Grande Prêmio da Grã-Bretanha de 2018

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Grande Prêmio da Grã-Bretanha de F-1 2018
Circuit Silverstone 2011.svg
Grande Prêmio da Grã-Bretanha de 2018.
Detalhes da corrida
Data 8 de julho de 2018
Nome oficial Formula 1 2018 Rolex British Grand Prix
Local Circuito de Silverstone, Silverstone, Reino Unido
Total 52 voltas / 306.198 km
Pole
Piloto
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes
Tempo 1:25.892
Volta mais rápida
Piloto
Alemanha Sebastian Vettel Ferrari
Tempo 1:30.696 (na volta 47)
Pódio
Primeiro
Alemanha Sebastian Vettel Ferrari
Segundo
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes
Terceiro
Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari

O Grande Prêmio da Grã-Bretanha de 2018 (formalmente denominado Formula 1 2018 Rolex British Grand Prix) foi a decima etapa da temporada de 2018 da Fórmula 1 disputada em 8 de julho de 2018 no Circuito de Silverstone, Silverstone, Grã-Bretanha.[1] Teve como vencedor o alemão Sebastian Vettel da Ferrari.

Relatório[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Treino Livre[editar | editar código-fonte]

O terceiro treino livre, foi marcado por um fortíssimo e assustador acidente de Brendon Hartley. O neozelandês da STR perdeu o controle do carro na aproximação para a curva 6 depois de atingir 300 km/h, quando a suspensão dianteira esquerda entrou em colapso. O impacto foi violento, mas Hartley saiu caminhando sozinho. Por precaução, Pierre Gasly não participou da parte final da sessão para que a STR investigasse as suspensões do carro do francês.

Treino Classificatório[editar | editar código-fonte]

Q1

O treino começou com a confirmação de Sebastian Vettel depois do incômodo no pescoço que o impediu de completar a terceira sessão livre. Por outro lado, Brendon Hartley, que bateu com violência por causa da quebra da suspensão dianteira esquerda, não disputou o treino e larga em último.

Logo aos seis minutos, Lance Stroll colocou mais uma rodada em sua extensa galeria de erros em um ano e meio de carreira. O canadense perdeu o controle do péssimo carro da Williams na curva 6, a mesma do acidente de Hartley, e ficou preso na caixa de brita, interrompendo o treino. Depois da retomada da sessão, o companheiro de equipe de Stroll, Sergey Sirotkin, também rodou, voltou à pista, mas não conseguiu avançar no treino.

Liberado para o treino, Vettel estabeleceu o melhor tempo já registrado em Silverstone na atual configuração de traçado, com 1m26s585, 0s233 à frente de Lewis Hamilton, com Valtteri Bottas, Max Verstappen, Kimi Raikkonen, Charles Leclerc e Daniel Ricciardo completando os primeiros.

Nos minutos finais, a briga pelas vagas no Q2 foi ferrenha, com Carlos Sainz chegando a tirar o companheiro de Renault Nico Hulkenberg do Top15, mas levando o troco em seguida. Decepcionou a participação de Stoffel Vandoorne, eliminado mais uma vez com a McLaren.

Eliminados: Carlos Sainz Jr. (Renault), Stoffel Vandoorne (McLaren), Sergey Sirotkin (Williams), Lance Stroll (Williams) e Brendon Hartley (Toro Rosso).

Q2

De imediato, Bottas estabeleceu o novo recorde de Silverstone, com 1m26s413, mas foi logo superado por Vettel, com 1m26s372, enquanto Raikkonen ficou 0s111 atrás do alemão. Hamilton cometeu um erro na primeira tentativa, mas reagiu em seguida e assumiu o primeiro lugar, com 1m26s256.

Entre os eliminados, a surpresa foi Nico Hulkenberg, que ficou apenas em 11º com o carro da Renault, perdendo a última vaga no Q3 para Esteban Ocon por 0s058. Charles Leclerc voltou a ter excelente desempenho com a Sauber ao ficar em nono no Q2, seis posições à frente do companheiro Marcus Ericsson, enquanto Fernando Alonso acabou eliminado com a McLaren, em 13º.

Eliminados: Nico Hülkenberg (Renault), Sergio Pérez (Force India), Fernando Alonso (McLaren), Pierre Gasly (Toro Rosso) e Marcus Ericsson (Sauber).

Q3

Na primeira série de tentativas no Q3, Hamilton foi o primeiro a baixar da casa de 1m26s ao marcar 1m25s993, mas logo em seguida Vettel respondeu com 1m25s936, melhor tempo já registrado em Silverstone até aquele momento.

Na última tentativa, Hamilton registrou uma volta ainda melhor, em 1m25s892, enquanto Vettel, depois de um mau primeiro setor, melhorou nas demais parciais mas ficou a 0s044 de Hamilton. Com o melhor primeiro setor, Raikkonen fez o terceiro tempo, com um tempo apenas 0s098 da pole position.

Grid de Largada

Corrida[editar | editar código-fonte]

Com 53ºC na pista e toda a expectativa para a largada, os dois rivais na batalha pelo penta dividiram a primeira fila. Vettel se deu muito bem desde o começo, superou Hamilton e assumiu a liderança. Nas curvas seguintes, Lewis foi tocado por Kimi Räikkönen, rodou e caiu para a última posição. Bottas subiu para segundo e Verstappen era o terceiro, enquanto Räikkönen ainda conseguiu passar Daniel Ricciardo para passar a primeira volta em quarto lugar.

Destaque para Nico Hülkenberg, que conseguiu aproveitar toda a confusão e pulou para sexto, ficando à frente de Charles Leclerc, Esteban Ocon, Carlos Sainz, Kevin Magnussen e Fernando Alonso em P11. Hamilton, mesmo com o carro avariado, conseguia remar e subia para 14º após passar Sergio Pérez, Lance Stroll, Sergey Sirotkin, Stoffel Vandoorne e Marcus Ericsson. Brendon Hartley, que tinha a previsão de largar no pit-lane, sequer conseguiu sair dos boxes.

Lewis continuava abrindo caminho e já avançava para a décima colocação, mas reclamava que a traseira do seu Mercedes estava se mexendo muito. O britânico teria mais uma posição a conquistar depois que a direção de prova anunciou punição de 10s para Räikkönen pela batida. Uma sanção vista como exagerada por conta da natureza do contato, um toque habitual de corrida. Lá na frente, Vettel nadava de braçada e já tinha 5s de frente para Bottas.

Com o carro muito superior ao restante do grid, Hamilton subia para oitavo após nove voltas depois de ter superado a Force India de Esteban Ocon sem maiores problemas. Na volta seguinte, o tetracampeão não tomou conhecimento da Sauber de Charles Leclerc e ganhou mais uma posição, partindo para atacar Nico Hülkenberg na briga pelo sexto lugar, o que aconteceu, também sem nenhuma dificuldade, na volta 11.

Enquanto apertava o ritmo para se aproximar de Verstappen, Räikkönen questionava a Ferrari sobre a melhor tática e travou uma discussão com o estrategista via rádio. "Não me deixam pensar mais". Irritado, o finlandês parou cedo, na volta 14, para colocar pneus médios e tentar ir até o fim. Antes, cumpriu a punição de 10s. O 'Homem de Gelo' voltou em 11º, que virou nono após passar Kevin Magnussen e Sainz. Kimi vinha com a melhor volta da corrida naquele momento: 1min32s270.

Terceiro colocado com uma corrida tranquila, Verstappen fez seu pit-stop na volta 18 para colocar pneus médios e buscar ir até o fim. O holandês da Red Bull caiu para quinto, enquanto Räikkönen ganhava mais uma posição e avançava para o sétimo lugar após passar aquele que é apontado como seu sucessor na Ferrari: Leclerc.

Hamilton, após ter ganho a posição com a parada de Verstappen, voltou a ocupar um lugar no top-3 após Ricciardo fazer sua troca de pneus. Cerca de 27s separavam Hamilton do líder, Vettel. Também na volta 20, Leclerc perdeu uma grande chance de voltar a pontuar. Logo após o pit-stop feito pela Sauber, o monegasco encostou seu carro e abandonou a disputa.

A Ferrari escolheu a volta 21 para Vettel fazer seu pit-stop. O alemão perdeu momentaneamente a liderança para Bottas, mas voltou pouco mais de 2s à frente de Hamilton. Bottas foi ao pit-ane uma volta depois e 'devolveu' a liderança a Seb. Hamilton teria de arriscar para poder ao menos salvar pontos importantes e terminar no pódio.

Uma cena rara aconteceu pouco depois: a Mercedes pediu que Hamilton abrisse passagem para Bottas, que fez a ultrapassagem no fim da reta Wellington. O finlandês tinha pneus em melhor estado e tinha de partir para cima de Vettel. Valtteri estava 3s7 atrás e era a arma da equipe prateada para tentar a vitória.

Hamilton finalmente fez seu pit-stop na volta 26. O tetracampeão regressou em sexto, 11s9 atrás de Räikkönen. Grosjean aparecia em sétimo como o 'melhor do resto' antes da sua parada. Hülkenberg, que virou sétimo após a troca de pneus do franco-suíço, era um dos primeiros a usar pneus duros e aparecia em oitavo com clara estratégia de uma parada, à frente de Esteban Ocon e Fernando Alonso fechando o top-10.

Bottas chegava perto de Vettel, tinha apenas 2s380, e se colocava como candidato real à vitória. Hamilton, por sua vez, acelerava e registrava a melhor volta da corrida e Ricciardo azua sua segunda parada, voltando a usar os pneus macios.

Susto na volta 33 levou a direção de prova a intervir com o safety-car. Marcus Ericsson perdeu o controle da sua Sauber em um acidente bastante estranho e bateu muito forte na barreira de pneus da curva 1. Tudo bem com o sueco, que foi muito aplaudido pelos torcedores britânicos. A bandeira amarela mudou a história da corrida e levou quase todo mundo de volta aos boxes para fazer mais um pit-stop. Mas a Mercedes foi novamente conservadora e manteve Bottas, novo líder, na pista. O finlandês não tinha pneus macios novos, diferente de Vettel.

O jogo virava para a estratégia. Na pista, Bottas liderava, com Vettel em segundo e Hamilton em terceiro. O britânico era realista: "Não vamos poder lutar com esses pneus", reclamando da tática escolhida pela Mercedes, que respondeu. "Você é o carro mais rápido".

A corrida retomou seu curso normal com a bandeira verde na volta 37, restando 15 para o fim. Vettel colou em Bottas para tentar buscar a liderança, enquanto Verstappen e Räikkönen travaram um duelo empolgante pela quarta posição. Até que o safety-car voltou à pista logo depois, na volta 39, or conta de uma batida fortíssima envolvendo Grosjean e Carlos Sainz. O espanhol estava um pouco à frente da Haas ao percorrer a curva Copse, quando foi tocado. Os dois foram parar na barreira de proteção.

O safety-car voltou aos boxes na volta 41, com dez giros para a bandeirada final. Bottas foi muito pressionado por Vettel, mas segurou a liderança no braço. Nisso, Hamilton tentava se aproximar e abria alguma vantagem para Verstappen, que vinha em quarto. A reta final de um grandioso GP da Inglaterra era sensacional. Mais atrás, Räikkönen fazia outra grande manobra e, sem o auxílio da asa móvel, passava de vez Verstappen para tomar o quarto lugar.

Vettel e Bottas travaram um duelo sensacional pela liderança. Com uma das melhores pilotagens desde que foi contratado pela Mercedes, Bottas se defendeu muito bem, enquanto Hamilton se segurava para evitar a ultrapassagem de Hamilton. Duas Ferrari brigavam contra duas Mercedes com sete voltas para o fim com apenas 3s7 separando os quatro primeiros. Verstappen, pouco depois, rodava e despencava de quinto para 13º.

Na volta 47, enfim, Vettel deu o bote sobre Bottas e fez a ultrapassagem que lhe valeu, pouco depois, a grande vitória do espetacular GP da Inglaterra. Em seguida, Hamilton passou o companheiro de equipe, que também acabou sendo superado por Räikkönen, que foi um dos grandes nomes do domingo.

Resultado da corrida

Pneus[editar | editar código-fonte]

Os compostos de pneus fornecidos pela Pirelli para este Grande Prêmio[2]
Nome do composto Cor Banda de rolamento Condições de Tempo Dry Type Aderência Longevidade
Macio F1 tire Pirelli PZero Yellow.svg Slick
(P Zero)
Seco Soft Médio Médio
Médio F1 tire Pirelli PZero White.svg Slick
(P Zero™)
Seco Medium Ligeiramente baixa Ligeiramente alta
Duro F1 tire Pirelli PZero Light blue.svg Slick
(P Zero™)
Seco Hard Baixa Alta

Resultados[editar | editar código-fonte]

Treino Classificatório[editar | editar código-fonte]

Pos. Piloto Construtor Q1 Q2 Q3 Grid
1 44 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes 1:26.818 1:26.256 1:25.892 1
2 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 1:26.585 1:26.372 1:25.936 2
3 7 Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari 1:27.549 1:26.483 1:25.990 3
4 77 Finlândia Valtteri Bottas Mercedes 1:27.025 1:26.413 1:26.217 4
5 33 Países Baixos Max Verstappen Red Bull Racing-TAG Heuer 1:27.309 1:27.013 1:26.602 5
6 3 Austrália Daniel Ricciardo Red Bull Racing-TAG Heuer 1:27.979 1:27.369 1:27.099 6
7 20 Dinamarca Kevin Magnussen Haas-Ferrari 1:28.143 1:27.730 1:27.244 7
8 8 França Romain Grosjean Haas-Ferrari 1:28.086 1:27.522 1:27.455 8
9 16 Mónaco Charles Leclerc Sauber-Ferrari 1:27.962 1:27.790 1:27.879 9
10 31 França Esteban Ocon Force India-Mercedes 1:28.279 1:27.843 1:28.194 10
11 27 Alemanha Nico Hülkenberg Renault 1:28.017 1:27.901 11
12 11 México Sergio Pérez Force India-Mercedes 1:28.210 1:27.928 12
13 14 Espanha Fernando Alonso McLaren-Renault 1:28.187 1:28.139 13
14 10 França Pierre Gasly Toro Rosso-Honda 1:28.399 1:28.343 14
15 9 Suécia Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 1:28.249 1:28.391 15
16 55 Espanha Carlos Sainz Jr. Renault 1:28.456 16
17 2 Bélgica Stoffel Vandoorne McLaren-Renault 1:29.096 17
18 35 Rússia Sergey Sirotkin Williams-Mercedes 1:29.252 PL 1
Tempo dos 107%:1:32.645
19 18 Canadá Lance Stroll Williams-Mercedes S/Tempo PL 1
20 28 Nova Zelândia Brendon Hartley Toro Rosso-Honda S/Tempo PL 2
Fonte:[3]
Notas
  • ↑1  – Lance Stroll e Sergey Sirotkin (Williams-Mercedes) eram obrigados a partir do pit lane devido à modificação dos carros durante as condições do Parque Fechado.
  • ↑2  – Brendon Hartley (Toro Rosso) não conseguiu definir um tempo dentro do requisito de Q1 107%, porque havia sofrido um acidente no 3º treino livre, mas, foi liberado pelos comissários. Ele vai começar a partir do pit lane depois de uma mudança da célula de sobrevivência do carro.

Corrida[editar | editar código-fonte]

Pos. Nu. Piloto Construtor Voltas Tempo/Retirado Grid Pontos
1 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 52 1:27:29.784 2 25
2 44 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes 52 +2.264s 1 18
3 7 Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari 52 +3.652s 3 15
4 77 Finlândia Valtteri Bottas Mercedes 52 +8.883s 4 12
5 3 Austrália Daniel Ricciardo Red Bull Racing-TAG Heuer 52 +9.500s 6 10
6 27 Alemanha Nico Hülkenberg Renault 52 +28.220s 11 8
7 31 França Esteban Ocon Force India-Mercedes 52 +29.930s 10 6
8 14 Espanha Fernando Alonso McLaren-Renault 52 +31.115s 7 4
9 20 Dinamarca Kevin Magnussen Haas-Ferrari 52 +33.188s 13 2
10 11 México Sergio Pérez Force India-Mercedes 52 +34.708s 12 1
11 2 Bélgica Stoffel Vandoorne McLaren-Renault 52 +35.774s 17
12 18 Canadá Lance Stroll Williams-Mercedes 52 +38.106s PL
13 10 França Pierre Gasly Toro Rosso-Honda 52 +44.129s 3 14
14 35 Rússia Sergey Sirotkin Williams-Mercedes 52 +48.113s PL
15 4 33 Países Baixos Max Verstappen Red Bull Racing-TAG Heuer 46 Retirado 5
Ret 8 França Romain Grosjean Haas-Ferrari 37 Colisão 8
Ret 55 Espanha Carlos Sainz Jr. Renault 37 Colisão 16
Ret 9 Suécia Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 31 Colisão 15
Ret 16 Mónaco Charles Leclerc Sauber-Ferrari 18 Colisão 9
Ret 28 Nova Zelândia Brendon Hartley Toro Rosso-Honda 2 Colisão PL
Fonte:[4]
Notas

Curiosidade[editar | editar código-fonte]

Voltas na Liderança[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons
Nº de Voltas Piloto Voltas
36 Alemanha Sebastian Vettel 1-20, 22-34 e 48-52
16 Finlândia Valtteri Bottas 22 e 35-47

2018 DHL Fastest Pit Stop Award[editar | editar código-fonte]

Resultado[editar | editar código-fonte]

Pos. Nu. Piloto Construtor Tempo Pontos
1 3 Austrália Daniel Ricciardo Red Bull Racing-TAG Heuer 2.26 25
2 33 Países Baixos Max Verstappen Red Bull Racing-TAG Heuer 2.29 18
3 18 Canadá Lance Stroll Williams-Mercedes 2.38 15
4 77 Finlândia Valtteri Bottas Mercedes 2.45 12
5 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 2.53 10
6 2 Bélgica Stoffel Vandoorne McLaren-Renault 2.61 8
7 9 Suécia Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 2.66 6
8 14 Espanha Fernando Alonso McLaren-Renault 2.66 4
9 35 Rússia Sergey Sirotkin Williams-Mercedes 2.69 2
10 55 Espanha Carlos Sainz Jr. Renault F1 Team 2.69 1
Fonte: [5]

Classificação[editar | editar código-fonte]

Tabela do campeonato após a corrida[editar | editar código-fonte]

Somente as cinco primeiras posições estão incluídas nas tabelas.

Referências

  1. «Formula 1 2018 Rolex British Grand Prix» (em inglês). Formula 1.com 
  2. «Pirelli announces compound choices and mandatory sets for the 2018 British Grand Prix» (em inglês). news.pirelli.com 
  3. «Qualyfing». Formula 1® - The Official F1® Website (em inglês). 7 de julho de 2018. Consultado em 7 de julho de 2018 
  4. «Results». Formula 1® - The Official F1® Website (em inglês). Consultado em 8 de julho de 2018 
  5. «2018 DHL Fastest Pit Stop Award» (em inglês). Formula1.com 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Prova Anterior:
GP da Áustria de 2018
Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1
Temporada 2018
Próxima Prova:
GP da Alemanha de 2018

Prova Anterior:
GP da Grã-Bretanha de 2017
Grande Prêmio da Grã-Bretanha Próxima Prova:
GP da Grã-Bretanha de 2019