Tears in Heaven

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"Tears in Heaven"
Single de Eric Clapton
do álbum Rush
Lado B "Tracks and Lines"
Lançamento janeiro de 1992
Formato(s) 7", 12", CD maxi, cassete
Gênero(s) Soft rock, rock acústico, blues
Duração 4:30
Gravadora(s) Warner Bros. Records
Composição Eric Clapton, Will Jennings
Produção Russ Titelman
Cronologia de singles de Eric Clapton
Último
"Wonderful Tonight"
(1991)
"Layla"
(1992)
Próximo
Amostra de áudio
informação do ficheiro · ajuda

"Tears in Heaven" é uma canção composta por Eric Clapton juntamente com Will Jennings, a letra fala sobre a dor e perda que Clapton sentiu após a morte de seu filho Conor de quatro anos de idade,[1] que caiu da janela do 53º andar de um apartamento de um amigo de sua mãe, em Nova Iorque em 20 de março de 1991. Clapton, que chegou ao apartamento pouco depois do acidente,[2] ficou visivelmente desesperado.[1] Esta é uma das canções de maior sucesso de Clapton, atingindo a segunda posição na Billboard Hot 100 nos Estados Unidos, com uma guitarra clássica como instrumento principal. A canção também ficou três semanas na primeira posição na parada norte-americana Adult Contemporary em 1992.

Will Jennings, co-autor da música, relutou no início para ajudá-lo a compor uma canção pessoal. A composição foi inicialmente lançada na trilha sonora do filme Rush, seguido pelo álbum acústico Unplugged (1992). "Tears in Heaven" ganhou três Grammys dos seis que Clapton levou, sendo: Gravação do Ano, Canção do Ano e Melhor Performance Vocal Pop Masculina no Grammy Award de 1993.[3] Ele também ganhou um prêmio no MTV Video Music Award de Melhor Videoclipe Masculino em 1992.[4] Clapton parou de tocá-la em 2004, bem como a canção "My Father's Eyes", afirmando: "Eu não sentia mais a sensação de perda, que é uma parte integrante dessas composições. Eu preciso me conectar com os sentimentos que havia quando compus essas canções. Acho que esses sentimentos se foram, e eu não quero que eles voltem novamente. Minha vida mudou desde então. Canções assim só precisam de uma pausa e talvez eu volte a apresentá-las de uma maneira nova". [5]

Pouco depois do lançamento de seu single, ele foi para a série MTV Unplugged e gravou uma nova versão da canção.[6]

Em 2004, "Tears in Heaven" ficou na 362° posição na lista da Revista Rolling Stone das "500 melhores canções de todos os tempos"[7]

Composição e inspiração[editar | editar código-fonte]

Depois de 1990, os anos seguintes foram extremamente turbulentos para Clapton. Em 27 de agosto de 1990, seu empresário e dois de seus roadies (junto com o colega músico Stevie Ray Vaughan) morreram em um acidente de helicóptero.[8]

Em 20 de março de 1991, seu filho, Conor, caiu do 53° andar e morreu.[9] Após isolar-se por um tempo, Clapton começou a trabalhar novamente, compondo uma música para um filme sobre toxicodependência chamado Rush. Eric Clapton compôs a canção "Tears in Heaven" para o seu filho Conor, que foi lançada no álbum Unplugged.[10] Unplugged fez sucesso nas paradas e foi indicado a nove prêmios Grammy no ano que foi lançado. Apesar da dor intensa, Clapton fez vários anúncios de sensibilização para a colocação de proteção para crianças em janelas e escadas.[10]

Em uma entrevista com Daphne Barak, Clapton declarou "Eu quase que inconscientemente usei a música para mim mesmo como um agente de cura, e eis que, funcionou... Eu tenho muita felicidade e uma grande quantidade de cura pela música".[11]

Em uma entrevista Will Jennings disse:

Cquote1.svg Eric e eu fomos contratados para escrever uma canção para um filme chamado Rush. Nós escrevemos uma música chamada 'Help Me Up' para o final do filme... Eric então viu um outro lugar no filme para incluir mais uma canção e ele me disse: 'Eu quero escrever uma canção sobre o meu menino.' Eric tinha a primeira estrofe da canção escrita, que, para mim, é toda a música, mas ele queria que eu escrevesse o resto das linhas do verso ("'Time can bring you down, time can bend your knees...'), e ser creditado no lançamento mesmo dizendo a ele que era tão pessoal que ele mesmo devia escrever tudo sozinho. Ele me disse que tinha admirado o trabalho que eu tinha feito com Steve Winwood e, finalmente, não havia mais nada a fazer, mas como ele pediu, apesar da sensibilidade do assunto. Esta é uma canção tão pessoal e tão triste que é única em minha experiência de escrever canções. Cquote2.svg
Will Jennings[12]

Faixas e formatos[editar | editar código-fonte]

CD maxi
N.º Título Compositor(es) Duração
1. "Tears in Heaven"   Eric Clapton, Will Jennings 4:33
2. "Tracks and Lines"   Clapton 3:02
3. "Bad Love" (Live At The Royal Albert Hall, London) Clapton, Mick Jones 6:19
4. "White Room" (Live At The Royal Albert Hall, London) Jack Bruce, Pete Brown 6:07
7" single
N.º Título Compositor(es) Duração
1. "Tears in Heaven"   Clapton, Jennings 4:32
2. "White Room" (Live) Clapton 6:10

Desempenho nas paradas[editar | editar código-fonte]

País Parada Melhor
posição
 Alemanha Media Control Charts[13] 42
 Austrália ARIA Singles Chart[14] 37
 Áustria Ö3 Austria Top 75[15] 10
 Canadá RPM Top 100 Singles[16]
RPM Adult Contemporary Tracks[17]
1
1
 Estados Unidos Billboard Hot 100[18]
Adult Contemporary (Billboard)[19]
2
1
 Irlanda Irish Singles Chart[20] 1
Nova Zelândia Nova Zelândia Top 40 Singles[21] 1
 Países Baixos Mega Single Top 100[22] 13
 Reino Unido UK Singles Chart[23] 5
 Suécia Singles Top 60[24] 24
Suíça Swiss Top 100 Singles[25] 7

Outras performances[editar | editar código-fonte]

Em 2005, Ozzy Osbourne e Sharon Osbourne montaram um elenco de estrelas para colaborar junto a Eric Clapton em "Tears in Heaven". O lucro das vendas da gravação beneficiou o apelo do Disasters Emergency Committee para ajudar as vítimas do Terremoto e Tsunami no Sudeste Asiático. A formação incluia; Gwen Stefani, Mary J. Blige, Pink, Slash, Steven Tyler, Elton John, Andrea Bocelli, Katie Melua, Josh Groban, Robbie Williams, Scott Weiland e Rod Stewart. Ozzy e Kelly Osbourne também cantaram na música.

Outras gravações de "Tears in Heaven":

Referências

  1. a b Tears in Heaven. Snopes.com. Página visitada em 8 de janeiro de 2012
  2. Interview with Lory del Santo
  3. Billboard 6 Mar 1993. Billboard. Página visitada em 9 de janeiro de 2012.
  4. 1992 MTV video music awards. MTV. Página visitada em 9 de janeiro de 2012.
  5. «No more 'Tears in Heaven' for Clapton». Today Music. The Associated Press. Arquivado desde o original em 18 de fevereiro de 2016. Consultado em 16 de fevereiro de 2016. «Tradução livre de I didn't feel the loss anymore, which is so much a part of performing those songs. I really have to connect with the feelings that were there when I wrote them. They're kind of gone and I really don't want them to come back, particularly. My life is different now. They probably just need a rest and maybe I'll introduce them for a much more detached point of view.» 
  6. Unplugged - Eric Clapton. Allmusic. Página visitada em 10 de janeiro de 2012.
  7. 500 Greatest Songs of All Time: Eric Clapton 'Tears in Heaven'. Rolling Stone. Página visitada em 10 de janeiro de 2012.
  8. Dirk Johnson (28 de agosto de 1990). «Stevie Ray Vaughan Killed; Blues Guitar Player Was 35». The New York Times. Consultado em 18 de fevereiro de 2016. 
  9. POP VIEW: Why Eric Clapton's Grief Touches His Generation. New York Times.
  10. a b Eric Clapton: Biography. Rolling Stone. Página vistada em 10 de janeiro de 2012.
  11. Exclusive: Mother of 'Tears in Heaven' Inspiration Shares Story. ABC News. Página vistada em 10 de janeiro de 2012.
  12. Tears in Heaven. Songfacts.com. Página vistada em 10 de janeiro de 2012.
  13. Grafik: Musicline.de - Chartverfolgung - Clapton, Eric - Tears In Heaven (em alemão). Media Control Charts. PhonoNet GmbH. Página visitada em 9 de janeiro de 2012.
  14. Australian-charts.com – Eric Clapton – Tears in Heaven. ARIA Top 50 Singles. Hung Medien.
  15. «Eric Clapton – Tears in Heaven – Austriancharts.at» (em Alemão). Ö3 Austria Top 40. Consultado em 9 de janeiro de 2012. 
  16. (04-18-1992) "100 Hot Tracks" (PHP) (em Inglês). RPM 55 (16). Visitado em 09 de janeiro de 2012.
  17. (05-09-1992) "Adult Contemporary Tracks" (PHP) (em Inglês). RPM 55 (19). Visitado em 09 de janeiro de 2012.
  18. «Eric Clapton Album & Song Chart History» (em Inglês). Billboard Hot 100 de Eric Clapton. Consultado em 9 de janeiro de 2012. 
  19. «Eric Clapton Album & Song Chart History» (em Inglês). Billboard Adult Contemporary Songs de Eric Clapton. Consultado em 9 de janeiro de 2012. 
  20. Search the Charts. Irish Charts.(em inglês) Fireball Media. Type "Eric Clapton" under Search by Artist to see search results.
  21. Charts.org.nz – Eric Clapton – Tears in Heaven.(em inglês) Top 40 Singles. Hung Medien. Página visitada em 9 de janeiro de 2012.
  22. Dutchcharts.nl – Eric Clapton – Tears in Heaven.(em alemão). Mega Single Top 100. Hung Medien / hitparade.ch.
  23. Archive Chart. (em inglês). UK Singles Chart. The Official Charts Company.
  24. Swedishcharts.com – Eric Clapton – Tears in Heaven. (em inglês). Singles Top 60. Hung Medien.
  25. Eric Clapton – Tears in Heaven – swisscharts.com. (em inglês). Swiss Singles Chart. Hung Medien.
  26. Devotion - Warren Hill. Billboard.com. Página visitada em 8 de janeiro de 2012
  27. Devotion 1993. Answers.com. Página visitada em 8 de janeiro de 2012
  28. Sharon Osbourne - Osbourne Releases All-Star Tsunami Charity Single Contactmusic.com. Página visitada em 8 de janeiro de 2012