Brasil na Copa do Mundo FIFA de 1958

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jogadores da Seleção Brasileira comemoram o primeiro título mundial na Suécia

A edição de 1958 da Copa do Mundo FIFA marcou a sexta participação da Seleção Brasileira de Futebol nessa competição. Era o único país a participar de todas as edições do torneio da FIFA, fato que persiste até hoje. O Brasil chegava pela segunda vez em uma final e enfrentaria a anfitriã, Suécia. A seleção brasileira obteria seu primeiro título mundial

Após chegar perto da conquista nas edições de 1938 (3º lugar) e de 1950 (vice-campeonato), além do fracasso no Mundial de 1954, a seleção brasileira montou para o campeonato mundial na Suécia um esquema que primava pela organização, comparado à completa bagunça dos anos anteriores. O empresário paulista Paulo Machado de Carvalho chefiou a delegação que viajou para a Suécia, que contava até mesmo com um psicólogo.[1]

O esquema tático do técnico brasileiro Vicente Feola fazia com que Zagallo atacasse e recuasse para marcar no meio-campo, dando origem ao 4-3-3. Com isso, o Brasil mostrou a mais sólida defesa do Mundial (quatro gols sofridos, ao lado do País de Gales). Na frente, o trio Pelé-Garrincha-Vavá fez história.

Eliminatórias[editar | editar código-fonte]

Na disputa de uma das três vagas destinadas a seleções sul-americanas para a Copa de 1958, o Brasil caiu no Grupo 1, ao lado das seleções do Peru e da Venezuela. Mas os venezuelanos desistiriam da disputa pouco antes dos duelos. Com isso, a decisão de uma das vagas da CONMEBOL ficou restrita a brasileiros e peruanos.

CONMEBOL - Grupo 1
Pos. Seleção P J V E D GP GC SG
1 Brasil Brasil 3 2 1 1 0 2 1 +1
2 Flag of Peru.svg Peru 1 2 0 1 1 1 2 –1

A Flag of Venezuela.svg Venezuela desistiu.

13 de abril de 1957 Peru Flag of Peru.svg 1 – 1 Brasil Brasil Estádio Nacional do Peru, Lima

Terry Gol marcado aos 37 minutos de jogo 37' Índio Gol marcado aos 48 minutos de jogo 48' Público: 42 000
Árbitro: UruguaiURU Washington Rodríguez

21 de abril de 1957 Brasil Brasil 1 – 0 Flag of Peru.svg Peru Maracanã, Rio de Janeiro

Didi Gol marcado aos 11 minutos de jogo 11' Público: 120 000
Árbitro: UruguaiURU Esteban Marino
  • Classificado: Brasil

Preparação[editar | editar código-fonte]

Vicente Feola, que inicialmente foi indicado para assistente-técnico, foi designado o treinador da equipe. Convocou 31 jogadores, sendo mais dois extras aos treinos (Almir Pernambuquinho e Roberto Belangero).

O grupo foi submetido a exames médicos e odontológicos na cidade do Rio de Janeiro e em 10 de abril de 1958 seguiram para Poços de Caldas para primeira fase da preparação, permanecendo ali 11 dias. A seguir grupo instalou-se em Araxá para uma semana de treinos. No retorno ao Rio de Janeiro, os primeiros cortes foram feitos: o goleiro Carlos Alberto Cavalheiro da Portuguesa, o lateral Cacá do Fluminense, o volante Chico Formiga do Palmeiras, o volante Pampolini do Botafogo e o meia Almir Pernambuquinho do Vasco da Gama.

Providenciados jogos treino no Pacaembu contra o Corinthians e no Maracanã contra o Flamengo, antes de duas partidas contra o Paraguai (5-1) e (0-0) e duas contra a Bulgária (3-0) e (3-1). Em seguida foi divulgado os nomes dos últimos cortes: o goleiro Ernani Ribeiro Guimarães do Bangu, Jadir do Flamengo, Altair do Fluminense, Gino do São Paulo e Canhoteiro do São Paulo.

A seleção embarcou em 24 de maio e realizou duas partidas amistosas na Itália: em Florença contra a Fiorentina (4-0) e Internazionale (4-0). Chegou ao vilarejo de Hindås próximo a Gotemburgo, que foi o local de concentração da Seleção durante a Copa.[2]

Delegação brasileira[editar | editar código-fonte]

Jogadores
Nº Camisa Jogador Posição Idade Clube Jogos Gols
1 Castilho Goleiro 31 anos (27.04.1927) Rio de Janeiro Fluminense 0 0
2 Bellini Capitão Zagueiro 28 anos (7.6.1930) Rio de Janeiro Vasco da Gama 6 0
3 Gilmar Goleiro 27 anos (22.8.1930) São Paulo Corinthians 6 0
4 Djalma Santos Lateral 29 anos (27.2.1929) São Paulo Portuguesa 1 0
5 Dino Meia 26 anos (23.5.1932) São Paulo São Paulo 2 0
6 Didi Meia 28 anos (8.10.1929) Rio de Janeiro Botafogo 6 1
7 Zagallo Atacante 26 anos (9.8.1931) Rio de Janeiro Flamengo 6 1
8 Oreco Meia 22 anos (18.5.1936) Rio de Janeiro Flamengo 0 0
9 Zózimo Zagueiro 25 anos (19.6.1932) Rio de Janeiro Bangu 0 0
10 Pelé Atacante 17 anos (23.10.1940) São Paulo Santos 4 6
11 Garrincha Atacante 24 anos (28.10.1933) Rio de Janeiro Botafogo 4 0
12 Nilton Santos Lateral 33 anos (16.5.1925) Rio de Janeiro Botafogo 6 1
13 Moacir Zagueiro 27 anos (30.8.1930) São Paulo São Paulo 0 0
14 De Sordi Lateral 27 anos (14.2.1931) São Paulo São Paulo 5 0
15 Orlando Zagueiro 22 anos (20.9.1935) Rio de Janeiro Vasco da Gama 6 0
16 Mauro Lateral 25 anos (13.6.1932) São Paulo Corinthians 0 0
17 Joel Atacante 26 anos (23.11.1931) Rio de Janeiro Flamengo 2 0
18 Mazzola Atacante 19 anos (24.7.1938) São Paulo Palmeiras 3 2
19 Zito Meia 25 anos (8.8.1932) São Paulo Santos 4 0
20 Vavá Atacante 23 anos (12.12.1934) Rio de Janeiro Vasco da Gama 4 5
21 Dida Atacante 24 anos (26.3.1934) Rio de Janeiro Flamengo 1 0
22 Pepe Atacante 23 anos (25.2.1935) São Paulo Santos 0 0
  • Chefe: Paulo Machado de Carvalho
  • Secretário: Abílio de Almeida
  • Tesoureiro: Adolpho Marques Júnior
  • Delegado ao Congresso: Luiz Murgel
  • Supervisor técnico: Carlos Nascimento
  • Técnico: Vicente Feola
  • Preparador físico: Paulo Amaral
  • Observador técnico: José de Almeida
  • Psicólogo: João Carvalhaes
  • Médico: Hilton Gosling
  • Dentista: Mário Trigo Loureiro[3][4]
  • Massagista: Mário Américo
  • Auxiliar: Francisco de Assis (roupeiro)

A Copa[editar | editar código-fonte]

Pelé, na final da Copa, driblando os jogadores suecos

Com um elenco fabuloso, a Seleção Brasileira enfim obteve o título de campeão mundial na Copa de 1958, após este lhe escapar em edições anteriores, e viu Pelé e Garrincha despontarem como grandes craques do futebol em todos os tempos.

A equipe dirigida pelo técnico Vicente Feola fez uma boa campanha na fase de grupos, como duas vitórias e um empate. O Brasil ficou no Grupo 4, ao lado de Áustria, Inglaterra e União Soviética. Na estréia, uma vitória por 3 a 0 sobre os austríacos. Na partida seguinte, contra os ingleses, apenas um empate em 0 a 0. Como não havia substituição durante os jogos, Vavá entrou no time titular no lugar de Dida. Devido à má apresentação da equipe, o treinador decidiu para o terceiro jogo substituir Joel, Mazzola e Dino Sani por Garrincha, Pelé e Zito. Assim, na última rodada, os brasileiros venceram os soviéticos por 2 a 0 e garantiram a classificação à próxima fase em primeiro lugar na chave.

Nas quartas-de-final, com Mazzola no lugar de Vavá, o Brasil teve dificuldades para eliminar o País de Gales por 1 a 0, com um gol antológico de Pelé. Nas semifinais, os brasileiros (com Vavá de volta) mostraram um grande futebol diante da Seleção Francesa de Futebol (que contava com o artilheiro da competição Just Fontaine) e venceram o rival por 5 a 2. Na final, diante dos donos da casa, outra grande apresentação. Apesar dos suecos até começaram bem, abrindo o placar, o Brasil mostrou tranqüilidade e repetiu o placar diante dos franceses 5 a 2, a maior goleada de uma seleção em uma final de Copa do Mundo. A única novidade no time para a final foi a entrada de Djalma Santos no lugar de De Sordi.

A escalação da equipe para a final seguiu o esquema 4-2-4, com: Gilmar, Djalma Santos, Bellini, Orlando e Nilton Santos; Zito e Didi; Garrincha, Pelé, Vavá e Zagallo.


Grupo 4[editar | editar código-fonte]

Pos. Seleção P J V E D GP GC SG
1 Brasil Brasil 5 3 2 1 0 5 0 +5
2 Flag of the Soviet Union.svg União Soviética 5 4 2 1 1 5 4 +1
3 Flag of England.svg Inglaterra 3 4 0 3 1 4 5 –1
4 Flag of Austria.svg Áustria 1 3 0 1 2 2 7 –5
8 de junho Brasil Brasil 3 – 0 Flag of Austria.svg Áustria Rimnersvallen, Uddevalla
19:00
Mazzola Gol marcado aos 38 minutos de jogo 38', Gol marcado aos 89 minutos de jogo 89'
Nílton Santos Gol marcado aos 49 minutos de jogo 49'
Relatório Público: 17 788
Árbitro: FrançaFRA Maurice Guigue

11 de junho Brasil Brasil 0 – 0 Flag of England.svg Inglaterra Nya Ullevi, Gotemburgo
19:00
Relatório Público: 40 895
Árbitro: AlemanhaGER Albert Dusch

15 de junho Brasil Brasil 2 – 0 Flag of the Soviet Union.svg União Soviética Nya Ullevi, Gotemburgo
19:00
Vavá Gol marcado aos 3 minutos de jogo 3', Gol marcado aos 77 minutos de jogo 77' Relatório Público: 50 928
Árbitro: FrançaFRA Maurice Guigue

Quartas de final[editar | editar código-fonte]

19 de junho de 1958
19:00
Brasil Brasil 1–0 Flag of Wales 2.svg País de Gales Gotemburgo, Estádio Ullevi
Árbitro: Seipelt (Áustria)
Público: 25000

Pelé 66' (Report)

Semifinal[editar | editar código-fonte]

24 de junho Brasil Brasil 5 – 2 Bandeira da França França Estádio Råsunda, Suécia
19:00
Vavá Gol marcado aos 2 minutos de jogo 2'
Didi Gol marcado aos 39 minutos de jogo 39'
Pelé Gol marcado aos 52 minutos de jogo 52', Gol marcado aos 64 minutos de jogo 64', Gol marcado aos 75 minutos de jogo 75'
Relatório Fontaine Gol marcado aos 9 minutos de jogo 9'
Piantoni Gol marcado aos 83 minutos de jogo 83'
Público: 27 100
Árbitro: País de GalesWAL Benjamin Griffiths

Final[editar | editar código-fonte]

29 de junho de 1958 Brasil Brasil 5 – 2 Flag of Sweden.svg Suécia Estádio Råsunda, Suécia
15:00
Vavá Gol marcado aos 9 minutos de jogo 9', Gol marcado aos 32 minutos de jogo 32'
Pelé Gol marcado aos 55 minutos de jogo 55', Gol marcado aos 90 minutos de jogo 90'
Zagallo Gol marcado aos 68 minutos de jogo 68'
Relatório Liedholm Gol marcado aos 4 minutos de jogo 4'
Simonsson Gol marcado aos 80 minutos de jogo 80'
Público: 49 737
Árbitro: FrançaFRA Maurice Guigue

[editar | editar código-fonte]

Notas[editar | editar código-fonte]