Coroinha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Merge-arrow 2.svg
Este artigo ou secção deverá ser fundido com Acólito. (desde março de 2015)
Se discorda, discuta sobre esta fusão aqui.
Um grupo de coroinhas.

Coroinha (do latim pueri chori, "menino do coro"[1] ), Acólito Extraordinário ou Acólito Não-Instituído, é uma criança, adolescente, adulto ou idoso (desde que tenha sido batizado e que já tenha feito a Primeira Comunhão Solene) que auxilia os sacerdotes nas funções do altar[2] [3] .

Em 1994, Sua Santidade, o Papa João Paulo II, autorizou que meninas também servissem ao altar[4] . Atualmente, em algumas paróquias a função de coroinha é permitida também às meninas chamadas assim de Clarissas[5] , mas sua autorização deve provir do Ordinário local.

Coroinha é um termo presente na tradição litúrgica brasileira. Nos documentos litúrgicos não existe qualquer menção, existindo apenas os Acólitos Instituídos e os não-instituídos (estes últimos, então, popularmente chamados de coroinhas).

Origem do termo[editar | editar código-fonte]

Não há concordância, mas existem duas principais explicações para o termo. Há os que dizem que coroinha vem da antiga celebração da Santa Missa, em que partes do ritual eram cantadas em coro. Ocasionalmente, alguns dos meninos do coro eram solicitados para auxiliar os padres no altar, donde lhes foi dado o nome coroinhas. Outros, que a origem do nome se deve ao fato de que os clérigos recebiam a tonsura quando ordenados (símbolo de pobreza e submissão ao Cristo). A tonsura é a raspagem do cabelo no cimo da cabeça em forma de coroa. Alguns coroinhas recebiam também uma pequena tonsura chamada "coroa", daí a origem do nome nome[3] .

Vestes[editar | editar código-fonte]

As vestes litúrgicas do coroinha, em geral dos que são mais jovens, seguem alguns padrões: túnica de cor vermelha, com sobrepeliz branca, mas normalmente se vê coroinhas e acólitos com a túnica branca e cíngulo (veste própria dos acólitos).

Padroeiro[editar | editar código-fonte]

O Padroeiro dos coroinhas é São Tarcísio, jovem mártir romano dos primeiros séculos da Era Cristã. Alguns consideram também Santa Maria Goretti, como padroeira das meninas coroinhas. Há também uma corrente que atribui modernamente a São Domingos Sávio (também padroeiro dos adolescentes), o título de padroeiro dos coroinhas. Além desses existe o São Nicolau, mais conhecido no Brasil como "Papai Noel", que e padroeiro dos pobres e das crianças e que também ganhou seu reconhecimento como padroeiro dos coroinhas em alguns lugares. Em Portugal, por decisão dos bispos portugueses, foi escolhido como padroeiro para os acólitos, o Beato Francisco Marto, devido à sua devoção a Deus e ao seu amor pela Eucaristia[3] .

Há também anjos padroeiros como:

  • São Miguel Arcanjo (o lutador)
  • São Gabriel
  • São Rafael
  • Santo António

Oração do Coroinha[editar | editar código-fonte]

Ó Meu Bom Jesus

que vivias com o pai celeste

em profunda e filial sintonia,

aceite nossa dedicação

a serviço da liturgia.

É nosso desejo tratar com respeito, mas sem preconceito,

as pessoas da comunidade

que contam com seu auxílio

nessa difícil caminhada.

Dai-nos um coração repleto de amor

aos pobres e simples deste mundo.

Alimenta-nos com suas palavras

e com seus ensinamentos,

pois queremos te ajudar,

ó Jesus,

a transformar a sociedade,

e assim celebrarmos dignamente:

com sinais, ritos e movimentos,

a salvação que nos oferece hoje e sempre

em favor da humanidade.

Amém

Referências

  1. do latim pueri chori, "menino do coro") Paróquia São Braz
  2. O que é ser coroinha Santuário Diocesano N. S. da Natividade
  3. a b c Coroinhas são tradição na Igreja Católica Jornal Correio da Cidade
  4. Qual a origem dos coroinhas? Congregação Missionária de santo Inácio de Antioquia
  5. Petrolândia: Inscrições para coroinhas da Paróquia de São Francisco Super Mais
Ícone de esboço Este artigo sobre religião é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.