Lista de gêneros de música eletrônica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Lista de gêneros de música eletrônica consistindo com gêneros de música eletrônica, criados principalmente com instrumentos musicais eletrônicos ou tecnologia de música eletrônica. Foi feita uma distinção entre o som produzido por meios eletromecânicos e aquele produzido por meio de tecnologia eletrônica.[1] Exemplos de dispositivos eletromecânicos de produção de som incluem o telharmônio, órgão Hammond, piano elétrico e a guitarra. A produção de som puramente eletrônica pode ser alcançada usando dispositivos como o theremin, o sintetizador de som e o computador.[2] O gênero, no entanto, nem sempre depende da instrumentação ou equipamento.

No inicio, a música eletrônica foi associada quase exclusivamente à música de arte ocidental, mas a partir do final da década de 1960, as tecnologias musicais tornaram-se acessíveis - particularmente os sintetizadores - fazendo com que a música produzida usando meios eletrônicos se tornasse cada vez mais comum nos domínios populares, como no rock e música pop, resultando em aparecimentode muitos subgêneros eletronicos.[3] Após a definição do MIDI (Interface Digital de Instrumentos Musicais) em 1982,[4][5][6][7] e o desenvolvimento do áudio digital, a criação de sons puramente eletrônicos e sua manipulação tornaram-se mais simples.[8] Como resultado, os sintetizadores passaram a dominar a música pop do início da década de 1980,[9] popularizando assim música eletrônica dançante (EDM), resultando na proliferação de gêneros, subgêneros e cenas eletrônicas.[10] No novo milênio, à medida que o computador tornou-se ainda mais acessível e os softwares musicais avançados, a interação com a tecnologia de produção musical adicionaram algumas diferenças com as práticas tradicionais de performance musical, levando a novos subgêneros em rápida evolução.[11]

Gêneros[editar | editar código-fonte]

* Ambient

Derivados de remix[editar | editar código-fonte]

Grupos de gênero mais amplos[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. T. B. Holmes, Electronic and Experimental Music: Pioneers in Technology and Composition (London: Routledge, 2nd ed., 2002), ISBN 0-415-93643-8, p. 6.
  2. T. B. Holmes, Electronic and Experimental Music: Pioneers in Technology and Composition (London: Routledge, 2nd ed., 2002), ISBN 0-415-93643-8, p. 8.
  3. T. B. Holmes, Electronic and Experimental Music: Pioneers in Technology and Composition (London: Routledge, 2nd ed., 2002), ISBN 0-415-93643-8, p. 1.
  4. Swift, Andrew. (Maio de 1997), «A brief Introduction to MIDI», Imperial College of Science Technology and Medicine, SURPRISE, consultado em 22 de agosto de 2012 
  5. Orlando Marcos Martins Mancini. «Uma breve história do MIDI» (PDF). Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP. Instituto de Artes Multimeios da UNICAMP: 3-4. Consultado em 26 de setembro de 2016 
  6. Marcelo Martins. «O padrão MIDI: protocolo de tempo-real e formato de arquivo» (PDF). Instituto de Matemática e Estatística - IME USP. Seminários MAC 337/5900. Consultado em 26 de setembro de 2016 
  7. Marco Aurélio Botelho da Silva. «Padrão MIDI» (PDF). Universidade Federal Fluminense (UFF). Departamento de Engenharia de Telecomunicações da UFF. Consultado em 26 de setembro de 2016 
  8. M. Russ (2004), Sound Synthesis and Sampling, ISBN 0-240-52105-6 3 ed. , Burlington MA: Elsevier, p. 66 
  9. N. Rama Lohan (2 de março de 2007), «Dawn of the plastic age», Malaysia Star, cópia arquivada em 9 de junho de 2012 
  10. A. Verderosa, The Techno Primer: The Essential Reference for Loop-Based Music Styles (Hal Leonard Corporation, 2002), ISBN 0634017888, pp. 18-19.
  11. S. Emmerson, Living Electronic Music (Aldershot: Ashgate, 2007), ISBN 0-7546-5548-2, pp. 111-13.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]