SNK

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de SNK Playmore)
Ir para: navegação, pesquisa
SNK
SNK PLAYMORE HEADQUATER (2).JPG
Sede SNK em Osaka
Razão social SNK Corporation
Slogan The Future is Now
Indústria Videogame
Gênero Subsidiária
Fundação 22 de julho de 1978 (39 anos)
Fundador(es) Japão Eikichi Kawasaki
Sede Suita, Osaka,  Japão
Área(s) servida(s) Mundo
Proprietário(s) China Ledo Millenium Co., Ltd. (81,25%)
Presidente Japão Koichi Toyama
Produtos Console de videogame
Arcade
Jogos eletrônicos
Marcas SNK United States[1]
SNK Hong Kong[1]
NEO GEO[1]
SNK Entertainment[1]
Faturamento Aumento ¥$ 4.281 bilhões (2016/2017)[2]
Website oficial snk-corp.co.jp

A SNK é uma empresa japonesa de videogames fundada em Higashiosaka, Osaka, aos 22 de julho de 1978 pelo ex-boxeador Eikichi Kawasaki. SNK é um acrônimo para Shin Nihon Kikaku (ou Projeto Novo Japão, em japonês).[3]

Seus produtos mais famosos são o sistema de jogos arcade e o videogame doméstico Neo-Geo, além de diversas séries de jogos como Metal Slug, Samurai Shodown, Fatal Fury, Art of Fighting e The King of Fighters.[4]

História[editar | editar código-fonte]

No início da década de 1970. Eikichi Kawasaki, um ex-boxeador, estava gerenciando uma loja de café e uma empresa de construção civil em Osaka. Em 1973, ele comprou uma empresa de maquinas elétricas em Kobe e fundou a Shin Nihon Kikaku. Quando Eikichi Kawasaki percebeu o rápido crescimento que estava ocorrendo no mercado de videogames operado por moedas, ele expandiu Shin Nihon Kikaku para incluir o desenvolvimento e comercialização de jogos de moeda única opcionais. Em 22 de julho de 1978, a empresa foi reconstuída como Shin Nihon Kikaku Corporation em Higashiosaka.[5][6]

Primeiros jogos[editar | editar código-fonte]

Os dois primeiros títulos conhecidos foram Ozma Wars (1979). um shooter espacial de rolagem vertical e Safari Rally (1980), um jogo de labirinto. Qualidade do jogo melhorou ao longo do tempo, principalmente com Vanguard (1981), um lateral espaço atirador de rolagem que muitos consideram o precursor de clássicos modernos como Gradius e R-Type. SNK licenciou o jogo para Centuri para distribuição na América do Norte, que finalmente começou a fabricar e distribuir o próprio jogo quando os lucros excederam s expectativas.[3]

Ele estabeleceu-se em Sunnyvale, Califórnia, com a intenção de entregar a sua própria marca de jogos operados por moedas para árcades na América do Norte. O homem escolhido para dirigir a operação americana for John Rowe, o eventual fundador da Tradewest e atual presidente e CEO da Sammy Studios.[3]

A SNK Corporation no Japão mudou seu foco somente para o desenvolvimento e licenciamento de videogames para uso de árcade e (mais tarde) para consoles iniciais. Entre 1979 e 1986 produziu 23 jogos de árcade autônomos. Os destaques deste período incluem Mad Estrondo (1984), Alpha Mission (1984), Athena (1986), um jogo que ganhou um grande número de seguidores quando foi portado para o NES em 1987. Seu jogo de maior sucesso deste período de tempo foi Ikari Warriors, lançado em 1986, Ikari Warriors era tão popular que acabou por ser licenciado e portado para o Atari 2600, Atari 7800, Commodore 64, Commodore Amiga, Amstrad CPC, Apple II, ZX Spectrum e NES. Seguiu o jogo com duas sequelas, Victory Road e Ikari III: The Rescue.[3]

Arcade da SNK

Mesmo neste momento, o mercado doméstico ainda estava sofrendo com as consequências causadas pelo acidente de jogo norte-americano em 1983. No entanto, um console fabricante, a Nintendo, parecia resistir ao acidente bastante ileso. SNK se inscreveu para se tornar um licenciado de terceiros para o sistema Famicom da Nintendo em 1985 e abriu uma segunda filial nos Estados Unidos, com sede em Torrance, Califórnia. Nomeado SNK Home Entertainment, ele lidou com a distribuição norte-americana e comercialização de produtos da empresa para consoles domésticos. Por esta altura, John Rowe tinha deixado a empresa para formar a Tradewest, que passou a comercializar a série Ikari Warriors da SNK na América do Norte. Posteriormente, ambas as metades da SNK América estavam sendo agora presididas por Paul Jacobs, que é conhecido principalmente por ter ajudado a lançar o sistema Neo-Geo da empresa fora da Ásia.

Em resposta às fontes vendas dos portos NES da empresa, a SNK começou a se dedicar ao desenvolvimento de software original projetado especificamente para o console NES. Dois jogos vieram fora deste esforço: Baseball Stars (1989) e Crystalis (1990) (sabido como o assassino do deus em Japão). Em 1989 também marcou o lançamento de duas novos consoles de vídeo games domésticos na América do Norte: o Sega Genesis e da NEC projeto conjunto com Hudson Soft, o TurboGraft-16. A Nintendo seguiu o exemplo com um novo sistema em 1991, o Super NES. Ao invés de se envolver no início dos anos 90 as guerras do sistema, SNK Corporation no Japão, juntamente com SNK Corporation of América, escolheu para reorientar os seus esforços no mercado de árcade, deixando outros terceiros, como Romstar e Takara, para licenciar e porta Propriedades da SNK para os vários consoles domésticos da época com a ajuda da divisão de entretenimento doméstico da SNK. Com portas de consoles principalmente sendo manuseadas fora da empresa, passou para o desenvolvimento de SNK marca de equipamentos de árcade.

A SNK também licenciou a Tiger Electronics para comercializar vídeo games portáteis de algumas de suas marcas.

Placa MVS[editar | editar código-fonte]

Na época do auge dos videogames caseiros, a prioridade da SNK ainda era inovar nos arcades, e foi assim que ela criou a placa chamada MVS (Multi Video System).

Placa MVS, uma inovação para os árcades da época.

Esta placa funcionava como os videogames da época: jogos em cartuchos. Ela vinha com uma placa acoplada (o cartucho) e, trocando-se esta placa, trocava-se o jogo, diferindo dos arcades convencionais da época, em que somente se podia alterar o jogo trocando-se a máquina inteira. Outra dádiva que a MVS fornecia para o proprietário na época era o poder de acoplar até 4 jogos na placa, mudando-os quando bem entendesse mediante um interruptor no interior do gabinete. Esta foi uma boa tática da SNK, pois o proprietário poderia diferenciar os jogos para seus clientes a seu bel prazer.

A MVS tem 2 processadores: O Motorola-68000 de 16 bits e o Z-80 de 8 bits. Estes chips, apesar de muito poderosos, eram baratos para a época, e a criação de jogos baseada nas instruções de ambos os processadores era de fácil programação. Outro ponto positivo é que estes processadores eram conhecidos pelas empresas produtoras de jogos, pois eles já haviam aparecido em outros arcades e consoles da época justamente pela facilidade de produção.

A MVS tinha um poderoso processador gráfico. 330 Megabits foi como um slogan por aparecer em todos os jogos que usavam esta placa. A MVS era a placa mais poderosa para processamento de vídeo da época. Enquanto os videogames caseiros tinham 16 Megabits de memória, a MVS tinha 330 Megabits. Ou seja, enquanto os videogames caseiros podiam produzir 64 cores e 80 sprites, a MVS conseguia a proeza de 4096 cores e 380 sprites.

Neo Geo[editar | editar código-fonte]

O console doméstico Neo Geo.

Devido ao êxito obtido na época com a MVS, a SNK resolveu dar um novo passo e, em 1990, criou o Neo Geo AES, ou simplesmente, Neo Geo. O Neo Geo funcionava exatamente igual à MVS: dentro do videogame, apenas os processadores. Todo o resto estava dentro do cartucho. Isto resultou em um fato curioso, que acabou se tornando uma peculiaridade do Neo Geo: o cartucho era quase do mesmo tamanho que o videogame! Cada controle também era do tamanho do próprio console, e desenhado para se parecer com um controle de arcade, com uma "manivela" e quatro grandes botões, ao contrário dos botões direcionais e delicados dos consoles da época. Ele tinha 2 processadores, um de 16 bits, e o outro de 8 bits; pórem, o Neo Geo tinha um defeito grave: era muito caro.

Inicialmente, o console era apenas alugado para estabelecimentos como lojas de videogame, restaurantes e hotéis, pois a SNK imaginava que o alto preço do console afastaria interessados. Contudo, em 1991 o console foi disponibilizado para venda justamente pela alta demanda.[7]

Além de ser o único console de sua geração a reproduzir com total fidelidade os jogos de arcade da época, o Neo Geo inovou ao ser o primeiro console a usar um cartão de memória para salvar o progresso dos jogos. Teve sua produção encerrada em 1997 e o último jogo oficial lançado para o console foi Samurai Shodown V Special, em 15 de julho de 2004.[7]

Neo Geo CD[editar | editar código-fonte]

Neo Geo CD e cd's de jogos.

Em 1994, três anos após o lançamento do Neo Geo AES, a SNK lançou o Neo Geo CD. Se por um lado, o preço deste console, e também dos jogos, era mais baixo que de seu antecessor, por outro lado os tempos de carregamento dos jogos eram muito longos devido ao seu leitor óptico de velocidade 1x, o que afastava o jogador da experiência de ter um "arcade em casa".[7]

Com o lançamento dos jogos SNK para Playstation e Sega Saturn, o Neo Geo CD foi perdendo adeptos posto que aqueles carregavam mais rápido do que este.[8]

Jogos de luta[editar | editar código-fonte]

Depois que a Capcom inovou lançando o Street Fighter II, tendo um êxito estrondoso, a SNK entrou na mesma linha de jogos, intitulados Fighting Games, criando muitos de êxito: Art of Fighting, Fatal Fury, Samurai Shodown, The King of Fighters e outros menos conhecidos. Mas a SNK também foi um marco importante para a inovação dos jogos de luta, aprimorando os sistemas, criando barras de golpes fortes, onde se precisa enchê-la toda para se fazer um super golpe, dentre outros.

Falência[editar | editar código-fonte]

Em 2 de Novembro de 2001, a SNK anuncia oficialmente o encerramento de suas atividades através do comunicado:[9]

Caros fãs e clientes,

É com profundo pesar que, neste outono de 2001, a SNK irá encerrar suas atividades. Seu apoio e encorajamento moveram nossa paixão para desenvolver os melhores jogos para os fãs da SNK. Gostaríamos de aproveitar esta oportunidade para agradecer a todos vocês por sua ajuda contínua e apoio dedicado à SNK desde sua fundação no Japão em julho de 1978.

Sem o seu suporte, a SNK Corporation não teriam sido possíveis os 23 anos de operação. Com muita gratidão, obrigado mais uma vez!

Renascimento[editar | editar código-fonte]

Em Agosto de 2001, Kawasaki iniciou uma nova empresa chamada Playmore, e rapidamente adquiriu os direitos sobre a maioria das marcas e propriedades da SNK, como King of Fighters e Metal Slug. Em seguida, adquiriu a empresa Brezzasoft e contratou boa parte dos ex-funcionários da SNK. Kawasaki estava, gradativamente, remontando a SNK. Faltaria o nome.[3][10]

Stand SNK Playmore em feira de games.

Ao final de 2001 e por 2002, a Playmore fabricou o sistema NeoGeo AES/MVS, bem como lançou os jogos populares da SNK para os consoles Playstation e Dreamcast. Em dezembro de 2002, após negociações jurídicas com antigas parceiras para a fabricação da placa MVS e cartuchos AES, a Playmore retoma as atividades nos Estados Unidos e Canadá.[3]

E, finalmente, em 7 de julho de 2003, a Playmore anunciou que passaria a se chamar SNK Playmore.[3]

Em 2012 a SNK Playmore anuncia o lançamento do Neo Geo X, uma versão portátil do Neo Geo. Contudo, um ano depois a produção foi encerrada por problemas de propriedades intelectuais da marca Neo Geo entre a SNK e sua parceira na fabricação do console, Tommo.[11]

Em 2015, a joint venture chinesa Ledo Millenium, formada pelas empresas Oriental Securities e Shunrong Sanqi, adquire 81,25% da SNK Playmore por $63.5 milhões de dólares.[12]

Em 25 de abril de 2016, a empresa retira o nome "Playmore" do logotipo e reintroduz seu slogan original,The Future is Now (ou O futuro é agora, em português), fazendo alusão ao auge da empresa nos anos 90.[10]

Em 1 de dezembro de 2016, a SNK Playmore Corporation mudou oficialmente seu nome corporativo para SNK Corporation.[13]

Com o objetivo de alertar os fãs das franquias SNK de que a empresa está de volta ao mercado, a empresa cede os direitos de distribuição de seus jogos para a japonesa Hamster Corporation, e assim, em março de 2017, é lançada a série ACA NeoGeo, cujo objetivo é relançar os jogos do antigo Neo-Geo para Playstation 4, Xbox One e Nintendo Switch.[14]

Em novembro de 2017, a SNK assinou um acordo com a empresa árabe Manga Productions visando a criação de uma personagem e cenário saudita para o jogo The King of Fighters XIV. [15]

SNK Entertainment[editar | editar código-fonte]

Em 22 de fevereiro de 2016, a empresa anuncia a criação da subsidiária SNK Entertainment, divisão que será responsável para trabalhar com material licenciado relacionado às suas propriedades.[16]

A criação da SNK Entertainment se deu após a aquisição da SNK pela chinesa Ledo Millenium, cujo CEO, Zheng Jianhui, afirmou que seguirá a formula dos estúdios Marvel.[17]

Tal iniciativa começou a dar seus primeiros frutos com o anúncio do lançamento do mangá da franquia King of Fighters[18] e da série de computação gráfica The King of Fighters: Destiny.[19][20]

Logotipos[editar | editar código-fonte]

1982-1988
1988-2001
2003-2016
Atual

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d Comunicado oficial. Portal Cninfo (em chinês).
  2. Barder, Ollie (24 de Novembro de 2017). «SNK Has Had A Very Good Year And It Is Probably Due To The Switch». Forbes 
  3. a b c d e f g Povo, Frank (11 de junho de 2004). «The History of SNK». IGN (em inglês) 
  4. Barder, Ollie (31 de Maio de 2017). «GOG Is Doing An Excellent Sale Of Classic SNK Games». Forbes 
  5. http://www.jap-sai.com/Games/SNK/SNK.htm
  6. http://pagesperso-orange.fr/neogeospirit/dossiers/snk/dossier_snk1.htm 1978/1979
  7. a b c Lara, Rodrigo (16 de Novembro de 2017). «Com jogos custando R$ 1.200, Neo Geo queria ser fliperama dentro de casa.». Portal Uol 
  8. Neo Geo CD. SNK Brasil.
  9. Chau, Antony (2 de Novembro de 2001). «A sign of the times: Game over for SNK». IGN 
  10. a b Gugelmin, Felipe (28 de Abril de 2016). «SNK volta no tempo e abandona o nome Playmore». Tecmundo 
  11. Pereira, André L. (7 de outubro de 2013). «SNK interrompe a fabricação do NeoGeo X, versão comemorativa de seu console.». Tecmundo 
  12. Weber, Rachel (6 de Agosto de 2015). «SNK Playmore acquired by Chinese joint venture». Game Industry (em inglês) 
  13. Cowley, Ric (1 de Novembro de 2016). «SNK Playmore dropping Playmore name on December 1st». Pocket Gamer (em inglês) 
  14. Alexandre, Vitor (3 de maio de 2017). «O curioso caso da série ACA NEOGEO na Nintendo Switch». Eurogamer 
  15. «The King of Fighters XIV terá personagem e cenário inspirados na cultura árabe». SporTV. 20 de novembro de 2017 
  16. Gugelmin, Felipe (23 de Fevereiro de 2016). «SNK Playmore anuncia a criação da divisão SNK Entertainment». Tecmundo 
  17. Sinclair, Brendan (24 de Fevereiro de 2016). «SNK Playmore establishes SNK Entertainment». Game Industry (em inglês) 
  18. Gomes, Fábio S. (28 de Novembro de 2017). «The King of Fighters ganhará um novo mangá». Omelete 
  19. Silva, Bruno (21 de Março de 2017). «The King of Fighters vai ganhar série em computação gráfica». Omelete 
  20. The King of Fighters: Destiny. Internet Movie Database.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]