William Thomas Stead

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
W. T. Stead
Nome completo William Thomas Stead
Nascimento 5 de julho de 1849
Embleton, Northumberland, Inglaterra
Morte 15 de abril de 1912 (62 anos)
Oceano Atlântico
Ocupação Editor de jornal

William Thomas Stead (5 de julho de 1849 – 15 de abril de 1912) foi um editor de jornal que, como pioneiro do jornalismo investigativo, se tornou uma figura controversa da era vitoriana.[1][2] Stead publicou uma série de campanhas extremamente influentes enquanto editor de The Pall Mall Gazette, e é melhor conhecido por sua série de artigos The Maiden Tribute of Modern Babylon, escrito em apoio de um projeto de lei para elevar a idade de consentimento de 13 para 16 anos, apelidado de "Stead Act."[3]

O 'novo jornalismo' de Stead pavimentou o caminho do moderno tabloide na Grã-Bretanha.[3] Stead foi influente em demonstrar como a imprensa poderia ser usada para influenciar a opinião pública e a política do governo, e advogava o "Governo pelo Jornalismo".[4] Ele também era conhecido por suas reportagens sobre bem-estar infantil, legislação social e reforma dos códigos criminais da Inglaterra.

Stead morreu a bordo do RMS Titanic durante o naufrágio do navio, e era considerado um dos mais famosos ingleses a bordo.[3]

Morte no Titanic[editar | editar código-fonte]

Stead embarcou no Titanic para uma visita aos Estados Unidos onde faria parte de um congresso pacifista no Carnegie Hall a pedido do Presidente Taft. Sobreviventes do Titanic relataram muito pouco sobre as últimas horas de Stead.[5] Ele conversava com entusiasmo durante a refeição de 11 pratos na noite fatídica, contando contos emocionantes (incluindo um sobre a múmia amaldiçoada do Museu Britânico), mas se retirou para seu aposento às 22:30 h.[5][5] Após o navio ter atingido o iceberg, Stead ajudou diversas mulheres e crianças a entrar nos botes salva-vidas, em um ato "típico de generosidade, coragem e humanidade" e deu seu colete salva-vidas para outro passageiro.[4]

O sobrevivente Philip Mock viu Stead, se agarrando a um bote com John Jacob Astor IV. "Seus pés ficaram congelados", relatou Mock, "e foram obrigados a se soltar. Ambos morreram afogados."[6] O corpo de William Stead nunca foi recuperado.

Stead muitas vezes alegou que morreria por linchamento ou se afogaria.[4] Ele publicou duas peças que ganharam maior significado à luz de seu destino no Titanic. Em 22 de março de 1886, ele publicou um artigo com o nome de How the Mail Steamer Went Down in Mid Atlantic by a Survivor,[7] onde um navio a vapor colidia com outro navio, resultando em uma grande perda de vidas devido ao insuficiente número de botes salva-vidas. Stead adicionou: "Isso é exatamente o que pode acontecer e acontecerá se os transatlânticos forem enviados ao mar com falta de botes". Em 1892, Stead publicou uma história chamada From the Old World to the New,[8] em que um navio, o Majestic, resgatava sobreviventes de outro navio que colidiu com um iceberg.

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Brake, Laurel et al. W.T. Stead: Newspaper Revolutionary (British Library, distributed by University of Chicago Press; 232 pages; 2013), essays by scholars
  • Brake, Laurel. Stead alone: journalist, proprietor and publisher, 1890–1903 (British Library Press, 2013).
  • Eckley, Grace. Maiden Tribute: A Life of W. T. Stead (2007).
  • Gill, Clare. "" I'm really going to kill him this time": Olive Schreiner, WT Stead, and the Politics of Publicity in the Review of Reviews." Victorian Periodicals Review 46#2 (2013): 184-210.
  • Goldsworthy, Simon. "English nonconformity and the pioneering of the modern newspaper campaign: including the strange case of WT Stead and the Bulgarian horrors." Journalism studies 7#3 (2006): 387-402.
  • Luckhurst, Roger, et al. eds. WT Stead: newspaper revolutionary (The British Library Publishing Division, 2013).
  • Prévost, Stéphanie. "WT Stead and the Eastern Question (1875-1911); or, How to Rouse England and Why?." Interdisciplinary Studies in the Long Nineteenth Century 19 (2013). online
  • Schults, RL (1972). Crusader in Babylon: W.T. Stead and the Pall Mall Gazette. [S.l.]: University of Nebraska Press. ISBN 978-0-8032-0760-8 
  • Regard, Frederic. "The Sexual Exploitation of the Poor in W.T. Stead's 'New Journalism': Humanity, Democracy and the Tabloid Press". Narrating Poverty and Precarity in England (B. Korte and F. Regard eds). Berlin, De Gruyter, 2014 : 75-91.
  • Robinson, W. Sydney. Muckraker: The Scandalous Life and Times of W.T. Stead, Britain's First Investigative Journalist (Biteback Publishing, 2012).
  • Whyte, Frederic. A Life of W. T. Stead (2 vol. 1925).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre William Thomas Stead