Grupo Meio Norte de Comunicação

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde julho de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Grupo Meio Norte de Comunicação
Razão social Sistema Timon de Radiodifusão Ltda.
Nome(s) anterior(es) Sistema Timon de Radiodifusão (1985-1994)
Sistema Integrado de Comunicação Meio Norte (2006-2018)
Empresa de capital fechado
Atividade Mídia
Fundação 25 de abril de 1985 (34 anos)
Fundador(es) Paulo Guimarães
Sede Teresina, Piauí, Brasil
Área(s) servida(s) Piauí e partes do Ceará e do Maranhão
Proprietário(s) Paulo Guimarães
Presidente Lívia Guimarães
Produtos Radiodifusão
Internet
Mídia impressa
Promoção de eventos
Website oficial sistema.meionorte.com

Grupo Meio Norte de Comunicação é um conglomerado de mídia sediado em Teresina, capital do estado do Piauí.[1] O grupo foi formado no início da década de 1990 pelo empresário Paulo Guimarães a partir de sua aquisição de veículos controlados pela família do jornalista Hélder Feitosa, assassinado em 1987, que se juntaram ao rádio e à TV que o empresário já detinha em Timon, cidade vizinha no estado do Maranhão.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1985, o empresário Paulo Guimarães lança a TV Timon, da cidade homônima do estado do Maranhão, retransmitindo a programação nacional da Rede Bandeirantes. Em 1986, passa a retransmitir a programação do SBT, e em 1987 começa a exibir seus primeiros programas locais. Posteriormente, por atender mais à Teresina, a emissora abre um escritório na capital piauiense. No início da década de 1990, ao formar uma sociedade com o também empresário Fernando Sarney, Guimarães lança as rádios Mirante FM e AM, também em Timon, com programação similar as emissoras de São Luís.

Em 1994, a família de Hélder Feitosa, já enfrentando problemas ao administrar o conjunto de veículos deixado pelo jornalista assassinado em 1987, que consistia no jornal O Estado e nas rádios Poty (encerrada em 1992) e Poty FM (transformada em 94 FM), todos concentrados na capital piauiense, encontra como solução o arrendamento para Paulo Guimarães. Na época, Guimarães já havia iniciado a transferência de suas emissoras de Timon para uma nova sede em Teresina. A venda é oficializada no final daquele ano, e como resultado é criado o Grupo Meio Norte de Comunicação.

A integração entre os veículos tanto da família de Feitosa quanto de Guimarães resulta também em algumas mudanças no ano de 1995: a TV Timon passa a se chamar TV Meio Norte, as rádios Mirante AM e FM passa a ser respectivamente Meio Norte AM e FM, o jornal O Estado passa a circular como Meio Norte, e a 94 FM vira uma afiliada à rede Jovem Pan FM, mudando seu nome para Jovem Pan 2 FM Teresina. Desde então, cada veículo do grupo foi crescendo gradativamente, em especial a TV Meio Norte, que com o tempo expande seu sinal para o restante do estado do Piauí, chegando aos estados vizinhos do Maranhão e Ceará, e reforça sua grade de programação local, o que causou divergências com o SBT e mais tarde com a Bandeirantes, rede a qual se afiliaria novamente no ano 2000. Nesse período, é criado o título de capitalização Poupa Ganha, que em 2000 teve suas atividades suspensas pela Caixa Econômica Federal após denúncias de irregularidades. Beirando a década de 2000, a 94.1 sai da rede Jovem Pan FM e começa a operar como geradora de uma rede de rádios via satélite, a Rede Brasil Sat, desformada em 2001 para abrigar a Rede Aleluia.

Em 2004, o grupo começa a operar o canal 19 UHF, que servia apenas para a retransmissão da programação de redes nacionais. Durante o ano de 2010, a TV Meio Norte se prepara para começar a seguir com programação independente e formar sua rede de emissoras voltada para a região Nordeste, o que ocorreu em 2011. Com o tempo, a rede ganha suas primeiras afiliadas e retransmissoras fora do estado. Em 2012, é lançada a Boa FM em substituição ao arrendamento à Rede Aleluia. Em 2014, o Grupo Meio Norte inaugura a filial da rede em São Luís, através de uma concessão pertencente a Fernando Sarney em sociedade com Paulo Guimarães.

Em 2017, o grupo inicia um plano de migração AM-FM, que envolveu duas antigas emissoras: as rádios Globo Teresina e Poty, esta última emissora pertencente à família de Hélder Feitosa, que saiu do ar de sua frequência antes mesmo de ser vendida. Ambas ganharam suas concessões no dial FM, e passaram a se chamar Rádio Jornal Meio Norte e Cocais FM, respectivamente. Em 2019, o canal 19, já em sinal digital, é transferido para o canal 20 UHF, sendo lançada a TV Jornal Meio Norte, canal de notícias baseado na rádio homônima.

Empresas[editar | editar código-fonte]

Internet[editar | editar código-fonte]

  • meionorte.com

Mídia impressa[editar | editar código-fonte]

Rádio[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Outros[editar | editar código-fonte]

  • Grupo Quatro Rodas
    • Alemanha Veículos
    • Canadá Veículos
    • Japan Veículos
    • Via Paris Veículos
  • Grupo Riverside Malls
    • Cocais Shopping
    • Dunas Shopping
    • Riverside Shopping
    • Picos Plaza Shopping
  • Kalor Produções

Antigas empresas[editar | editar código-fonte]

Mídia impressa
  • Agora
  • Editora e Gráfica Expansão
Rádio
Outros
  • Faculdade Aliança[nota 1]
  • Faculdade Piauiense[nota 1]
  • Imediata Distribuidora
  • MN Net
  • Poupa Ganha

Referências

  1. Robert Pedrosa (30 de setembro de 2019). «Centro de Habilitação Ana Cordeiro transforma vida de pessoas com deficiência intelectual». www.piaui.pi.gov.br 

Notas

  1. a b Vendida para o Grupo Ser Educacional

Ligações externas[editar | editar código-fonte]