Passaredo Linhas Aéreas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Passaredo)
Ir para: navegação, pesquisa
Passaredo Linhas Aéreas
IATA 2Z
ICAO PTB
Indicativo de chamada PASSAREDO
Fundada em 1995
Principais centros
de operações
Aeroporto de Ribeirão Preto - Leite Lopes
Outros centros
de operações
Aeroporto Internacional de São Paulo-Guarulhos
Aeroporto Internacional de Brasília
Frota 9 aeronaves operantes
Destinos 21
Companhia
administradora
Grupo Passaredo
Sede Ribeirão Preto, SP  Brasil
Pessoas importantes
  • Sidnei Piva de Jesus (Novo proprietário)[1]
  • Adalberto Bogsan (Presidente)[2]
  • José Luiz Felicio Filho (Presidente do Conselho de Administração)
Sítio oficial www.voepassaredo.com.br


A Passaredo Linhas Aéreas é uma empresa aérea brasileira com sede na cidade de Ribeirão Preto, estado de São Paulo. Concentra suas operações no aeroporto Dr. Leite Lopes, em Ribeirão Preto, e nos aeroportos Internacionais de Guarulhos e Brasília. A empresa realiza voos para mais de vinte cidades e, através de um sistema de codeshare com a Gol Linhas Aéreas, oferece possibilidades de conectividade para nove destinos regionais.[3]

História[editar | editar código-fonte]

Em 3 julho de 1995 o presidente do Grupo Passaredo, empresa de transporte rodoviário de passageiros, José Luiz Felício, inaugurou a Passaredo Transportes Aéreos, com uma frota de aeronaves Embraer 120 Brasilia, ligando cidades como Ribeirão Preto, Goiânia, Brasília, São Paulo, Curitiba, São José dos Campos, Belo Horizonte e Vitória da Conquista. O negócio deu certo e logo três Embraer 120 voavam na empresa, PP-PSA, PP-PSB, PP-PSC.

Em 1997, através de um pool de operadoras turísticas, a Passaredo introduziu em sua frota um Airbus A310-300,[4] com capacidade para 244 passageiros, sendo a primeira companhia aérea brasileira a operar este modelo de aeronave. Logo seguido de um segundo exemplar para operar em voos charter para o Nordeste e Caribe. A empresa também recebeu dois ATR-42-300, com a intenção de substituir os seus três EMBRAER 120 pelo modelo ATR, mas a crise monetária brasileira e a forte desvalorização do Real fez com que a empresa permanecesse com as três aeronaves Embraer 120. Em meio ao péssimo cenário econômico brasileiro, no dia 4 de Abril de 2002, José Luiz Felício preservou o patrimônio da empresa, encerrando as operações para voltar em condições mais favoráveis no futuro.[5]

Em Março de 2004, após um período de estudos e preparação, já independente do Grupo Passaredo, José Luiz Felício Filho, mostrou o seu arrojo ao enfrentar a reabertura da empresa que ficou inoperante por dois anos e logo ressurgiu a Passaredo Linhas Aéreas com o PP-PSA. Posteriormente o PP-PSB entrou em rota e a companhia chegou até a Bahia de novo na rota Ribeirão Preto – Brasília – Barreiras – Salvador – Vitória da Conquista. Os planos deram certo, o Cmte. Felício comandava a empresa não só atrás da mesa como atrás do manche também. Para dar fôlego ao crescimento e atender ao Rio de Janeiro, arrendou da OceanAir o EMB120 PR-OAN e comprou nos EUA o PP-PSD,[6] apelidado de Batmóvel por suas cores pretas.

A vigorosa expansão chegou em 2008 com planos audaciosos que incluíram a compra de mais dois EMB120 de matrícula PT-SLD e PT-SLE, ambos ex-OceanAir, e a chegada dos dois primeiros jatos EMBRAER 145,[7] além de uma nova identidade visual, moderna e com cores diferentes do comum nos aeroportos. [8] No Brasil apenas a Rio Sul havia operado esse modelo de avião. Em 2009 com os novos ERJ-145, a Passaredo inaugurou novas rotas para o Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre, Palmas, Bauru, Marília, Barreiras, Presidente Prudente, Goiânia e Recife. Com isso a companhia mais que dobrou a oferta de assentos e se consolidou como segunda maior regional do Brasil. Em 2010 a companhia recebeu um exemplar da aeronave ERJ-135 para acelerar a renovação da frota, dando assim continuidade na expansão de sua malha. Em fevereiro de 2011 a Passaredo finalmente aposentou os últimos três EMB-120, mas deixou de voar para Marília, Bauru[9] e Presidente Prudente,[10] alegando que os ERJ-145 eram grandes demais para a demanda dessas rotas.

Durante os anos de 2008 até 2012 a empresa chegou a operar uma frota de 15 aeronave ERJ-145 e um ERJ-135,[11] inédito no Brasil. 

Hangar de Manutenção e Engenharia da Passaredo

No ano de 2014 a companhia aérea Passaredo, juntamente com a Avianca, foi considerada a mais segura do Brasil, em um ranking do site AirlineRatings.com, que avaliou 449 empresas de aviação segundo critérios de segurança. Obteve a classificação de sete estrelas, a nota máxima. No total, 149 companhias aéreas avaliadas obtiveram sete estrelas. Além disso, a equipe do site avalia o histórico operacional das companhias para escolher as líderes do ranking.[12]

Em março de 2015, a Passaredo lançou a primeira edição da Pass, revista de bordo distribuída gratuitamente aos clientes da companhia. Com periodicidade mensal e circulação na primeira quinzena de todo mês, a Pass promete matérias com conteúdos diversificados, abrangendo dicas culturais e gastronômicas, destinos turísticos, moda, beleza, esporte, saúde, negócios, entrevistas, além de informações sobre a companhia.[13] "A revista é mais uma plataforma de comunicação oferecida pela companhia para seus clientes e parceiros, além de oferecer ao mercado de anunciantes uma possibilidade de ativação de sua marca em mais de oitenta voos e em vinte aeroportos operados pela Passaredo", conta o Comandante Felício, presidente da Passaredo.

Em 3 de Julho de 2017, a empresa foi adquirida para Grupo da Viação Itapemirim.[14]

Dívidas[editar | editar código-fonte]

Em outubro de 2012, a Passaredo ingressou com pedido de Recuperação Judicial com o objetivo de viabilizar o pagamento do passivo gerado devido a diversos fatores que ocorreram neste período, e assim, conservar as suas atividades, nas quais já atuava há mais de dezessete anos. O alto preço do combustível, o atendimento das demandas regionais utilizando jatos e uma concorrência específica, momentânea e predatória vivida em sua base principal, neste último caso lê-se Webjet, que chegou a operar em Ribeirão Preto – principal hub da Passaredo – com Boeing 737 e tarifas a partir de R$ 9,90, foram alguns dos fatores ocorridos no passado e que motivaram esta ação.[15] As mudanças na estratégia da operação, que incluíram troca da frota de jatos por modernas aeronaves ATR 72 e a readequação da malha focada no transporte aéreo regional brasileiro, permitiram a reestruturação da empresa,[16] e a obtenção do IOSA (IATA Operational Safety Audity),[17] o mais importante certificado internacional de qualidade na área da aviação. A companhia continua normalmente com suas operações e segue expandindo seus voos por todo o Brasil, pronta para atender às demandas do setor aéreo regional. A Passaredo apresenta hoje uma performance saudável, viabilizando o caminho para o desenvolvimento dentro de um setor que é um importante pilar para a infraestrutura do Brasil.[18]

Durante o período de transição entre o jato da Embraer e os novos turbo hélices da ATR, empresa teve que reduzir seu quadro de funcionários e suspender alguns voos, devido a principalmente redução do número de aeronaves em operação. Em maio de 2013, a Passaredo Linhas Aéreas teve seu plano de recuperação judicial aprovado, conseguindo assim renegociar uma dívida superior a R$ 150 milhões. Após a reunião com os credores, foi acordada uma estratégia de reestruturação que visa sanar o passivo em até 15 anos. O plano é o primeiro aprovado para uma companhia aérea no Brasil desde a promulgação da nova Lei de Falências e está protocolado na 8ª Vara Civil de Ribeirão Preto.[19][20] Ao término de 2014, a dívida já havia sido reduzida para 90 milhões.[21] O processo de recuperação judicial da Passaredo deverá chegar ao fim em setembro de 2016, pelo menos é o que estima o vice-presidente executivo da companhia, o comandante Fernando Paes de Barros. Segundo ele, os resultados obtidos pela companhia nos últimos meses, com a reformulação do produto e o aumento de ocupação após o codeshare com a Tam, foram fatores cruciais para elevarem a receita da regional. [22]

Novos Rumos[editar | editar código-fonte]

Com a venda da Passaredo Linhas Aéreas, para o Grupo Itapemirim, um dos maiores conglomerados de transporte rodoviário de cargas e passageiros do Brasil, que atua em 22 estados e conta com 1,2 mil ônibus. Novos horizontes serão abertos, pois o plano inicial dos novos gestores, consiste na aquisição de novas 20 aeronaves até 2018, além de ampliar de 20 para 80 os destinos aéreos no interior do país.[23]

Compartilhamento de código (code share) com a TAM[editar | editar código-fonte]

No dia 1º de junho de 2015, a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) autorizaram o acordo de compartilhamento de código (code share) entre a Passaredo e a TAM, que havia sido assinado em dezembro de 2014. Este compartilhamento permite que a TAM comercialize passagens aéreas com origem ou destino em dez localidades operadas pela Passaredo: Araguaína, Barreiras, Cascavel, Pampulha, Rondonópolis, Sinop, Três Lagoas, Uberaba e Vitória da Conquista.[24]

Compartilhamento de código (code share) com a GOL[editar | editar código-fonte]

A Passaredo Linhas Aéreas, começou a operar, a partir do dia 9 de março de 2017, voos em parceria com a Gol Linhas Aéreas. Os novos destinos atendidos, serão: Ribeirão Preto; São José do Rio Preto; Araguaina – TO; Barreiras e Vitória da Conquista, na Bahia, Sinop e Rondonópolis, no Mato Grosso; Cascavel no Paraná e Três Lagoas, em Mato Grosso do Sul.[25]

Destinos[editar | editar código-fonte]

Interior ATR 72-600 Passaredo
ATR 72 da Passaredo

Região Centro-Oeste[editar | editar código-fonte]

Região Nordeste[editar | editar código-fonte]

Região Norte[editar | editar código-fonte]

Região Sudeste[editar | editar código-fonte]

Região Sul[editar | editar código-fonte]

Aeronaves[editar | editar código-fonte]

A Passaredo opera com aeronaves ATR-72, nas versões 500 e 600. Foram encomendadas um total de vinte unidades, das quais dez compras firmes e dez como opção de compra. A companhia encerrou 2014 com nove aeronaves e no primeiro trimestre de 2015, foram incorporadas mais duas aeronaves, totalizando onze unidades.[26]

No dia 1º de junho de 2015, foi apresentado o 12º avião da empresa, um ATR-72-500, nomeado de Curió, sob o prefixo PP-PTM.[27] Em julho de 2015, a empresa recebeu seu 13º avião, o PP-PTO nomeado de Araponga. Em agosto recebeu o PP-PTN, a 14ª aeronave, e até o final de 2015, receberá sua 15ª aeronave. [28]

Frota atual[editar | editar código-fonte]

Fonte: Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB)[29][nota 1]

ATR 72-600 da Passaredo.
Matrícula Modelo Nº de série Ano f.f. Nome/Imagem
PR-PDA ATR-72-600 1022 2012 Bem-te-vi [30]
PR-PDC ATR-72-600 1040 2012 Sabiá [31]
PR-PDI ATR-72-600 1059 2012 Pica-Pau [32]
PR-PDD ATR-72-500 562 1998 Beija-Flor [33]
PR-PDJ ATR-72-500 575 1999 Andorinha [34]
PP-PTM ATR-72-500 798 2008 Curió [35]
PP-PTN ATR-72-500 832 2008 Jaçanã [36]
PP-PTO ATR-72-500 837 2008 Araponga [37]
PP-PTP ATR-72-500 865 2009 Tuiuiu [38]
PP-PTQ ATR-72-500 874 2009 Quero-Quero [39]

Frota anterior[editar | editar código-fonte]

Fontes:
Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB)[40][nota 1]
Planespotters (Historic Fleet)[41]

Embraer 120 Brasília
Embraer ERJ-145 nas cores da Passaredo.
Aeronaves Quantidade Anos de operação Matrícula
Airbus A310-320 2 1997-1999 PP-PSD [42]
PP-PSE [43]
ATR-42-320 2 1998-1999 PP-PSF [44]
PP-PSG [45]
ATR-72-500 3 2012-2016 PR-PDE

PR-PDH

PR-PDK

ATR-72-600 1 2012-2016 PR-PDB
Embraer EMB-120 8 1995-2011 PP-PSA [46]
PP-PSB [47]
PP-PSC[48]
PR-PSD [49]
PR-OAN [50]
PT-SLD [51]
PT-SLE [52]
PT-WGE [53]
Embraer ERJ-135LR 1 2010-2011 PT-TJA [54]
Embraer ERJ-145 15 2008-2012 PR-PSF [55]
PR-PSG [56]
PT-PSS [57]
PR-PSJ [58]
PR-PSH [59]
PR-PSI [60]
PR-PSK [61]
PR-PSL [62]
PR-PSM [63]
PR-PSN [64]
PR-PSO [65]
PR-PSP [66]
PR-PSQ [67]
PR-PSR [68]
PR-PST [69]

Referências

  1. {{citar web |url= http://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/noticia/passaredo-linhas-aereas-e-vendida-para-o-grupo-de-transporte-rodoviario-itapemirim.ghtml%7Ctítulo=Passaredo Linhas Aéreas é vendida para o grupo de transporte rodoviário Itapemirim|acessodata=03 de julho de 2017|autor=Por G1 Ribeirão e Franca|acessado=04 de julho de 2017
  2. {{citar web |url= https://www.acidadeon.com/ribeiraopreto/lazerecultura/giro/NOT,2,2,1215967,Comandante+Adalberto+Bogsan+e+o+novo+presidente+da+Passaredo.aspx%7Ctítulo=Comandante Adalberto Bogsan é o novo presidente da Passaredo|acessodata=20 de dezembro de 2016|autor=Juliana Rangel - ACidadeON|acessado= 20 de dezembro de 2016
  3. «GOL inicia parceria com a Passaredo para voos regionais» 
  4. Avioes e Musicas. «Primeiro Airbus A310 no Brasil» 
  5. Avioes E Musicas. «Retomada das operações» 
  6. Avioes e Musicas. «Expansão da frota» 
  7. Aero Jornal. «Primeiro Embraer 145 da Passaredo» 
  8. Vitrine Publicitária. «Nova Identidade visual da Passaredo» 
  9. Contato Radar. «Passaredo deixa de voar para Bauru» ]
  10. Portal do Ruas. «Passaredo deixa de voar para Presidente Prudente» 
  11. Aviação Paulista. «Passaredo Primeiro Operadora do Embraer 135 no Brasil» 
  12. Globo.com. «Passaredo é considerada Empresa aérea mais segura do Brasil» 
  13. PortalCanaMix. «Nova revista de bordo da Passaredo» 
  14. Linhas Aéreas é vendida para Grupo da Viação Itapemirim|autor= Diário do Transporte
  15. Hiper Noticias. «Fatores que contribuíram para crise na Passaredo» 
  16. Passaredo deve sair da recuperação judicial em 2016|autor= Pan Rotas
  17. Globo.com. «Passaredo Obtem IOSA» 
  18. Recuperação Passaredo|autor= Globo.com
  19. G1.com.br (3 de maio de 2013). «Credores da Passaredo acatam plano para sanar dívida de R$ 150 milhões». Consultado em 05 de maio de 2013  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  20. Jornal A Cidade (3 de maio de 2013). «Credor aprova recuperação da companhia aérea Passaredo». Consultado em 05 de maio de 2013  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  21. Jornal da Cidade. «Reestruturação da Passaredo» 
  22. Panrotas. «Passaredo deve sair da recuperação judicial em 2016» 
  23. {{citar web |url= https://www.revide.com.br/noticias/economia/itapemirim-anuncia-controle-da-passaredo/%7Ctítulo=Itapemirim anuncia controle da Passaredo|acessodata=03 de julho de 2017|autor=Leonardo Santos - Revide|acessado=04 de julho de 2017
  24. «Autorizado código compartilhado (code share) entre a TAM e a Passaredo». NwesAvia. 1º de junho de 2015 
  25. «Passaredo começa parceria com a Gol em voos regionais». ACidadeON. 04 de fevereiro de 2017. Consultado em 4 de abril de 2017  Verifique data em: |data= (ajuda)
  26. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome A_Cidade_1
  27. aeroentusiasta.com.br. «Frota da Passaredo Linhas Aéreas» 
  28. Panrotas. «Passaredo deve sair da recuperação judicial em 2016» 
  29. «Registro Aeronáutico Brasileiro - Consulta». ANAC 
  30. PR-PDA
  31. PR-PDC
  32. PR-PDI
  33. PR-PDD
  34. PR-PDJ
  35. PP-PTM
  36. PP-PTN
  37. PP-PTO
  38. PP-PTP
  39. PP-PTQ
  40. «Registro Aeronáutico Brasileiro - Consulta». ANAC 
  41. «Passaredo Transportes Aereos» (em inglês). Seção Historic Fleet 
  42. PP-PSD. Vendida à Region Air, de Singapura, em 19 de dezembro de 2000
  43. PP-PSE. Vendida à Yemen Airways em setembro de 1999. Aeronave perdida no acidente do Voo Yemenia 626 em 30 de junho de 2009
  44. PP-PSF. Devolvida à Avions de Transport Régional em julho de 2000
  45. PP-PSG. Vendida à Santa Bárbara Airlines em 31 de agosto de 1999
  46. PP-PSA
  47. PP-PSB
  48. (NAS CORES ORIGIAIS DA FÁBRICA)
  49. PR-PSD
  50. PR-OAN
  51. PT-SLD
  52. PT-SLE
  53. PT-WGE
  54. PT-TJA. Vendida à Airlink ( posteriormente incorporada à South African Express) em 25 de novembro de 2011
  55. PR-PSF
  56. PR-PSG. Devolvida à ECC Leasing Company, da Irlanda, em 17 de fevereiro de 2015
  57. PT-PSS
  58. PR-PSJ
  59. PR-PSH. Transferida à Solenta Aviation da África do Sul, em 17 de setembro de 2012
  60. PR-PSI. Transferida à Solenta Aviation da África do Sul, em 28 de fevereiro de 2013
  61. PR-PSK. Transferida à Trans States Airlines, dos Estados Unidos, em 2 de abril de 2013
  62. PR-PSL. Transferida à Trans States Airlines, dos Estados Unidos, em 22 de fevereiro de 2013
  63. PR-PSM. Transferida à Trans States Airlines, dos Estados Unidos, em 7 de março de 2013
  64. PR-PSN. Transferida à Trans States Airlines, dos Estados Unidos, em 8 de abril de 2013
  65. PR-PSO. Transferida à Trans States Airlines, dos Estados Unidos, em 7 de março de 2013
  66. PR-PSP. Transferida à Trans States Airlines, dos Estados Unidos, em 9 de abril de 2013
  67. PR-PSQ. Transferida à Punto Azul, da Guiné Equatorial, em 18 de março de 2013
  68. PR-PSR. Transferida à Punto Azul, da África do Sul, em 13 de maio de 2013
  69. PR-PST. Transferida à General Electric Capital Aviation Services (GECAS em 14 de fevereiro de 2013

Notas

  1. a b Nesta lista é imprescindível que o editor consulte o Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB) da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) antes de efetuar qualquer inclusão, exclusão ou alteração de dados. Na consulta por "matrícula", não deve ser digitado o traço (-). O RAB é a fonte oficial de consultas ao cadastro de aeronaves brasileiras. Outras fontes podem ser consultadas, contudo as informações obtidas deverão ser confirmadas no RAB

Ligações externas[editar | editar código-fonte]