Cid Gomes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cid Gomes
Cid Gomes
Ministro da Educação do  Brasil
Período 1 de janeiro de 2015
até a atualidade
Presidente Dilma Rousseff
Antecessor(a) José Henrique Paim
59.º Governador do  Ceará
Período 1 de janeiro de 2007
até 1 de janeiro de 2015
Vice-governador Francisco José Pinheiro
Domingos Gomes de Aguiar Filho
Antecessor(a) Lúcio Alcântara
Sucessor(a) Camilo Santana
Prefeito de Bandeira sobral.PNG Sobral
Período 1 de janeiro de 1997
até 31 de dezembro de 2004
Antecessor(a) Aldenor Façanha Júnior
Sucessor(a) Leônidas Cristino
Deputado estadual do  Ceará
Período 1 de janeiro de 1991
até 31 de dezembro de 1995
Vida
Nascimento 27 de abril de 1963 (51 anos)
Sobral, CE
Dados pessoais
Esposa Maria Célia Habib Moura Ferreira Gomes
Partido PMDB (1983 - 1988)
PSDB (1988 - 1996)
PPS (1996 - 2003)
PSB (2003 - 2013)
PROS (2013-)
Assinatura Assinatura de Cid Gomes

Cid Ferreira Gomes (Sobral, 27 de abril de 1963) é um engenheiro civil e político brasileiro.

Foi filiado ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), Partido Popular Socialista (PPS) e Partido Socialista Brasileiro (PSB).[1] Atualmente é filiado ao Partido Republicano da Ordem Social (PROS). Foi governador do estado do Ceará por dois mandatos.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de José Euclides Ferreira Gomes Júnior, ex-prefeito de Sobral, e de Maria José Santos Ferreira Gomes, realizou seus estudos em sua cidade natal. Cursou graduação de Engenharia Civil na Universidade Federal do Ceará (UFC), em Fortaleza, onde chegou a ocupar a presidência do Centro Acadêmico. É irmão do ex-deputado estadual e atual secretário das cidades do Ceará, Ivo Gomes.[2] O outro irmão, Ciro Gomes, também ingressou na política, tendo sido prefeito de Fortaleza, deputado estadual, deputado federal, governador do estado do Ceará, candidato à presidência da República e Ministro da Fazenda e da Integração Nacional.[3]

Ingressou na política aos 25 anos, em 1988, como vice na chapa de José Linhares Pontes (popularmente conhecido como Padre Zé) à prefeitura de Sobral, derrotados com uma pequena margem de votos pelo candidato José Parente Prado.[4] Foi posteriormente eleito deputado estadual (1990 e 1994), prefeito de Sobral (1996 e 2000) e governador do estado do Ceará (2006 e 2010).

No começo de 2005, mudou-se para Washington D.C, nos Estados Unidos, onde exerceu a função de consultor do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).[5]

Em 2013, foi listado como um dos 60 nomes mais poderosos do país pelo portal IG.[6]

Cid Gomes é casado com Maria Célia Habib Moura Ferreira Gomes e pai de Rodrigo Dias Ferreira Gomes (nascido em 1997), Matheus Habib Ferreira Gomes (nascido em 2007) e Pedro Gomes (nascido em 2015). [7]

Carreira Pública[editar | editar código-fonte]

Deputado Estadual[editar | editar código-fonte]

Em 1990, foi eleito deputado estadual por dois mandatos consecutivos (1991 e 1995). Foi primeiro secretário da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Ceará e, no segundo mandato, foi eleito por unanimidade presidente da Assembleia, com 32 anos, sendo o presidente mais jovem da história do parlamento estadual.[8]

Cid Gomes, por seu destaque como presidente da assembleia cearense, participou da Conferência Nacional de Assembleias Legislativas dos Estados Unidos (1996) e do Encontro de Integração de Jovens Políticos da América latina e da Europa, realizado pela Fundação Konrad Adenauer (1996).

Prefeito de Sobral[editar | editar código-fonte]

Em 1996, disputou o cargo de prefeito municipal de Sobral, sendo eleito com um montante de mais de 64% dos votos do eleitorado. Em 2000, concorreu à reeleição, vencendo novamente com mais de 68% dos votos.

Governador do Estado do Ceará[editar | editar código-fonte]

Em 2006, Cid Gomes foi eleito Governador do Ceará, derrotando o então ocupante do cargo, Lúcio Alcântara, em primeiro turno, com 62,38% dos votos. Quatro anos depois, foi reeleito, também no primeiro turno, com 62,31% dos votos. No primeiro mandato de governador, o vice foi o Doutor e historiador Professor Pinheiro e, no segundo, o advogado Domingos Filho.

Uma investigação da Polícia Federal foi realizada, em 2010, sobre um suposto desvio de 300 milhões de reais de verbas do Ministério da Integração Nacional, entre 2003 e 2009, quando Ciro Gomes era o titular da pasta, para financiar campanhas políticas dele e do irmão Cid Gomes. A investigação também apurou o alegado envolvimento de Cid Gomes e do político cearense Zezinho Albuquerque em um esquema de desvio de recursos. [9]

Construiu o Centro de Eventos do Ceará, um dos maiores centros de convenções da América Latina, que abriga eventos, palestras, feiras, shows, congressos, workshops, exposições, seminários, eventos esportivos, entre outros. Com capacidade para 30.000 pessoas, é um dos mais modernos equipamentos e segundo maior espaço de eventos do Brasil.

Em 2011, ao se pronunciar contra professores grevistas, disse: "Quem quer dar aula faz isso por gosto, e não pelo salário. Se quer ganhar melhor, pede demissão e vai para o ensino privado. Eles pagam mais? Não. O corporativismo é uma praga no meu ponto de vista. (...) Isso é uma opinião minha que governador, prefeito, presidente, deputado, senador, vereador, médico, professor e policial devem entrar, ter como motivação para entrar na vida pública, amor e espírito público".[10]

Em janeiro de 2015, Cid afirmou que a declaração foi distorcida e que tal interpretação alegadamente equivocada seria contrassenso por ser filho de professores, destacando: "O que eu disse é que qualquer servidor público, seja ele vereador, governador, médico, deputado, professor, antes de qualquer coisa precisa ter vocação. É um espaço que você tem por natureza a posição de sacrifício pessoal. Claro que você tem que ter boa remuneração. Eu nunca disse que não. Seria um contrassenso porque sou filho de professores. Até por experiência pessoal, sei da importância de se ter boa remuneração."[11]

Assegurou junto à Petrobras e ao Governo Federal a instalação de uma refinaria de petróleo para o Ceará. Esse empreendimento foi definido por ele como “a melhor notícia para o estado dos últimos 40, 50 anos”, só se igualando à vinda energia elétrica de Paulo Afonso. Além da Refinaria, muitos projetos considerados estruturantes ganharam destaque ou entraram em pauta durante sua gestão, como a construção do Cinturão de Águas, a Companhia Siderúrgica do Pecém, o Cinturão Digital e várias outras ações sociais como a Educação Integrada, o Programa Alfabetização na Idade Certa (Paic), posteriormente adotado pelo Governo Federal sob o nome de Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa, construção de hospitais regionais e grande investimento na área da segurança.

Ministério da Educação[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 2015, foi escolhido pela presidente Dilma Rousseff para assumir o Ministério da Educação, compondo a base ministerial de seu segundo mandato.[12] O decreto de nomeação para o Ministério da Educação foi publicado no Diário Oficial da União em 2 de janeiro de 2015.[13]

Mudança de partido[editar | editar código-fonte]

Em 2013, por ter sido contrário à decisão do PSB de apoiar a então provável candidatura presidencial do governador de Pernambuco e presidente nacional da sigla, Eduardo Campos, nas eleições de 2014, Cid Gomes, juntamente com seu irmão Ciro Gomes, saiu do partido e filiou-se ao recém-criado PROS, levando consigo mais de 300 políticos, entre prefeitos, vereadores, deputados e lideranças municipais, e cerca de 500 filiados em geral.[14] [15]

Referências

  1. [Cid Gomes minimiza indefinição ideológica do Pros O POVO (01 de outubro de 2013). Visitado em 01 de janeiro de 2014.
  2. Delci Teixeira assume Secretaria de Segurança do CE, e Ivo, Cidades G1 (29 de dezembro de 2014). Visitado em 02 de janeiro de 2015.
  3. Cid Gomes é confirmado ministro da Educação Brasil247 (23 de dezembro de 2014). Visitado em 02 de janeiro de 2015.
  4. ELEIÇÕES MUNICIPAIS de 15 de novembro de 1988 Tribunal Regional Eleitoral do Ceará. Visitado em 01 de janeiro de 2014.
  5. Biografia Cid Ferreira Gomes. Página visitada em 2 de janeiro de 2014.
  6. Os 60 mais poderosos do país IG. Visitado em 01 de janeiro de 2014.
  7. Nasce o terceiro filho do ministro da Educação, Cid Gomes G1. Visitado em 12 de janeiro de 2015.
  8. Cid Ferreira Gomes Assembleia Legislativa do Ceará. Visitado em 03 de janeiro de 2015.
  9. Polícia Federal investiga escândalo que envolve os irmãos Ciro e Cid Gomes
  10. Cidade onde Cid foi prefeito inspirou programa nacional de alfabetização G1 (23 de dezembro de 2014). Visitado em 02 de janeiro de 2015.
  11. Cid Gomes diz que declaração sobre salário de professores foi distorcida[1]. g1. Acesso em 2 de janaeiro de 2015
  12. Eduardo Braga assumirá Minas e Energia; veja 13 novos ministros Folha de S.Paulo (23 de dezembro de 2014). Visitado em 26 de dezembro de 2014.
  13. DOU, edição 1/2015, seção 2. pág. 2, ISSN 1677-7050, em 3 de janeiro de 2015
  14. Depois de deixarem o PSB, Cid e Ciro Gomes anunciam filiação ao PROS Estadão (02 de outubro de 2013). Visitado em 1 de janeiro de 2014.
  15. Cid deixa PSB e leva 500 filiados Diário do Nordeste (27 de setembro de 2013). Visitado em 02 de janeiro de 2015.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Aldenor Façanha
Prefeito de Sobral
1997 — 2004
Sucedido por
Leônidas Cristino
Precedido por
Lúcio Alcântara
Governador do Ceará
2007 — 2015
Sucedido por
Camilo Santana
Precedido por
José Henrique Paim
Ministro da Educação do Brasil
2015
Sucedido por