Ricardo Berzoini

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ricardo Berzoini
Ricardo Berzoini em 2007
Ministro-chefe da Secretaria de Relações Institucionais do  Brasil
Mandato 1 de abril de 2014
até atualidade
Presidente Dilma Rousseff
Antecessor(a) Ideli Salvatti
Sucessor(a)
Deputado federal por  São Paulo
Mandato 1 de fevereiro de 1999
até 1 de abril de 2014
(4 mandatos consecutivos)
Ministro do Trabalho e Emprego do  Brasil
Mandato 23 de janeiro de 2004
até 12 de julho de 2005
Presidente Luiz Inácio Lula da Silva
Antecessor(a) José Cechin
Sucessor(a) Amir Lando
Ministro da Previdência Social do  Brasil
Mandato 1 de janeiro de 2003
até 23 de janeiro de 2004
Vida
Nascimento 10 de fevereiro de 1960 (54 anos)
Juiz de Fora, (MG)
Dados pessoais
Cônjuge Sônia Rodrigues
Partido PT
Profissão Sindicalista

Ricardo Berzoini (Juiz de Fora, 10 de fevereiro de 1960) é um engenheiro e político brasileiro.

Atualmente exerce o quarto mandato consecutivo de deputado federal pelo Partido dos Trabalhadores por São Paulo desde 1999.

Vive em São Paulo desde os seis anos de idade. Bancário concursado do Banco do Brasil, iniciou na política no Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, do qual foi presidente.

Elegeu-se deputado federal pelo PT quatro vezes, em 1998, 2002, 2006 e 2010.

Ministro[editar | editar código-fonte]

Foi ministro da Previdência Social no primeiro governo Luiz Inácio Lula da Silva.

Na reforma ministerial de 2004, Berzoini deixou o ministério para dar lugar ao PMDB de Amir Lando. Substituiu então Jaques Wagner no Ministério do Trabalho e Emprego.

Presidente do PT[editar | editar código-fonte]

Em 2005, Lula anunciou a substituição de Berzoini por Luiz Marinho, presidente da CUT. A intenção inicial era de que ele voltasse a assumir o seu mandato de deputado, para defender na Câmara o governo da bateria de acusações que enfrenta. As circunstâncias, porém, o levaram à secretaria-geral do PT,. No final de 2005, foi escolhido o candidato oficial do Campo Majoritário à presidência do partido. Mais bem votado no primeiro turno da eleição interna, derrotou, no segundo turno, o oposicionita Raul Pont. Sua vitória representou a continuidade do Campo Majoritário, grupo que está na presidência do partido desde sua fundação.[1]

Berzoini foi coordenador da campanha de reeleição de Lula na eleição presidencial em 2006 porém foi substituído por Marco Aurélio Garcia devido ao Escândalo do Dossiê e se afastou da presidência do partido.[2] [3]

Pouco depois, voltou a presidir o partido, sendo reeleito em dezembro de 2007 para o biênio 2008-2010, derrotando a Jilmar Tatto no segundo turno.[4]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

É casado com Sônia Rodrigues e é pai de três filhos.[5]

Referências

  1. Berzoini é eleito presidente do PT, Pont quer mudanças. UOL (11 de outubro de 2005).
  2. Lula intervém na campanha e troca Berzoini por Garcia. UOL (20 de setembro de 2006).
  3. Berzoini anuncia afastamento da presidência do PT. Estadão (6 de outubro de 2006).
  4. Berzoini vence 2º turno e é reeleito presidente do PT. Folha UOL (18 de dezembro de 2007).
  5. Visita do Deputado Ricardo Berzoini em Pindamonhangaba. Diretório Estadual de São Paulo do Partido dos Trabalhadores (31 de janeiro de 2014).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Ricardo Berzoini
Precedido por
José Cechin
Ministro da Previdência Social do Brasil
2003–2004
Sucedido por
Amir Lando
Precedido por
Jaques Wagner
Ministro do Trabalho e Emprego do Brasil
2004–2005
Sucedido por
Luiz Marinho
Precedido por
Marco Aurélio Garcia
Presidente do PT
2007–2010
Sucedido por
José Eduardo Dutra
Precedido por
Ideli Salvatti
Ministro-chefe da Secretaria de Relações Institucionais
2014–atual
Sucedido por