Central do Brasil (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde agosto de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Central do Brasil
Central do Brasil (BR)
 Brasil
 França

1998 • cor • 113 min 
Direção Walter Salles
Roteiro João Emanuel Carneiro
Marcos Bernstein
Elenco Fernanda Montenegro
Vinícius de Oliveira
Marília Pêra
Othon Bastos
Género Drama
Idioma Português
Música Antonio Pinto
Jaques Morelenbaum
Direção de arte Cássio Amarante e Carla Caffé
Cinematografia Walter Carvalho
Edição Felipe Lacerda
Distribuição Brasil Europa Filmes
Estados Unidos Columbia Pictures
Lançamento Brasil 3 de abril de 1998
Estados Unidos 20 de novembro de 1998
Inglaterra 12 de março de 1999
Nova Zelândia 20 de março de 1999
Austrália 1 de Abril de 1999
Orçamento $2,900,000
Página no IMDb (em inglês)

Central do Brasil é um filme franco-brasileiro de drama de 1998. O roteiro é de Marcos Bernstein e João Emanuel Carneiro, baseado em história do diretor Walter Salles.[1]

É um road-movie sentimental, a partir da amizade entre uma mulher que busca uma segunda chance e um garoto que quer encontrar suas raízes.

O filme foi inspirado em Alice nas Cidades, de Wim Wenders.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Dora (Fernanda Montenegro) é uma mulher que trabalha na estação Central do Brasil escrevendo cartas para pessoas analfabetas; uma de suas clientes, Ana (Soia Lira) aparece com o filho Josué (Vinícius de Oliveira) pedindo que escrevesse uma carta para o seu marido dizendo que Josué quer visitá-lo um dia. Saindo da estação, Ana morre atropelada por um ônibus e Josué, de apenas 9 anos e sem ter para onde ir, se vê forçado a morar na estação. Com pena do garoto, Dora decide ajudá-lo e levá-lo até seu pai que mora no sertão nordestino. No meio desta viagem pelo Brasil eles encontram obstáculos e descobertas enquanto o filme revela como é a vida de pessoas que migram pelo país na tentativa de conseguir melhor qualidade de vida ou poder reaver seus parentes deixados para trás.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

O filme foi exibido pela primeira vez em uma mostra regional de cinema na Suíça em 16 de janeiro de 1998, no dia 19 de janeiro foi exibido no Festival Sundance de Cinema nos Estados Unidos.

No dia 14 de fevereiro de 1998, a película foi exibida no Festival de Berlim, seu lançamento no Brasil ocorreu apenas no dia 3 de abril do mesmo ano.

Na TV[editar | editar código-fonte]

O filme foi um grande sucesso no cinema brasileiro, e exibido pela primeira vez na televisão no dia 31 de março de 1999 na Rede Globo.

Prêmios e Indicações[editar | editar código-fonte]

Público e Renda[editar | editar código-fonte]

País Público Renda[14]
África do Sul s/ dados US$ 45.000
Alemanha 300.000 US$ 1.800.000(*)
Argentina 180.000 US$ 540.000(*)
Bélgica 80.000 US$ 480.000(*)
Bolívia 5.600 US$ 10.200(*)
Brasil 1.600.000 US$ 4.300.000
Chile 33.700 US$ 147.000
Colômbia 16.700 US$ 38.000
Coreia do Sul s/ dados US$ 103.00
Equador 8.000 US$ 15.000
Espanha 120.00 US$ 720.000(*)
Estados Unidos 1.300.000 US$ 6.500.000
França 590.000 US$ 3.440.000(*)
Inglaterra 200.000 US$ 1.000.000
Itália 242.000 US$ 1.300.000
México 72.000 US$ 200.000
Panamá 1.100 US$ 7.500
Peru 33.400 US$ 110.200
Suíça 200.000 US$ 600.000(*)
Uruguai 45.000 US$ 260.000
Venezuela 35.600 US$ 112.000
  • Total de público: 5.063.500
  • Total de arrecadação: US$ 22.462.500

Nota[editar | editar código-fonte]

O Jornal do Brasil de 30 de junho de 1996 informa que o filme foi escolhido pelo Ministério da Cultura da França para receber os recursos do Fonds Sud Cinema.[15]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Dicionário de Filmes Brasileiros, pg. 173. "Central do Brasil"
  2. 'Central do Brasil' e Fernanda Montenegro concorrem ao Oscar. Diário do Grande ABC (9 de fevereiro de 1999). Página visitada em 17 de março de 2014.
  3. IVAN CLAUDIO (17 de fevereiro de 1999). A vida é bela. ISTOÉ. Página visitada em 17 de março de 2014.
  4. Em 1999, Fernanda Montenegro disputou o Oscar por “Central do Brasil”. O Globo. Página visitada em 17 de março de 2014.
  5. MARIANE MORISAWA (26 de janeiro de 1999). Globo de Ouro aproxima "Central do Brasil" do Oscar. Folha de São Paulo. Página visitada em 17 de março de 2014.
  6. Em 1999, Central do Brasil ganhou o Globo de Ouro de melhor filme estrangeiro. Portal da Câmara dos Deputados. Página visitada em 17 de março de 2014.
  7. IVAN FINOTTI (18 de dezembro de 1998). Globo de Ouro indica "Central' duas vezes. Folha de São Paulo. Página visitada em 17 de março de 2014.
  8. AMIR LABAKI (23 de fevereiro de 1998). "Central do Brasil" ganha 48º Festival de Berlim. Folha de São Paulo. Página visitada em 17 de março de 2014.
  9. Fatos históricos do dia 09 de dezembro. Terra Networks. Página visitada em 17 de março de 2014.
  10. Central do Brasil. Página visitada em 17 de março de 2014.
  11. Filme Central do Brasil ganha o seu 27º prêmio. Jornal do Commercio (20 de janeiro de 1999). Página visitada em 17 de março de 2014.
  12. Reportagem Local (30 de Março de 1999). APCA realiza festa de premiação hoje. Folha de São Paulo. Página visitada em 17 de março de 2014.
  13. ZAZ Cinema. Os prêmios de Central do Brasil. Página visitada em 17 de março de 2014.
  14. André Piero Gatti. A comercialização de um filme internacional: Central do Brasil. Asociación Argentina de Estudios sobre Cine y Audiovisual. Página visitada em 17 de março de 2014.
  15. Cinemateca Nacional: Central do Brasil (1998). Cinemateca Nacional. Página visitada em 17 de março de 2014.