Grande Prêmio do Canadá de 2018

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Grande Prêmio do Canadá de F-1 2018
Circuit Gilles Villeneuve.svg
Grande Prêmio do Canadá de 2018.
Detalhes da corrida
Data 10 de junho de 2018
Nome oficial Formula 1 Grand Prix Heineken du Canada 2018
Local Circuito Gilles Villeneuve, Montreal, Quebec, Canadá
Total 681 voltas / 296.548 km
Pole
Piloto
Alemanha Sebastian Vettel Ferrari V6 Turbo
Tempo 1:10.764
Volta mais rápida
Piloto
Países Baixos Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer V6 Turbo
Tempo 1min 13s 8642 (na volta 65)
Pódio
Primeiro
Alemanha Sebastian Vettel
Ferrari V6 Turbo
Segundo
Finlândia Valtteri Bottas Mercedes V6 Turbo
Terceiro
Países Baixos Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer V6 Turbo

O Grande Prêmio do Canadá de 2018 (formalmente denominado Formula 1 Grand Prix Heineken du Canada 2018) foi a sétima etapa da temporada de 2018 da Fórmula 1. Disputada em 10 de junho de 2018 no Circuito Gilles Villeneuve, Montreal, Canadá[1]

Relatório[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Treino Classificatório[editar | editar código-fonte]

Q1

A etapa inicial do treino começou com uma imagem incrível: o motor Ferrari da Haas de Romain Grosjean soltou muita fumaça quando ele deixava a garagem. O motivo, segundo a equipe, não foi uma quebra da unidade de potência, mas um vazamento de óleo, que caiu nas partes quentes do carro e causou a fumaça.

Todos entraram na pista com pneus hipermacios, e a Ferrari começou dando as cartas. Primeiro, Vettel cravou 1m12s110, mas logo em seguida Raikkonen marcou 1m12s050. Os dois permaneceram na pista e, na sequência de voltas, o alemão melhorou para 1m11s824, enquanto o finlandês foi ainda mais veloz, com 1m11s725. Ainda com o mesmo jogo de pneus, Vettel fez 1m11s710.

Verstappen chegou a fazer o melhor primeiro setor, mas ficou a 0s298 da marca de Vettel, em quarto, enquanto Bottas foi 0s058 mais rápido. Já Hamilton cometeu um pequeno erro e inicialmente ficou em quinto, à frente de Ricciardo.

Em seu 300º GP, Fernando Alonso esteve sob risco de não avançar ao Q2 até o último minuto, mas ficou em 14º, à frente de seu companheiro de McLaren Stoffel Vandoorne. Entre os eliminados, destaque para mais um péssimo treino da Williams, que vai largar na penúltima fila, com Lance Stroll e Sergey Sirotkin, enquanto Marcus Ericsson, que chegou a beijar o muro, vai largar ao lado de Grosjean, em 19º.

Eliminados: Pierre Gasly (Toro Rosso), Lance Stroll (Williams), Sergey Sirotkin (Williams), Marcus Ericsson (Sauber) e Romain Grosjean (Haas).

Q2

O começo do Q2 viu os pilotos de Ferrari e Mercedes trocarem os pneus hipermacios pelos ultramacios, já que o regulamento obriga a largada com os compostos usados na melhor volta na segunda parte do treino. Vettel e Raikkonen começaram mais rápidos, mas Bottas assumiu o primeiro lugar, enquanto Hamilton errou e ficou apenas em quarto na primeira rodada de tentativas.

Já a RBR optou por permanecer com os hipermacios, os mais aderentes no fim de semana. Assim como nos treinos anteriores, Ricciardo inicialmente não conseguiu grande coisa e ficou em sexto, enquanto Verstappen voltou a andar forte e assumiu o primeiro lugar, 0s042 à frente de Bottas.

Mas na segunda rodada de tentativas, enquanto os pilotos de Ferrari e Mercedes não melhoraram com os hipermacios, Ricciardo apareceu do nada e estabeleceu a melhor volta da história do circuito Gilles Villeneuve, com 1m11s434, superando a marca de Verstappen em 0s038.

Já a McLaren, se passou raspando pelo Q1, naugrafou no Q2, ficando com Alonso em 14º e 15º, justamente no aniversário de 50 anos da primeira vitória da equipe, no GP da Bélgica de 1968, com o fundador Bruce McLaren.

Eliminados: Kevin Magnussen (Haas), Brendon Hartley (Toro Rosso), Charles Leclerc (Sauber), Fernando Alonso (McLaren) e Stoffel Vandoorne (McLaren).

Q3

O Q3 começou com as duplas de Ferrari e Mercedes de volta aos hipermacios. Até então discreto, Bottas fez uma excelente volta de 1m10s857, melhorando a marca anterior de Ricciardo. Mas logo em seguida, Vettel assumiu a pole provisória, 0s081 à frente do finlandês, com Raikkonen em terceiro. Sem terem à disposição muito mais potência para o Q3, Verstappen e Ricciardo ficaram em quarto e sexto na primeira tentativa, com Hamilton entre eles.

Na última tentativa, Hamilton chegou a fazer seus dois melhores primeiros setores, mas, a exemplo do que ocorrera no Q2, travou os pneus no cotovelo e perdeu tempo. Vettel foi ainda mais veloz e consolidou a pole position com 1m10s764, o melhor tempo já registrado em 40 anos no circuito Gilles Villeneuve.

Grid de Largada

Corrida[editar | editar código-fonte]

Quando as luzes se apagaram no grid, o pole Sebastian Vettel saltou bem e impediu qualquer ataque de Valtteri Bottas, que, na verdade, precisou trabalhar para neutralizar a investida de Max Verstappen, que contornou o primeiro S ao lado do finlandês, mas teve de tirar o carro na sequência e ficando mesmo em terceiro. Quarto colocado, Lewis Hamilton largou com cuidado e chegou a ver a Ferrari de Kimi Räikkönen a seu lado, mas o nórdico perdeu a disputa e acabou perdendo o quinto posto para Daniel Ricciardo. Um pouco atrás, Esteban Ocon também foi capaz de ultrapassar Nico Hülkenberg e assumir o sétimo posto. Carlos Sainz, Sergio Pérez e Charles Leclerc completavam os de dez primeiros. Só que a volta de abertura da etapa em Montreal não passou sem incidentes.

Na aproximação da curva 5, Lance Stroll se queixou de um pneu furado e perdeu o controle do carro, espremendo Brendon Hartley, que tentava a ultrapassagem por fora. O neozelandês, então, saiu do carro e engantou na Williams. Resultado: os dois fora da pista e da corrida. Por conta do acidente, a direção de prova acionou o safety-car para a retirada dos carros e limpeza da área de escape. Neste meio tempo, Stoffel Vandoorne, com um furo de pneus, e Marcus Ericsson foram aos boxes e já trocaram para os compostos supermacios.

O carro de segurança ficou à frente do pelotão até a volta 4. Quando deixou a pista, Vettel soube abrir diferente e relargou sem qualquer ameaça. Bottas, Verstappen, Hamilton, Ricciardo, Räikkönen, Ocon e Hülkenberg eram os oito primeiros. Mais atrás, Sainz tentou superar Pérez, mas ambos acabaram se tocando. Pior para o mexicano, que escapou na primeira curva, retornando na 13ª posição. O piloto da Force India, então, foi aos boxes logo na volta 10 e também aceitou os supermacios. O colega dele, Ocon, fez a troca duas passagens depois. Hülkenberg teve o mesmo comportamento na volta 14.

Os primeiros pit-stops entre os ponteiros aconteceram na volta 17. Verstappen entrou e mudou os hipermacios para os supermacios. O inglês da Mercedes fez o mesmo, mas se desfazendo dos ultramacios da largada. Só que o #44 acabou tendo problema na saída dos boxes, quando quase rodou ao botar os pneus na grama. O incidente o fez perder posição para Ricciardo, que entrou na sequência e voltou à frente do britânico. O australiano também descartou os hipers para ganhar novos supermacios.

A Mercedes precisou adiantar muito o pit-stop de Hamilton, porque o carro apresentada uma falha do sistema de refrigeração. Na parada, a equipe alemão conseguiu corrigir o problema. Mas o inglês perdeu tempo demais nos boxes.

A ordem da corrida com 20 voltas era: Vettel, Bottas, Räikkönen, Verstappen, Ricciardo, Hamilton, Gasly, Magnussen, Grosjean, Hülkenberg, Sainz, Ocon, Alonso, Leclerc, Sirotkin, Pérez, Ericsson e Vandoorne.

Enquanto Vettel comandava a corrida dentro dos planos da Ferrari e mantendo Bottas 4s atrás, Räikkönen vinha mais distante. Já Verstappen, o quarto, tentava abrir do companheiro Ricciardo, que tinha um Hamilton se aproximando pouco a pouco.

Logo depois que Vettel completou a 33ª volta, a Ferrari decidiu chamar Räikkönen para os pits. O finlandês entrou e mudou os ultramacios do início da prova por um jogo novinho de supermacio. Ainda assim, o nórdico perdeu o quinto posto para Lewis - mas não deixou de pressionar o atual campeão.

Três giros depois, Bottas foi aos boxes buscar os pneus supermacios, voltando ainda em segundo. A Ferrari respondeu imediatamente e logo trouxe Vettel para o pit-stop único. O líder da corrida trocou para os compostos vermelhos também, retornando com 5s de vantagem para o finlandês da Mercedes. Verstappen, Ricciardo e Hamilton completavam os cinco primeiros.

Na volta 43, Alonso surgiu lento pela pista e não teve jeito a não ser deixar a disputa, abandonando pela segunda vez consecutiva uma prova na temporada.

Lá na frente, Vettel chegou a ver Bottas se aproximar a menos de 3s, mas o finlandês acabou errando enquanto perseguia o alemão e viu a chance cair por terra. Mais atrás, Hamilton ainda tentava alcançar Ricciardo, mas também teve seus vacilos e não conseguiu, assim acabou a corrida mesmo em quinto, perdendo a liderança do campeonato para um Sebastian dominante, que levou a Ferrari à vitória.

O fim da corrida ainda foi marcado por um patacoada da direção de prova. Com uma convidada a cargo de encerrar a corrida que no caso a modelo Winnie Harlow, foi dar a bandeirada antes do tempo. Uma volta antes, na verdade. Na 69 e para Räikkönen. Depois do vacilo, o diretor da corrida assumiu a função e agitou a bandeirada quadriculada para o vencedor.

Resultado da corrida

Pneus[editar | editar código-fonte]

Os compostos de pneus fornecidos pela Pirelli para este Grande Prêmio[2]
Nome do composto Cor Banda de rolamento Condições de Tempo Dry Type Aderência Longevidade
Hiper Macio F1 tire Pirelli PZero Pink.svg Slick
(P Zero)
Seco Hypersoft Mais aderência Menos durável
Ultra Macio F1 tire Pirelli PZero Purple.svg Slick
(P Zero)
Seco Ultrasoft Médio Médio
Super Macio F1 tire Pirelli PZero Red.svg Slick
(P Zero)
Seco Supersoft Médio Médio

Resultados[editar | editar código-fonte]

Treino Classificatório[editar | editar código-fonte]

Pos. Piloto Construtor Q1 Q2 Q3 Grid
1 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 1:11.710 1:11.524 1:10.764 1
2 77 Finlândia Valtteri Bottas Mercedes 1:11.950 1:11.514 1:10.857 2
3 33 Países Baixos Max Verstappen Red Bull Racing-TAG Heuer 1:12.008 1:11.472 1:10.937 3
4 44 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes 1:11.835 1:11.740 1:10.996 4
5 7 Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari 1:11.725 1:11.620 1:11.095 5
6 3 Austrália Daniel Ricciardo Red Bull Racing-TAG Heuer 1:12.459 1:11.434 1:11.116 6
7 27 Alemanha Nico Hülkenberg Renault 1:12.795 1:11.916 1:11.973 7
8 31 França Esteban Ocon Force India-Mercedes 1:12.577 1:12.141 1:12.084 8
9 55 Espanha Carlos Sainz Jr. Renault 1:12.689 1:12.097 1:12.168 9
10 11 México Sergio Pérez Force India-Mercedes 1:12.702 1:12.395 1:12.671 10
11 20 Dinamarca Kevin Magnussen Haas-Ferrari 1:12.680 1:12.606 11
12 28 Nova Zelândia Brendon Hartley Toro Rosso-Honda 1:12.587 1:12.635 12
13 16 Mónaco Charles Leclerc Sauber-Ferrari 1:12.945 1:12.661 13
14 14 Espanha Fernando Alonso McLaren-Renault 1:12.979 1:12.856 14
15 2 Bélgica Stoffel Vandoorne McLaren-Renault 1:12.998 1:12.440 15
16 10 França Pierre Gasly Toro Rosso-Honda 1:13.047 193
17 18 Canadá Lance Stroll Williams-Mercedes 1:13.590 16
18 35 Rússia Sergey Sirotkin Williams 1:13.643 17
19 9 Suécia Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 1:14.593 18
Tempo dos 107%:1:16.729
20 8 França Romain Grosjean Haas-Ferrari S/Tempo 204
Fonte:[3]
Notas

Corrida[editar | editar código-fonte]

Pos. Nu. Piloto Construtor Voltas Tempo/Retirado Grid Pontos
1 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 681 1:28:31.377 1 25
2 77 Finlândia Valtteri Bottas Mercedes 681 +7.376s 2 18
3 33 Países Baixos Max Verstappen Red Bull Racing-TAG Heuer 681 +8.360s 3 15
4 3 Austrália Daniel Ricciardo Red Bull Racing-TAG Heuer 681 +20.892s 6 12
5 44 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes 681 +21.559s 4 10
6 7 Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari 681 +27.184s 5 8
7 27 Alemanha Nico Hülkenberg Renault 671 +1 volta 7 6
8 55 Espanha Carlos Sainz Jr. Renault 671 +1 volta 9 4
9 31 França Esteban Ocon Force India-Mercedes 671 +1 volta 8 2
10 16 Mónaco Charles Leclerc Sauber-Ferrari 671 +1 volta 13 1
11 10 França Pierre Gasly Toro Rosso-Honda 671 +1 volta 19
12 8 França Romain Grosjean Haas-Ferrari 671 +1 volta 20
13 20 Dinamarca Kevin Magnussen Haas-Ferrari 671 +1 volta 11
14 11 México Sergio Pérez Force India-Mercedes 671 +1 volta 10
15 9 Suécia Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 661 +2 voltas 18
16 2 Bélgica Stoffel Vandoorne McLaren-Renault 661 +2 voltas 15
17 35 Rússia Sergey Sirotkin Williams-Mercedes 661 +2 voltas 17
Ret 14 Espanha Fernando Alonso McLaren-Renault 43 Escapamento 14
Ret 28 Nova Zelândia Brendon Hartley Toro Rosso-Honda 0 Colisão 12
Ret 18 Canadá Lance Stroll Williams-Mercedes 0 Colisão 16
Fonte: [4]
Notas
  • ↑1  – Apesar de terem sido completadas as 70 voltas, oficialmente a corrida foi encerrada na volta 68, devido a bandeirada ser dada pela modelo Winnie Harlow de forma equivocada na volta 68.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Voltas na Liderança[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons
Nº de Voltas Piloto Voltas
68 Alemanha Sebastian Vettel 1-68

2018 DHL Fastest Pit Stop Award[editar | editar código-fonte]

Resultado[editar | editar código-fonte]

Pos. Nu. Piloto Construtor Tempo Pontos
1 9 Suécia Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 2.37 25
2 33 Países Baixos Max Verstappen Red Bull Racing-TAG Heuer 2.51 18
3 3 Austrália Daniel Ricciardo Red Bull Racing-TAG Heuer 2.51 15
4 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 2.76 12
5 7 Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari 2.80 10
6 35 Rússia Sergey Sirotkin Williams 2.85 8
7 44 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes 2.88 6
8 11 México Sergio Pérez Force India 2.88 4
9 14 Espanha Fernando Alonso McLaren-Renault 2.91 2
10 2 Bélgica Stoffel Vandoorne McLaren-Renault 3.02 1
Fonte: [5]

Classificação[editar | editar código-fonte]

Tabela do campeonato após a corrida[editar | editar código-fonte]

Somente as cinco primeiras posições estão incluídas nas tabelas.

Referências

  1. «Formula 1 Grand Prix Heineken du Canada 2018» (em inglês). Formula 1.com 
  2. «Pirelli announces compound choices and mandatory sets for the 2018 Grands Prix in Spain and Canada» (em inglês). news.pirelli.com 
  3. «Results». Formula 1® - The Official F1® Website (em inglês). Consultado em 9 de junho de 2018 
  4. «Formula 1 Grand Prix Heineken du Canada 2018 – Race Result». Formula1.com. Formula One World Championship Limited. 10 de junho de 2018. Consultado em 15 de junho de 2018 
  5. «2018 DHL Fastest Pit Stop Award» (em inglês). Formula1.com 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Prova Anterior:
GP de Mônaco de 2018
Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1
Temporada 2018
Próxima Prova:
GP da França de 2018

Prova Anterior:
GP do Canadá de 2017
Grande Prêmio do Canadá Próxima Prova:
GP do Canadá de 2019