GE BB33

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde junho de 2019). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
GE BB33-7
BSicon exTRAIN3.svg
Descrição
Propulsão Diesel-elétrica
Fabricante GET Erie, PA.(USA)
Modelo BB33-7MP
Ano de fabricação 1981
Locomotivas fabricadas 1
Classificação AAR C-C/B-B+B-B
Características
Bitola 1000 mm
Peso da locomotiva 180,000 kg
Peso por eixo 22,500 kg
Capacidade de combustível 13,900 litros
Motor primário 16-FDL7B
Motores de tração ELETROFAN EF570
Performance
Velocidade máxima 80 km/h
Potência total 3500 hp
Freios da locomotiva 26SL


Diversas locomotivas passaram alterações, visando principalmente a melhor utilização da potência do motor diesel e a distribuição de pesos, a principal alteração é a utilização de um truque tipo B-B, ao invês do tradicional B ou C.

De GE B36-7 ou GE C36-7 para BB36-7 (EFVM)

De GE C30-7 para BB33-7MP (ALL)

BB33-7MP[editar | editar código-fonte]

BB33-7MP é uma locomotiva GE C33-7 adaptada a truques B+B-B+B (8 eixos com motores) ao invés dos originais C-C (6 eixos com motores). As C33-7 foram compradas de ferrovias norte-americanas e canadenses, pela ALL, mas importantes fatores obrigaram a grandes transformações nas GE C33-7. A bitola original standard (1.435mm) destas máquinas foi alterado para bitola métrica (1.000mm), mas o que determinou o teste dessa maquina experimental com utilização de 8 eixos foi a limitação de carga por eixo da ferrovia em alguns trechos(25t). Como estas máquinas possuem 180t, o que dá 30t/eixo, houve a necessidade de adaptação de truques B+B-B+B o que dá 22,5t/eixo, sem a necessidade de redução do peso da locomotiva, que prejudicaria sua aderência.

Truque B-B+B-B, com o Span-Bolster visível.

Por serem articulados, permitem que a locomotiva faça curvas de raio muito reduzido(80m no caso), com mais facilidade até que a original C-C, além da vantagem de se ter mais poder de tração já que sua potência de 3000 hp fica dividida pelos 8 motores ao invés de 6, proporcionando mais uniformidade na entrega de potência.

Importante dizer que motor diesel e o gerador de tração não foram alterados, assim como diversos outros componentes como por exemplo a distância de centro de pião e compressor para os freios. Os motores de tração originais GM D77/87 tiveram que ser substituídos por motores GM D31 por serem menores e caberem dentro do eixo de bitola métrica.

São montados em truques especialmente fundidos para elas na Cruzaço, e cada par de truques apoiado sobre uma travessa, denominada Span-bolster. O custo dessa transformação gira na casa dos R$150.000,00 e foram amplamente utilizadas pela EFVM nas suas GM BB40-2 mas devido ao alto custo em relação ao da maquina não a tornou popular com locomotivas mais baratas como a C30, C33 e C36-7.

A única unidade a ser BB33-7MP no Brasil é a ALL número 7650, que recebeu pintura especial comemorativa (preta) e também recebeu um computador de bordo, para melhorar sua aderência, controle de patinação e consumo de combustível como principais melhorias.

BB36-7[editar | editar código-fonte]

GE BB36 7489 EFVM.JPG

Locomotivas adaptadas pela EFVM, a partir de GE B36-7, compradas usadas nos EUA da GE norte americana que estava vendendo maquinas usadas da Conrail após sua privatização entre a Norfolk Southern e a CSX. O prazo de leasing delas com a GE tinha expirado e as ferrovias resolveram não renovar o contrato, criando uma oferta de 60 maquinas modelo B36-7 fabricadas em novembro e dezembro de 1983. Elas quando chegaram a Conrail foram numeradas de 5000 a 5059. A EFVM comprou um lote de 44 maquinas usadas que foi despachado para o Brasil, chegando em 2003. O navio com as 8 primeiras locomotivas que chegaram a Tubarão foi desembarcado e conduzido as oficinas da mesma cidade onde a EFVM iniciou um projeto junto a vários fabricantes nacionais para adequação dessas maquinas a bitola metrica, ao peso por eixo e ao limite de potência que os motores de bitola metrica podem produzir.

Inicialmente, enquanto não se chegava a uma solução dez locomotivas receberam truques de U20C para poder trabalhar. Esses truques de três eixos cada podiam aproveitar apenas 3000 hp de potência, devido as limitações de tamanho que a bitola metrica imprime sobre os motores de tração. Durante este período em 2003, elas operaram como maquinas de tranferência de vagões em Tubarão. No final de Julho de 2003 ficou pronta a primeira maquina B+B-B+B, sendo designada pela EFVM como BB36-7, com oito motores de tração, como as DDM45, sendo capaz de aproveitar os 3900 hp gerados pelo motor diesel e converte-los em 3600 hp para tração. Para que os truques B+B fossem acomodados no espaço onde antes havia apenas um truque B, foram necessárias varias modificações na longarina da maquina como o alongamento do mesmo com perfis de aço e diminuição dos tanques de óleo diesel. Também foi refeito todo sistema elétrico para permitir a utilização de oito motores de tração ao invés de quatro originais. Com a avaliação pelos tecnicos da EFVM para essas maquinas constatou-se um desempenho satisfatório, justificando a compra de mais 7 unidades dos EUA, desta vez da NREX ex Southern Pacific e SSW-Cotton Belt. Essas maquinas chegaram no início de 2004 no Brasil. A frota total de BB36-7 chega atualmente a 51 unidades, sendo numeradas na série 700.

Ver Também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Texto por Mafia do CTC
  • Adaptações por Alexandre Fressatto Ramos
  • Plantas da BB33-7MP (ALL)
  • Apostila de Locomotivas do Curso Técnico em Ferrovias - CEFET-ES, Vinícius Secchin de Melo
  • Coelho, Eduardo J. J.; Setti, João Bosco, "A E. F. Vitória a Minas e suas locomotivas desde 1904 - As locomotivas Diesel 1947-2003", Rio de Janeiro: Memória do Trem, 2003.
  • Dash-7 Series. (em inglês)
  • GE Transportation Systems. (em inglês)