openSUSE

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
openSUSE  v  e 

Captura de tela
openSUSE 12.2 com KDE 4.8.4
Arquiteturas x86 x86-64
Modelo do desenvolvimento Software Livre
Lançado em março de 1994 (20 anos)
Versão estável 12.3 / 13 de março de 2013; há 57 semanas e 3 dias
Língua natural Multilíngue
Mercado-alvo Consumidores, pequenas empresas, desenvolvedores
Família GNU
Núcleo Linux
Método de atualização ZYpp (YaST)
Gerenciamento de pacotes RPM
Interface KDE, GNOME
Estado do desenvolvimento Corrente
Website www.opensuse.org (em inglês) , acessado pela última vez há 254 semanas e 1 dia
Posição no Distrowatch (em inglês, em espanhol, em francês, em alemão, em tcheco/checo, em japonês e em chinês
Origem comum  Alemanha
Portal do Software Livre

openSUSE é um sistema operacional baseado no Linux, desenvolvida pela comunidade openSUSE de forma gratuita.

Após adquirir o SUSE Linux em janeiro de 2004,[1] a Novell, uma empresa norte-americana que na década de 1980 ficou famosa por seu sistema operacional de rede (Netware), após o sucesso lançou o SUSE Linux Professional como um projeto 100% código livre, envolvendo a comunidade no processo de desenvolvimento.[2]

A versão inicial foi uma versão de teste do SUSE Linux 10.0. A sua versão estável corrente é o openSUSE 13.1.[3]

Visão geral[editar | editar código-fonte]

openSUSE é dirigido pela comunidade openSUSE Project e patrocinada pela Novell, para desenvolver e manter os componentes do SUSE Linux distribuições.

Depois da aquisição do SUSE Linux, a Novell decidiu fazer da comunidade uma importante parte do processo de desenvolvimento.

Além da distribuição, o Projeto openSUSE prove um portal web para o envolvimento da comunidade. A comunidade colabora com o openSUSE em desenvolvimento com representantes da Novell contribuindo com códigos através do openSUSE Build Service, escrevendo documentação, desenhando artes graficas, criando discussões abertas em mailing lists e canais Internet Relay Chats (irc), assim como aprimorando o openSUSE através de wikis.

Como a maioria das distribuições Linux, o openSUSE inclui ambas Ambiente gráfico (padrão) e um poderoso Interpretador de comandos (opcional). Durante instalação, o usuário pode escolher dentre vários Ambiente gráficos e com focos diferentes: KDE (padrão), GNOME, LXDE e Xfce.

Historia[editar | editar código-fonte]

No passado, a companhia SUSE Linux tinha focado em um lançamento conjunto do “SUSE Linux Personal” e “SUSE Linux Professional”, incluindo extensiva documentação impressa que esteve disponível para vendas nas Lojas. A habilidade da companhia de vender um produto de codígo-livre era larga devido o processo de desenvolvimento usado em código fechado. Embora o SUSE Linux tivesse sempre sido um produto de código livre com licença GPL, somente era possível analisar livremente o código-fonte do próximo lançamento, 2 meses depois de lançado. A estratégia do SUSE Linux foi criar uma distribuição Linux tecnicamente superior com um grande numero de engenheiros empregados, que poderia fazer que usuários paguem pela distribuição em Lojas.

Desde a aquisição pela Novell em 2003 e com o advento do openSUSE isso estava sendo revertido: começando com a versão 9.2, 1 DVD não-suportado Imagem ISO do SUSE Professional esteve disponivel para download também um Live DVD bootável. O servidor FTP continua a operar e tem a vantagem de instalação online: Apenas baixando pacotes que o usuario necessitava. O ISO tinha a vantagem de fácil instalação de pacotes, e a habilidade de operar mesmo se a conexao de rede do usuario não estive vel Out-of-Box(pronta para usar), assim menos experiência era necessária.

O inicial lançamento estável pela openSUSE Project, SUSE Linux 10.0, esteve disponível para download apenas após da versão comercial SUSE Linux 10.0. em adição, a Novell termina a “Personal Version”, renomeando a versão “Professional” para simplestemente “SUSE Linux”, e remarcando o preço o “SUSE Linux” para quase o mesmo da até então antiga versão “Personal Version”. Com a versão 10.2, a distribuição SUSE Linux foi oficialmente renomeada para openSUSE.

Ao longo dos anos, o SUSE Linux foi uma distribuição com status que incluía software proprietário, com restritivas publicações atrasadas(2 meses de espera para aqueles que não compraram o produto sem ISO disponíveis, mas instalação disponível via FTP) e desenvolvimento fechado para um modelo livre de distribuição para todos de transparência e desenvolvimento aberto. Sua popularidade continua a crescer: como em maio de 2010, por exemplo, as estatísticas de downloads mostra mais que 2 milhões instalações unicas apenas do openSUSE 11.1 e 11.2, [10] com números altos na alemanha(28%) e Estados Unidos(14%).

Distribuição openSUSE[editar | editar código-fonte]

openSUSE é completamente e livremente disponível para download direto ou bittorrent, e também vendido como DVD-Box para o público em geral. Uma distribuição openSUSE, vem com várias edições para arquiteturas x86 e x86-64 (como para a atual versão 12.2):

  • openSUSE Edição para Download: Download livre, disponível nas páginas de download do openSUSE. Disponíveis também um Live CD versão (KDE4 ou Gnome), quais podem ser instaladas no HD ou um completo DVD com diversos aplicativos. Um CD contendo adicionais software proprietário e um CD contendo arquivos para internacionalização (para linguas menos comuns) também estão disponível. Esta versão não inclui assistencia tecnica, nem manuais impressos.

SUSE Studio[editar | editar código-fonte]

O openSUSE conta na sua pagina inicial com o SUSE Studio, que permite a fácil criação de sistemas baseados no openSUSE. A ferramenta permite criar um Live CDs ou máquinas virtuais com base nas últimas versões do openSUSE e no SUSE Linux Enterprise, com pacotes personalizados[4] . Também é possível, atualmente, criar um arquivo para uso com a infraestrutura de nuvem da Amazon (Amazon EC2).

Versões atualmente suportadas do openSUSE[editar | editar código-fonte]

openSUSE 12.1[editar | editar código-fonte]

Inclui as atualizaçãoes do Kernel (3.1), do desktop Gnome (3.2.1), bem assim do KDE (4.7.2), do XFCE (4.8.3) e do LXDE (0.5.5). O gnome Shell 3.2.1 teve muitos bugs corrigidos e numerosas pequenas melhorias. Suporte ao ownCloud facilitado com Mirall. O openSUSE 12.1 é a primeira distribuição linux a integrar o sistema de gerenciamento de cores Oyranos. Suporte a todas as tecnologias de virtualização, incluindo xen 4.1.2, KVM e VirtualBox 4.1.8. Usuários do SUSE Studio já podem construir versões exclusivas do openSUSE 12.1, com pacotes personalizados, scripts, etc. Inclui o Snapper, uma ferramenta nova e única que utiliza a funcionalidade de instantâneos do sistema de arquivos btrfs para visualizar versões antigas de arquivos e reverter a alterações. Integração do Snapper ao gerenciador de pacotes zypper permite reverter atualizações do sistema e mudanças de configuração.

openSUSE 12.2[editar | editar código-fonte]

Aumento de velocidade devido ao kernel 3.4.6 e funções aceleradas nas bibliotecas glibc 2.15 e qt 4.8.1. A distribuição vem com grub 2.00 por padrão, plymouth, e os primeiros passos em direção de uma revista e simplificada hierarquia do sistema de arquivos UNIX. Sistema de arquivos btrfs com tratamento de erros melhorado e ferramentas de recuperação. O Xorg 1.12.3 introduz suporta dispositivos "multitouch" e implementações "multi-seat". O software renderizador 3D llvmpipe permite ao gnome shell 3.4.2 e máquinas virtuais usarem composição, mesmo quando não há placas 3D presentes. Além disso o openSUSE 12.2 apresenta o firefox 14.01, libreoffice 3.5.4, gimp 2.8.0 e krita 2.4 para tratamento de imagens, e o reprodutor tomahawk para músicas.

openSUSE 12.3[editar | editar código-fonte]

Kernel 3.7.10, com RAID 10 com suporte a mapeamento de dispositivos, inclusão do PostgreSQL 9.2.3, com suporte nativo para o JSON, subtituição do MySQL pelo MariaDB e inclusão do OpenStack "Folsom" para a "cloud", com atualização do Digikam 3.0.0, Evolution 3.6.3, Firefox 19.0, Kontact’s e melhorias do Developmente tools, KDE 4.10.0, Gnome-Shell 3.6.3.1, além do lançamento do E17 como desktop.

Histórico das versões[editar | editar código-fonte]

O openSUSE tem, em teoria, um ciclo de desenvolvimento de oito meses e um tempo de vida útil (duração das atualizações críticas) de 18 meses a partir da data de lançamento.[5]

Cor Legenda
Vermelho Versão antiga não mais suportada
Verde Versão ainda suportada
Verde Escuro Versão ainda suportada pela comunidade (Projeto Evergreen)
Azul Versão futura
Azul Versão futura prevista para longo suporte comunitário (Projeto Evergreen)
Nome da Distribuição Versão Data de lançamento Versão do Linux Suportada até
SuSE Linux

(baseada no Slackware)

3/94  ??/03/1994 1.0.0  ?.?.?
7/94  ??/07/1994 1.2.9  ?.?.?
11/94  ??/11/1994  ?.?.?  ?.?.?
4/95  ??/04/1995 1.2.9  ?.?.?
8/95  ??/08/1995  ?.?.?  ?.?.?
11/95  ??/11/1995  ?.?.?  ?.?.?
SuSE Linux 4.2  ??/05/1996 1.2.13  ?.?.?
4.3  ??/09/1996  ?.?.?  ?.?.?
4.4  ??/05/1997  ?.?.?  ?.?.?
5.0  ??/10/1997 2.0.30  ?.?.?
5.1  ??/10/1997  ?.?.?  ?.?.?
5.2 23 de março de 1998 2.0.33  ?.?.?
5.3 10 de setembro de 1998 2.0.35  ?.?.?
6.0 21 de dezembro de 1998 2.0.36 19 de março de 2001[6]
6.1 7 de abril de 1999 2.2.6 19 de março de 2001[6]
6.2 12 de agosto de 1999 2.2.10 19 de março de 2001[6]
6.3 25 de novembro de 1999 2.2.13 10 de dezembro de 2001[7]
6.4 9 de março de 2000 2.2.14 17 de junho de 2002[8]
7.0 27 de setembro de 2000 2.2.16 4 de novembro de 2002[9]
7.1 24 de janeiro de 2001 2.2.18 16 de maio de 2003[10]
7.2 15 de junho de 2001 2.4.4 1 de outubro de 2003[11]
7.3 13 de outubro de 2001 2.4.9 15 de dezembro de 2003[12]
8.0 22 de abril de 2002 2.4.18 30 de junho de 2004[13]
8.1 30 de setembro de 2002 2.4.19 31 de janeiro de 2005[14]
8.2 7 de abril de 2003 2.4.20 14 de julho de 2005[15]
SUSE Linux 9.0 15 de outubro de 2003 2.4.21 15 de dezembro de 2005[16]
9.1 23 de abril de 2004 2.6.4 30 de julho de 2006[5]
9.2 25 de outubro de 2004 2.6.8 31 de outubro de 2006[5]
9.3 16 de abril de 2005 2.6.11.4 30 de abril de 2007[5]
10.0 6 de outubro de 2005 2.6.13 30 de novembro de 2007[5]
10.1 11 de maio de 2006 2.6.16.13 31 de maio de 2008[5]
10.1bis 13 de outubro de 2006 2.6.16.21 31 de maio de 2008[5]
openSUSE 10.2 7 de dezembro de 2006 2.6.18.2 30 de novembro de 2008[5]
10.3 4 de outubro de 2007 2.6.22.5 31 de outubro de 2009[5]
11.0 19 de junho de 2008 2.6.25.5 26 de julho de 2010[5]
11.1 18 de dezembro de 2008 2.6.27.7 14 de janeiro de 2011[5] [17]
11.2 12 de novembro de 2009 2.6.31.5 12 de maio de 2011[5] [17]
11.3 15 de julho de 2010 2.6.34 20 de janeiro de 2012[5]
11.4 10 de março de 2011 2.6.37.1 5 de novembro de 2012[5] [17]
12.1 16 de novembro de 2011[18] 3.1 15 de maio de 2013[5]
12.2 5 de setembro de 2012[18] 3.4.6 15 de janeiro de 2014[5]
12.3 13 de março de 2013[18] 3.7.10 15 de setembro de 2014[5]
13.1 19 de novembro de 2013[18]
13.2 julho de 2014[18]

O Projeto Evergreen tem como objetivo manter versões selecionadas do openSUSE por um período maior de tempo após o término do suporte oficial (deixando essas versões selecionadas como um LTS).[17]

Requisitos de sistema[editar | editar código-fonte]

O openSUSE 12.3 tem total suporte para os computadores que possuem arquitetura de 32 bits (i586) e 64 bits (x86-64). O suporte para processadores PowerPC (PPC) foi descontinuado depois do openSUSE 11.1. O requerimento básico para computadores que não sejam PPC seguem abaixo:[19]

A real especificação mínima alcançável difere. Processadores velhos que ainda pertence a familia i586 são usáveis, por exemplo o AMD K6/2. Quando traduções e documentação são removidas e o X não é necessario, um decente modo console pode ser usado com 330 MB de espaço no disco.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Novell Completes Acquisition of SUSE LINUX. Novell Press Release (13 de janeiro de 2004). Página visitada em 13/01/2006.
  2. Tina Gasperson (3 de agosto de 2005). Novell frees SUSE Professional under new branding. NewsForge. Página visitada em 13/01/2006.
  3. Jos Poortvliet (5 de setembro de 2011). openSUSE 12.2: Green Means Go!. openSUSE News. Página visitada em 8 de setembro de 2012.
  4. SUSE Studio. Página visitada em 10 de março de 2012.
  5. a b c d e f g h i j k l m n o p q Lifetime. openSUSE (2013). Página visitada em 21/03/2013.
  6. a b c Supported Distributions. Mailinglist Archive (23 de fevereiro de 2001). Página visitada em 10/05/2009.
  7. Supported Distributions. Mailinglist Archive (14 de novembro de 2001). Página visitada em 10/05/2009.
  8. Supported Distributions. Mailinglist Archive (10 de junho de 2002). Página visitada em 10/05/2009.
  9. Supported Distributions. Mailinglist Archive (29 de outubro de 2002). Página visitada em 10/05/2009.
  10. Discontinued SuSE Linux Distributions. Mailinglist Archive (12 de maio de 2003). Página visitada em 10/05/2009.
  11. Discontinued SuSE Linux Distributions. Mailinglist Archive (1º de outubro de 2003). Página visitada em 10/05/2009.
  12. Discontinued SuSE Linux Distributions. Mailinglist Archive (4 de dezembro de 2003). Página visitada em 10/05/2009.
  13. Discontinued SUSE Linux Distributions. Mailinglist Archive (16 de junho de 2004). Página visitada em 10/05/2009.
  14. Discontinued SUSE Linux Distributions: 8.1. Mailinglist Archive (10 de janeiro de 2005). Página visitada em 10/05/2009.
  15. Discontinued SUSE Linux Distribution: 8.2. Mailinglist Archive (29 de junho de 2005). Página visitada em 10/05/2009.
  16. Discontinued SUSE Linux Distribution: 9.0. Mailinglist Archive (14 de novembro de 2005). Página visitada em 10/05/2009.
  17. a b c d openSUSE:Evergreen. Página visitada em 16/12/2012.
  18. a b c d e openSUSE:Roadmap. openSUSE:Roadmap. Página visitada em 21/03/2013.
  19. Requerimentos de sistema do openSUSE

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre openSUSE