escrever a sua contribuição para a 23ª temporada.[9]

Elwen Rowlands e Helen Raynor serviram como editores de script. Eles foram contratados simultaneamente, marcando a primeira vez que Doctor Who teve editores de script do sexo feminino. Rowlands depois deixou o programa para dedicar-se à outra mostra de ficção cientifica na BBC, Life on Mars.[10] Em comparação com a série original, o papel dos editores de script foi significativamente diminuído, com o escritor cabeça tomando a maior parte dessas responsabilidades, ao contrário da série original, que eles não têm o poder para os script de comissão. Em vez disso, eles agem como elo entre a equipe de produção e de roteiristas, antes de passar o seu trabalho conjunto com o escritor cabeça. Raynor disse que o trabalho não é criativo: "você é uma parte dele, mas não o está dirigindo."[10]

Sobre o produtor Davies, a nova série teve um ritmo mais rápido do que os da série clássica. Em vez de quatro a seis partes em episódios de 25 minutos, a maioria das histórias do Nono Doutor consistiu em episódios individuais de 45 minutos, com apenas três histórias de 10 sendo duas partes. Os 13 episódios, entretanto, foram vagamente conectados em um longo arco de história, que trouxeram seus diferentes tópicos para o final da série. Davies levantou pistas de séries americanas fantásticas, como Buffy the Vampire Slayer e Smallville, principalmente conceitos de arco de história em Buffy e os Big Bad - termo usado para designar um grande adversário recorrente nesse programa.[11] Além disso, como na série original, as histórias frequentemente fluíam diretamente uma na outra ou estavam ligadas entre si, de algum modo. Notavelmente, em comum apenas com as temporadas 7 e 26 da série original, cada história acontece perto ou na Terra. Este fato está diretamente abordado no romance original The Monsters Inside, no qual Rose e O Doutor fazem piada com o fato de que todas as suas aventuras até à data tiveram lugar na Terra ou em estações espaciais vizinhos.

As histórias da primeira série variaram de forma bastante significativa no tom, com a equipe de produção mostrando os vários gêneros habitados por Doctor Who ao longo dos anos. Exemplos incluem a pseudo-históriaThe Unquiet Dead”, o extremo futuro de “The End of the World”; histórias de invasão alienígena em "Rose" e "Aliens of London"/"World War Three"; "base sob cerco" em "Dalek" e horror em "The Empty Child". Mesmo os spin-off de mídia foram representadas, com "Dalek" tomando elementos do escritor Rob Shearman de seu próprio áudio drama Jubilee e o conteúdo emocional de Paul Cornell em "Father's Day" aproveitando o tom de seus romances na linha de Virgin New Adventures. Davies pediu tanto para Shearman como para Cornell escreverem seus roteiros com esses respectivos estilos em mente. O episódio "Boom Town" incluiu uma referência ao romance The Monsters Inside, tornando-se o primeiro episódio a reconhecer (ainda que de forma sutil) um spin-off de ficção.

Filmagens[editar | editar código-fonte]

A fotografia principal para a série começou em 18 de Julho de 2004 com locações em Cardiff para "Rose".[12] A série foi filmada em todo o Sudeste do País de Gales.[13] O início das filmagens criou tensão entre a equipe de produção devido á circunstâncias despercebidas: várias cenas do primeiro bloco tiveram que ser refilmadas porque os originais ficaram inutilizáveis; as próteses dos Slitheen para "Aliens of London", "World War Three" e "Boom Town" eram visivelmente diferentes dos seus homólogos gerados por computador e o mais notável foi ver o impasse dos herdeiros de Terry Nation com a BBC para fixar os Daleks no sexto episódio da série, escrito por Rob Shearman.[14] Após o primeiro bloco, a produção do show aliviou a marcação da equipe, com os quais se familiarizaram.[14] As filmagens foram concluídas em 23 de março de 2005. David Tennant, que foi escalado como substituto de Christopher Eccleston,[15] gravou sua aparição no final de "The Parting of the Ways" em 21 de abril de 2005.

Bloco Título Dirigido por Escrito por Código
1 "Rose"
"Aliens of London"
"World War Three"
Keith Boak Russell T Davies 1.1
1.4
1.5
2 "The End of the World"
"The Unquiet Dead"
Euros Lyn Russell T Davies
Mark Gatiss
1.2
1.3
3 "Dalek"
"Father's Day"
Joe Ahearne Robert Shearman
Paul Cornell
1.6
1.8
4 "The Long Game" Brian Grant Russell T Davies 1.7
5 "The Empty Child"
"The Doctor Dances"
James Hawes Steven Moffat 1.9
1.10
6 "Boom Town"
"Bad Wolf"
"The Parting of the Ways"
Joe Ahearne Russell T Davies 1.11
1.12
1.13

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Aldridge and Murray pg.182–183
  2. Aldridge and Murray pg.183-185
  3. Aldridge and Murray pg.185-186
  4. Who said what at the 2006 British Academy Television Awards. BBC News (07 de Maio de 2006). Visitado em 29 de Março de 2013.
  5. Doctor Who returns to BBC ONE BBC (26 de Setembro de 2003). Visitado em 29 de Março de 2013.
  6. a b c Aldridge and Murray pg. 187-189
  7. a b Aldridge and Murray pg.190
  8. a b c d Aldridge and Murray pg.189
  9. Sullivan, Shannon. The Trial Of A Time Lord (Segment Four) Uma Breve História do Tempo. Visitado em 30 de Março de 2013.
  10. a b Script Doctors: Helen Raynor Panini Reino Unido(reimpresso no site de David Darlington, com permissão) (01 de Fevereiro de 2007). Visitado em 13 de Maio de 2008.[ligação inativa]
  11. Aldridge and Murray pg. 208
  12. Doctor Who Magazine: Series One Companion (11ª Edição Especial, Página 31), 31 de Agosto de 2005 
  13. Site Doctor Who BBC. Visitado em 30 de Março de 2013.
  14. a b Aldridge and Murray pg. 192-193
  15. BBC (16 de Abril de 2005). David Tennant confirmed as the tenth Doctor Who. Press release. Página visitada em 02 de Março 2008.