Pedro Ernesto (político)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pedro Ernesto
Nascimento 25 de setembro de 1884
Recife
Morte 10 de agosto de 1942 (58 anos)
Pernambuco
Nacionalidade  Brasileiro
Ocupação Médico, político

Pedro Ernesto Rego Batista (Recife, 25 de setembro de 1884Pernambuco, 10 de agosto de 1942) foi um político brasileiro.[1][2] Foi prefeito da cidade do Rio de Janeiro, então Distrito Federal, por dois períodos, entre 30 de setembro de 1931 e 2 de outubro de 1934, bem como entre 7 de abril de 1935 e 4 de abril de 1936.

Foi considerado um dos maiores benfeitores das Escolas de samba e alcançou tamanha popularidade que chegou a ser cotado para a Presidência da República, antes de ser preso, sob acusação de ser comunista.

A Câmara de Vereadores da cidade do Rio de Janeiro instituiu uma medalha com seu nome. [3] Considerada a comenda máxima do município, foi severamente questionada em 2006, depois que o ex-deputado Roberto Jefferson, réu confesso e cassado por participar do esquema do mensalão, foi condecorado com ela por sua própria filha, a vereadora Cristiane Brasil. O cartunista Jaguar devolveu sua medalha, entregue oito anos antes pelo então vereador Chico Alencar [4].

Também levam o nome do histórico prefeito o Hospital Universitário Pedro Ernesto, a Escola Municipal Pedro Ernesto e uma rua, no bairro carioca da Gamboa; e uma Escola Municipal, situada no bairro da Lagoa. Em 2009, sua memória foi lembrada no desfile da escola de samba Unidos de Cosmos.

Referências

  1. Biografia no CPDOC Fundação Getúlio Vargas
  2. A Vida de Pedro Ernesto, pelo 1º Ten Al Ilcenir Marins Essex Ensino
  3. Medalha Câmara do RJ
  4. Cultura O Dia

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Nélson da Nóbrega Fernandes. Escolas de Samba: Sujeitos Celebrantes e Objetos Celebrados. Rio de Janeiro: Coleção Memória Carioca, vol. 3, 2001.[1]
  • A prisão de Pedro Ernesto


Precedido por
Julião Esteves
Prefeito do Rio de Janeiro
1931 — 1934
Sucedido por
Augusto do Amaral Peixoto
Precedido por
Augusto do Amaral Peixoto
Prefeito do Rio de Janeiro
1935 — 1936
Sucedido por
Olímpio de Melo
Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.