Puppy Linux

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde dezembro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Puppy Linux  v  e 
Puppylogo.png
Captura de tela
Puppy Linux 4.2 'Deep Thought'
Desenvolvedor Barry Kauler e outros
Arquiteturas x86
Modelo do desenvolvimento Software Livre
Lançado em 29 de março de 2005 (9 anos)
Versão estável 5.3.3 / 5 de maio de 2012; há 102 semanas e 2 dias
Língua natural Multilíngue
Mercado-alvo Live CDS e Computadores antigos
Família Projeto GNU
Núcleo Linux
Gerenciamento de pacotes PetGet
Interface JWM, IceWM + ROX Desktop
Estado do desenvolvimento Corrente
Website www.puppylinux.org (em inglês) , acessado pela última vez há 97 semanas e 5 dias
Posição no Distrowatch (em inglês, em espanhol, em francês, em alemão, em tcheco/checo, em japonês e em chinês
Origem comum  Estados Unidos
Portal do Software Livre

Puppy Linux é uma distribuição Live CD Linux iniciada por Barry Kauler. Puppy é muito pequeno, e desenvolvido para ser seguro, fácil de usar e completamente customizável. Todo o sistema operacional e todos os outros aplicativos rodam da memória RAM. Há algumas aplicações inclusas tais como SeaMonkey/Mozilla, AbiWord, Sodipodi, Gnumeric, e Gxine/Xine. Há ainda a possibilidade de ser adicionar aplicações, com a ferramenta Setup, adicionar e remover. A distribuição foi desenvolvida do zero, não é baseada em nenhuma outra distribuição.

A última versão é a 5.3.3, lançada em 5 de Maio 2012.[1]

Características[editar | editar código-fonte]

Puppy pode ser muito útil para computadores antigos, como um disco de emergência, como uma demonstração do Linux, ou como um sistema operacional de proposta geral. Pode ser feito o boot através:

  • do USB/pendrive ou outro dispositivo de amazenamento via USB (flash-Puppy)
  • do CD-ROM (live-Puppy), com seis opções diferentes.
  • do Zip drive ou LS-120/240 SuperDisk (zippy-Puppy)
  • diretamente do hard drive (hard-Puppy)
  • de uma rede (thin-Puppy)
  • de uma emulação (emulated-puppy)
  • do disquete boot disk que carrega todo o resto do sistema através do USB drive, CD-ROM, ou do HD.

A instalação uma versão do Puppy no HD, USB drive, Zip disk, etc. pode ser feita usando o Live-Puppy.

GUI[editar | editar código-fonte]

Desktop com muitos temas integrados com XMMS, mtPaint e gxine rodando mais um arquivo texto aberto sob o Puppy Linux 2.15 CE Viz (com o padrão o gerenciador de janelas padrão: IceWM)

Puppy vem com a escolha de dois servidores gráficos: X.org (full-featured) e Xvesa (lightweight). Existe um guia durante o processo de incialização para que o usuário escolha o servidor gráfico apropriadamente para sua placa de video e monitor. Ao fim da guia o usuário irá ser apresentado ao desktop e a um gerenciador de janelas; por padrão o WM mais popular nas versões do Puppy é o JWM. A nova edição 2.15 da comunidade agora provê o IceWM por padrão.

Os pacotes DotPup do IceWM , Fluxbox e do Enlightenment estão disponíveis sob o link Puppy Linux Wiki.

Quando é feito o boot do sistema, todos os pacotes são descomprimidos em uma área da memória RAM, o "ramdisk". O computador necessita ter pelo menos 128 MB de RAM ( com não mais que 8 MB compartilhado de video) para qualquer um dos Puppy's, para carregar no ramdisk, entretanto é possível rodar com apenas 48 MB de RAM, porque parte do sistema pode ser mantida no HD e no pior caso, pode ser usada do próprio Live CD.

Os aplicativos são escolhidos sobre várias restrições. Os aplicativos do Puppy GUI são considerados rápidos e funcionais. Porque um dos principais objetivos da distribuição é ser extremamente fácil de usar, e existe um número bom de wizards que fazem os processos de configuração do sistema pelo usuário.

Gerenciador de Pacotes[editar | editar código-fonte]

Puppy Linux vem com dois gerenciadores de pacotes, PupGet e DotPup, para usar enquanto roda.

Puppy Unleashed está disponível para criar um live CD customizado. Existem mais de 500 pacotes que podem ser colocados ao CD do Puppy. Uma maneira fácil de construir sua distribuição customizada viascript permite ao usuário escolher os pacotes preferidos.

Puppy Linux 2.10 usa o script T2 SDE para criar a os pacotes binários base.

História[editar | editar código-fonte]

SeaMonkey, AbiWord e MineSweeper rodando sob o Puppy Linux 2.13

Puppy versão 2.14 (86.5 MB) usa o SeaMonkey, baseado no Mozilla, como o seu suite para internet ( web browser e cliente de e-mail ). Vem em diferentes tamanhos.

  • A versão padrão usa o AbiWord como o processador de texto de 68 MB; uma imagem do live CD com o Mozilla Firefox tem 52.4 MB; completo Mozilla tem 55.3 MB; com Opera tem 49.6 MB.
  • De 96.1 MB "Chubby Puppy" vem com o OpenOffice.org com todas as ferramentas.
  • De 39.9 MB "BareBones Puppy" sem nenhuma GUI,
  • e uma de 83 MB "zdrv" edição padrão, que contém muitos drivers para o melhor funcionamento da máquina.

Através do Morphix, Puppy Linux é uma das poucas distribuições Live CD capazes de salvar arquivos para o próprio Live CD (multisession), Permitindo aos usuários o carregamento de arquivos, e mais importante, adicionar programas e configurar o sistema no próprio CD. Puppy-multisession tem 55.7 MB.

A série 1 do Puppy roda confortavelmente em várias marcas de hardware. Para os novas máquinas, a versão USB pendrive pode ser melhor (Mesmo que o boot pelo drive USB não seja diretamente suportado pela BIOS, o boot pelo disquete pode ser usado para lança-lo). É possível rodar o Puppy Linux com o Windows 9x/Windows Me. Também é possível, se a BIOS não suportar o boot do drive USB, fazer o boot pelo CD e manter as informações do usuário no pendrive; isto será salvo ao desligar e será lido ao iniciar novamente.

Referências

  1. Kauler, Barry (5 de Maio 2012). Slacko Puppy is Released. Página visitada em 2012-06-06.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]