Efeito Veblen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Em economia, o efeito Veblen ou bens de Veblen referem-se àqueles bens em que, à medida em que o preço aumenta, aumenta também o interesse pela sua compra, uma vez que o preço alto significaria mais status, e não necessariamente uma melhor qualidade do bem em si. O fenômeno é o oposto da lei da oferta e da procura.

O efeito Veblen foi batizado em homenagem ao economista Thorstein Veblen, que primeiro identificou os conceitos do consumismo conspícuo e da busca por status social através do dinheiro em 1899.[1]

Análise[editar | editar código-fonte]

Alguns tipos de bens de luxo, como determinados tipos de vinhos, jóias e carros, são vistos como bens de Veblen, uma vez que um decréscimo em seus preços ocasionaria uma queda na procura por eles, uma vez que eles deixariam de ser vistos como exclusivos ou fontes de status. Da mesma forma, um aumento de preço pode ocasionar um aumento no interesse pela percepção de exclusividade e status, fazendo aquele objeto mais caro ser ainda mais desejado. E geralmente tais bens não são melhores nem piores que seus similares de preço mais baixo.[2]

Do outro lado do espectro, quando itens de luxo possuem o mesmo preço de seus similares de qualidade inferior, a maioria das pessoas irá procurar aqueles de melhor qualidade, que é o comportamento esperado. Desta forma, a resposta da demanda ao preço nos bens de Veblen segue uma curva inversa ao comportamento padrão da lei da oferta e da procura.

Referências

  1. Veblen, T.B.. The Theory of the Leisure Class. An Economic Study of Institutions.. Londres: Macmillan Publishers, 1899.
  2. Wood, J.C.. Thorstein Veblen: Critical Assessments.. [S.l.]: Psychology Press, 1993.


Ícone de esboço Este artigo sobre economia é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.