White Rabbit

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura o episódio de Lost, veja White Rabbit (Lost).
"White Rabbit"
Single de Jefferson Airplane
do álbum Surrealistic Pillow
Lado B "Plastic Fantastic Lover"
Lançamento 24 de junho de 1967
Formato(s) LP
Gravação 3 de novembro de 1966
Gênero(s) rock psicodélico
Duração 2:30
Gravadora(s) RCA Victor
Composição Grace Slick
Produção Rick Jarrard
Cronologia de singles de Jefferson Airplane
Último
"Somebody to Love"
(1967)
"Ballad of You and Me and Pooneil"
(1967)
Próximo

"White Rabbit" é uma canção de rock psicodélico lançada em 1967 como segundo single de Surrealistic Pillow, o segundo álbum da banda estadunidense Jefferson Airplane. Atingiu a oitava posição na Billboard Hot 100, se tornando uma das canções mais conhecidas da banda nos Estados Unidos.

Letra e composição[editar | editar código-fonte]

Uma das primeiras composições de Grace Slick, escrita em 1966, "White Rabbit" traça paralelos entre os efeitos alucinógenos do LSD e o mundo imaginário de Lewis Carroll em suas obras Alice no País das Maravilhas (1865) e Alice através do Espelho (1871). Eventos dos livros como a mudança de tamanho após comer cogumelos ou beber líquidos desconhecidos são mencionados.

No perfil de Grace no site oficial da banda[1] é citado que, para Grace, a intenção da canção era como um "tapa" aos pais que lêem histórias infantis tais quais a de Alice (em que ela usa diversas substâncias alucinógenas para mudar a si mesma), e depois se perguntam porque seus filhos começam a se drogar. Para Grace e outros da década de 1960, as drogas eram parte inevitável de um processo de transcendência da mente e experimentação social.

Com um crescendo similar ao empregado por Maurice Ravel em seu famoso Bolero, e tendo forte influência da música espanhola, a composição e sua letra sugerem as distorções sensoriais experimentadas com o uso de alucinógenos. Assim como "Somebody to Love", esta canção foi trazida por Slick para o Jefferson Airplane de sua antiga banda, The Great Society, após ter substituído a vocalista original do Airplane, Signe Toly Anderson.

Canções posteriores de The Jacksons ("Can You Feel It") e Madonna ("Material Girl") utilizaram a mesma linha de baixo de "White Rabbit".

Legado[editar | editar código-fonte]

Em 2004, "White Rabbit" foi classificada como a 478ª melhor canção de todos os tempos pela revista Rolling Stone. Também foi incluída na lista do Rock and Roll Hall of Fame das 500 canções que moldaram o rock and roll.

Referências culturais[editar | editar código-fonte]

  • George Benson fez uma versão da canção num álbum homônimo, em 1969.
  • No filme Medo e Delírio em Las Vegas, o personagem Dr. Gonzo pede para ser eletrocutado enquanto ouve "White Rabbit".
  • As banda de Heavy Metal Serpent's Knight fez um cover desta canção no seu álbum Released From The Crypt de 1983. Sendo esse álbum o único do grupo, o vocalista Warrel Dane fez novamente um cover de "White Rabbit" na sua banda posterior, o Sanctuary, que deu origem ao Nevermore. O grupo freqüentemente tocava a sua versão da música em suas apresentações, sendo possível ouvi-la no álbum Into the Mirror Black: Reflections e num bootleg de uma apresentação em Detroit, muito difundido na internet.
  • A canção foi também inclusa na trilha sonora do filme Sucker Punch na versão de Emiliana Torrini.
  • A canção foi tocada ao final do episódio de abertura da série Stranger Things (Ep 1×01, The Vanishing of Will Byers)

Referências

  1. Greg Gildersleeve (1998). «Jefferson Airplane: The Band: GRACE SLICK». Sítio oficial do Jefferson Airplane. Consultado em 2 de dezembro de 2007.