Brooklyn Nets

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de New Jersey Nets)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Brooklyn Nets
Temporada da NBA de 2018–19
Brooklyn Nets logo
Conferência Conferência Leste
Divisão Divisão do Atlântico
Fundado 1967 (Se juntou a NBA em 1976)
História New Jersey Americans (ABA)
1967–1968
New York Nets (ABA)
1968–1976
New York Nets (NBA)
1976–1977
New Jersey Nets
1977–2012
Brooklyn Nets
2012–presente
Arena Barclays Center
Cidade Brooklyn, Nova Iorque
Cores do time Preto e Branco
         
Dono(s) Mikhail Prokhorov

Jay-Z

Técnico Kenny Atkinson[1]
Afiliado na G League Long Island Nets
Campeonatos ABA: 2 (1974 e 1976)
NBA: 0
Títulos de Conferência 2 (2002 e 2003)
Títulos de Divisão ABA: 1 (1974)
NBA: 4 (2002, 2003, 2004 e 2006)
Números retirados 6 (3, 4, 23, 25, 32 e 52)
Site oficial
Kit body blacksides.png
Casa jersey
Kit shorts blacksides.png
Team colours
Casa
Kit body whitesides.png
Fora jersey
Kit shorts whitesides.png
Team colours
Fora

O Brooklyn Nets é um time de basquete profissional americano baseado no bairro de Brooklyn, em Nova York. Os Nets competem na National Basketball Association (NBA) como membro da Divisão Atlântica da Conferência Leste. A equipe joga seus jogos em casa no Barclays Center. Eles são uma das duas equipes da NBA localizadas na cidade de Nova York; o outro é o New York Knicks.

A equipe foi criada em 1967 como uma franquia da liga rival da NBA, a American Basketball Association (ABA). Eles jogaram em Nova Jersey como New Jersey Americans durante a primeira temporada, antes de se mudarem para Long Island em 1968 e mudarem seu nome para o New York Nets. Durante este tempo, os Nets ganharam dois títulos da ABA (1974 e 1976). Em 1976, a ABA fundiu-se com a NBA e os Nets foram absorvidos pela NBA junto com outras três equipes da ABA (San Antonio Spurs, Indiana Pacers e Denver Nuggets).[2]

Em 1977, a equipe retornou a New Jersey e jogou como o New Jersey Nets de 1977 a 2012. Durante esse tempo, os Nets venceu dois campeonatos consecutivos da Eastern Conference (temporadas 2001-02 e 2002-03), mas não conseguiu vencer um título da liga. No verão de 2012, a equipe mudou-se para o Barclays Center e tomou seu atual nome geográfico.[3]

História[editar | editar código-fonte]

1967-1976: Os anos na ABA[editar | editar código-fonte]

A franquia foi criada em 1967 como um membro fundador da American Basketball Association (ABA), com o magnata de caminhões Arthur J. Brown como o proprietário. A equipe recebeu o nome de New York Americans e Brown pretendia que a equipe jogasse no 69th Regiment Armory em Manhattan, mas a pressão do New York Knicks da National Basketball Association (NBA) forçou os Americans a achar outro lugar. Brown achou difícil encontrar um local de reposição adequado em Nova York. Muitos deles estavam lotados e outros tinham proprietários que não queriam irritar os Knicks abrindo suas portas para um time rival. A equipe finalmente se estabeleceu no Teaneck Armory em Teaneck, New Jersey. Enquanto o nome da franquia permaneceu oficialmente como New York Americans, eles jogaram como Nova Jersey Americans. Não seria a última vez que os Knicks afetariam diretamente o futuro da franquia.

Os Americans jogaram muito bem em sua primeira temporada, empatando com o Kentucky Colonels no quarto (e último) lugar dos playoffs na Divisão Leste, precisando de um jogo de desempate para ver quem ir aos playoffs. No entanto, o Teaneck Armory foi reservado, forçando os Americans a lutar por uma quadra substituta de última hora. Eles encontraram a Arena Long Island em Commack, Nova York.[4]

Quando os Americans e Colonels chegaram para o jogo, eles descobriram que o chão tinha várias tábuas e parafusos faltando e era instável em várias áreas. Não havia nenhum preenchimento nas tabelas ou suportes de cesta, e uma cesta parecia ser mais alta que a outra. Depois que os Colonels se recusaram a jogar sob estas condições, o comissário da liga, George Mikan, determinou que os Americans não tinham providenciado instalações de jogo aceitáveis ​​e perderam o jogo para os Colonels por uma placar simbólico de 2-0.[5]

Após uma mudança planejada para Newark, New Jersey, a equipe optou por ficar no Long Island Arena pelo segundo ano, e mudou seu nome para New York Nets.[6] O nome "Nets" foi usado porque rima com os nomes de duas outras equipes esportivas profissionais que jogavam na região metropolitana de Nova York na época: o New York Mets da Major League Baseball e o New York Jets da American Football League.

O Nassau Veterans Memorial Coliseum foi o lar do New York Nets de 1972 a 1977.

A equipe terminou em último em sua primeira temporada em Nova York com um recorde de 17-61. Brown vendeu a equipe para o fabricante de roupas Roy Boe depois daquela temporada. Boe começou com grandes esperanças para o período de entressafra. Desesperado por uma estrela, a equipe perseguiu a estrela da UCLA, Lew Alcindor, e conquistou os direitos dele em um draft secreto da ABA.[7] Alcindor teria se interessado em jogar em Nova York, mas depois de contemplar suas opções por um mês, ele optou por assinar com o Milwaukee Bucks da NBA.[8]

Os Nets seguiram em frente com seus planos e se mudarem para o Island Garden, em West Hempstead. Liderado por Levern Tart, um dos melhores marcadores da ABA, os Nets terminaram em quarto lugar e foram para os playoffs pela primeira vez na história da franquia na temporada de 1969-70. Durante o período de entressafra de 1970, a equipe finalmente conseguiu adquirir uma estrela: Rick Barry. Depois de outra temporada de playoffs no Island Garden, a equipe mudou-se para o novíssimo Nassau Veterans Memorial Coliseum em Uniondale no final da temporada 1971-72.

Após a aquisição de Julius Erving, os Nets venceriam dois títulos da ABA.

Em 1972, dois anos após a aquisição de Barry, os Nets avançou pela primeira vez para as primeiras finais da ABA. No entanto, eles não conseguiram superar o Indiana Pacers e perderam a série por 4-2.[9] Barry saiu depois da pós-temporada, enviando os Nets para o modo de reconstrução. A temporada de 1972-73 foi de decepção, já que os Nets conseguiram vencer apenas 30 jogos.[10]

A temporada de 1973-74 viu os Nets finalmente juntar todas as peças. O principal evento da temporada viria em 1973, quandos eles adquiriram Julius Erving dos Virginia Squires. Com Erving, que era carinhosamente conhecido como "Dr. J", o Nets terminou a temporada com 55 vitórias. Depois que Erving foi eleito o MVP da ABA, os Nets ganharam seu primeiro título, derrotando o Utah Stars.

O sucesso continuou na temporada de 1974-75, ao superar o recorde de vitórias da temporada anterior, ganhando 58 jogos[11] - um recorde que ainda permanece até hoje. Os Nets, no entanto, foram eliminados na primeira rodada do playoffs para o Spirits of St. Louis.

A tragédia atingiu o Nets na tarde de 24 de junho de 1975, quando Wendell Ladner foi morto quando o vôo 66 da Eastern Air Lines caiu após ser atingido por um forte vento na aproximação final ao Aeroporto Internacional John F. Kennedy.

Os Nets continuaram suas vitórias na temporada 1975-76 - a temporada final da ABA - com Erving levando-os a uma temporada de sucesso de 55 vitórias; ele também foi nomeado MVP novamente naquele ano. Depois de uma série exaustiva com o Denver Nuggets, os Nets venceram a última série da Final da ABA na história da liga em seis jogos.[12]

1976–1981: A mudança para a NBA e retorno a New Jersey[editar | editar código-fonte]

No verão de 1976, a fusão ABA-NBA finalmente aconteceu. Como parte do acordo de fusão, quatro equipes da ABA - Nets, Denver Nuggets, Indiana Pacers e San Antonio Spurs - se juntaram à NBA. Os Nets e Nuggets haviam se inscrito para entrar na NBA em 1975, mas foram forçados a jogar mais uma temporada na ABA por ordem judicial. Antes de sua primeira temporada na NBA, os Nets trocaram duas escolhas de draft com o Kansas City Kings em troca do armador Nate Archibald. Os Nets pareciam prontos para continuar de onde pararam no ABA.

No entanto, eles tiveram uma grosseira surpresa quando a NBA forçou os Nets a pagar US $ 4,8 milhões adicionais diretamente aos Knicks por "invadirem" a área de Nova York. Logo após os US $ 3,2 milhões que a equipe teve que pagar para ingressar na NBA, isso deixou Boe com pouco dinheiro, e ele foi forçado a renegar um aumento de salário prometido para Erving. Erving recusou-se a jogar pelos Nets sob estas condições.

Os Nets ofereceram o contrato de Erving aos Knicks em troca de renunciar a indenização, mas os Knicks recusaram. Quando o Philadelphia 76ers se ofereceu para adquirir Erving por US $ 3 milhões - aproximadamente a mesma quantia que eles tinham que pagar pela associação à NBA - Boe tinha pouca escolha a não ser aceitar. Em essência, os Nets foram forçados a trocar seu principal jogador por um vaga na NBA.

Sem Erving na temporada 1976-1977, eles tiveram o pior recorde da liga: 22-60. Em fevereiro de 1977, eles se tornaram a primeira equipe da NBA a ter uma equipe titular com todos os jogadores canhotos: Tim Bassett, Al Skinner, Bubbles Hawkins, Dave Wohl e Kim Hughes.[13]

Devido à baixa presença de público e à má imagem financeira em Long Island, Boe decidiu transferir a franquia de volta para Nova Jersey antes da temporada de 1977-78. Os Knicks mais uma vez se tornaram um obstáculo e ameaçaram bloquear o movimento porque infringiriam seus direitos territoriais exclusivos para Nova Jersey. O Nets respondeu processando os Knicks com base no fato de que suas ações violavam as leis.[14] O processo foi resolvido entre as equipes depois que a liga e o estado de Nova Jersey intervieram e o Nets concordou em pagar mais US $ 4 milhões aos Knicks pelos direitos de movimento.[15]

Com a mudança oficial, a equipe foi renomeada para New Jersey Nets. Enquanto a equipe aguardava a conclusão de uma nova arena no Meadowlands Sports Complex, em East Rutherford, eles jogaram quatro temporadas no Rutgers Athletic Center, na Universidade Rutgers, em Piscataway. A temporada 1978-1979 viu o time, auxiliado pelo forte jogo de Bernard King, se qualificar para a sua primeira aparição nos playoffs da NBA. Eles perderam para Philadelphia na primeira rodada, com a derrota estabelecendo o cenário para um período de reconstrução na próxima década.

1981-1986: Um começo promissor para a década[editar | editar código-fonte]

O IZOD Center, antigamente Brendan Byrne e Continental Airlines Arena, foi a casa dos Nets de 1981 a 2010.

Em 1981, a equipe mudou-se para Meadowlands, para a agora concluída Brendan Byrne Arena (que ficou conhecida como Continental Airlines Arena em 1996, e foi rebatizada como Izod Center em outubro de 2007[16]) e teve sucesso modesto em quatro temporadas consecutivas. Na temporada 1982-83, enquanto treinados por Larry Brown, os Nets estava tendo sua melhor temporada desde que ingressou na NBA. No entanto, Brown aceitou o cargo de treinador na Universidade do Kansas durante o último mês da temporada e foi suspenso pelo resto da temporada. Os Nets nunca se recuperaria da troca de treinadores e perderia na primeira rodada dos playoffs para o rival New York Knicks.

Na temporada 1983-84, os Nets colocou em campo o que se acreditava ser seu melhor time desde que ingressou na liga. Liderados por Darryl Dawkins, Buck Williams, Otis Birdsong e Micheal Ray Richardson, a equipe venceu sua primeira série de playoffs da NBA, derrotando o atual campeão 76ers na primeira rodada dos playoffs antes de cair para o Milwaukee Bucks nas semifinais da Conferência Leste.

Lesões assolaram a equipe durante a temporada 1984-85, mas os Nets ainda conseguiram vencer 42 jogos antes de ser eliminado dos playoffs pelo Detroit Pistons.[17]

1986-1990: Anos atormentados por lesões[editar | editar código-fonte]

Buck Williams liderou os Nets em rebotes pela maior parte da década de 1980 e estabeleceu muitos recordes em suas oito temporadas em Nova Jersey.[18]

O técnico recém-contratado Dave Wohl ajudou a levar os Nets a um respeitável recorde no início da temporada 1985-86, 23-14. O início promissor de New Jersey se dissipou com a perda de dois de seus astros: Micheal Ray Richardson reprovou um teste de drogas pela terceira vez e foi banido da liga para sempre[19] e Darryl Dawkins só jogou 39 jogos devido a uma lesão nas costas.[20] Os veteranos, Buck Williams e Mike Gminski, preencheram a lacuna e ajudaram o time tanto no ataque quanto na defesa, ajudando o Nets a ganhar a 7ª vaga nos playoffs com um recorde de 39-43. Eles foram derrotados pelo Milwaukee Bucks na primeira rodada. Esta seria a primeira das muitas temporadas perdedoras para os Nets e a equipe não se classificaria para os playoffs novamente até a temporada 1991-1992.[21]

New Jersey adquiriu Orlando Woolridge e Dwayne "Pearl" Washington na esperança de fortalecer o time, mas a temporada só trouxe mais infelicidade. Dawkins escorregou em sua banheira e sofreu outra lesão nas costas, efetivamente terminando sua carreira. Birdsong jogou em apenas sete jogos, enquanto cuidava de uma fratura na perna e Washington teve um desempenho de má qualidade. Os Nets terminaram a temporada de 1986-87 com um recorde de 24-58, o pior da equipe desde 1980.

Na esperança de maximizar a saúde da equipe na próxima temporada, os Nets trocou Dawkins por John Bagley e Keith Lee. Os Nets selecionaram Dennis Hopson (a frente de Scottie Pippen, Reggie Miller e Kevin Johnson) como a terceira escolha do draft de 1987, na esperança de restabelecer uma quadra de defesa estável. No entanto, as lesões voltaram a atormentar quando quando Bagley, Lee e Tony Brown se machucaram no início da temporada de 1987-88. Além disso, Orlando Woolridge foi suspenso por violar a política de abuso de substâncias da liga. O New Jersey demitiu o técnico Wohl após 15 jogos e passou por três treinadores diferentes ao longo da temporada, terminando com o segundo pior recorde da liga: 19-63.[22]

Hopson nunca foi capaz de viver de acordo com as expectativas da organização e Chris Morris (escolha em 1988) e Mookie Blaylock (escolha em 1989) também falharam em reverter a descida da equipe. Na temporada 1989-90, os Nets terminariam com o pior recorde da NBA e de sua história: 17-65.

1990-1996: Outro começo e promissores[editar | editar código-fonte]

Dražen Petrović jogou três temporadas com os Nets antes de ser morto em um acidente de carro. Sua camisa número 3 foi aposentada pela equipe

Durante o início dos anos 90, os Nets começaram a melhorar por causa de um núcleo de jovens jogadores. New Jersey escolheu Derrick Coleman com a primeira escolha do draft de 1990 e Kenny Anderson com a segunda escolha do draft seguinte.[23] Os Nets contrataram Dražen Petrović em uma troca com o Portland Trail Blazers. Embora os Nets não tenha terminado com um recorde de vitórias na temporada 1991-1992, eles terminaram em sexto na conferência e se classificaram para os playoffs. Os Nets perderam para o Cleveland Cavaliers na primeira rodada e o técnico Bill Fitch saiu depois da temporada.

A equipe melhorou significativamente em 1992-93, liderada pelo trio emergente, Petrović, Coleman e Anderson. Chuck Daly, que havia sido dispensado pelo Detroit Pistons após a temporada de 1991-92, foi contratado pelos Nets. No entanto, as lesões de Anderson e Petrović no final da temporada levaram a equipe a uma queda e eles terminaram a temporada com um recorde de 43-39, que novamente garantiu a sexta posição e um encontro com os Cavaliers no primeiro round. Com Anderson fora com uma mão quebrada e Petrović jogando com o joelho lesionado, os Nets perdeu uma série difícil de cinco jogos.

Os Nets sofreu uma tragédia na quando Petrović foi morto em um acidente de carro na Alemanha. Ainda assim, a equipe conseguiu vencer 45 jogos durante a temporada de 1993-94. Os Nets novamente se classificou para os playoffs com a sétima posição mas foi eliminado pelo New York Knicks na primeira rodada dos playoffs.

Após a temporada de 1993-94, Daly se demitiu e Butch Beard foi contratado para ser o treinador principal da equipe. Em meados da década de 1990, o principal problema de imagem da NBA era o do atleta egoísta e imaturo e os Nets exemplificava isso. Em 1995, Coleman apareceu na capa da Sports Illustrated como o garoto-propaganda do jogador egoísta da NBA, com Anderson, Benoit Benjamin, Dwayne Schintzius e Chris Morris entre os atletas mencionados. A reputação do time era tão ruim que, em um esforço para esquecer sua imagem negativa, o presidente da equipe Jon Spoelstra decidiu renomear o time como New Jersey Swamp Dragons em 1994. Depois que a equipe obteve a aprovação e gastou US $ 500.000 em marcas, o nome acabou sendo rejeitado quando o co-proprietário, David Gerstein, mudou de ideia.[24] Nas temporadas 1994-95 e 1995-96, os Nets terminou com um recorde de 30-52. Beard foi demitido após a segunda dessas duas temporadas.

1996–2001: Reconstrução e relocação[editar | editar código-fonte]

Em um esforço para começar de novo, Coleman e Anderson foram negociados durante a temporada de 1995-96 e New Jersey contratou o treinador da Universidade de Massachusetts, John Calipari, para treinar a equipe. Kerry Kittles foi selecionado no draft de 1996 e no meio da temporada 1996-97, a equipe contratou Sam Cassell. Depois de uma temporada com um recorde de 26-56, os Nets fez uma importante troca de draft em junho de 1997, trocando Keith Van Horn, Lucious Harris e outros dois jogadores por Tim Thomas. O único jogador do início dos anos 90 que os Nets manteve foi Jayson Williams, que estava se tornando um especialista em rebotes.

Logotipo usado em uniformes de New Jersey Nets de 1997 a 2012

A temporada 1997-98 viu várias mudanças nos Nets. O primeiro foi um redesign da equipe que viu o afastamento do logotipo anterior em favor de um logotipo 3-D, que foi projetado por Patrick McDarby,[25] representando uma tabela futurista que a equipe usou até a partida de New Jersey, juntamente com um novo conjunto de uniforme.[26] O segundo foi o estilo de jogo da equipe, que resultou na permanência dos Nets na disputa dos playoffs durante a maior parte da temporada. A equipe jogou bem sob o comando de Calipari, vencendo 43 jogos e se classificando para os playoffs no último dia da temporada. Os Nets se classificaram para os playoffs em oitavo lugar na Conferência Leste e perderam para o Chicago Bulls nos playoffs de 1998.

A temporada de 1998-99 foi adiada por três meses devido a uma grave. Cassell se machucou no primeiro jogo da temporada e a equipe começou mal. Com um recorde de 3-17, Calipari foi demitido e substituído pelo assistente técnico Don Casey. A equipe nunca se recuperou de seu começo ruim e terminou com um recorde de 16-34. Com os Nets já eliminados da disputa dos playoffs em abril, Marbury colidiu com Williams em um jogo contra o Atlanta Hawks; Williams quebrou sua tíbia, a segunda vez que sofreu uma lesão assim em dois anos, e nunca mais jogaria na NBA.

A equipe optou por manter Don Casey como treinador da temporada 1999-2000. Os Nets terminou a temporada perdendo os 11 jogos finais do ano, terminando com um recorde de 31-51.

Em 2 de junho de 2000, os Nets contratou Rod Thorn como novo presidente da equipe. Thorn, um executivo de longa data da NBA, mais conhecido por selecionar Michael Jordan enquanto era o gerente geral dos Bulls. Imediatamente, ele começou a montar os componentes da equipe mais talentosa da franquia desde os campeões da ABA em meados da década de 1970. Ele começou contratando o ex-astro da NBA, Byron Scott, como treinador. Com a primeira escolha do notoriamente fraco draft de 2000, os Nets selecionou Kenyon Martin, da Universidade de Cincinnati. Contusões constantes atrapalharam a química do time e o Nets não conseguiram chegar aos playoffs.

2001–2004: Chegando as finais[editar | editar código-fonte]

Na noite do draft de 2001, os Nets trocou os direitos de sua seleção no primeiro round (Eddie Griffin) ao Houston Rockets por Richard Jefferson, Jason Collins e Brandon Armstrong, e selecionou Brian Scalabrine no segundo round. A troca foi amplamente considerado uma jogada inteligente dos Nets, já que eles precisavam ficar mais jovens e limpar a maior parte do peso morto que estava no banco.

Jason Kidd foi adquirido pela equipe em 2001 e liderou o New Jersey em duas finais da NBA antes de partir em 2008. Ele voltaria para a equipe em 2013 como treinador.

Um dia após o recrutamento, em 28 de junho de 2001, Thorn trocou Stephon Marbury e Johnny Newman com o Phoenix Suns pelo astro Jason Kidd e Chris Dudley (que o Nets dispensou mais tarde). A mudança deu à equipe algo que lhe faltou durante praticamente toda a sua existência na NBA, um líder que melhorou seus companheiros de equipe. Os Nets se tornou um dos times mais empolgantes da liga na temporada 2001-2002. A equipe venceu seu primeiro título da Divisão do Atlântico, terminando com um recorde de 52-30 e sendo o primeiro na Conferência Leste.

Os Nets venceram o Indiana Pacers na primeira rodada e o Charlotte Hornets na semifinal de conferência, se classificando pela primeira vez para a Eastern Conference Championship.

Na final, eles enfrentaram o Boston Celtics. Esta série é lembrada por Kidd ter seu olho esquerdo machucado e ter recebeu 32 pontos. New Jersey venceu a série por 4-2 e garantiu ao Nets seu primeiro título da Conferência Leste. Nas finais da NBA de 2002, os Nets foram derrotados por Shaquille O'Neal, Kobe Bryant e Los Angeles Lakers.

Antes da temporada 2002-03, o Nets trocou Van Horn e MacCulloch para obter Dikembe Mutombo dos 76ers. O movimento para melhorar a equipe não funcionou, já que Mutombo ficou de fora da maior parte da temporada com uma lesão no pulso e recebeu pouco tempo nos playoffs devido a diferenças com o técnico Byron Scott.

Apesar da ausência de Mutombo, os Nets terminou com um recorde de 49-33. Nos playoffs de 2003, eles ganharam seu segundo título consecutivo da Conferência Leste. Eles derrotaram o Milwaukee Bucks na primeira rodada, depois varreram o Celtics e Detroit Pistons em séries consecutivas para avançar para as finais da NBA de 2003, desta vez enfrentando o campeão da Conferência Oeste, San Antonio Spurs. Os Spurs venceram a série por 4-2.

Após as finais de 2003, Kidd tornou-se um agente livre, no entanto, Kidd re-assinou com os Nets, afirmando que ele tinha "negócios inacabados" em New Jersey. Outro fator na decisão de Kidd foi a contratação do agente livre Alonzo Mourning. Mas a passagem de Mourning nos Nets seria desastrosa, já que ele perdeu a maior parte da temporada de 2003-04 devido a uma doença renal.

Durante a temporada 2003-04, New Jersey teve um desempenho ruim e, no final de dezembro, o técnico Byron Scott foi demitido. Lawrence Frank tornou-se o treinador interino em janeiro, depois de atuar como assistente técnico da equipe desde a temporada 2000-01.[27] Os Nets se recuperou e venceu o recorde de 13 jogos, e novamente venceu o título da Divisão do Atlântico. No entanto, a sequencia de títulos da conferência foi interrompida nas semifinais da Conferência Leste pelo eventual campeão da NBA, Detroit Pistons. Kidd, que jogava com um joelho machucado, precisou passar por uma cirurgia e ficou fora do jogo 7.

2004–2008: Kidd e Carter[editar | editar código-fonte]

Após a temporada, os Nets se renovaram. Eles trocaram Kerry Kittles e Kenyon Martin pelos Clippers e Nuggets, respectivamente, e dispensaram Rodney Rogers e Lucious Harris, porque o novo proprietário Bruce Ratner não estava disposto a pagar o restante de seus contratos. Eles receberam apenas escolhas de draft em troca de dois jogadores importantes no sucesso recente da equipe.

A temporada de 2004-05 pareceu ruim no começo para os Nets. Kidd estava se recuperando de uma cirurgia de microfratura e a equipe chegou a um recorde de 2-11 e, mesmo com o retorno de Kidd, a perspectiva era sombria. No entanto, os Nets fizeram um grande negócio e obteve a estrela Vince Carter do Toronto Raptors em troca de Mourning, Eric Williams, Aaron Williams e escolhas de draft.[28]

8 × all-star Vince Carter chegou em Nova Jersey em 2004.

Em conjunto com Kidd, Carter reuniu a equipe para ganhar a oitava e última vaga nos playoffs da Conferência Leste. Mesmo com Jefferson de volta, no entanto, eles foram varridos pelo Heat na primeira rodada dos playoffs.

Os Nets começou a temporada 2005-2006 devagar, lutando para um recorde de 9-12 nos seus primeiros 21 jogos. No entanto, com a ajuda de Carter, Kidd e Jefferson, a equipe venceu seus próximos 10 jogos para chegar ao topo da divisão. Após a série de vitórias, os Nets retornou ao seu jogo medíocre (venceu 13 de seus 29 jogos seguintes), mas a partir de 12 de março, os Nets venceram seus próximos 14 jogos seguidos. A série terminou em 8 de abril de 2006, quando os Nets perderam para os Cavaliers por 108-102 em casa. No entanto, eles também estabeleceram um recorde de equipe com 20 vitórias fora de casa naquela temporada.[29]

Os Nets terminou a temporada regular com um recorde de 49-33. Eles conquistaram seu quarto título da Divisão do Atlântico nas últimas cinco temporadas e a terceira colocação na Conferência Leste, jogando o Indiana Pacers na primeira rodada dos playoffs. Eles derrotaram os Pacers e avançaram para o segundo round, onde jogaram contra o Heat, em uma revanche da derrota na primeira rodada de 2005. New Jersey perdeu por 4-1 para o Heat. Os fãs do Nets ficaram imaginando o que poderia ter acontecido, já que Cliff Robinson, um dos principais defensores do time, foi suspenso após o primeiro jogo da série por falhar em um teste de drogas.

A temporada 2006-2007 inicialmente começou mal para o Nets, já que sofreu uma série de lesões desde a pré-temporada até meados de dezembro e a temporada não acabou como esperada. Os Nets terminou a temporada regular com um recorde de 41–41 e perdeu o título da Divisão do Atlântico para o surpreendente Toronto Raptors. A equipe terminou com a 6ª vaga para os playoffs e enfrentou os Raptors na primeira rodada dos playoffs. Os Nets venceu os Raptors em seis jogos e muitos jornalistas de esportes escolheram New Jersey para derrotar o Cleveland e avançar para a final da Conferência Leste, mas LeBron James liderou os Cavaliers por 4-2. No draft de 2007, os Nets usou a 17ª escolha para escolher o problemático jogador do Boston College, Sean Williams.

A temporada 2007-2008 começou com otimismo. Com Nenad Krstić voltando de contusão e as adições de Jamaal Magloire e Sean Williams (que foi considerado o melhor bloqueador em sua classe de draft). Lesões iniciais de Carter e Krstić interromperam a temporada do Nets. A situação não melhorou muito e a temporada acabou sendo repleta de negativos: uma série de nove derrotas consecutivas, uma controvérsia em relação a Jason Kidd que perde um jogo devido a uma enxaqueca e não chegar à pós-temporada pela primeira vez em sete anos.

Em 19 de fevereiro de 2008, Jason Kidd, Malik Allen e Antoine Wright foram negociados para o Dallas Mavericks em troca de Devin Harris, Keith Van Horn, Maurice Ager, DeSagana Diop, Trenton Hassell, US $ 3 milhões e escolha de primeira rodadas nos drafts de 2008 e 2010. Depois de não conseguir chegar aos playoffs, o presidente da equipe, Rod Thorn, prometeu mudanças, enquanto o treinador Lawrence Frank prometeu que "uma temporada como essa nunca mais acontecerá" sob seu mandato. Para o resto do seu mandato, e outros treinadores nos últimos 5 anos em New Jersey, seria.

2008-2012: Temporadas finais em Nova Jersey[editar | editar código-fonte]

O seguinte período de entressafra mostrou-se muito ocupado para os Nets. Em 26 de junho de 2008, Richard Jefferson foi negociado para o Milwaukee Bucks em troca de Yi Jianlian e Bobby Simmons.[30] A partida de Jefferson, junto com a de Jason Kidd no início daquele ano, marcou o início de uma nova era. O Nets contratou Brook Lopez, Ryan Anderson e Chris Douglas-Roberts.[31] Os Nets preencheu sua lista de jovens com a contratação dos veteranos Eduardo Nájera, Jarvis Hayes e Keyon Dooling. O Nets terminou a temporada com seu segundo recorde consecutivo de 34-48, empatado em 11º na Conferência Leste com o Milwaukee Bucks.

Em 26 de junho de 2009, os Nets trocou Vince Carter e Ryan Anderson com o Orlando Magic por Rafer Alston, Courtney Lee e Tony Battie.[32]

Depois da 16ª derrota consecutiva (contra o Sacramento Kings) no inicio da temporada 2009-10, os Nets demitiram o técnico Lawrence Frank.[33] O treinador assistente Tom Barrise entrou como substituto temporário. Ele perdeu seus dois primeiros jogos liderando a equipe e marcou o pior começo de temporada na história da NBA em 0-18.[34] Kiki Vandeweghe substituiu-o como treinador principal em 4 de dezembro.[35] A dupla venceu seu primeiro jogo em casa contra o Charlotte Bobcats, por 97-91, para quebrar a sequência de derrotas dos Nets em 19.[36]

Os Nets terminou com um recorde de 12-70, tornando-se apenas o quinto time a perder 70 jogos em uma temporada, dividido entre o Philadelphia 76ers (9–73) de 1972-1973, o Los Angeles Clippers de 1986-1987 (12–70), Dallas Mavericks de 1992–93 (11–71) e Denver Nuggets de 1997–98 (11–71).

Os Nets mudaram-se para o Prudential Center em Newark na temporada 2010-11. Ele serviu como seu lar temporário até a mudança para o Barclays Center, no Brooklyn, em 2012.

Em 18 de fevereiro de 2010, os Nets finalizaram um acordo que os levaria ao Prudential Center em Newark, New Jersey. Os Nets começaria a jogar em Newark na temporada 2010-2011 e iria permanecer no ginásio até o Barclays Center ser inaugurado. Houve um otimismo significativo no período de entressafra, especialmente quando os Nets começou a promover sua campanha "It's All New" enquanto esperavam uma nova casa, novo dono, novo treinador e novos jogadores. Eles também tiveram a melhor chance de conseguir a primeira escolha do draft de 2010, com o qual John Wall acabou sendo selecionado. No entanto, a sorte mais uma vez não ajudou e os Nets recebeu a terceira escolha geral no draft; eles escolheram Derrick Favors de Instituto de Tecnologia da Geórgia.

Em 10 de junho de 2010, Avery Johnson foi nomeado o novo treinador principal. Com os proprietários Mikhail Prokhorov e Jay-Z, o gerente geral Rod Thorn e Johnson, que naquele momento tinham a melhor porcentagem vencedora de qualquer técnico na história da NBA, a bordo, os Nets entraram no período de free agency com milhões em espaço salarial e otimista de que eles seriam capazes de atrair os melhores agentes livres. Eles cortejaram LeBron James, Dwyane Wade e Chris Bosh para assinar com a equipe e tiveram espaço para assinar pelo menos um deles; no entanto, todos os três assinaram com o Miami Heat. A maior aquisição dos Nets acabou sendo Travis Outlaw, que teve um ano ruim e foi dispensado com a cláusula de anistia após a temporada.[37]

Além disso, Rod Thorn, o presidente de longa data da equipe que construiu as bem-sucedidas equipes do Nets no início dos anos 2000, renunciou em 25 de junho de 2010. Em julho, Billy King foi nomeado como seu substituto.[38]

O armador Deron Williams

Os Nets começaram mal a primeira temporada em Newark. Parte da razão foi as distrações criadas pelos rumores sobre Carmelo Anthony, que muitos presumiram que queriam deixar o Denver Nuggets. Com toda a equipe, exceto Brook Lopez, Sasha Vujacic e Jordan Farmar com rumores de fazer parte de uma proposta de troca para Anthony em algum momento, a equipe teve um recorde de 17-40 até a pausa para o All-Star Game, quando Anthony foi finalmente negociado para o rival New York Knicks. No entanto, uma semana depois, em 23 de fevereiro de 2011, os Nets fizeram uma surpreendente troca pelo armador Deron Williams.[39] No entanto, Williams foi prejudicado por uma lesão no pulso que o obrigou a perder a maioria dos últimos jogos da temporada; eles terminaram com um recorde de 24-58.

Na esperança de chegar aos playoffs na temporada 2011-12, os Nets sofreram um grande golpe em suas aspirações quando Brook Lopez sofreu uma fratura no pé direito. Essa lesão foi a primeira de muitas e os jogadores do Nets acabaram liderando a NBA com 248 partidas perdidas devido a lesões e doenças na temporada. A equipe colocou em quadra 25 escalações diferentes ao longo da temporada.

Os Nets nunca se recuperaram de seus problemas com lesões e terminou sua temporada com um recorde de 22-44 e fora dos playoffs pela quinta temporada consecutiva. Os pontos fortes da temporada incluíram o ressurgimento de Gerald Green, que os Nets adquiriu em 27 de fevereiro de 2012. No prazo final, a equipe também adquiriu Gerald Wallace do Portland Trail Blazers, que forneceu energia e defesa de as posições para frente no trecho.[40]

Em 23 de abril de 2012, os Nets jogou seu último jogo em New Jersey, perdendo para o Philadelphia 76ers por um placar de 105-87 na frente de 18.711 pessoas no Prudential Center.[41] Eles jogaram seu último jogo como New Jersey Nets, em Toronto, em 26 de abril de 2012, e perderam por 98-67 para o Toronto Raptors. Johan Petro marcou os últimos pontos na história do New Jersey Nets.[42]

2012: Retornando a Nova York[editar | editar código-fonte]

Barclays Center, a casa do Brooklyn Nets

Em 2005, os Nets anunciaram os planos para levar a equipe ao bairro Prospect Heights, no Brooklyn. A nova arena, mais tarde denominada Barclays Center, seria o centro de um extenso projeto de redesenvolvimento chamado Atlantic Yards. Os Nets não só voltariam a Nova York pela primeira vez desde 1977, como também se tornaria o primeiro grande time profissional a jogar no Brooklyn desde a partida do Los Angeles Dodgers em 1957.

A inauguração do Barclays Center ocorreu em 11 de março de 2010.[43] Em 26 de setembro de 2011, Jay-Z, proprietário minoritário dos Nets, anunciou que o novo nome da equipe após a mudança para o Brooklyn seria Brooklyn Nets.[44][45][46] As novas cores da equipe foram anunciadas como preto e branco e o novo logotipo oficial criado por Timothy Morris foram revelados. O novo logotipo é um escudo que descreve o nome da equipe "Nets", juntamente com uma bola de basquete com um "B" sobreposto. Esse rebranding da equipe levou a um aumento drástico nas vendas de mercadorias para a equipe. Nos dois primeiros dias em que a nova mercadoria estava disponível, o total de vendas da NBA Store foi 10 vezes maior que o de um ano típico quando a equipe estava em New Jersey.[47]

2012–2015: Nova era no Brooklyn e disputa dos playoffs[editar | editar código-fonte]

NetsWordmark.gif

No draft de 2012, o Brooklyn escolheu İlkan Karaman. Em 29 de junho de 2012, Dwight Howard, do Orlando Magic, se reuniu com o novo gerente geral do Magic, Rob Hennigan, e exigiu uma negociação com o Brooklyn Nets.[48] No entanto, mais uma vez a troca não foi feita e os Nets supostamente saíram das discussões em 11 de julho de 2012.[49] Em vez disso, a equipe trocou por Joe Johnson do Atlanta Hawks. Em troca, os Nets enviaram Jordan Farmar, Johan Petro, Anthony Morrow, Jordan Williams e DeShawn Stevenson. Na mesma data, Deron Williams assinou um contrato de US $ 98,7 milhões por cinco anos para permanecer nos Nets.[50] Além disso, os Nets re-contrataram Brook Lopez e Gerald Wallace para acordos de quatro anos.

O Brooklyn Nets jogou seu primeiro jogo em 3 de novembro de 2012, em uma vitória por 107-100 em casa sobre o Toronto Raptors. Os Nets começaram a temporada forte com um recorde de 11-4. No entanto, em uma reviravolta abrupta, o Brooklyn teve uma sequencia de 3-10, levando Johnson a ser demitido como treinador principal, com o assistente técnico P. J. Carlesimo sendo nomeado treinador interino até a contratação do substituto.[51] A demissão de Johnson provou ser certeira com a equipe melhorando e chegando a um recorde de 31-22 na pausa para o All-Star Game.[52]

Aproveitando a forte segunda metade da temporada de Deron Williams, os Nets conseguiu se classificar pela primeira vez para os playoffs desde a temporada 2006-2007.[53] O Brooklyn jogou sua primeira série de playoffs contra o Chicago Bulls. Os Bulls venceram a série por 4-3. Com o final da temporada, o Nets anunciou que Carlesimo não voltaria como técnico principal.[54]

Para substituir Carlesimo, o Nets contratou Jason Kidd para se tornar seu novo treinador em 12 de junho de 2013. Em 27 de junho de 2013, o Nets e o Boston Celtics concordaram com uma super troca: Kris Humphries, Gerald Wallace, Marshon Brooks, Keith Bogans e Kris Joseph, juntamente com três escolhas de draft da primeira rodada foram para Boston enquanto Paul Pierce, Kevin Garnett, Jason Terry e DJ White foram pra Brooklyn.[55] Os Nets também contrataram Alan Anderson, Shaun Livingston, Andrei Kirilenko e Mason Plumlee para dar mais profundidade ao banco. Com todos os seus movimentos, Brooklyn acabou com uma folha de pagamento de US $ 102 milhões, além de ter projetado pagamentos de impostos totalizando US $ 86 milhões.[56]

A temporada 2013-2014 começou mal para o Nets, com o novato Jason Kidd enfrentando dificuldades para se ajustar ao seu novo trabalho e com lesões que afetam a capacidade da equipe de alinhar uma formação consistente. A temporada chegou ao auge em 21 de dezembro, quando foi anunciando que Brook Lopez ia precisar de uma cirurgia nos pés que terminou sua temporada pela segunda vez em três anos. Brooklyn terminou a temporada com um recorde de ‎44–38, se classificando para os playoffs.

Em 4 de maio de 2014, o Nets derrotou o Toronto Raptors na primeira rodada dos playoffs. Com a vitória, Jason Kidd se tornou o primeiro treinador novato a ganhar um jogo 7 na história da NBA. Infelizmente, a temporada dos Nets terminou após uma derrota por 94-96 no jogo 5 das Semifinais da Conferência contra o Miami Heat.[57]

Em 1 de julho de 2014, o Milwaukee Bucks garantiu os direitos de treinador de Kidd em troca de duas escolhas de draft de segunda rodada em 2015 e 2019.[58] Em 2 de julho de 2014, Lionel Hollins foi anunciado como novo treinador.[59]

2015 – Presente: Lutas e reconstrução[editar | editar código-fonte]

Os Nets conseguiram ir para os playoffs no último jogo da temporada de estréia de Hollins, mas perderam para o Atlanta Hawks na primeira rodada.

As coisas pioram para os Nets um ano depois. Eles não obtiveram sua primeira vitória até o oitavo jogo da temporada. Depois de dispensar Joe Johnson e Deron Williams, em 10 de janeiro de 2016, os Nets anunciou que havia dispensado o treinador Lionel Hollins e o gerente geral Billy King. Tony Brown tornou-se treinador interino, enquanto o ex-gerente geral do Spurs, Sean Marks, tornou-se gerente geral.[60] Marks deixou claro que sua visão incluía um processo de reconstrução que levaria anos para ser executado, algo que Prokhorov reconheceu.[61] Em uma carta aberta, Prokhorov pediu desculpas por sua abordagem anterior de gastos livres, dizendo que agora ele percebeu que não era a melhor maneira de construir um campeão.

Em abril de 2016, os Nets contratou o ex-assistente dos Knicks e Hawks, Kenny Atkinson, como novo treinador.[62] Durante a free agency, no verão de 2016, a equipe começou e quase concluiu seu processo de reconstrução adquirindo, por meio de acordos de sinalização ou trocas: Randy Foye, Anthony Bennett, Trevor Booker, Luis Scola e Jeremy Lin. No entanto, os Nets ficaram abaixo das expectativas e terminaram a temporada com um recorde de 20-62, o pior recorde da liga. Além disso, como parte do acordo que trouxe Pierce e Garnett quatro anos antes, eles tiveram que trocar sua escolha na primeira rodada de 2017 com os Celtics.

Em 20 de junho de 2017, os Nets trocou Lopez e uma primeira rodada de 2017 para o Lakers em troca de D'Angelo Russell e Timofey Mozgov.

Rivalidades[editar | editar código-fonte]

Boston Celtics[editar | editar código-fonte]

O Boston Celtics eram um dos rivais dos Nets durante os anos 2000. Os Nets foram liderados por Jason Kidd e Kenyon Martin, enquanto os Celtics eram liderados por Paul Pierce e Antoine Walker. A rivalidade começou a se aquecer nas finais de conferência de 2002, que foi precedida pelo Trash-Talk dos Celtics que afirmavam que Martin jogava sujo. As coisas progrediram quando a série começou e as tensões na quadra se espelhavam também nas arquibancadas. Os fãs dos Celtics repreendiam Kidd e sua família com cânticos de "Wife Beater! (Batedor de esposa!)" [63] em resposta à acusação de abuso doméstico de Kidd de 2001. Quando a série retornou a New Jersey, os fãs de Nets responderam, com alguns sinais cântigos que diziam: "Alguém por favor esfaqueie Paul Pierce?"[64] referindo-se a um incidente de clube de noite em 2000 que Pierce foi esfaqueado 11 vezes. Quando perguntado sobre as provocações, Kenyon Martin declarou: "Nossos fãs odeiam eles, seus fãs nos odeiam". Bill Walton disse na época que aquilo era "início da próxima grande rivalidade da NBA".

Em 28 de novembro de 2012, houve indícios de que a rivalidade poderia ser reacendida quando uma briga ocorreu na quadra, resultando na expulsão de Rajon Rondo, Gerald Wallace e Kris Humphries. Rondo foi suspenso por dois jogos, enquanto Wallace e Kevin Garnett foram multados.[65] A história foi revisitada em 25 de dezembro, quando Wallace e Garnett tiveram que ser separados por árbitros e jogadores.

No entanto, a rivalidade entre os Nets e os Celtics foi abrandada com as trocas de junho de 2013 que transferiram as estrelas Garnett e Pierce para os Nets em troca de Wallace, Humphries e outros.[66][67]

New York Knicks[editar | editar código-fonte]

A rivalidade Knicks-Nets tem sido historicamente geográfica. Os meios de comunicação tomaram nota da semelhança da rivalidade Knicks-Nets com os de outras equipes da cidade de Nova York, como a Major League Baseball (MLB) entre New York Yankees e New York Mets e da National Football League (NFL) entre New York Giants e New York Jets, resultado da proximidade dos bairros através do metrô da cidade de Nova York.

Historicamente, os bairros de Manhattan e Brooklyn viviam a rivalidade Dodgers-Giants, quando as duas equipes eram conhecidas como Brooklyn Dodgers e New York Giants. A rivalidade entre New York Islanders e New York Rangers da NHL, também assumiu uma dimensão semelhante desde que os Inslanders se mudaram para Barclays Center em 2015.[68] Devido aos Knicks ficarem situados em Manhattan e os Nets ficarem situados no Brooklyn, alguns meios de comunicação chamam esta rivalidade de "Duelo de Bairros".[69][70]

Cultura[editar | editar código-fonte]

Mascote[editar | editar código-fonte]

O mascote dos New Jersey Nets era Sly, a Raposa de Prata, que estreou em 31 de outubro de 1997. Antes disso, o mascote dos Nets era um dragão antropomórfico chamado Duncan, o Dragão.[71]

Após a mudança dos Nets para Brooklyn, a equipe introduziu um novo mascote super-herói chamado BrooklyKnight (um trocadilho sobre o demônio "Brooklynite") em 3 de novembro de 2012. Em sua primeira aparição, ele desceu do teto do ginásio em meio a faíscas. O mascote foi co-criada pela Marvel Entertainment, uma empresa-irmã da ABC e da ESPN. O personagem também estrelou em quadrinhos de 32 páginas publicado pela Marvel intitulado BrooklyKnight # 1, escrito por Jason Aaron com arte por Mike Deodato.[72][73] Após a segunda temporada dos Nets em Brooklyn, o mascote de BrooklyKnight foi aposentado.[74]

Hino[editar | editar código-fonte]

Em 3 de novembro de 2012, os Nets introduziu um novo hino da equipe intitulado "Brooklyn: Something To Lean On", escrito e gravado pelo músico John Forté, nascido e criado no Brooklyn.[75] A canção é notável pelo seu refrão, que ficou popular durante os jogos da equipe no Barclays.[76]

Gestão[editar | editar código-fonte]

O front office dos Nets em 2016 incluía Mikhail Prokhorov (proprietário principal), Brett Yormark (CEO), Sean Marks (gerente geral) e Jeff Gewirtz (vice-presidente executivo de negócios e diretor jurídico).[77]

Histórico[editar | editar código-fonte]

O dono original da franquia Nets era o magnata Arthur J. Brown, que vendeu a equipe por US $ 1,1 milhão para o empreendedor Roy Boe.[78] Devido às perdas financeiras sofridas enquanto a equipe estava em Long Island, Boe transferiu a equipe para New Jersey em 1977 e vendeu a equipe um ano depois para um grupo de sete empresários locais liderados por Alan N. Cohen e Joseph Taub, que se tornaram conhecidos como "Secaucus Seven".[79]

Depois de numerosas tentativas de melhorar a situação financeira da equipe, o "Secaucus Seven" finalmente vendeu a equipe em 1998 para um grupo de promotores imobiliários liderados por Raymond Chambers e Lewis Katz, que se auto-denominaram "Community Youth Organization" e queria transferir a equipe para Newark, New Jersey. No ano seguinte, o grupo assinou um acordo com o proprietário do New York Yankees, George Steinbrenner, para formar a YankeeNets, uma holding que possuía as duas equipes, e depois também a New Jersey Devils, e aumentar a alavancagem em futuros contratos de transmissão negociando juntos.[80] Depois de receber ofertas de vários parceiros de transmissão, incluindo o que era então seu atual detentor de direitos Cablevision, a YankeeNets decidiu lançar sua própria televisão regional de esportes chamada YES Network.

A YankeeNets falhou em suas tentativas de conseguir um acordo com Newark para construir uma nova arena na cidade. Naquele momento, as tensões entre a administração dos Yankees, dos Nets e dos Devils causaram uma ruptura entre eles. Com o plano de expulsar os Nets, a Community Youth Organization colocou a equipe à venda. Após um curto processo de licitação, o grupo conseguiu um acordo em 2004 com o promotor imobiliário Bruce Ratner para comprar a equipe por US $ 300 milhões. Ratner havia comprado a equipe com a intenção de movê-la para uma nova arena no Brooklyn, que seria uma peça central do desenvolvimento de larga escala da Atlantic Yards.[81]

Mikhail Prokhorov, um bilionário russo e atual proprietário do Nets

Em 24 de setembro de 2009, Mikhail Prokhorov, o terceiro homem mais rico da Rússia, segundo a Forbes, confirmou sua intenção de se tornar proprietário majoritário dos Nets. Prokhorov enviou uma oferta aos proprietários da equipe solicitando que a participação de controle fosse vendida para sua empresa, a Onexim, por um preço simbólico. Em troca, Prokhorov financiou um empréstimo para a construção de uma arena de US $ 700 milhões no Brooklyn, que mais tarde recebeu o nome de Barclays Center e atraiu fundos adicionais de bancos ocidentais. Prokhorov afirmou que ele iniciou o negócio para ajudar a empurrar o basquete russo para um novo nível de desenvolvimento. Em 11 de maio de 2010, após a aprovação dos outros proprietários da NBA, Prokhorov se tornou o principal proprietário.[82]

No final de 2017, houve vários relatos de um acordo para Prokhorov vender uma participação de 49% na equipe a Joseph Tsai, vice-presidente executivo do Alibaba Group, com a opção de Tsai se tornar o acionista majoritário.[83]

Instalações[editar | editar código-fonte]

Arenas[editar | editar código-fonte]

Fonte:[84]

Arena Local Duração
Teaneck Armory Teaneck, New Jersey 1967–1968
Long Island Arena Commack, New York 1968–1969
Island Garden West Hempstead, New York 1969–1972
Nassau Veterans Memorial Coliseum Uniondale, New York 1972–1977
Rutgers Athletic Center Piscataway, New Jersey 1977–1981
Brendan Byrne Arena (1981–1996),

depois Continental Airlines Arena (1996–2007),

depois Izod Center (2007–2010)

East Rutherford, New Jersey 1981–2010
Prudential Center Newark, New Jersey 2010–2012
Barclays Center Brooklyn, New York 2012–presente

Instalações de treino[editar | editar código-fonte]

As instalações de treinamento e a sede dos Nets estão localizadas em Sunset Park, Brooklyn. A instalação foi inaugurada em 17 de fevereiro de 2016, ocupando 70.000 pés quadrados de espaço no total. O projeto de renovação custou cerca de US $ 50 milhões.[85] A abertura do centro de treinamento completou a mudança dos Nets para o Brooklyn.

Jogadores[editar | editar código-fonte]

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

Brooklyn Nets
Jogadores Comissão Técnica
Pos. # País Nome Altura Peso Universidade
F 35 Estados Unidos Trevor Booker 2 03 m 109 kg Clemson
G 2 Estados Unidos Randy Foye 1 93 m 97 kg Villanova
C 41 Estados Unidos Justin Hamilton 2 11 m 120 kg Louisiana State
G 12 Estados Unidos Joe Harris 1 98 m 99 kg Virginia
F 24 Estados Unidos Rondae Hollis-Jefferson 2 01 m 100 kg Arizona
G 6 Estados Unidos Sean Kilpatrick 1 93 m 99 kg Cincinnati
G 22 Estados Unidos Caris LeVert 2 01 m 87 kg Michigan
G 7 Estados Unidos Jeremy Lin 1 91 m 91 kg Harvard*
F 1 Estados Unidos Chris McCullough 2 11 m 91 kg Syracuse
F 13 Estados Unidos Quincy Acy 2 01 m 109 kg Baylor
G 15 Estados Unidos Isaiah Whitehead 1 96 m 95 kg Seton Hall
G 1 Estados Unidos D'Angelo Russell 1 96 m 88 kg Estado de Ohio
C 20 Rússia Timofey Mozgov 2 16 m 125 kg Russia*
G 33 Estados Unidos Allen Crabbe 1 98 m 98 kg California*
F 9 Estados Unidos DeMarre Carroll 2 03 m 96 kg missouri*
C 31 Estados Unidos Jarrett Allen 2 08 m 107 kg Texas
F 41 Bulgária Aleksandar Vezenkov 2 06 m 102 kg Bulgarian*
F 14 Estados Unidos KJ McDaniels 1 98 m 98 kg Clemson
G 66 Gana Yakuba Ouattara 1 91 m 84 kg Ghanaian-French*
G 8 Estados Unidos Spencer Diwnddie 1 98 m 91 kg Colorado
Treinador
Assistente(s) Técnico(s)



Legend
  • (C) Capitão
  • (DP) Escolha de Draft sem-assinatura
  • (FA) Free agent
  • (S) Suspenso
  • (DL) Na atribuição no afiliado na D-League
  • Machucado Machucado

ElencoTransações
Última transação: 27-07-2016

Direitos de draft[editar | editar código-fonte]

Os Nets retêm os direitos de draft para as seguintes escolhas de jogadores de fora da NBA. Um jogador selecionado, seja um recrutador internacional ou um recruta da faculdade que não assine para a equipe que o recrutou, tem permissão para assinar com qualquer equipe que não seja da NBA. Nesse caso, a equipe reterá os direitos do jogador na NBA até um ano após o contrato do jogador com a equipe que não faz parte da NBA. Essa lista inclui direitos de draft que foram adquiridos de negociações com outras equipes.

Draft Round Escolha Jogador Pos. Nacionalidade Time atual Notas Ref
2017 2 57 Sasha Vezenkov F Bulgária Olympiacos Piraeus (Grécia)
2016 2 44 Isaïa Cordinier G França Antibes Sharks (França) Adquirido do Atlanta Hawks [86]
2015 2 39 Juan Pablo Vaulet F Argentina Weber Bahía Estudiantes (Argentina) Adquirido do Charlotte Hornets [87]
2014 2 59 Xavier Thames G Estados Unidos Egis Körmend (Hungria) Adquirido do Toronto Raptors [88]

Números aposentados[editar | editar código-fonte]

No. Jogador Tempo Data
3 Dražen Petrović 1990–1993 11 de Novembro de 1993
5 Jason Kidd 2001–2008 27 de Outubro de 2013
23 John Williamson 1973–1980 7 de Dezembro de 1990
25 Bill Melchionni 1969–1976 Setembro de 1976
32 Julius Erving 1973–1976 3 de Abril de 1987
52 Buck Williams 1981–1989 11 de Abril de 1999

Estatísticas Gerais[editar | editar código-fonte]

Estatísticas atualizadas em 4 de março de 2019.

Jogos[editar | editar código-fonte]

# País Nome Período Jogos
1 Estados Unidos Buck Williams 1981-1989 635
2 Estados Unidos Brook Lopez 2008–2017 562
3 Estados Unidos Mike Gminski 1980-1988 550
4 Estados Unidos Jason Collins 2001–2008, 2013-2014 532
5 Estados Unidos Chris Morris 1988–1995 510
6 Estados Unidos Jason Kidd 2001–2008 506
7 Estados Unidos Bill Melchionni 1969–1976 502
8 Estados Unidos Kerry Kittles 1996–2004 496
9 Estados Unidos Richard Jefferson 2001–2008 489
10 Estados Unidos Darwin Cook 1980–1986 464

Pontos[editar | editar código-fonte]

# País Nome Período Pontos
1 Estados Unidos Brook Lopez 2008–2017 10.444
2 Estados Unidos Buck Williams 1981-1989 10.440
3 Estados Unidos Vince Carter 2005–2009 8.834
4 Estados Unidos Richard Jefferson 2001–2008 8.507
5 Estados Unidos Jason Kidd 2001–2008 7.373
6 Estados Unidos John Williamson 1973–1977, 1977–1980 7.202
7 Estados Unidos Julius Erving 1973–1976 7.104
8 Estados Unidos Kerry Kittles 1996–2004 7.096
9 Estados Unidos Derrick Coleman 1990–1995 6.930
10 Estados Unidos Chris Morris 1988–1995 6.762

Rebotes[editar | editar código-fonte]

# País Nome Período Rebotes
1 Estados Unidos Buck Williams 1981-1989 7.576
2 Estados Unidos Billy Paultz 1970-1975 4.544
3 Estados Unidos Brook Lopez 2008–2017 4.005
4 Estados Unidos Derrick Coleman 1990–1995 3.690
5 Estados Unidos Mike Gminski 1980-1988 3.671
6 Estados Unidos Jason Kidd 2001–2008 3.662
7 Estados Unidos Jayson Williams 1992–1999 3.328
8 Estados Unidos Chris Morris 1988–1995 2.918
9 Estados Unidos Julius Erving 1973–1976 2.918
10 Estados Unidos Richard Jefferson 2001–2008 2.627

Assistências[editar | editar código-fonte]

# País Nome Período Assistências
1 Estados Unidos Jason Kidd 2001–2008 4.620
2 Estados Unidos Bill Melchionni 1969–1976 3.044
3 Estados Unidos Kenny Anderson 1991–1996 2.363
5 Estados Unidos Deron Williams 2010-2015 2.078
4 Estados Unidos Darwin Cook 1980–1986 1.970
6 Estados Unidos Vince Carter 2005–2009 1.762
7 Estados Unidos Richard Jefferson 2001–2008 1.486
8 Estados Unidos Devin Harris 2007–2011 1.473
9 Estados Unidos Micheal Ray Richardson 1982–1986 1.410
10 Estados Unidos Stephon Marbury 1998–2001 1.398

Treinadores[editar | editar código-fonte]

Houve 23 treinadores principais na franquia Nets. O primeiro treinador da franquia foi Max Zaslofsky, que liderou a equipe por duas temporadas. Kevin Loughery é o único técnico dos Nets a ter liderado a equipe em um título; os Nets venceram o título da ABA em 1974 e 1976 durante o seu mandato. Loughery é o líder de todos os tempos da franquia em jogos regulares treinados (615) e vitórias (297); P. J. Carlesimo é o líder de todos os tempos da franquia na porcentagem vencedora da temporada regular (0,648). Byron Scott é o líder de todos os tempos da franquia em jogos de playoff treinados (40) e vitórias (25), bem como percentual de vitórias (0,625).

Chuck Daly e Bill Fitch foram selecionados como dois dos 10 melhores treinadores da história da NBA. Daly, Brown e Lou Carnesecca são os únicos treinadores dos Nets a entrarem no Basketball Hall of Fame como treinadores.

Zaslofsky, York Larese, Lou Carnesecca, Dave Wohl, Butch Beard, John Calipari, Tom Barrise e Kiki Vandeweghe passaram toda as suas carreiras de treinador com os Nets / Americans.

# Nome Tempo Jogos V D % Jogos V D % Conquistas Referência
Temporada regular Playoffs
New Jersey Americans
1 Max Zaslofsky 1967–1968 78 36 42 .462 0 0 0 [89]
New York Nets
Max Zaslofsky 1968–1969 78 17 61 .218 0 0 0 [89]
2 York Larese 1969–1970 84 39 45 .464 7 3 4 .429 [90]
3 Lou Carnesecca 1970–1973 252 114 138 .452 30 13 17 .433 [91]
4 Kevin Loughery 1973–1977 334 190 144 .569 32 21 11 .656 2 títulos da ABA (1974, 1976) [92]
New Jersey Nets
Kevin Loughery 1977–1980 281 107 174 .381 2 0 2 .000 [92]
5 Bob MacKinnon 1980–1981 47 12 35 .255 0 0 0 [93]
6 Larry Brown 1981–1983 158 91 67 .576 2 0 2 .000 [94]
7 Bill Blair 1983 6 2 4 .333 2 0 2 .000 [95]
8 Stan Albeck 1983–1985 164 87 77 .530 14 5 9 .357 [96]
9 Dave Wohl 1985–1987 179 65 114 .363 3 0 3 .000 [97]
Bob MacKinnon 1987–1988 39 10 29 .256 0 0 0 [93]
10 Willis Reed 1988–1989 110 33 77 .300 0 0 0 [98]
11 Bill Fitch 1989–1992 246 83 163 .337 4 1 3 .250 [99]
12 Chuck Daly 1992–1994 164 88 76 .537 9 3 6 .333 [100]
13 Butch Beard 1994–1996 164 60 104 .366 0 0 0 [101]
14 John Calipari 1996–1999 184 72 112 .391 3 0 3 .000 [102]
15 Don Casey 1999–2000 112 44 68 .393 0 0 0 [103]
16 Byron Scott 2000–2004 288 149 139 .517 40 25 15 .625 2 aparições seguida nas finais da NBA [104]
17 Lawrence Frank 2004–2009 466 225 241 .483 38 18 20 .474 [105]
18 Tom Barrise 2009 2 0 2 .000 0 0 0 [106]
19 Kiki Vandeweghe 2009–2010 64 12 52 .188 0 0 0 [107]
20 Avery Johnson 2010–2012 148 46 102 .311 0 0 0 [108]
Brooklyn Nets
Avery Johnson 2012 28 14 14 .500 0 0 0 [108]
21 P. J. Carlesimo 2012–2013 54 35 19 .648 7 3 4 .429 [109]
22 Jason Kidd 2013–2014 82 44 38 .537 12 5 7 .417 [110]
23 Lionel Hollins 2014–2016 119 48 71 .403 6 2 4 .333 [111]
24 Tony Brown 2016 45 11 34 .244 0 0 0 [112]
25 Kenny Atkinson 2016–presente 164 58 116 .333 0 0 0 [113]

Filiação na NBA D-League / G League[editar | editar código-fonte]

Os Nets assinaram um acordo com a Springfield Armor para se tornar sua afiliada exclusiva da NBA Development League a partir da temporada 2011-12. Isso fez com que os Nets fosse o segundo time a optar por uma "afiliação híbrida" da D-League, sendo o primeiro o Houston Rockets com Rio Grande Valley Vipers. Este modelo híbrido foi bem recebido pelos GMs e proprietários.[114] No entanto, depois de três temporadas, os Pistons compraram a equipe e renomearam para Grand Rapids Drive.[115]

Em 6 de novembro de 2015, os Nets anunciou que havia comprado uma nova equipe da D-League para ser chamada de Long Island Nets. A equipe jogou seus jogos em casa durante a temporada 2016-17 no Barclays Center e depois no Nassau Coliseum em Uniondale, New York, após a conclusão das reformas para a temporada 2017-18. O Long Island Nets se tornou o décimo segundo time da D-League a pertencer a uma equipe da NBA.[116]

Referências

  1. [1] June 12 2013
  2. «NBA.com/Stats». NBA Stats (em inglês). Consultado em 3 de março de 2019 
  3. «NETS: JAY-Z Announces He Will Open the Barclays Center in September 2012». web.archive.org. 30 de setembro de 2011. Consultado em 3 de março de 2019 
  4. «Remember the ABA: 1967-68 ?? Regular Season Standings and Playoff Results». www.remembertheaba.com. Consultado em 4 de março de 2019 
  5. Goldaper, Sam (25 de março de 1968). «AMERICANS OUT OF A.B.A. PLAYOFF; Mikan Rules Commack Site Unfit, Forfeits Game». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  6. Goldaper, Sam (16 de julho de 1968). «LONG ISLAND GETS A.B.A. FRANCHISE; Americans Renamed Nets and Moved to Commack». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  7. «Nets Obtain Rights to Alcindor In Secret A.B.A. Draft Session». The New York Times (em inglês). 18 de fevereiro de 1969. ISSN 0362-4331 
  8. «Alcindor Rejects A.B.A.'s $3.2-Million Offer and Will Sign With Bucks; U.C.L.A. STAR ASKS HALT TO BIDDING». The New York Times (em inglês). 30 de março de 1969. ISSN 0362-4331 
  9. «Remember the ABA: 1971-72 Regular Season Standings and Playoff Results». www.remembertheaba.com. Consultado em 4 de março de 2019 
  10. «Remember the ABA: 1972-73 Regular Season Standings and Playoff Results». www.remembertheaba.com. Consultado em 4 de março de 2019 
  11. «Remember the ABA: 1974-75 Regular Season Standings and Playoff Results». www.remembertheaba.com. Consultado em 4 de março de 2019 
  12. «Remember the ABA: 1975-76 Regular Season Standings and Playoff Results». web.archive.org. 29 de novembro de 2010. Consultado em 4 de março de 2019 
  13. «New Jersey Nets: Where Badness Happens». ESPN.com (em inglês). 24 de novembro de 2009. Consultado em 4 de março de 2019 
  14. Goldaper, Sam (7 de julho de 1977). «Nets, Seeking to Move to Jersey, Sue Knicks Over Effort to Block It». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  15. Goldaper, Sam (27 de julho de 1977). «Nets Will Move To New Jersey; Cost: $4 Million». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  16. «Fashionable New Name for Arena». The New York Times (em inglês). 5 de outubro de 2007. ISSN 0362-4331 
  17. «1985 NBA Playoffs Summary». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  18. «1989-90 NBA Hoops - [Base] #145 - Buck Williams - COMC Card Marketplace». www.comc.com. Consultado em 3 de março de 2019 
  19. Goldaper, Sam (5 de novembro de 1987). «The 1987-88 Nets; New Season, Same Old Problems». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  20. «SPORTS PEOPLE; Surgery for Dawkins». The New York Times (em inglês). 19 de fevereiro de 1987. ISSN 0362-4331 
  21. «Brooklyn Nets Franchise Index». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  22. «1987-88 NBA Season Summary». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  23. «NBA.com: Complete First Round Results — 1990-99». www.nba.com. Consultado em 4 de março de 2019 
  24. «The legend of the Swamp Dragons». ESPN.com (em inglês). 8 de abril de 2016. Consultado em 4 de março de 2019 
  25. Fox, Margalit (18 de março de 2015). «Patrick McDarby, Sport Logo Designer, Is Dead at 57». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  26. «Farewell New Jersey Nets; a Look Back at their Brands». Chris Creamer's SportsLogos.Net News and Blog : New Logos and New Uniforms news, photos, and rumours (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  27. «NBA.com Lawrence Frank». www.nba.com. Consultado em 4 de março de 2019 
  28. «23 days of Toronto Raptors history: Vince Carter traded to the Nets». Raptors Rapture (em inglês). 13 de setembro de 2018. Consultado em 4 de março de 2019 
  29. «2005-06 New Jersey Nets Schedule and Results». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  30. «Nets send Jefferson to Milwaukee for Yi, Simmons». ESPN.com (em inglês). 26 de junho de 2008. Consultado em 4 de março de 2019 
  31. «General Managers Rumors | HoopsHype» (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  32. «NBA Basketball News, Scores, Standings, Rumors, Fantasy Games». Yahoo Sports (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  33. «Winless, now jobless: Frank fired by 0-16 Nets». ESPN.com (em inglês). 29 de novembro de 2009. Consultado em 4 de março de 2019 
  34. «NBA Basketball News, Scores, Standings, Rumors, Fantasy Games». Yahoo Sports (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  35. «The reluctant interim: Kiki Vandeweghe». ESPN.com (em inglês). 1 de dezembro de 2009. Consultado em 4 de março de 2019 
  36. «Bobcats vs. Nets - Game Recap - December 4, 2009 - ESPN». ESPN.com (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  37. «Nets amnesty Outlaw, sign ex-Knick Williams». ESPN.com (em inglês). 15 de dezembro de 2011. Consultado em 4 de março de 2019 
  38. «King succeeding Thorn as Nets general manager». ESPN.com (em inglês). 14 de julho de 2010. Consultado em 4 de março de 2019 
  39. «Nets trade for Jazz All-Star PG Williams». ESPN.com (em inglês). 23 de fevereiro de 2011. Consultado em 4 de março de 2019 
  40. «Nets season in review: Introduction». web.archive.org. 23 de junho de 2012. Consultado em 4 de março de 2019 
  41. Appleman, Jake (23 de abril de 2012). «Time Expires on Nets in New Jersey». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  42. Kerber, Fred (27 de abril de 2012). «Petro scores final New Jersey basket for Nets». New York Post (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  43. «Officials break ground on Nets' Brooklyn arena». ESPN.com (em inglês). 11 de março de 2010. Consultado em 4 de março de 2019 
  44. «Jay Z Makes Announcement About Nets». web.archive.org. 27 de setembro de 2011. Consultado em 4 de março de 2019 
  45. Brown, Stephen. «New Jersey Nets WILL change name!». Brooklyn Paper (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  46. Beck, Howard (26 de setembro de 2011). «Jay-Z Makes 'Brooklyn Nets' Name Official». Off the Dribble (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  47. «Nuts for the Nets». Crain's New York Business (em inglês). 3 de agosto de 2012. Consultado em 4 de março de 2019 
  48. «Dwight Howard Demands Nets Trade» (em inglês). 30 de junho de 2012. Consultado em 4 de março de 2019 
  49. «Sources: Nets end Howard talks with Magic». ESPN.com (em inglês). 11 de julho de 2012. Consultado em 4 de março de 2019 
  50. «Deron Williams takes Nets' $98 million deal». Newsday (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  51. Beck, Howard (27 de dezembro de 2012). «Slumping Brooklyn Nets Fire Coach Avery Johnson». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  52. «Is it 'deja vu all over again' in Brooklyn?». yesnetwork.com (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  53. «Bloomberg - Are you a robot?». www.bloomberg.com. Consultado em 4 de março de 2019 
  54. «Nets say Carlesimo won't return as coach». ESPN.com (em inglês). 5 de maio de 2013. Consultado em 4 de março de 2019 
  55. «Brooklyn Nets News Headlines». Brooklyn Nets (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  56. «Nets sign swingman Anderson to two-year deal». web.archive.org. 2 de setembro de 2013. Consultado em 4 de março de 2019 
  57. «Nets vs. Heat - Game Recap - May 14, 2014 - ESPN». ESPN.com (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  58. «Bucks officially name Kidd coach after trade». ESPN.com (em inglês). 1 de julho de 2014. Consultado em 4 de março de 2019 
  59. «Nets Agree To Four-Year Deal With Lionel Hollins». basketball.realgm.com. Consultado em 4 de março de 2019 
  60. Webster, Danny. «Sean Marks Named Nets General Manager». Bleacher Report (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  61. «Basketball's purgatory is in the outer borough». ESPN.com (em inglês). 7 de março de 2017. Consultado em 4 de março de 2019 
  62. «Hawks assistant Atkinson named Nets head coach». ESPN.com (em inglês). 17 de abril de 2016. Consultado em 4 de março de 2019 
  63. Wilstein, Steve. «Celtics fans' taunts hurt Jason Kidd's wife | Amarillo.com | Amarillo Globe-News». amarillo.com. Consultado em 5 de março de 2017 
  64. «Nets, Celtics heating it up». www.enquirer.com. Consultado em 5 de março de 2017 
  65. May, Peter (29 de novembro de 2012). «Celtics' Rajon Rondo Suspended 2 Games for Melee». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  66. «Bondy: Prokhorov's mentality reminiscent of The Boss». NY Daily News (em inglês) 
  67. «CSNNE.com». CSNNE.com. Consultado em 5 de março de 2017 
  68. «Breaking News, World News & Multimedia». Consultado em 5 de março de 2017 
  69. «Breaking News, World News & Multimedia». Consultado em 5 de março de 2017 
  70. «Clash of the Boroughs Resounds in Brooklyn». The Official Site of the Brooklyn Nets (em inglês). Consultado em 5 de março de 2017 
  71. Curry, Jack (15 de dezembro de 1990). «PRO BASKETBALL; For Nets, Stakes Are High In Meeting With Knicks». The New York Times. ISSN 0362-4331 
  72. «Marvel & the Brooklyn Nets Unveil First Super Hero in NBA history!». The Official Site of the Brooklyn Nets (em inglês). Consultado em 5 de março de 2017 
  73. «Follow the History of the Hulk Pt. 52». News | Marvel.com (em inglês). Consultado em 5 de março de 2017 
  74. «A tribute to BrooklyKnight, the Nets' awful mascot». SBNation.com 
  75. «Brooklyn: Something to Lean On | The Official Site of the Brooklyn Nets». web.archive.org. 29 de outubro de 2015. Consultado em 4 de março de 2019 
  76. «The Nets' new anthem: "Brooklyn (something to lean on)" is all about the borough (not the "Nets")». The Nets' new anthem. Consultado em 4 de março de 2019 
  77. «Staff Directory». Brooklyn Nets (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  78. «Arthur J. Brown, 78, Former Owner of Nets». The New York Times (em inglês). 24 de dezembro de 1989. ISSN 0362-4331 
  79. «Former Nets, Islanders owner Boe dies at 79». ESPN.com (em inglês). 8 de junho de 2009. Consultado em 4 de março de 2019 
  80. Arango, Tim (23 de junho de 2003). «A SPLIT DECISION – YANKEENETS GROUP ON THE BRINK OF BREAKUP». New York Post (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  81. Sandomir, Richard; Bagli, Charles V. (21 de janeiro de 2004). «Brooklyn Developer Reaches Deal to Buy New Jersey Nets». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  82. «Bloomberg - Are you a robot?». www.bloomberg.com. Consultado em 4 de março de 2019 
  83. «Mikhail Prokhorov sells 49 percent of Nets to Joseph Tsai». Mail Online. 27 de outubro de 2017. Consultado em 4 de março de 2019 
  84. «Arena History». Brooklyn Nets (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  85. Bondy, Stefan. «Nets will be all-Brooklyn by 2015-16: Team unveils $50M Industry City training center». nydailynews.com. Consultado em 4 de março de 2019 
  86. «Brooklyn Nets Complete Trade With Atlanta Hawks». Brooklyn Nets (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  87. «Nets Acquire Four New Players on Draft Night». Brooklyn Nets (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  88. «Brooklyn Nets Acquire Draft Rights to Markel Brown, Xavier Thames and Cory Jefferson | Brooklyn Nets». web.archive.org. 30 de junho de 2014. Consultado em 4 de março de 2019 
  89. a b «Max Zaslofsky». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  90. «York Larese». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  91. «Lou Carnesecca». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  92. a b «Kevin Loughery». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  93. a b «Bob MacKinnon». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  94. «Larry Brown». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  95. «Bill Blair». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  96. «Stan Albeck». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  97. «Dave Wohl». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  98. «Willis Reed». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  99. «Bill Fitch». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  100. «Chuck Daly». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  101. «Butch Beard». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  102. «John Calipari». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  103. «Don Casey». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  104. «Byron Scott». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  105. «Tom Barrise». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  106. «Tom Barrise». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  107. «Kiki Vandeweghe». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  108. a b «Avery Johnson». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  109. «P.J. Carlesimo». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  110. «Jason Kidd». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  111. «Lionel Hollins». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  112. «Tony Brown». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  113. «Brooklyn Nets Name Kenny Atkinson Head Coach». Brooklyn Nets (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 
  114. «New Jersey Nets, Springfield Armor to Enter Single-Affiliate Partnership». web.archive.org. 6 de outubro de 2012. Consultado em 4 de março de 2019 
  115. Hinson, Steve (10 de junho de 2014). «Van Gundy shares thoughts on D-League team». Detroit Bad Boys. Consultado em 4 de março de 2019 
  116. «Brooklyn Nets Purchase NBA Development League Team». NBA G League (em inglês). Consultado em 4 de março de 2019 

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Brooklyn Nets