Vavá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Edvaldo Izídio Neto)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Vavá (desambiguação).
Vavá
Vavá
Informações pessoais
Nome completo Edvaldo Izídio Neto
Data de nasc. 12 de novembro de 1934
Local de nasc. Recife (PE), Brasil
Nacionalidade brasileiro
Falecido em 19 de janeiro de 2002 (67 anos)
Local da morte Rio de Janeiro (RJ), Brasil
Altura 1,74 m
Apelido Vavá
Peito de Aço
Leão da Copa
Vavá da Praia do Sport
Informações profissionais
Posição Treinador
(ex-Atacante)
Clubes de juventude
1948
1948
1949–1951
América-PE
Íbis
Sport
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1952–1958
1958–1961
1961–1964
1964–1967
1968
1969
Vasco da Gama
Atlético de Madrid
Palmeiras
América-MEX
San Diego Toros
Portuguesa-RJ
000? 0191
0071 0031
0142 0071
Seleção nacional
1952
1955–1964
Brasil Sub-23
Brasil
0003 000(1)
0023 00(14)
Times/Equipas que treinou
1971–1975
1977–1978
1984–1985
Córdoba
Granada
Al-Rayan

Edvaldo Izídio Neto, conhecido por Vavá (Recife, 12 de novembro de 1934Rio de Janeiro, 19 de janeiro de 2002), foi um futebolista brasileiro que atuava como atacante.

Também apelidado de Peito de Aço por sua forma briosa de jogar, iniciou sua carreira como meia nas categorias de base do América-PE em 1948, passando depois pelo Íbis e Sport.[1] Ainda como juvenil do Sport Club do Recife, fez parte da equipe que levou torcedores leoninos, rivais e curiosos aos treinos rubro-negros, realizados nas areias da Praia do Sport. Foi, após esta preparação, Campeão Pernambucano de 1949,[2] conseguindo, consequentemente, o Bicampeonato Pernambucano pelo Leão da Ilha. Já consagrado, ganhou, da torcida sportista, a alcunha de Vavá da Praia do Sport.

Em 1952 foi contratado pelo Vasco da Gama e passou a atuar como atacante.[3] Tornou-se um dos maiores artilheiros da história do clube carioca com 191 gols, conquistando títulos como a primeira edição do Torneio Internacional de Paris em 1957 após derrotar o Real Madrid.

Por seu vigor físico, impressionante reflexo e faro de gol, chamou atenção da Europa durante a Copa do Mundo e foi negociado com o Atlético de Madrid. Dos brasileiros que estiveram em campo na grande final da Copa de 1958 foi o mais bem-sucedido no futebol europeu: ganhou duas Copas del Rey consecutivas (1959–1960 e 1960–1961), batendo o Real Madrid em ambas as decisões.[4] Retornou ao Brasil em 1961, contratado pelo Palmeiras. Jogaria ainda no futebol mexicano pelo América, no San Diego Toros dos Estados Unidos e encerraria a carreira na Portuguesa do Rio de Janeiro.

Bicampeão mundial de futebol, é, ao lado do também pernambucano Ademir de Menezes e de Jairzinho, o terceiro maior artilheiro da Seleção Brasileira na história das Copas do Mundo, com nove gols marcados em 1958 e 1962 — número que só veio a ser superado por Pelé em 1970 e Ronaldo em 2002. Foi também um dos quatro únicos jogadores do planeta que fizeram gols em duas finais de Copa do Mundo, ao lado de Pelé, Zidane e Breitner. Vencedor dos dois mundiais de seleções que disputou, ficou conhecido como Leão da Copa.[5][6]

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Vavá estreou na Seleção Brasileira no selecionado que disputou o futebol nos Jogos Olímpicos de Verão de 1952. Na Copa de 1958 começou como reserva mas substituiu Mazzola ao longo da competição, marcando cinco gols que foram decisivos para o Brasil conquistar o seu primeiro título mundial. Por seu vigor físico, impressionante reflexo e faro de gol, foi chamado de "Leão da Copa". Foi um dos artilheiros da Copa do Mundo de 1962 com quatro gols e bicampeão do mundo.[7][3]

Treinador[editar | editar código-fonte]

Treinou equipes menores da Espanha como o Córdoba. Compôs a comissão técnica do Brasil na Copa do Mundo FIFA de 1982, sob o comando de Telê Santana.

Morte[editar | editar código-fonte]

Vavá faleceu em 19 de janeiro de 2002, vítima de infarto agudo do miocárdio e foi sepultado no Cemitério de São Francisco de Paula na cidade do Rio de Janeiro. O então presidente de república Fernando Henrique Cardoso declarou na ocasião que "A morte de Vavá deixa uma enorme lacuna no futebol brasileiro. Artilheiro imbatível, foi exemplo de futebol, garra, paixão e emoção."[8]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Sport
Vasco
Na Praia do Sport Vavá se preparou para o Campeonato Pernambucano de 1949.
Palmeiras
Atlético de Madrid
Brasil

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Vavá
  2. Sport, Campeão Pernambucano de 1949
  3. a b «Vavá… leão nordestino com peito de aço». O Futebol sem as fronteiras do tempo 
  4. «O dia em que Vavá fez 5 gols com a camisa do Atleti». ESPN FC. Consultado em 15 de julho de 2018 
  5. «Os dez maiores artilheiros da seleção brasileira em Copas». R7. 19 de abril de 2018. Consultado em 8 de julho de 2018 
  6. «Curiosidades das Copas: fazer gol em duas finais, um feito de poucos». R7. 14 de junho de 2018. Consultado em 8 de julho de 2018 
  7. «Vavá croata: o faro do tubarão Mandzukic». BOL Notícias. Consultado em 15 de julho de 2018 
  8. «Bicampeão do mundo, Vavá morre aos 67». Folha de S. Paulo. 20 de janeiro de 2002 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Vavá