Centro de Instrução de Operações Especiais

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o antigo Centro de Instrução de Operações Especiais de Portugal, veja Centro de Tropas de Operações Especiais.
Centro de Instrução de Operações Especiais
Estado  Rio de Janeiro
Sigla C I Op Esp
Criação 1957
Comando
Comandante Cel Inf Will Mazon
Sede
Endereço Forte do Imbuhy - Niterói - RJ

O Centro de Instrução de Operações Especiais Coronel Gilberto Antônio de Azevedo e Silva (C I Op Esp) é uma unidade do Exército Brasileiro, localizada na cidade de Niterói, no estado do Rio de Janeiro e vinculada ao Comando de Operações Especiais, sediado em Goiânia. É responsável pelo formação dos combatentes comandos e forças especiais do Exército, e é a príncipal unidade de ensino de operações especiais da América Latina.

Histórico[editar | editar código-fonte]

Em 1957, a saga das Operações Especiais dava início no Exército Brasileiro com a criação do primeiro curso vocacionado para essas atividades, o Curso de Operações Especiais. Não surpreendentemente, essa saga teve que valer-se daquilo que é essencial para qualquer tropa – o ensino, necessário à especialização do mais importante componente da instituição, o homem.

Portanto, a célula mãe do CENTRO DE INSTRUÇÃO DE OPERAÇÕES ESPECIAIS (CI Op Esp) confunde-se com o pioneirismo das forças de operações especiais, o que garante a este estabelecimento de ensino, o slogan de - “O BERÇO DAS OPERAÇÕES ESPECIAIS”. Ao longo da história, a formação dos Comandos e Forças Especiais nunca deixou de ser realizada e, assim, o “DNA” do CI Op Esp se perdurou através dos tempos, alimentado pelo espírito de cumprimento de missão e idealismo dos “Gorros Pretos”. 

Em 1985, dois anos após a criação do 1º Batalhão de Forças Especiais (1º BFEsp), o Estado-Maior do Exército emitiu uma diretriz para a criação de um Comando Operacional de Unidades Especiais (COpUEsp), que dentre as Unidades que o compunham, estava presente um Centro de Instrução de Unidades Especiais (CIUEsp), sinalizando a necessidade de se ter uma Unidade exclusivamente voltada para o ensino e que só foi materializada mais tarde com a criação da Brigada de Operações Especiais em 2004. 

  Até o ano de 1988, coube ao Centro de Instrução Pára-quedista General Penha Brasil a tarefa da condução dos cursos de Ações de Comandos e de Forças Especiais. Neste mesmo ano, após deliberações sobre o melhor local para a formação dos recursos humanos que seriam destinados aos claros do 1º Batalhão de Forças Especiais, decidiu-se por delegar a essa Unidade a responsabilidade pela condução dos cursos, que foram levados a efeito por intermédio da 2ª Companhia de Forças Especiais – A FORÇA DOIS, a partir de 1989. 

Atualmente o CI Op Esp é responsável pela condução dos cursos de Ações de Comandos e de Forças Especiais, além dos Estágios de Mergulho Básico, Avançado, Operações Aquáticas e de Caçador de Operações Especiais. O CI Op Esp é a materialização de um dos objetivos do seleto grupo de oficiais e sargentos que concluíram o pioneiro 57/1 - Curso de Operações Especiais, qual seja, a criação de um estabelecimento de ensino militar, cuja vocação estivesse, antes de tudo, no desenvolvimento de um espírito digno das forças de operações especiais. 

Em 2002, a Portaria 344 do Comandante do Exército de 22 de julho, criou o Núcleo do Centro de Instrução de Operações Especiais, determinando a sua subordinação ao 1º Batalhão de Forças Especiais. Em 04 De Setembro De 2003, a Portaria 499, também do Comandante do Exército, transformou o Núcleo em CENTRO DE INSTRUÇÃO DE OPERAÇÕES ESPECIAIS, determinando que fosse implantado, no Camboatá, a partir de primeiro de janeiro de 2004, e que posteriormente, foi transferido para o Forte Imbuí em 2011.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]