A Cartomante

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura por por outras acepções, veja Cartomante (desambiguação).
Machado de Assis

A Cartomante é um conto do escritor brasileiro Machado de Assis, que foi publicado originalmente na Gazeta de Notícias do Rio de Janeiro, em 28 de novembro de 1884 [1]. Posteriormente, foi incluído no livro Várias Histórias, publicado em 1896, e em Contos: Uma Antologia.[carece de fontes?] Foi também adaptado para o cinema em 1974 e em 2004[2][3] e em para Ópera por Jorge Antunes em 2014.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

A história começa numa sexta-feira de novembro de 1869 com um diálogo entre Camilo e Rita. Camilo nega-se veementemente a acreditar na cartomante e sempre desaconselha Rita de maneira jocosa. A cartomante está caracterizada neste conto como uma charlatã, destas que falam tudo o que serve para todo mundo. É um personagem sinistro, que não tem o seu nome revelado (característica machadiana), destaca-se como uma personagem que ludibria as personagens principais. Rita crê que a cartomante pode resolver todos os seus problemas e angústias. Rita, no fim do conto, quando está prestes a ter desmascarado seu caso com Camilo, no ápice de seu desespero, recorre a esta mesma cartomante, que por sua vez o ilude da mesma forma como ilude a todos os seus clientes, inclusive Camilo. A mulher usa frases de efeito e metáforas a fim de parecer sábia e dona do destino de Camilo, que sai de lá confiante em suas palavras. Ao chegar no apartamento de Villela, Camilo encontra Rita morta e é morto a queima roupa pelo amigo de infância, que já estava sabendo da traição da esposa e o esperava de arma em punho.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Referências

  1. «Hemeroteca Digital Brasileira». Consultado em 4 de novembro de 2017 
  2. Ramos, Fernão Pessoa; Miranda, Luiz Felipe (2000). Enciclopédia do Cinema Brasileiro. [S.l.]: Senac. p. 332. ISBN 978-8-57359-093-7. Foram ainda baseados em contos homônimos de Machado de Assis, A cartomante de Marcos Faria; 
  3. «Filmes inspirados em obras de Machado de Assis ganham mostra em SP». Catraca Livre. Universo Online. 19 de novembro de 2008. Consultado em 25 de janeiro de 2013. Arquivado do original em 7 de novembro de 2012 
Wikisource
O Wikisource contém fontes primárias relacionadas com A Cartomante