Fiat Palio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto.
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Fiat Palio
Fiat Palio white 5door.jpg 1ª geração.


Nanjing Fiat Palio.jpg 1ª Reestilização.
Palio HLX Flex.png 2ª Reestilização.
Fiat-palio20084.jpg 3ª Reestilização.

Visão Global
Produção 1996 - presente
Fabricante Fiat
Modelo
Carroceria Hatchback, SW (março 1997), sedan (agosto 1997), Pick-Up (outubro 1998)
Designer I.DE.A Institute (projeto original)
Giorgetto Giugiaro (reestilizações)
Ficha técnica
Motor 1.0 8V Fire 55cv
1.0 8V Fire 65/66cv
1.0 8V Fiasa 60cv
1.0 16V Fire 69cv
1.3 8V Fire 72cv
1.3 16V Fire 80cv
1.3 8V Multijet diesel (exportação)
1.4 8V Fire 81/85cv
1.5 8V Fiasa 76cv
1.6 16V Torque 106cv
1.6 8V Sevel 92cv
1.8 8V GM Powertrain 113/115cv
1.6 16V E.TorQ 116/117cv
1.0 8V Fire EVO 73/75cv
1.4 8V Fire EVO 85/88cv
Transmissão 5 marchas, manual
5 marchas, semi - automático (Citymatic 1999 - 2000)
5 marchas, automatizada (Dualogic)
6 marchas, manual (Siena 6 Marchas)
Modelos relacionados Fiat Palio Adventure
Fiat Siena
Fiat Strada
Fiat Punto
Fiat Idea
Fiat Palio Weekend
Fiat Palio Elétrico
Fiat Albea
Volkswagen Gol
Ford Fiesta
Chevrolet Corsa
Volkswagen Fox
Ford Ka
Chevrolet Celta
Renault Sandero
Renault Clio
Peugeot 206
Peugeot 207
Dimensões
Comprimento 373 (cm) (carroceria de 1996) - 376 (cm) (carroceria de 2001) - 385 (cm) (carroceria de 2004) - 388 (cm) (carroceria de 2011)
Entre-eixos 236 (cm) (carroceria de 1996) - 237 (cm) (carroceria de 2004) - 242 (cm) (carroceria de 2011)
Largura 163 (cm) (2004) - 166 (cm) (2011)
Altura 145 (cm) (2004) - 151 (cm) (2011)
Peso 986 kg (modelo 1996) - 955 kg (modelo 2003)/1062 kg (2011)
Tanque 48L (1996-Presente)
Cronologia
Último
Último
Novo Fiat Palio
Próximo
Próximo

O Palio é um automóvel compacto produzido pela Fiat, tendo sido projetado para Mercados emergentes os da América Latina, África do Sul, Leste Europeu e alguns países Asiáticos. Seu projeto foi iniciado em 1992, pelo Centro de Estilo da Fiat junto ao estúdio I.DE.A.

A Fiat já contava com um produto de tamanho similar para o mercado europeu, o Punto, lançado em 1993 para substituir o Uno, que já contava com 12 anos de mercado. O projeto, chamado de 178, teria uma suspensão mais simples e robusta e, ao contrário do Punto, daria origem uma grande família de produtos.

Foi apresentado à imprensa mundial em abril de 1996 nas versões de três e cinco portas. Foi o primeiro de uma linha de produtos que ainda conta a SW Palio Weekend, lançada em março de 1997, o sedan Siena (Palio Sedan ou Albea em alguns mercados, este com pequenas alterações na traseira), apresentado em agosto de 1997 e a picape Strada, lançada em outubro de 1998. Também sendo eleito pela Revista Autoesporte o Carro do Ano de 2001, 2004 e 2012.

Linha do Tempo[editar | editar código-fonte]

1996
  • Fiat Palio é lançado nas versões EL (motor 1.5 8V) e 16v (motor Torque 1.6 16V fabricado na Itália), apenas em 5 portas;
  • Palio ED (3 portas) e EDX (3 ou 5 portas) são lançados, estreando o 1.0 8V no Palio;
1997
  • Fiat Palio Weekend é lançada nas versões EL 1.5 8V. Sport e Stile, ambas 1.6 16V e Airbag apenas para o motorista;
  • Lançado o Siena, nas versões EL (motor Sevel 1.6 8V fabricado na Argentina) e HL (motor Torque 1.6 16V fabricado na Itália), sendo produzido na Argentina;
1998
  • No Palio o motor 1.5 8V é substituído pelo 1.6 8V do Siena;
  • Siena 6 Marchas 1.0;
  • Fiat Strada é lançada com os motores 1.5 8V (Working), 1.6 8V (Treeking), 1.6 16V (LX), esta como opcional sistema ABS;
  • Fiat Siena MTV, acabamento interno e externo semelhante ao da Palio Weekend Sport, 1.6 16V;
1999
  • Palio ED muda de nome para EX e o EDX muda de nome para ELX;
  • Palio Weekend 1.5 8V e Stile 1.6 16V;
  • Siena é nacionalizado;
  • Palio Weekend 6 Marchas 1.0;
  • Lançada Palio Adventure, uma nova versão da Palio Weekend com motor 1.6 8V;
  • Fiat Strada Cabine Estendida é lançada nas versões Working e LX;
  • É lançado o Fiat Palio Citymatic, o primeiro carro 1.0 com embreagem automática da categoria;
  • Palio e Siena 500 anos. Para a comemoração do descobrimento do Brasil, houve uma edição especial com vários acessórios, como rodas de 14 polegadas, pára-choques e retrovisores na cor do veículo, conta-giros, acabamento aprimorado, adesivos de 5 estrelas nos pára-lamas;
2000
  • Siena ganha motor 1.6 8V na versão ELX, retirada do Citymatic;
  • Palio e Siena ganham o novo motor Fire 1.3 16V;
  • Palio, Siena, Weekend e Adventure chegam a segunda Geração;
  • Weekend 1.0, EX e Sport são descontinuadas;
  • Siena 1.0 6 Marchas torna-se EX, EL é descontinuado;
  • Palio EL era substituído pelo Stile, já com o motor Fire;
  • Motor 1.0 8V Fiasa é substituído pelo 1.0 8V Fire, ambos 8V e 16V;
  • Visual antigo do Palio permanecia na versão Young 1.0 8V, ainda com o Fiasa;
2001
  • Motor 1.6 16V no Siena;
  • Palio e Siena 25 anos. A fórmula similar da edição 500 anos, em comemoração aos 25 anos da Fiat no Brasil, ambos com motor 1.0 16V;
  • Strada MTV, com base na versão Working 1.5 8V;
  • Palio Century. Combinação da versão EX ao motor 1.0 16V, com rodas de 14 polegadas, conta-giros, saias laterais, pára-brisa degradê e faróis de neblina;
2002
  • Strada chega a segunda geração;
  • Chega a versão Adventure na Strada, Trekking é retirada. Motor 1.6 16V vira o único da linha, Working é a última opção de cabine simples;
  • Palio Young recebe motor Fire, virando Palio Young Fire, tornando-se carro de entrada;
  • Siena recebe versão Fire, com visual atual, acabamento inferior e antigo interior;
  • Palio Five. A fórmula similar ao Century, em comemoração ao Pentacampeonato de futebol do Brasil;
2003
  • Palio Weekend Stile e Adventure recebem motores 1.8 8V, substituindo o 1.6 16V, pelo fato da cara importação do segundo;
  • Versões EX e ELX ganham motor 1.8 8V em substituição ao 1.6 8V;
  • Palio Stile também ganha o motor 1.8 8V;
  • Strada recebe motor 1.8 8V como opcional nas versões Working e Adventure;
  • Motor 1.3 8V Fire é lançado, nas versões EX e ELX;
  • Encerramento da Strada LX;
  • Fiasa 1.5 8V à álcool retorna para versões Fire, como um opcional mais potente;
  • Palio chega a terceira geração, novos motores 1.3 8V Fire Flex e 1.8 8V Flex, versão Stile vira HLX, estréia do computador de bordo;
  • Versão Fire o Palio não recebe alteração no visual, o interior permanece o da primeira geração, motor fica sendo o 1.0 8V;
2004
  • Siena e Weekend e Adventure chegam a terceira geração, ambos com motor 1.3 8V Flex, o primeiro cai no gosto popular;
  • Palio Weekend Stile sai de linha;
  • Na versão Fire o Siena não recebe alteração no visual, o interior permanece o da primeira versão, motor fica sendo o 1.0 8V;
  • Siena EX sai de linha;
  • Strada chega a terceira geração;
  • Strada Working é substituída pela Fire, que permanece com antigo visual, e interior da primeira versão e que ganha o motor 1.5 8V;
2005
  • Siena ganha nova versão HLX 1.8 8V e lançamento Siena 1.4 Tetrafuel, podendo ser abastecido com gasolina, gasolina brasileira, álcool e GNV;
  • Palio Weekend Adventure e HLX recebem o novo 1.8 8V;
  • Strada Adventure com novo 1.8 8V;
  • Motor Fiasa 1.5 8V e Fire 1.3 8V são substituídos pelo 1.4 8V Fire;
Esportivo 1.8R.
2006
  • Versões Fire tem visual atualizado, o interior é o mesmo da segunda geração;
  • Strada Trekking é relançada com cabine estendida e simples e motor 1.4;
  • Palio ganha motor 1.8 8V mais potente em nova versão, a 1.8R (115cv);
  • Palio EX e ELX perdem o 1.8 8V, HLX recebe o novo motor atualizado (114cv);
  • Siena ELX perde motor 1.8 8V;
  • Versões Fire ganham motor Flex;
  • Palio 30 anos. Kit em comemoração ao 30 anos da Fiat;
2007
  • Palio ELX e 1.8R chegam a quarta geração com um desenho um polêmico;
  • Palio EX e HLX são retirados do mercado;
  • Siena e Palio Weekend 30 anos;
  • Siena ganha novo motor Fire 1.4 8V Tetrafuel;
  • Versões Fire ganham a terceira versão, mesmo interior da segunda versão;
2008
  • Siena ELX e HLX e Tetrafuel chegam à quarta geração, com dianteira diferenciada do Palio;
  • Palio Weekend chega a quarta geração, com frente de Siena em versões ELX e a inédita Trekking, ambas com motor 1.4 8V;
  • Strada chega a quarta geração, também com frente de Siena, com a nova versão Trekking 1.4 8V;
  • Palio Weekend HLX sai de linha;
  • Palio Weekend e Strada estreiam a nova versão Adventure Locker (bloqueio do diferencial);
2009
  • Palio ganha a versão 1.0 Fire Economy, foi o primeiro carro da linha 2010, lançado em 4 de janeiro de 2009, gerando muita polêmica, pelo ano-modelo;
  • Palio ELX e 1.8R recebem frente de Siena, ELX com motor 1.8 8V retorna ao mercado;
  • Siena Fire com motor 1.0 8V normal;
  • Siena EL é relançado para ficar entre as versões ELX e Fire, com a frente antiga do Palio;
  • Toda linha Palio, Siena e Weekend com Air-Bags e ABS de opcionais;
  • Palio Weekend e Strada Trekking com motor 1.8 8V;
  • Strada Adventure com Cabine Dupla;
  • Palio Adventure, Siena HLX e Palio ELX 1.8 8V ganham versões Dualogic automatizadas;
  • Strada Workking é relançada com Cabine Estendida e Dupla, frente de Siena EL, traseira da Trekking e interior da terceira geração, ficando entre a Fire e a Trekking 1.4 8V;
  • Palio Weekend Trekking ganha motor 1.8 8V;
2010
  • Linha Adventure recebe Air-Bag e ABS de Série;
  • Motor 1.6 16V E.TorQ é lançado, mas agora com 115/117cv (gas/álc), em substituição ao motor 1.8 8V da General Motors;
  • Versões ELX (menos Palio 1.0) e HLX viram Attractive e Essence;
  • Siena EL ganha motor 1.4 8V e a série especial Sporting 1.6 16V;
  • Palio Weekeend Trekking ganha motor 1.6 16V;
  • Strada Sporting 1.8 16V;
2011
  • Total remodelagem do Palio;
  • Novo motor 1.8 16V E.TorQ apenas para linha Adventure;
  • É vendido em seis versões: Attractive 1.0, Attractive 1.4, Essence 1.6 16V, Essence Dualogic 1.6 16V, Sporting 1.6 16V, Sporting Dualogic 1.6 16V, três tipos diferentes de motor (Fire 1.0 EVO Flex, Fire 1.4 EVO Flex e 1.6 16V E.torQ Flex), duas de câmbio (manual e Dualogic) e até seis de acabamento, sempre com quatro portas.
2013
  • Total remodelagem do Palio;
  • Novo motor 2.5 16V Turbo, fire YHF. E a versão XTH - híbrida.
  • Possui câmbio (manual e Automático), exclusiva tecnologia IMAS - Intant manual auto system de 6 marchas. E na versão híbrida, possui um motor de 24 cv estacionário, diesel. Transmissão, com uma única marcha com câmbio cônico.
  • a versão híbrida foi premia em diversos salões automobilísticos como o de Cannes. Por ser extremamente econômica. E a versão turbo foi premiada, no salão de Lisboa, por apresentar uma ótimo autonomia em estradas.

Primeira Geração[editar | editar código-fonte]

Primeira Carroceria[editar | editar código-fonte]

A primeira geração do Palio foi em 1996 no Brasil, e impressionava pela modernidade: ao contrário de seu antecessor (que curiosamente até hoje não saiu de linha, devido as boas vendas), o Uno, contava com linhas arredondadas, frente baixa, para-brisas bastante inclinado e pelo desenho da traseira, com lanternas invadindo o vidro traseiro, de desenho irregular.

No início eram oferecidas apenas duas versões, a EL 1.5, de 76 cv e a 1.6 16V, que tinha acabamento superior, e um motor de 106 cv, que permitia que o pequeno carro acelerasse de 0 a 100 km/h em menos de 10s. Também podia vir equipado com ar condicionado, freios ABS e foi o primeiro carro da categoria produzido no Brasil que podia vir equipado com Airbags. O carro também inovou em ser o primeiro do mercado brasileiro que podia contar com adaptação para deficientes físicos de fábrica: entre outras adaptações, uma porta traseira corrediça estava disponível.

Ao contrário do Uno brasileiro, que usava uma suspensão traseira independente McPherson de feixes transversais (mesmo sistema usado no antigo Fiat 147), resistente, mas firme. O novo modelo vinha com eixo de torção, o mesmo sistema do Uno europeu, mais suave e com maior capacidade de filtrar as irregularidades do piso. A dianteira contava com um sub-chassi (espécie de estrutura entre a suspensão e o chassis do carro), o que permitia regulagem mais firme.

O motor 1.5 era produzido no Brasil - variação do modelo que equipava a família Uno, mas com injeção multiponto e aperfeiçoamentos para um funcionamento mais suave. O 1.6 16V era importado da Itália, e sua potência e funcionamento despertaram admiração da imprensa especializada. Os dados da fábrica indicavam velocidade máxima de 190 km/h (mas outras pessoas que afirmam que possam passar dos 200 km/h), o que o deixava apto para enfrentar as versões esportivas de seus concorrentes, mas a versão não era caracterizada assim pelo fabricante, contando com acabamento familiar e suspensões reguladas para o conforto.

Em julho de 1996 o carro era apresentado com o motor 1.0, que responderia pela maior parte de suas vendas. O motor Fiasa de 61cv equipava duas versões, a ED - que vinha apenas na versão três portas, com poucos equipamentos de série e rodas de ferro - e a EDX, de três ou cinco portas, mas com uma oferta um pouco maior de equipamentos, mas com para-choques em preto fosco.

Em junho 1998 era a versão EL com ganha o motor 1.6 8V de 82cv, produzida na Argentina, que substituía o 1.5. O acabamento interno podia ser em azul, cinza ou vermelho. Já no início de 1999 os 1.0 foram renomeadas de ED para EX e EDX para ELX, que podia vir equipada com sistema de embreagem automática, chamado de Citymatic pela fábrica. Embora não fosse caro, o sistema não chamou atenção do mercado e logo foi descontinuado.A versão EL passava para ELX, com injeção multi-ponto e 92cv.

Em fevereiro de 2000, era lançado o motor Fire 1.3 16V, produzido no Brasil e equipado com acelerador eletrônico Drive by Wire. A unidade desenvolvia 80 cv, e as versões equipadas com ele tinham acabamento interno prateado e o painel de instrumentos da versão topo de linha.

Segunda carroceria[editar | editar código-fonte]

A primeira reestilização, ou facelift, do Fiat Palio foi lançada em 2001. Erroneamente algumas pessoas chamam de 2ª geração, mas o que houve foi um redesenho da dianteira, traseira e interior feito pela ItalDesign de Giurgetto Giurgiaro, que esteve no Brasil para o lançamento do modelo. Alguns criticaram a semelhança da dianteira do modelo com a o Volkswagen Gol de terceira geração: os faróis e a grade dianteira estavam mais estreitos e retangulares, e o capô tinha vincos acentuados semelhantes ao modelo alemão. Na traseira, as lanternas estavam mais arredondadas, mas as mudanças não foram tão dramáticas. O painel era novo, apesar de manter o desenho básico da versão anterior.

Junto ao novo desenho, novos motores de 1.0 litro foram apresentados: o Fire 1.0 8V, de 55cv - de potência menor que o antigo Fiasa (que a essa altura já tinha sido substituído, mas com uma melhor distribuição potência/RPM) - e 1.0 16V, de 70 cv. Eram mais modernos, leves e econômicos.

As unidades 1.3 16V e 1.6 16V continuavam disponíveis. O modelo com o desenho da primeira geração, ainda não-desatualizado em relação à concorrência, continuava em linha, com o nome de Palio Young, até 2002, quando foi substituída por uma versão com o novo desenho e acabamento simples.

Em resposta a diminuição do IPI, que favorecia motores de maior cilindrada, a Fiat rapidamente apresentou o Palio de motor 1.3 (1.250 cm³) em versão 8 válvulas, com 67 cv. Com menor potência que o antigo 1.0 de 16V, tinha mais torque em baixas rotações. Em 2003, aproveitando um acordo de fornecimento de motores com a General Motors, o excelente motor 1.6 16V, que sofria com os altos preços de importação da Itália, foi substituído pelo 1.8 8V de 103 cv de origem GM. Nesse mesmo ano o antigo Fiasa 1.5 voltou ao mercado, movido a álcool e equipando apenas os modelos básicos da linha, em versões destinadas principalmente a frotistas e empresas.

A segunda versão do modelo não foi disponibilizada na África do Sul, que substituiu a primeira geração do modelo pela segunda reestilização, em 2003.

Com a chegada da segunda versão ou reestilização, em 2004, o modelo anterior foi mantido na versão Fire, e em 2004 passou a utilizar os novos motores Fire agora com 65cv de potência.

Terceira carroceria[editar | editar código-fonte]

Em 2004 o estúdio Italdesign Giugiaro foi novamente requisitado para uma nova reforma no modelo. Embora mantivesse a mesma carroceria desde seu lançamento, o que caracteriza ainda uma mesma geração, os novos retoques tentavam diferenciar o Palio da concorrência e de suas duas versões anteriores: os faróis estavam maiores e abaulados em sua parte inferior, e a traseira exibia grandes lanternas retangulares verticais, que ainda invadiam uma pequena área do vidro traseiro, surgiu a versão HLX para substituir a versão Stile tanto no Palio quanto na Weekend, o Siena também ganhou essa versão e nessa geração a Palio Weekend Adventure finalmente se popularisou.Mas ainda não obteve o mesmo sucesso dos outros modelos.

2ª reestilização.

O painel era completamente novo, com linhas mais retas e modernas, e foi o primeiro carro brasileiro do segmento a contar com bolsas infláveis frontais e laterais e toca-CD com MP3 player. Os materiais empregados em seu interior eram de melhor qualidade e o ambiente geral da cabine era agradável. Foi introduzido o motor Flex que é abastecido com álcool e gasolina: 1.0 8V, que desenvolvia 65 cv com gasolina e 66 com álcool; o 1.3 8V de 70 cv abastecido com gasolina e 71 cv com álcool e o 1.8 8V, com 106 e 110 cv, respectivamente. Em 2005, o motor 1.3 deu lugar a uma nova unidade 1.4 de 80 cv.

A linha 2006 do carro podia contar com uma nova versão do motor GM 1.8, com reajustes na alimentação e árvores de balanceamento que deixavam seu funcionamento mais suave. Com 115 cv, a primeira versão equipada com esse motor foi a 1.8R, reedição das clássicas versões esportivas do Uno na década de 1980. A versão se diferencia por ter acabamento interno na cor vermelha; máscara negra nos faróis, rodas exclusivas e aerofólio traseiro, neste mesmo ano a linha Fire ganhou o visual da 2ª reestilização e o interior da 1ª.

Quarta carroceria[editar | editar código-fonte]

3ª reestilização.
Fiat Palio Weekend Adventure Locker 2010.

Desde o lançamento do segundo facelift, ou "terceira geração" do Palio, existiam rumores sobre a possível nova reestilização do projeto 178 - ou até mesmo a sua completa substituição pelo modelo europeu, Grande Punto.

As especulações começaram a ganhar um rumo mais sólido em abril de 2006, quando o site chinês Auto Sohu conseguiu fotografar o novo Siena, em testes naquele país. Com diferenças significativas no conjunto óptico dianteiro, as hipóteses de uma pequena atualização ou a total descontinuação da linha para 2007 estavam descartadas. O projeto foi então confirmado pela Fiat, que começou uma campanha de marketing baseada no suspense em torno das novas linhas do veículo - a cada intervalo de tempo a fábrica divulgava um detalhe diferente do desenho.

O Palio 2008 foi lançado no dia 28 de fevereiro de 2007. Os faróis de dupla parábola com formato irregular e uma leve abaulação deram lugar a faróis de parábola única e desenho convencional (parecidos com os do Grande Punto), que agora invadem as laterais - um retrocesso. A traseira também recebeu alterações: as lanternas traseiras invadindo o vidro da tampa. As lanternas estão instaladas em uma posição baixa e em um formato horizontal, diminuindo de tamanho em relação ao modelo anterior (foi considerada estranha por muitas pessoas). A placa de identificação voltou a ficar no para-choque, que por sua vez ficou mais proeminente. O vidro da tampa traseira deixou de se estender até as laterais, e agora está emoldurado e com um leve caimento em sua parte inferior.

Nesta remodelação a Fiat alterou as laterais do modelo vincando as portas em duas posições e estendendo os pára-lamas. Tal procedimento, que envolve mais custos do que a mera re-estilização da dianteira e da traseira, faz desta a primeira modificação total da carroceria do Palio em onze anos de produção.

A linha Palio 2008 está disponível nas versões ELX 1.0 e 1.4, e na versão 1.8R, que ganha a opção de carrocerias 3 e 5 portas. O novo motor 1.8 ficou agendado para estrear em meados de 2007 - e as motorizações presentes na geração anterior continuam em linha, sem aumento na potência específica.

O Palio 1.8R passou a ser oferecido também na configuração duas portas, e foi o único da gama sem mudanças na disposição dos comandos, sendo alterados apenas as marcações no conta-giros e velocímetro, que agora, aumentam a escala ao se aproximarem do limite. A opção de duas portas apresenta agora um vidro lateral traseiro mais estreito e pontudo.

Em 2008, a Fiat incluiu maior número de itens de série em todas as versões. Agora, todas (desde a básica ELX 2P) vêm com terceiro apoio de cabeça traseiro, rodas e pneus maiores, espelho cortesia para motorista e passageiro, porta-óculos, fárois de neblina e retrovisores na cor do veículo, direção hidráulica em todas as versões e passaram a ter como opcional o acesso ao comando de voz Bluetooth.

A versão EX (básica) foi extinta da linha Palio por representar baixas vendas, a versão HLX (luxuosa) agora só e disponível na família Palio em um carro, o Fiat Siena. O interior do carro, em contraste com o exterior, foi mantido praticamente inalterado - com exceção de alguns comandos que trocaram de lugar, a exemplo do pisca-alerta que migrou do centro do painel para a parte de cima da alavanca de direção.

O modelo 2010 foi lançado no Brasil no começo de 2009, com a frente de Siena/Weekend/Strada, que tem os faróis de dupla parabola, o Palio ainda ganhou versão ELX 1.8.

A partir de julho de 2009, a versão ELX que vem equipada com motor 1.8 também poderá ser equipada com o sistema Dualogic que torna o carro automática sendo desnecessário o uso do pedal de embreagem. Na família Palio o Fiat Siena HLX e a Palio Adventure também receberam o novo câmbio como opcional.

O Palio Fire, versão de entrada da família, continua a ser produzido, com o visual externo da segunda reestilização e o interior da primeira reestilização.

Segunda Geração[editar | editar código-fonte]

Em novembro de 2011, a Fiat Brasil apresentou a segunda geração do Palio. Todo o modelo foi reestilizado (dianteira, traseira, interior), e cresceu em todas direções, entre-eixos, comprimento, largura, altura e porta-malas. Os motores 1.0 EVO e 1.4 EVO são os mesmos usados na linha Uno.

Tem a opção de serem decorados com adesivos colados no teto, capô, porta-traseira e colunas traseiras. Além das alterações no seu desenho, possui como opcionais, conteúdos que não havia na geração anterior, como para-brisa térmico, Sidebags e Airbags dianteiros, volante em couro com comandos de rádio, volante com borboletas de comando Dualogic, piloto automático, sistema de abertura elétrica do porta-malas, chave "tipo canivete" com telecomando, parafusos de roda antifurto. As versões lançadas para este modelo são Attractive 1.0 8V Fire EVO, Attractive 1.4 8V Fire EVO, Essence 1.6 16V E.TorQ, Essence 1.6 16V E.TorQ Dualogic, Sporting 1.6 16V E.TorQ, Sporting 1.6 16V E.TorQ Dualogic.1

Crash Test[editar | editar código-fonte]

O Fiat Palio 2010 (com airbag) recebeu da Latin NCap, 3 estrelas para adultos e 2 estrelas para proteção infantil, e sem airbag recebeu 1 estrela para adultos, e 2 estrelas para proteção infantil. Os resultados, ainda que péssimos, foram surpreendentes, uma vez que o carro demonstrou segurança similar ao seu principal concorrente, o Gol G5, que é supostamente muito mais moderno.

O Fiat Palio ganhou nova geração em novembro de 2011. As versões sedan, perua e picape também deverão passar pela reestilização.

Palio Elétrico[editar | editar código-fonte]

Em junho de 2006, durante o Brazil Classics Fiat Show, a Fiat apresentou o Palio Elétrico, projetado em conjunto com a empresa suíça KWO, entre outros parceiros. O Palio elétrico é um protótipo criado pela Fiat a pedido da hidrelétrica Itaipu Binacional. Possui um motor com potência máxima de 15 Kw (20 cv), autonomia de 120km e torque máximo de 50 Nm (5,1 kgm). As suas baterias ficam sob o assoalho do porta-malas para não roubar espaço, e são construídas para fornecer a máxima autonomia com o mínimo de volume entretanto, sua recarga é lenta, demorando oito horas em uma tomada trifásica de 220 volts.

O modelo contava com câmbio automático, e sua alavanca foi substituída por outra do tipo joystick com três posições: Drive (D), Neutro (N) e (R). O console central ganhou um display para monitoramento do comportamento da bateria com informações sobre carga, tensão, temperatura e corrente.

Em julho de 2009 a Fiat apresentou à imprensa uma versão mais moderna do modelo, agora baseado na Palio Weekend.

Nas pistas[editar | editar código-fonte]

Em 1997, durante o processo de substituição do Fiat Uno como principal produto da empresa, a Fiat lançou a Fórmula Palio, disputada por unidades equipadas com motor 1.6 16V. Com o fim do apoio do fabricante, entretanto, a competição foi logo descontinuada. Nos rallyes, porém, os Palios têm se destacado em campeonatos regionais na América do Sul e Turquia, fazendo frente aos carros patrocinados pelas outras marcas.

Angulos das versões[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. http://autossegredos.com.br/?p=18709 As versões do Fiat Palio 2012

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Fiat Palio