Voo China Airlines 611

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Voo China Airlines 611
Ilustração do avião acidentado
Sumário
Data 25 de fevereiro de 2002 (12 anos)
Causa Falha estrutural devido a má manutenção
Local República da China Arredores das Ilhas Pescadores, Estreito de Taiwan, Taiwan
Coordenadas 23° 53′ N 119° 40′ E
Origem Aeroporto Internacional Chiang Kai-shek, Taiwan
Destino Aeroporto Internacional de Hong Kong, Hong Kong, China
Passageiros 206
Tripulantes 19
Mortos 225
Feridos 0
Sobreviventes 0
Aeronave
Modelo Boeing 747-209B
Operador República da China China Airlines
Prefixo B-18255

O Voo China Arilines 611 foi realizado por um Boeing 747 que partiu do Aeroporto Internacional Chiang Kai-shek em Taiwan em 25 de maio de 2002 com destino ao Aeroporto Internacional de Hong Kong, em Hong Kong.

Porém 25 minutos após a decolagem[1] o avião desapareceu das telas de radar. O avião sofreu uma despresurização enquanto estava sobre o estreito de Taiwan e os destroços caíram no mar. Todos os passageiros e a tripulação morreram no acidente[1] .

O voo e o desastre[editar | editar código-fonte]

A rota Taiwan-Hong Kong é uma das mais movimentadas do mundo. É tão lucrativa, que a fez ser conhecida como a Rota de Ouro.

No dia 25 de maio, às 14h50 horário local, o voo decolou, com previsão de chegada às 16h28. Porém, 25 minutos após a partida a aeronave, que se encontrava a 35.000 pés de altitude, sumiu dos radares, próxima às Ilhas Pescadores, no Estreito de Taiwan. Todas as 225 pessoas a bordo (206 passageiros e 19 tripulantes) morreram.

Os passageiros[editar | editar código-fonte]

Nacionalidades[editar | editar código-fonte]

Nacionalidade Passageiros Tripulantes Total
 República Popular da China 9 0 9
 Hong Kong 5 0 5
 Singapura 1 0 1
Suíça 1 0 1
Taiwan (Taiwan) 190 19 209
Total 206 19 225

Busca pelos corpos[editar | editar código-fonte]

Cento e setenta e cinco (175) corpos dos 225 passageiros foram encontrados. Os primeiro 84 corpos foram encontrados boiando, por embarcações de pesca, da guarda costeira e militares.

A maioria dos corpos recuperados dos passageiros que estavam na parte traseira do avião estava nua, devido às forças de descompressão.

Investigação[editar | editar código-fonte]

A busca por evidências foi muito complicada. Inicialmente, achavam que o problema era no motor mas após algum tempo a caixa-preta foi examinada e não mostrava nada estranho com relação as conversas avião-torre.

Somente com a análise detalhade de peças, descobriu-se uma parte da fuselagem do avião que havia se soltado durante o voo, ocasinando o desastre.

A peça havia sido danificada durante um pouso 22 anos antes, devido a um tail strike(raspagem da cauda durante um pouso) e apenas foi feito um reparo, quando o manual de manutenção da Boeing dizia que devia ser trocada toda a peça. Então, durante22 anos, a peça foi abrindo rachaduras na fuselagem do avião, que resultou no desastre.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um acidente aéreo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.