Thelma & Louise

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Thelma & Louise
No Brasil Thelma & Louise[1]
Em Portugal Thelma e Louise[2]
 Estados Unidos
1991 •  cor •  129 min 
Direção Ridley Scott
Produção Ridley Scott
Mimi Polk Gitlin
Coprodução Callie Khouri
Dean O'Brien
Roteiro Callie Khouri
Elenco Susan Sarandon
Geena Davis
Harvey Keitel
Gênero aventura
drama
estrada
Música Hans Zimmer
Cinematografia Adrian Biddle
Figurino Elizabeth McBride
Edição Thom Noble
Companhia(s) produtora(s) Pathé
Percy Main Productions
Star Partners III Ltd.
Metro-Goldwyn-Mayer
Distribuição Metro-Goldwyn-Mayer
Lançamento Estados Unidos 24 de maio de 1991
Idioma inglês
Orçamento US$ 16.5 milhões[3]
Receita US$ 45.4 milhões[3]

Thelma & Louise é um filme de estrada americano de 1991, dos gêneros aventura e drama, dirigido por Ridley Scott e escrito por Callie Khouri. É estrelado por Geena Davis, que interpreta Thelma, e Susan Sarandon, interprete de Louise, duas amigas que embarcam em uma viagem com consequências imprevistas. O elenco secundário é composto por Harvey Keitel, Michael Madsen e Brad Pitt em seu primeiro grande papel no cinema.

Embora o cenário do filme seja uma rota fictícia entre o Arkansas e o Grand Canyon, foi filmado quase inteiramente nos estados da Califórnia e Utah. Os principais locais de filmagem foram áreas rurais em torno de Bakersfield, Califórnia e Moab, Utah. As cenas do Grand Canyon foram filmadas ao sul do Parque Estadual Dead Horse Point, em Utah.[4] Partes do filme também foram filmadas em Shafer Overlook, Monument Valley, La Sal Mountains, La Sal, Cisco, Old Valley City Reservoir, Thompson Springs, Parque Nacional dos Arcos e Crescent Junction, em Utah.[5]

Pete Haycock no slide guitar contribuiu para Thunderbird, a música-tema do filme. Além de "Part of Me, Part of You" de Glenn Frey, que se tornou a música principal do filme, a trilha sonora incluiu músicas interpretadas por Chris Whitley, Martha Reeves, Toni Childs, Marianne Faithfull, Charlie Sexton, Grayson Hugh, B.B. King, e Michael McDonald.

Após seu lançamento, o filme tornou-se um sucesso crítico e comercial e é considerado um clássico, além de ter influenciado outros filmes e obras artísticas e tornado-se um marco no cinema feminista. Recebeu indicações e vitórias a diversos prêmios, incluindo oito indicações ao 45.º British Academy Film Awards, dentre as quais a de Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Atriz (Davis e Sarandon) e Melhor Roteiro Original;[6] ao 49.º Globo de Ouro, foi nomeado a Melhor Filme Dramático, Melhor Atriz (Davis e Sarandon) e ganhou Melhor Roteiro Original (Khouri).[7] À 64.ª edição do Oscar, foi indicado nas categorias de Melhor Diretor, Melhor Atriz (Davis e Sarandon), Melhor Fotografia, Melhor Edição e Melhor Roteiro Original, vencendo esta última.[8] O filme foi exibido fora de competição no Festival de Cannes de 1991.[9] O British Film Institute publicou um livro sobre o filme em 2000 como parte de uma série Modern Classics.[10] Na lista dos 101 melhores roteiros do Writers Guild of America Award, ele ficou na posição 72.[11] Em 2016, a Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos selecionou-o para preservação no National Film Registry, considerando-o "cultural, histórico ou esteticamente significativo".[12]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Depois de assistir ao filme, a cantora e compositora Tori Amos escreveu "Me and a Gun", a história de seu estupro vários anos antes.[13]

O filme também recebeu duras críticas de quem achava que era preconceituoso contra os homens e que suas representações de homens eram injustamente negativos.[14][15]

Na cena onde Demi Moore interage com outras mulheres no filme G.I. Jane, são identificadas duas garotas cujos nomes são Thelma e Louise. Trata-se de uma homenagem do diretor Ridley Scott ao filme Thelma & Louise, ambos os filmes foram dirigidos por ele.[16]

Feminismo[editar | editar código-fonte]

Numerosos críticos e escritores comentaram sobre as fortes implicações feministas de Thelma & Louise. A crítico de cinema B. Ruby Rich elogia o filme como uma validação intransigente das experiências das mulheres,[17] enquanto Kenneth Turan o chama de "road movie neofeminista".[18] Em seu ensaio "The Daughters of Thelma and Louise", Jessica Enevold argumenta que o filme constitui "um ataque aos padrões convencionais de comportamento machista chauvinista em relação às fêmeas". Além disso, "expõe os estereótipos tradicionais dos relacionamentos entre homens e mulheres", enquanto reescreve os papéis típicos de gênero do gênero filme de estrada.[19]

Em sua resenha para o Los Angeles Times, a crítica de cinema Sheila Benson se opõe à caracterização do filme como feminista, argumentando que é mais preocupado com a vingança e a violência do que os valores feministas.[20]

Em sua resenha para o New York Post, o crítico de cinema Kyle Smith descreve o filme como "um conto misógino sobre mulheres inacreditavelmente astutas que perdem o que resta de sua razão sob pressão e sofrem a punição final".[21] A crítica de Smith se concentrou menos no fato de que o filme é protagonizado por personagens femininas e, em vez disso, aponta as terríveis decisões que essas personagens femininas tomam ao longo de todo o filme.[21]

Em um artigo comemorativo do 20º aniversário do filme, em 2011, Raina Lipsitz chamou-o de "o último grande filme sobre mulheres" e disse que ele anunciava as conquistas das mulheres que fizeram com que 1992 se tornasse "o ano da mulher".[22] No entanto, ela também disse que os filmes com temas femininos já estão perdendo terreno.[22]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Oscar 1992

Categoria Notas Resultado
Melhor Diretor Ridley Scott Indicado
Melhor Atriz Principal Geena Davis Indicado
Susan Sarandon Indicado
Melhor Roteiro Original Callie Khouri Venceu
Melhor Edição Thom Noble Indicado
Melhor Fotografia Adrian Biddle Indicado

Golden Globe Awards 1992

Categoria Notas Resultado
Melhor Filme - Drama Thelma & Louise Indicado
Melhor Atriz - Drama Geena Davis Indicado
Susan Sarandon Indicado
Melhor Roteiro Callie Khouri Venceu

Referências

  1. Thelma & Louise (em português) no AdoroCinema (Brasil)
  2. Thelma & Louise (em português) no CineCartaz (Portugal)
  3. a b «Thelma and Louise (1991)». Box Office Mojo. Consultado em 15 de junho de 2012 
  4. «Movies filmed in the Moab area». Moab Area Travel Council. Consultado em 29 de julho de 2008 
  5. D'Arc, James V. (2010). When Hollywood Came to Town: A History of Moviemaking in Utah 1st ed. Layton, Utah: Gibbs Smith. ISBN 9781423605874 
  6. AlloCine, Prix et nominations pour Thelma et Louise, consultado em 7 de dezembro de 2018 
  7. FOX, DAVID J. (20 de janeiro de 1992). «And the Race Is On . . . : 'Bugsy,' 'Beauty,' 'JFK' Win Globes--Leave Top Oscar Wide Open». Los Angeles Times (em inglês). ISSN 0458-3035 
  8. «64th Academy Awards Winners». Academy of Motion Picture Arts and Sciences. 2 de maio de 2011. Consultado em 7 de dezembro de 2018 
  9. «Festival de Cannes: Thelma & Louise». festival-cannes.com. Consultado em 12 de agosto de 2009 
  10. Sturken 2000.
  11. Writers Guild of America West. «101 Greatest Screenplays». Writers Guild of America West. Consultado em 7 de julho de 2018. Cópia arquivada em 22 de novembro de 2016 
  12. Rainey, James (14 de dezembro de 2016). «'The Birds,' 'The Lion King,' 'Thelma & Louise' Join National Film Registry». Variety (em inglês). Consultado em 7 de dezembro de 2018 
  13. «Tori Amos on Her New Album and the "Muses" That Inspire Her Songs». CBS This Morning. 11 de novembro de 2017 
  14. «Is This What Feminism Is All About?». 24 de junho de 1991. Consultado em 7 de julho de 2018. Cópia arquivada em 7 de julho de 2018 
  15. Sawyers, June (7 de julho de 1991). «Callie Khouri Answers Critics of 'Thelma and Louise'». Features. Chicago Tribune. Consultado em 7 de julho de 2018. Cópia arquivada em 9 de julho de 2012 
  16. Até o Limite da Honra AdoroCinema
  17. Rich, B. Ruby (18 de fevereiro de 2003). «Two for the Road». The Advocate. pp. 48–49 
  18. Dunne, Michael (2001). Intertextual Encounters in American Fiction, Film, and Popular Culture. [S.l.]: Bowling Green State University Popular Press. p. 89. ISBN 0-87972-848-5 
  19. Enevold, Jessica (2004). «The Daughters of Thelma and Louise». Gender, Genre & Identity in Women's Travel Writing. New York: [s.n.] pp. 73–95. ISBN 0-8204-4905-9 
  20. Sturken 2000, p. 11.
  21. a b Smith, Kyle (7 de abril de 2016). «As a Feminist Film, 'Thelma & Louise' Fails Miserably». Entertainment. New York Post. Consultado em 7 de julho de 2018. Cópia arquivada em 7 de julho de 2018 
  22. a b Lipsitz, Raina (31 de agosto de 2011). «'Thelma & Louise': The Last Great Film About Women». Culture. The Atlantic. Consultado em 7 de julho de 2018. Cópia arquivada em 4 de julho de 2014 

Trabalhos citados[editar | editar código-fonte]

  • Sturken, Marita (2000). Thelma and Louise. London: British Film Institute. p. 11. ISBN 0-85170-809-9 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]