Arnaldo Lopes Süssekind

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Arnaldo Lopes Süssekind (Rio de Janeiro, 9 de julho de 1917 — Rio de Janeiro, 9 de julho de 2012) foi um jurista e político brasileiro.

Graduado em Direito pela então Universidade do Brasil,[1] por 11 dos 13 dias da presidência provisória de Ranieri Mazzilli ocupou dois Ministérios: o Ministério da Agricultura e o Ministério do Trabalho e Previdência Social, de 4 a 15 de abril de 1964. Com a posse do general Humberto de Alencar Castelo Branco passou a ocupar o Ministério do Trabalho e Previdência Social entre 20 de abril de 1964 a 7 de dezembro de 1965. Foi ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST) entre 1965 e 1971.

Süssekind foi integrante da comissão nomeada por Getúlio Vargas para elaboração da Consolidação das Leis do Trabalho, em 1942, juntamente com os juristas José de Segadas Viana, Oscar Saraiva, Luiz Augusto Rego Monteiro e Dorval Lacerda Marcondes. Foi, também, representante brasileiro junto à OIT - Organização Internacional do Trabalho.

Integrou a Academia Brasileira de Letras Jurídicas e a Academia IberoAmericana de Derecho del Trabajo y de la Seguridad Social. Foi consultor jurídico da Companhia Vale do Rio Doce e Conselheiro da Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro.

O prédio que sediou o antigo Ministério do Trabalho no Rio de Janeiro, edificio em que funciona o Centro Cultural do Trabalho do Rio recebeu o seu nome, ainda vida. Nele foi realizado o velório de seu corpo.

Faleceu no dia 9 de julho de 2012, mesma data em que completou 95 anos.[2]

Referências

Precedido por
Amaury de Oliveira e Silva
Ministro do Trabalho e Previdência Social do Brasil
19641965
Sucedido por
Walter Peracchi Barcelos
Precedido por
Osvaldo Lima Filho
Ministro da Agricultura do Brasil
1964
Sucedido por
Oscar Thompson Flores