GE B+B (CPEF)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
GE B+B
Tren.svg
Locomotiva Elétrica originalmente CPEF, operou na Fepasa (nº 6405) e hoje faz parte do acervo da ABPF-SP.
Descrição
Propulsão Elétrica
Fabricante GE-ALCO ( Estados Unidos)
Modelo GE B+B[1]
Ano de fabricação 1921
Locomotivas fabricadas 8
Classificação AAR B+B
Tipo de serviço Carga[2]
Características
Bitola 1,600 m
Diâmetro das rodas 1066 mm
Comprimento 11.938 mm
Peso da locomotiva 88.900 kg
Tipo de combustível Eletricidade
Método de eletrificação Corrente Contínua
Tensão 3000 V
Tipo de captação de energia Pantógrafo
Performance
Potência disponível para tração 1450 HP
Operação
Ferrovias Originais CPEF
Ferrovias que operou Fepasa
Numeração SIGO 6401 a 6408
Apelidos Quadradinha
Local de operação São Paulo
Ano da entrada em serviço 1921
Ano da saída do serviço déc. 1980
Ano de desmanche 1977-1995
Unidades preservadas 1
Proprietário atual União (DNIT) / Arrendada para a ABPF-SP
Situação Unidade nº 6405 preservada estática.

As locomotivas Elétrica GE B+B foram compradas pela Companhia Paulista em 1921 destinadas a tração de trens de carga. Fizeram parte do primeiro grupo de locomotivas adquiridas pela Paulista no seu programa de eletrificação.

Foram fabricadas pela GE, com a construção mecânica a cargo da ALCO.

Na Fepasa[editar | editar código-fonte]

A Fepasa incorporou a Companhia Paulista e todo o seu parque de tração em 1971. As locomotivas elétricas do tipo boxcab fioram as primeiras a serem baixadas por conta da idade e falta de peças. Ainda assim, a GE B+B circulou até a década de 1980, através do processo de canibalização de outras locomotivas. Em 1995 a última delas (nº 6405) foi desativada para preservação histórica.

Numeração (FEPASA) Entrada em serviço Destino Observações
6401 1922 Baixada e vendida como sucata em leilão realizado no Pátio Jundiaí, 2 de abril de 1977 [3] Ex 204 (1ª Numeração CPEF)/ Ex 400 (2ª Numeração CPEF)
6402 1922 Baixada e vendida como sucata em leilão realizado no Pátio Jundiaí, 10 de outubro de 1983[4] Ex 205 (1ª Numeração CPEF)/ Ex 401 (2ª Numeração CPEF)
6403 1922 Baixada e vendida como sucata em leilão realizado no Pátio Jundiaí, 10 de outubro de 1983[4] Ex 206 (1ª Numeração CPEF)/ Ex 402 (2ª Numeração CPEF)
6404 1922 Baixada e vendida em leilão de sucata em 18 de dezembro de 1995 [5] Ex 207 (1ª Numeração CPEF)/ Ex 403 (2ª Numeração CPEF)
6405 1922 Desativada em meados dos anos 1980. Arrendada pela União (DNIT) à ABPF - Regional São Paulo, aguardando restauração Ex 208 (1ª Numeração CPEF)/ Ex 404 (2ª Numeração CPEF)
6406 1922 Baixada e vendida em leilão de sucata em 18 de dezembro de 1995 [5] Ex 209 (1ª Numeração CPEF)/ Ex 405 (2ª Numeração CPEF)
6407 1922 Baixada e vendida em leilão de sucata em 18 de dezembro de 1995 [5] Ex 210 (1ª Numeração CPEF)/ Ex 406 (2ª Numeração CPEF)
6408 1922 Baixada e vendida em leilão de sucata em 18 de dezembro de 1995 [5] Ex 211 (1ª Numeração CPEF)/ Ex 407 (2ª Numeração CPEF)

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Philip Wormald. «GE Export builders list - Phil's Loco Page» (DOC) (em inglês). 21 páginas. Consultado em 17 de março de 2019 
  2. Gorni, Antonio Augusto (2009). i A ELETRIFICAÇÃO NAS FERROVIAS BRASILEIRAS. São Vicente-SP: [s.n.] 368 páginas 
  3. FEPASA (12 de março de 1977). «Leilão» (PDF). Diário Oficial do estado de São Paulo, Ineditoriais, página 94. Consultado em 16 de março de 2019 
  4. a b FEPASA (21 de setembro de 1983). «Leilão-Concorrência pública BM-7/83» (PDF). Diário Oficial do estado de São Paulo, Ineditoriais. Consultado em 17 de março de 2019 
  5. a b c d Fepasa (2 de dezembro de 1995). «Leilão Público» (PDF). Diário Oficial do estado de São Paulo, Ano , Volume 105, edição 229. Consultado em 17 de março de 2019