O Filme da Minha Vida

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o filme da Disney, veja Tru Confessions.
O Filme da Minha Vida
Cartaz do filme O Filme da Minha Vida
 Brasil
2017 •  cor •  
Direção Selton Mello
Produção Vânia Catani
Leonardo Eddeo
Laise Nascimento
Coprodução Globo Filmes[1]
Roteiro Selton Mello
Marcelo Vindicatto
Elenco Johnny Massaro
Bruna Linzmeyer
Vincent Cassel
Bia Arantes
Gênero Drama
Romance[1]
Direção de arte Claudio Amaral Peixoto
Figurino Kika Lopes
Cinematografia Walter Carvalho
Companhia(s) produtora(s) Bananeira Filmes[1]
Distribuição Vitrine, MGM[1]
Lançamento 3 de agosto de 2017
Idioma português
Orçamento R$ 1.218.000[1]
Receita R$ 243.000[1]
Página no IMDb (em inglês)

O Filme da Minha Vida é um filme brasileiro de drama, romance e comédia de 2017, dirigido pelo ator e diretor brasileiro Selton Mello. Com produção de Vânia Catani, Leonardo Eddeo e Laise Nascimento e roteiro de Selton Mello e Marcelo Vandicatto, direção de arte de Claudio Amaral Peixoto e cinematografia de Walter Carvalho, foi lançado nos cinemas nacionais em 3 de agosto de 2017 através da Vitrine Filmes. Traz no elenco Johnny Massaro, Bruna Linzmeyer, Vincent Cassel, Bia Arantes e Selton Mello. O filme é baseado no livro Um Pai de Cinema do chileno Antonio Skármeta.[2]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Serras Gaúchas, 1963. O jovem Tony Terranova (Johnny Massaro) precisa lidar com a ausência do pai, que foi embora sem avisar à família e, desde então, não deu mais notícias ao filho. Tony é professor de francês num colégio da cidade, convive com os conflitos dos alunos no início da adolescência e vive o desabrochar do amor. Apaixonado por livros e pelos filmes que vê no cinema da cidade grande, Tony faz do amor, da poesia e do cinema suas grandes razões de viver. Até que a verdade sobre seu pai começa a vir à tona e o obriga a tomar as rédeas de sua vida.[3][4]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

O filme foi gravado nos meses de abril e maio de 2015 na Serra Gaúcha, nas cidades de Cotiporã, Veranópolis, Bento Gonçalves, Garibaldi, Farroupilha, Monte Belo do Sul e Santa Tereza. O orçamento da produção do filme de 450 mil reais foi pago pelo governo do Brasil através da Agência Nacional do Cinema (ANCINE) em 2015.[1] Em 2016 recebeu mais 768 mil reais do Fundo Setorial do Audiovisual para a distribuição nos cinemas.[5]

Recepção da crítica[editar | editar código-fonte]

Francisco Russo do website AdoroCinema deu ao filme a classificação 2,5/5 (2.5 de 5 estrelas.) e disse "Se é possível compreender O Filme da Minha Vida como um passo seguinte natural após O Palhaço, pela ambientação retratada, é necessário também reconhecer que o tom poético aqui apresentado soa, em vários momentos, artificial e pouco convincente. Em meio a tantos problemas narrativos e de direção, o filme se sustenta apenas no bom elenco e na bela ambientação de época".[6]

Renato Marafon em sua crítica ao Cinepop deu ao filme uma classificação 4.5/5 (4.5 de 5 estrelas.) elogiando a fotografia, ambientação, direção e trilha sonora, além da habilidade de conciliar diversos gêneros diferentes em uma única obra.[7]

Camila Sousa do website Omelete concluiu "O grande problema de O Filme da Minha Vida é o seu final e a resolução do conflito com o pai. Enquanto a publicação deixa o desfecho da história em aberto, o filme faz tudo de forma bem explicada e coloca seus protagonistas em contradição com suas próprias crenças. (...) Com isso, o arco de amadurecimento dos personagens é prejudicado, dando a sensação de que eles pouco mudaram desde o começo da trama. Faltou ao filme perder o medo de não ter um final feliz e ser mais coerente com sua própria história",[8] e finalizou com a classificação 2/5 (2 de 5 estrelas.).

Prêmios e Indicações[editar | editar código-fonte]

Ano Prêmio Categoria Indicado Resultado
2018 Prêmio Platino[9] Melhor Trilha Sonora Original Plínio Profeta Indicado
Grande Prêmio do Cinema Brasileiro[10] Melhor Ator Coadjuvante Selton Mello Indicado
Melhor Roteiro Adaptado Marcelo Vindicatto e Selton Mello Indicado
Melhor Direção de Fotografia Walter Carvalho Indicado
Melhor Direção de Arte Claudio Amaral Peixoto Indicado
Melhor Figurino Kika Lopes Indicado
Melhor Maquiagem Marlene Moura e Uirandê Holanda Indicado
Mehor Som George Saldanha Indicado
Melhor Trilha Sonora Original Plínio Profeta Venceu

Referências

  1. a b c d e f g Diário Oficial da União (22 de setembro de 2015). «DESPACHO DECISÓRIO DA SUPERINTENDÊNCIA DE FOMENTO nº. 217 de 21-09-2015 / PUBLICADA NO DIÁRIO OFICIAL DE 22-09-2015». www.ancine.gov.br. Consultado em 17 de dezembro de 2016 
  2. Notícias — Bananeira Filmes
  3. Selton Mello volta a abordar questões familiares ao dirigir o seu 3º filme
  4. Veja fotos do set de filmagens de 'O filme da minha vida', de Selton Mello
  5. «Projetos para cinema e TV recebem investimentos do Programa Brasil de Todas as Telas». www.ancine.gov.br. 27 de julho de 2016. Consultado em 17 de dezembro de 2016 
  6. «Críticas da imprensa». Adoro Cinema. Consultado em 20 de agosto de 2017 
  7. «Críticas da imprensa». Omelete. Consultado em 20 de agosto de 2017 
  8. «Críticas da imprensa». Omelete. Consultado em 20 de agosto de 2017 
  9. «Prêmio Platino 2018: filmes brasileiros são indicados em premiação ibero-americana». Cinevitor. 13 de março de 2018. Consultado em 18 de setembro de 2018 
  10. «Com 15 indicações, 'Bingo' é favorito no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2018». Jornal O Globo. 19 de julho de 2018. Consultado em 18 de setembro de 2018 
Ícone de esboço Este artigo sobre um filme brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.