Platinum End

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ni hon go2.png Este artigo contém texto em japonês.
Sem suporte multilingual apropriado, você verá interrogações, quadrados ou outros símbolos em vez de kanji ou kana.
Platinum End
プラチナエンド
(Purachina Endo)
Gênero Ação, Drama, Sobrenatural
Mangá
Escrito por Tsugumi Ohba
Ilustrado por Takeshi Obata
Editora(s) Japão Shueisha
Editora(s)
lusófona(s)
Portugal Devir Livraria
Revista(s) Jump Square
Público-alvo Shōnen
Data de publicação 4 de novembro de 2015 – presente
Volumes 7
Wikipe-tan face.svg Portal Animangá

Platinum End (プラチナエンド, Purachina Endo?) é uma série de mangá escrita por Tsugumi Ohba e ilustrada por Takeshi Obata, criadores da igualmente famosa série de mangá Death Note. É serializada na revista mensal Jump Square da editora Shueisha, desde 4 de Novembro de 2015. Conta a história de Mirai Kakehashi, um estudante que tenta cometer suicídio, mas que é resgatado pelo seu anjo da guarda, Nasse, que não só promete protegê-lo, mas que também lhe dá poderes especiais para que ele possa competir entre os 13 candidatos, escolhidos por diferentes anjos, para assumir o papel de Deus, que está para se retirar no prazo de 999 dias.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Mirai Kakehashi é um jovem estudante farto de uma vida de abusos por parte dos seus tio, tia e primos que o criaram desde a morte dos seus pais, num misterioso acidente. No entanto, quando se tenta suicidar ao atirar-se do alto de um edifício, é salvo por um anjo chamado Nasse (ナ ッ セ?), que lhe conta que é o seu anjo da guarda e que sabe tudo sobre a sua vida. Ao saber por Nasse que os seus pais adotivos são os responsáveis pelo acidente que vitimou os seus pais e irmão, Mirai usa os poderes que ela lhe concedeu, a fim de os enfrentar e saber a verdade. Contudo, as provações de Mirai estão apenas a começar, pois Nasse diz-lhe que Deus se vai reformar em 999 dias, e que treze candidatos foram selecionados para o substituir, incluindo o próprio Mirai. Para piorar a situação, Mirai não pode recusar-se a participar na competição para escolher o próximo Deus e entre os outros candidatos há alguns capazes de fazer seja o que for para ganhar, incluindo matar inocentes ou os próprios colegas entre os candidatos.

Mangá[editar | editar código-fonte]

Os capítulos do mangá são serializados na revista mensal japonesa Jump Square com o lançamento do primeiro capítulo em 4 de novembro de 2015.[1] Os capítulos individuais são compilados em volumes tankōbon e publicados pela editora Shueisha, o primeiro volume foi lançado em 4 de fevereiro de 2016.[2]

Lista de Volumes e Capítulos[editar | editar código-fonte]

Recepção[editar | editar código-fonte]

O primeiro volume de Platinum End estreou no número dois na lista semanal da Oricon dos mangás mais vendidos, com 105.213 cópias vendidas.[9]

Ao criticar o primeiro capítulo, Ian Wolf escrevendo para Anime UK News comparou Platinum End com a série mais famosa de Ohba e Obata, Death Note, dizendo "o personagen principal é um garoto adolescente farto da vida, que é guiado por uma força sobrenatural e dado um grande poder. Ambos os protagonistas aparentemente encontram-se no caminho para se tornar uma divindade. Contudo, enquanto Light Yagami usa seus poderes para fins diabólicos, matando qualquer um que suspeita de fazer qualquer coisa errada enquanto é observado por um shinigami, Mirai Kakehashi é guiado por uma força aparentemente mais benevolente".[10] Ele também escreve que a série é um exemplo de um jogo de morte, citando a morte de um dos candidatos à Deus no segundo capítulo.[11]

Referências

  1. «Viz to Offer Death Note/Bakuman Creators' Platinum End Manga in Single Chapters» (em inglês). Anime News Network. 5 de outubro de 2015. Consultado em 12 de julho de 2016. 
  2. «プラチナエンド  1» (em japonês) 
  3. プラチナエンド  1 (em Japanese). Shueisha. Consultado em 6 de fevereiro de 2016. 
  4. [1]
  5. プラチナエンド  2 (em Japanese). Shueisha. Consultado em 9 de maio de 2016. 
  6. [2]
  7. プラチナエンド  3 (em Japanese). Shueisha. Consultado em 8 de agosto de 2016. 
  8. [3]
  9. «Japanese Comic Ranking, February 1-7» (em inglês). Anime News Network. 11 de fevereiro de 2016. Consultado em 12 de julho de 2016. 
  10. Wolf, Ian (12 de julho de 2016). «Platinum End - Chapter 1» (em inglês). Anime UK News 
  11. Wolf, Ian. «Platinum End - Chapter 2» (em inglês). Anime UK News. Consultado em 12 de julho de 2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Núm.TítuloLançamento Original Lançamento Lusófono
1Platunum End - Volume 1 Portugal<br /<>
剣心·緋村抜刀斎 (Kenshin Himura Battōsai)
February 4, 2016[3]
ISBN 978-4-08-880637-2 Japão
Maio de 2017 Portugal [4]
ISBN 978-989-559-370-5
  • 1. O Presente do Anjo Portugal
  • 2. A Natureza do Homem Portugal
  • 3. O Herói Justiceiro Portugal
  • 1. 天使の贈り物
  • A vida do jovem estudante Mirai muda completamente, quando recebe poderes de Nasse, o seu anjo da guarda, e se vê envolvido numa guerra com doze outros escolhidos para suceder ao Deus do mundo. Para sobreviver a esta batalha contra os adversários que o querem matar… pode ser necessário tornar-se um diabo!
    2Platunum End - Volume 2 Portugal
    May 2, 2016[5]
    ISBN 978-4-08-880709-6 Japão
    Julho de 2017 Portugal [6]

    ISBN 978-989-559--371-2
    • 4. A Pessoa Desejada Portugal
    • 5. O Momento Esperado Portugal
    • 6. Conversa Privada Portugal
  • 4. 憧れの人
  • Mirai conhece outro candidato a Deus, uma rapariga por quem tem uma paixoneta desde criança.E quais são as intenções de Metrópolis, o misterioso personagem que entretanto encontra?
    3Platunum End - Volume 3 Portugal
    August 4, 2016[7]
    ISBN 978-4-08-880760-7 Japão
    Setembro de 2017 Portugal [8]

    ISBN 978-989-559-372-9 -
    • 7. Declaração de Morte Portugal
    • 8. Escolha Agonizante Portugal
    • 9. Torre Mortificante Portugal
    • 19. A Moça de Aizu
      Décimo Nono Ato: A Rapariga de Aizu Portugal
  • 7. 死の宣告
  • Depois da tragédia no Estádio de Jinbo, Mirai e Saki deparam-se com Nanato Mukaido, um novo candidato a Deus… mas será um amigo ou um inimigo? Entretanto, Metrópolis não olha a meios para perseguir os seus oponentes e para os matar… mesmo que isso implique sacrificar a vida dos habitantes inocentes de Tóquio.