Red Hat Enterprise Linux

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde dezembro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Red Hat Enterprise Linux  v  e 

Captura de tela
Red Hat Enterprise Linux 5
Desenvolvedor Red Hat
Arquiteturas ia64 ppc s390 s390x x86 x86-64
Modelo do desenvolvimento Software Livre
Lançado em 22 de março de 2002 (12 anos)
Versão estável 5.4 / 2 de setembro de 2009; há 255 semanas e 2 dias
Mercado-alvo mercado comercial (inclui Mainframes, Servidores, Workstations)
Família Red Hat Linux
Núcleo Linux
Método de atualização yum
Gerenciamento de pacotes RPM
Interface GNOME
Licença GNU GPL / Outras
Estado do desenvolvimento Corrente
Website redhat.com/rhel (em inglês) , acessado pela última vez há 239 semanas e 5 dias
Posição no Distrowatch 31ª (em inglês, em espanhol, em francês, em alemão, em tcheco/checo, em japonês e em chinês
Origem comum  Estados Unidos
Portal do Software Livre

O Red Hat Enterprise Linux pode ser considerada uma versão corporativa do antigo Red Hat Linux, criada após a empresa se desvincular do mercado privado, iniciando o Projeto Fedora, e se concentrar no mercado corporativo

História[editar | editar código-fonte]

Red Hat Enterprise Linux (RHEL) é uma distribuição fabricada pela Red Hat visando o mercado comercial, incluindo mainframes. O Red Hat Enterprise Linux é lançado em versões de servidor para as plataformas x86, x86_64, Itanium, PowerPC e IBM System z, versões para mesa de trabalho são lançadas para as plataformas x86 e x86_64. Todo o suporte oficial, treinamento e o programa de certificação Red Hat são centrados na plataforma Red Hat Enterprise Linux.

O Red Hat Enterprise Linux geralmente é abreviado para RHEL, embora esta não seja uma designação oficial.[1]

O Red Hat Enterprise Linux não possui um ciclo de lançamentos fixo. Segundo Tim Burke, vice-presidente de Sistematização na Red Hat, o Red Hat Enterprise Linux 6 está em desenvolvimento e agendado para lançamento no primeiro semestre de 2010.[2]

Quando a Red Hat lança uma nova versão do Red Hat Enterprise Linux, os clientes podem atualizar para a nova versão sem custos adicionais, desde que em possessão da assinatura atual (ex. o termo da assinatura ainda está em vigor).

A primeira proposta empresarial da Red Hat (Red Hat Linux 6.2E) consistia essencialmente da versão 6.2 do Red Hat Linux com diferentes níveis de suporte, e sem sistematização separada.

A primeira versão do Red Hat Enterprise Linux a carregar este nome entrou no mercado como "Red Hat Linux Advanced Server". Em 2003 a Red Hat rotulou o Red Hat Linux Advanced Server para "Red Hat Enterprise Linux AS", e adicionou duas variantes extras, Red Hat Enterprise Linux ES e Red Hat Enterprise Linux WS.

A cópia e distribuição exata da distribuição Red Hat Enterprise Linux completa não é permitida devido a restrições de marca registrada.[3] No entanto, há várias redistribuições do Red Hat Enterprise Linux sem recursos registrados como marca (como logotipos e o nome).

Variantes[editar | editar código-fonte]

Desde 2005 a Red Hat distribuiu quatro variantes do Red Hat Enterprise Linux:

  • Red Hat Enterprise Linux AS para sistemas computacionais de missão crítica/empresariais computer systems.
  • Red Hat Enterprise Linux ES para servidores com suporte em redes de trabalho
  • Red Hat Enterprise Linux WS para mesas de trabalho de usuários técnicos avançados ou computação de alta performance
  • Red Hat Desktop – para implementações múltiplas de mesas de trabalho com único usuário

Há também edições "Acadêmicas" das variantes Mesa de trabalho e Servidor. Elas são oferecidas para escolas e estudantes, custam menos, e possuem suporte técnico da Red Hat como um extra adicional. Suporte online baseado no número de contatos com o cliente podem ser adquiridos separadamente.

Geralmente assume-se que os rótulos ES e AS significam, respectivamente, "Servidores menores" ("Entry-level Server" (em inglês)) e "Servidores Avançados" ("Advanced Server" (em inglês)). A razão disso é que a linha ES é realmente a base de produtos para servidores empresariais da companhia, enquanto que a AS é o linha mais avançada. No entanto, a Red Hat não especifica em lugar algum os significados de AS, ES e WS.

No Red Hat Enterprise Linux 5 há novas edições que substituem o antigo Red Hat Enterprise Linux AS/ES/WS/Desktop:[4] [5]

  • Red Hat Enterprise Linux Advanced Platform (antigo AS)
  • Red Hat Enterprise Linux (former ES) (limitado a 2 CPU-s)
  • Red Hat Enterprise Linux Desktop com opções Estação de trabalho e Multi-SO
  • Red Hat Enterprise Linux Desktop com opção Estação de trabalho (antigo WS)
  • Red Hat Enterprise Linux Desktop com opção Multi-SO
  • Red Hat Enterprise Linux Desktop (antigo Desktop)

A Red Hat também anunciou a sua edição "Mesa de trabalho Linux Global da Red Hat" ("Red Hat Global Desktop Linux" (em inglês)) "para mercados emergentes"[6] . Mas de acordo com uma publicação recente na mídia, a Red Hat desistiu completamente da ideia de um Desktop global. "Não haverá um consumidor para o desktop da Red Hat já que ele não será rentável".

Relacionamento com distribuições livres ou da comunidade[editar | editar código-fonte]

Originalmente, a Red Hat baseou o Red Hat Enterprise Linux no Red Hat Linux, mas utilizando um ciclo de lançamentos muito mais conservador. Em versões subsequentes incluindo tecnologias da distribuição da comunidade patrocinada pela Red Hat, o Projeto Fedora. O ciclo de lançamentos do Red Hat Enterprise Linux não seguem o do Fedora, que formam a base do Red Hat, portanto:

  • Red Hat Linux 6.2 → Red Hat Linux 6.2E
  • Red Hat Linux 7.2 → Red Hat Enterprise Linux 2.1
  • Red Hat Linux 9 → Red Hat Enterprise Linux 3
  • Fedora Core 3 → Red Hat Enterprise Linux 4
  • Fedora Core 6 → Red Hat Enterprise Linux 5

Recompilações[editar | editar código-fonte]

Originalmente o produto da Red Hat, conhecido na época por Red Hat Linux, era disponibilizado livremente na internet para quem quisesse usufruí-lo, enquanto a Red Hat obtinha rendas com suporte. A Red Hat procedeu para dividir a sua linha de produtos em Red Hat Enterprise Linux que foi desenhada para ser estável e com termos de suporte de longa data para usuários empresariais e o 'Fedora' como um projeto e distribuição da comunidade, patrocinados pela Red Hat. O uso de marcas registradas impede cópias idênticas do Red Hat Enterprise Linux.

Já que o Red Hat Enterprise Linux é completamente baseado em Software Livre e aberto, a Red Hat torna disponível o código fonte completo para a sua distribuição empresarial através de seu sítio FTP para qualquer pessoa disposta a querê-lo. Deste modo, várias grupos compilaram suas próprias distribuições a partir dos códigos do Red Hat Enterprise Linux, típica mas não obrigatoriamente as únicas modificações consistem na remoção de referências a marcas registradas pela Red Hat e direcionamentos para sistemas que não seja os da Red Hat nos sistemas de atualização. Grupos que se empreenderam estas atividades incluem o CentOS, o mais popular deles desde março de 2009,[7] Scientific Linux, White Box Enterprise Linux, Cisco Unified Communications Manager, StartCom Enterprise Linux, Pie Box Enterprise Linux, X/OS,[8] , e o Lineox. Desde 2006 a Oracle também criou a sua própria compilação do Red Hat Enterprise Linux, chamada Oracle Enterprise Linux como parte do seu programa "Linux Inquebrável" ("Unbreakable Linux" (em inglês)), mas não provê um mecanismo gratuito para aplicar atualizações sem pagar uma taxa de serviço como na Red Hat.

Recompilações do Red Hat Enterprise Linux são gratuitas, mas não recebem suporte comercial ou serviços de consultoria da Red Hat e são privados de qualquer certificação de segurança via software ou hardware. Além disso, elas não obtêm acesso aos serviços da Red Hat, como por exemplo a Red Hat Network.

Produtos Comerciais baseados no Red Hat Enterprise Linux[editar | editar código-fonte]

Um número de vendedores comerciais utilizam o Red Hat Enterprise Linux como base para o sistema operacional em seus produtos. Ao contrário do que se pensa, VMware ESX não utiliza nenhuma versão de Linux para prover o seu hypervidor. O seu kernel é proprietário e foi desenvolvido pela própria VMware. A Service Console é um meio de acessar alguns comandos dentro do VMware ESX, porém esta roda acima do hypervidor, o que pode leval ao engano de algumas pessoas.

Histórico de Versões[editar | editar código-fonte]

As várias versões do Red Hat Linux possuem Políticas de Suporte a Erratas um pouco diferentes.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o portal:

Referências

  1. Tips and tricks: How do I properly refer to Red Hat Enterprise Linux 2.1, Red Hat Enterprise Linux 3, Red Hat Enterprise Linux 4 and Red Hat Enterprise Linux 5 in documentation and when conversing with fellow users and customers?. redhatmagazine.com (2008-02-04). Página visitada em 2008-06-25.
  2. Red Hat Summit - videos, presentations and outlook for RHEL6. The H Online (2009-09-09). Página visitada em 2009-12-02.
  3. ESR: "We Don't Need the GPL Anymore". redhat.com. Página visitada em 2009-12-20.
  4. Moving to Red Hat Enterprise Linux 5. Red Hat. Página visitada em 2009-12-02.
  5. Red Hat Enterprise Linux Server Version Comparison Chart. Red Hat. Página visitada em 2009-12-02.
  6. Red_Hat_Global_Desktop_Linux:_The_Best_Kept_Secret?. linuxtoday.com. Página visitada em 2008-03-04.
  7. Linux Distributions - Facts and Figures. distrowatch.com. Página visitada em 2008-03-04.
  8. Cisco Unified Communications Manager - Hardware, Software and Clustering. Página visitada em 2009-02-05.
  9. Red Hat Enterprise Linux Updates. Red Hat. Página visitada em 2009-12-02.

Leituras significativas[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]