TV MS Record

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de TV MS)
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde outubro de 2011). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
TV MS Record
Rede MS Integração de Rádio e Televisão Ltda.
Cidade de concessão Campo Grande, MS
Canais
11 VHF analógico
32 UHF digital
Outros canais 13 - Aquidauana


2 - Bodoquena
10 - Bonito
11 - Corumbá
4 - Dourados
2 - Maracaju
9 - Miranda
8 - Naviraí
2 - Ponta Porã
12 - Rio Brilhante

Slogan Aberta para o novo
Rede Rede Record
Rede(s) anterior(es) Rede Manchete (1987-1995)
Fundador Ivan Paes Barbosa
Proprietário Organizações Ivan Paes Barbosa
Fundação Fevereiro de 1987
Prefixo ZYA 946
Nome(s) anteriore(s) TV MS (1987-2008)
Cobertura Estado do Mato Grosso do Sul
Potência 31,6 kW
Página oficial diariodigital.com.br

TV MS Record é uma emissora de televisão brasileira com sede em Campo Grande, MS. Transmite a programação da Rede Record, além de gerar programas locais. Opera no canal 11 VHF analógico e, em caráter experimental, no canal 32 UHF digital.

História[editar | editar código-fonte]

Rede Manchete[editar | editar código-fonte]

A emissora foi inaugurada em fevereiro de 1987 como TV MS, afiliada à Rede Manchete.

O início da TV MS foi marcado pela produção em massa de programas locais, principalmente jornalísticos. Entre eles, destacavam-se o telejornal Bom Dia Cidade, exibido pela manhã e as duas edições do MS em Manchete, uma ao meio-dia e a outra às 18h30. Passaram pela emissora apresentadores como Armando Tibana, Gladis Linhares, Veruska Donato (atualmente repórter da Rede Globo em São Paulo), Lucimar Lescano, Valéria Saigaly, Karina Maia, Nivaldo Mota e Manoel Afonso.

A novela Pantanal, exibida em 1990, contou com o apoio da TV MS e do governo do Estado do Mato Grosso do Sul. O diretor da novela, Jayme Monjardim, e o autor, Benedito Ruy Barbosa, reuniram-se com o então governador Marcelo Miranda para a preparação logística necessária (destinação de verbas para a produção, auxílio na locação de fazendas, hotéis, etc.). Na época, Mato Grosso também tinha interesses na trama, mas o governo de Mato Grosso do Sul agiu mais rapidamente. Foi a partir dos elevados índices de audiência de Pantanal que a região e o estado começaram a ser conhecidos nacionalmente. Uma reportagem na Revista Manchete acentuou o processo de divulgação.

Rede Record[editar | editar código-fonte]

Em 1995, com a decadência da Rede Manchete (que começava a perder afiliadas), a TV MS passou a integrar a Rede Record. A nova grade reduziu o espaço jornalístico local e aumentou a programação religiosa. O Jornal MS passou a ser exibido em apenas uma edição diária, no início da noite.

Reformulação[editar | editar código-fonte]

2008[editar | editar código-fonte]

No dia 25 de agosto de 2008, na véspera do aniversário de Campo Grande, a emissora passou a se chamar TV MS Record e inaugura a sua nova programação[1] [2] .

Após uma grande reformulação na estrutura jornalística, além da contratação de profissionais da concorrente TV Morena, afiliada da Rede Globo no estado, a emissora estreou o MS Record - 1ª Edição, às 11h00, sob a apresentação de Waléria Leite.

Logo após, às 11h30, entrava no ar, reformulado (o programa já havia estreado em maio do mesmo ano), seguindo o padrão da Rede Record, o Balanço Geral, com o apresentador Waldir Neves, que anteriormente apresentava o programa Tema Livre, da TV Guanandi, afiliada da Band no estado.

Às 18h10, estreou o MS Record - 2ª Edição, com o comando de Carmen Cestari.

A TV MS Record passa a contar também com um repórter de rede, Sirley Pires, vindo da Record Minas, que passou a ser responsável pelas matérias que serão veiculadas no telejornais da Rede Record, como o Fala Brasil e o Jornal da Record.

Ainda em 2008, no mês de novembro, a TV MS Record estreou o Record Rural[3] , sob o comando de Carmen Cestari e Osmar Bastos, diretor de jornalismo da emissora, que anteriormente já havia apresentado um telejornal com temática rural na TV Morena.

2009[editar | editar código-fonte]

Em 31 de março de 2009, foi ao ar o último Balanço Geral. A emissora não renovou o contrato dos apresentadores e o programa foi extinto.

Em 27 de abril de 2009, o jornalismo da TV MS Record passa por nova reformulação. No MS Record - 1ª Edição, Glaura Villalba[4] sucede Waléria Leite na apresentação e Regina Müller na editoria-chefe. E no MS Record - 2ª Edição, Juliana Lanari[5] sucede Carmen Cestari na apresentação e Danielly Escher na editoria-chefe, que é a partir de agora editora.

Em 13 de maio de 2009, é anunciada a contratação do jornalista Rodrigo Moterani[6] , como editor-chefe e apresentador do programa Balanço Geral, dividindo a apresentação com o radialista Alcides Bernal. A estreia do programa seria no dia 29 de junho, com exibição das 11h30 às 12h30, mas a data de estreia foi mudada para 17 de Agosto de 2009[7] . Nesse mesmo dia, estreia o Record Rural - Diário, um boletim rural diário.

Na semana em que a emissora completou 1 ano de reformulação, foi exibida uma série de reportagem intitulada "TV MS Record - 1 ano de mudança" nos telejornais MS Record 1ª e 2ª Edições e outra série em homenagem aos 110 anos de Campo Grande.

Em 22 de dezembro de 2009, é anunciada a contratação do deputado estadual e jornalista Maurício Picarelli[8] , seu programa, o Picarelli com Você, migrou da TV Guanandi para a TV MS Record em 18 de janeiro de 2010, quando Picarelli estreou na emissora de Ivan Paes Barbosa.

OAB em Debate[editar | editar código-fonte]

A Rede MS de Rádio e Televisão foi pioneira a transmitir pela televisão (TV MS Record), rádio (Rede MS de Rádio) e internet (Portal MS Record) um debate em 28 de setembro de 2009 entre os candidatos à presidência da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) seccional Mato Grosso do Sul, Ary Raghiant Neto e Leonardo Duarte. Um segundo debate foi realizado em 26 de outubro, também às 18h. Nos dois debates, o mediador foi o jornalista Ogg Ibrahim, repórter da TV Record São Paulo e que já trabalhou no Estado e participou da reformulação da emissora.

2010[editar | editar código-fonte]

Em 11 de janeiro, uma nova reformulação: o cenário do MS Record, muito criticado por ser semelhante ao do concorrente MSTV muda[9] , e o telejornal ganha um formato mais dinâmico[10] . A bancada foi abolida, e as apresentadoras caminham pelo estúdio, chamam os repórteres ao vivo, comentam as notícias e recebem convidados e colunistas. Em vista disso, o concorrente MSTV - 1ª Edição adota parte do formato[11] : os apresentadores passaram a apresentar a chamada de pé e se revezam caminhando pelo estúdio.

Em 18 de janeiro, estreia o programa Picarelli com Você, com Maurício Picarelli. Em vista disso, a programação matutina/vespertina da emissora passa por mudanças. Picarelli entra no ar com seu programa às 11h00, às 12h30, entra no ar o MS Record - 1ª Edição[12] , logo após, às 13h00, o Balanço Geral.

Em 23 de janeiro, estreou o programa Estilo de Vida, com a jornalista e apresentadora Carmem Cestari, ex-apresentadora do MS Record - 2ª Edição.

Em 1º de fevereiro, é anunciada a contratação das jornalistas Ellen Genaro e Neiba Ota[13] . Ellen apresentava o MS Rural, na concorrente TV Morena e Neiba era repórter do Correio do Estado e já foi editora do extinto Toda Prosa, sendo todos da também concorrente TV Campo Grande.

A partir de 8 de fevereiro, Ellen Genaro será a editora-chefe e apresentadora do MS Record - 2ª Edição, substituindo Juliana Lanari, que a partir desta data passará a ser repórter da TV MS Record.

Em abril, a emissora contrata a jornalista Luciana Vicente, ex-repórter da TV Morena de Dourados e ex-apresentadora da edição local do MSTV. Luciana passa a ser repórter da TV MS Record em Campo Grande e editora do MS Record 2ª Edição.

Em 28 de abril, a emissora inaugura uma sucursal em Corumbá[14] [15] .

Devido à legislação eleitoral, em 25 de junho, o programa Picarelli com Você sai do ar, devendo retornar em outubro. Em seu lugar, estreou em 28 de junho o Programa da Família, com a apresentação de Magali Picarelli.

Por causa da propaganda eleitoral obrigatória (de 17 de agosto a 2 de outubro de 2010), a grade de programação da emissora passa por mudanças. O Programa da Família passa para o horário das 10h45, E o MS Record - 1ª Edição, às 12h50. À noite, o Balanço Geral abre a programação noturna às 18h10, logo após, o MS Record - 2ª Edição, mais curto, vai ao ar às 18h40. E para suprir o pouco espaço do telejornal noturno, a emissora estreia o MS Record Notícias, um boletim noticioso de cinco minutos apresentado por Ellen Genaro[16] .

Em dezembro, o apresentador do Balanço Geral, Rodrigo Moterani é contratado pela TV Record Bauru[17] .

2011[editar | editar código-fonte]

Em janeiro, a gerente de jornalismo da TV MS Record, Ana Raquel Copetti, é contratada pela Record Goiás[18] . Em seu lugar, assume Ellen Genaro[19] .

Em fevereiro, reestreia o MS Record - Edição de Sábado.

Em outubro, estreia o programa Picarelli Debate, com a apresentação de Maurício Picarelli[20] .

Acrissul em Debate[editar | editar código-fonte]

A Rede MS de Rádio e Televisão seria pioneira a transmitir pela televisão (TV MS Record) e rádio (Rede MS de Rádio) um debate em 5 de junho de 2011 entre os candidatos à presidência da Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul (Acrissul), Francisco Maia e José Lemos Monteiro. O mediador seria o jornalista Cadu Bortolot, apresentador da Rádio Cidade de Campo Grande[21] . Por força de um liminar da Justiça, que suspendeu a eleição[22] , o debate foi cancelado[23] .

2012[editar | editar código-fonte]

Em janeiro, o Picarelli com Você estreia novo cenário. Semanas depois, o MS Record 2ª Edição sai do ar e o Balanço Geral entra em férias. No dia 30, o Balanço Geral reestreia sob o comando de Maurício Picarelli, apresentador do Picarelli com Você e Picarelli Debate.

Em março, a emissora começa a publicar em várias mídias (jornais impressos e o Diário Digital, pertencente à Rede MS, chamadas de um programa automotivo. Nos dias seguintes, confirma-se: o programa se chamará Auto News, a ser apresentado por Paulo Cruz e Scheila Canto, que tinham coluna com esse mesmo tema no Diário Digital. A estreia foi marcada para o dia 11, às 11 da manhã. Esse programa já havia sido exibido na então TV Campo Grande (atual SBT MS), apresentado por Ogg Ibrahim.

Em 11 de março, a TV MS Record estreia o programa Auto News, apresentado por Paulo Cruz[24] .

2013[editar | editar código-fonte]

Em novembro, o jornalista André Navarro, então na TV Morena, assume o comando da sucursal da TV MS Record em Corumbá.

2015[editar | editar código-fonte]

Em janeiro, estreia o Cidade Alerta MS, com a apresentação de Maurício Picarelli.

Em março, Rezende Jr. assume a apresentação do Balanço Geral. Em seguida, o programa passa a ser veiculado pela manhã.

Em agosto, o MS Record passa a ser veiculado à noite, apresentado por Ellen Genaro.

Diário Digital[editar | editar código-fonte]

O Diário Digital faz parte do departamento de jornalismo da TV MS Record, com atualização de notícias em tempo real. O editor-chefe é o jornalista Marcelo Varela.

Programação local[editar | editar código-fonte]

Além de retransmitir a Rede Record, a TV MS Record produz e exibe os programas "Picarelli com Você" (policial, apresentado por Maurício Picarelli), "Record Rural"[25] , "Balanço Geral", "Auto News", "Vivendo a Vida" e o telejornal "MS Record". Adere à Rede Fuso da emissora após o Jornal da Record.

Sinal[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]