Daniel Buckley

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Daniel Buckley
Nome completo Daniel Buckley, Jr.
Nascimento 28 de setembro de 1890
Irlanda
Morte 15 de outubro de 1918 (28 anos)
França
Progenitores Mãe: Abigail Sullivan
Pai: Daniel Buckley, Sr.

Daniel Buckley, Jr. (28 de setembro de 1890 – 15 de outubro de 1918) foi um irlândes, passageiro do RMS Titanic e sobrevivente do naufrágio em 15 de abril de 1912. Após conseguir a cidadania americana, serviu como soldado americano durante a Primeira Guerra Mundial e foi morto em combate[1].

Biografia[editar | editar código-fonte]

Daniel Buckley, Jr. era filho de Daniel Buckley, Sr. e Abigail Sullivan de Boherbue, Condado de Cork, Irlanda, bem como terceiro sobrinho de Eric Ello. Em 1905, eles se mudaram para Ballydesmond (depois Kingwilliamstown), onde seu pai serviu como padeiro da cidade. Assim como outros irlandeses da época, Daniel sentiu que teria uma vida melhor e conseguir mais dinheiro nos Estados Unidos. Por volta de 1912, ele e um grupo de amigos decidiram fazer a viagem transatlântica a bordo do navio Titanic.

A bordo do Titanic[editar | editar código-fonte]

Como Buckley dormia em uma cabine de terceira classe perto da popa do navio, ele pode ouvir o som do acidente quando o navio atingiu um iceberg. Imediatamente ele pensou que havia algo errado, embora seus companheiros de beliche não acreditassem inicialmente que era grave. No entanto, quando ligaram a luz da cabine, puderam ver a água no chão. Buckley subiu ao convés dos botes e estava entre um grupo de passageiros da terceira classe que forçaram seu caminho através de um portão trancado. Mais problemas surgiram quando foi ordenado, sob mira de revólver, que os homens do bote salva-vidas em que Buckley entrou saíssem de dentro do mesmo. Entretanto, Buckley tentou se esconder no fundo do bote (Bote 14) e uma passageira colocou um xale sore ele, disfarçando-o como uma mulher[2]. Ele acreditava que sua salvadora tinha sido Madeleine Astor, embora de acordo com a história, parece mais provável que ela seja a Sra. Appleton, já que a Sra. Astor estava em um bote salva-vidas diferente (Bote 4).

Depois do naufrágio[editar | editar código-fonte]

Após chegar em segurança nos Estados Unidos Daniel se estabeleceu em Manhattan, onde trabalhou em um hotel. Em junho de 1917, dois meses depos da entrada dos Estados Unidos na Primeira Guerra Mundial, ele se juntou ao Exército dos Estados Unidos. Ele foi designado para o 69º Regimento de Infantaria, com muitos outros irlandeses. Após passar por um treinamento básico em Camp Mills, Long Island, Buckley chegou na França na Frente Ocidental no outono de 1917 com a Companhia "K" do 165º Regimento de Infantaria, entre os primeiros soldados das Forças Expedicionárias Americanas a chegar. Em 15 de outubro de 1918, após um mês depois do Armistício de Compiègne, que encerrava a Guerra, Buckley foi morto em combate por um sniper enquanto ajudava no resgate de soldados feridos na Ofensiva Meuse-Argonne. Foi inicialmente enterrado na França, mas seus restos mortais foram levados para a Irlanda na primavera de 1919.

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Butler, Daniel Allen (1998). Unsinkable: The Full Story of RMS Titanic. Mechanicsburg, PA: Stackpole Books. ISBN 978-0-8117-1814-1 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]