Das Leben der Anderen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Das Leben der Anderen
As Vidas dos Outros[1] [2]  (PT)
A Vida dos Outros[3]  (BR)
 Alemanha
2006 • cor • 137 min 
Direção Florian Henckel von Donnersmarck
Produção Quirin Berg
Max Wiedemann
Coprodução Dirk Hamm
Florian Henckel von Donnersmarck
Roteiro Florian Henckel von Donnersmarck
Elenco Ulrich Mühe
Martina Gedeck
Sebastian Koch
Ulrich Tukur
Género Drama
Idioma Alemão
Música Gabriel Yared
Stephane Moucha
Direção de arte Christiane Rothe
Direção de fotografia Hagen Bogdanski
Figurino Gabriele Binder
Edição Patricia Rommel
Página no IMDb (em inglês)

Das Leben der Anderen (A Vida dos Outros (título no Brasil) ou As Vidas dos Outros (título em Portugal)) é um filme alemão lançado em 2006 escrito e dirigido por Florian Henckel von Donnersmarck e premiado com o Oscar de melhor filme estrangeiro.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

O filme narra a história de um agente da Stasi, a polícia política da República Democrática Alemã (Alemanha Oriental) chamado Gerd Wiesler (interpretado por Ulrich Mühe, falecido em 2007) que se envolve num serviço de escutas clandestinas do apartamento de um casal da cena cultural de Berlim Oriental, o escritor Georg Dreyman (Sebastian Koch) e a atriz Christa-Maria Sieland (Martina Gedeck). Mais tarde, ele se vê envolvido na vida do casal e tem um papel decisivo em seus destinos.

Sobre o filme[editar | editar código-fonte]

O filme foi lançado na Alemanha em 23 de março de 2006. Na mesma época, seu roteiro foi publicado pela editora Suhrkamp Verlag. Henckel von Donnersmarck e Ulrich Mühe foram processados por calúnia por uma entrevista na qual Mühe declarou que sua ex-esposa passou informações contra ele à Stasi nos seis anos em que foram casados. No material publicitário do filme, Henckel von Donnersmarck diz que a ex-esposa de Mühe negou as acusações, apesar de existirem 254 páginas de documentos oficiais da antiga Alemanha Oriental detalhando as espionagens dela. O filme teve êxito na Alemanha, apesar de uma relutância generalizada no país, principalmente nos filmes, de confrontar a natureza totalitária da antiga Alemanha Oriental.

Com A Vida dos Outros, Henckel von Donnersmarck tornou-se o terceiro cineasta alemão a receber o Oscar de melhor filme estrangeiro. Também foi indicado ao Globo de Ouro de melhor filme em língua estrangeira. O custo de produção de A Vida dos Outros foi de apenas dois milhões de dólares, mas seu lucro mundial foi de mais de 77 milhões. Antes de sua morte, Sydney Pollack estava considerando fazer um remake estadunidense do filme. Em 2009, a revista estadunidense National Review nomeou A Vida dos Outros o melhor filme dos últimos 25 anos.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.