Aqui Agora

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou secção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde março de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Aqui Agora
Logo do programa em 1998, a última da 1ª versão
Informação geral
Formato Telejornal
Duração 50 minutos
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Albino Castro
Dácio Nitrini
Apresentador(es) César Filho
Christina Rocha
Herberth de Souza
Luiz Bacci
Ivo Morganti
Joyce Ribeiro
Ney Gonçalves Dias
Patrícia Godoy
Sérgio Ewerton
Sônia Abrão
Jorge Helal
Luiz Lopes Corrêa
Sílvia Garcia
Gil Gomes
Tema de abertura "Theme From Star Wars" (composta por John Williams)
"Theme From Star Wars II" (arranjo de Mário Lúcio de Freitas)
Exibição
Emissora de
televisão original
SBT
Formato de exibição Jornalístico/ Policial
Transmissão original 1ª versão 20 de maio de 1991 - 6 de dezembro de 1997;
2ª versão 3 de março de 2008 - 10 de abril de 2008

Aqui Agora foi um telejornal brasileiro de apelo popular, exibido no SBT entre 1991 e 1997 (primeira versão) e em 2008 (segunda versão).

História[editar | editar código-fonte]

Primeira versão[editar | editar código-fonte]

Estreou no dia 20 de maio de 1991, no fim de tarde de uma segunda-feira, baseado no programa quase homônimo exibido pela TV Tupi, o Aqui e Agora, no ano de 1979. O jornal de 1991 tinha como slogan "um jornal vibrante, uma arma do povo, que mostra na TV a vida como ela é!". Foi pioneiro no Brasil no uso do Gerador de Caracteres ao exibir manchetes bastante escandalosas sobrepostas às imagens, bem como do uso da câmera na mão em matérias jornalísticas, muitas das quais envolvendo sequestros, tiroteios e perseguições policiais mostradas ao vivo. Seu grande foco era em reportagens policiais, especialmente sobre assassinatos e crimes escandalosos. Seguindo o formato ágil, dinâmico e cru do programa, não era raro os próprios repórteres serem feitos reféns por criminosos, testemunharem mortes in loco ou quase serem atingidos por balas perdidas. O Aqui Agora também exibia, em um tom mais jocoso, fofocas do meio artístico e um quadro de defesa do consumidor. Alcançou altos índices de audiência e chegou a ameaçar a Rede Globo no horário na Grande São Paulo.

Em 1993, passou a contar com Felisberto Duarte, o "Feliz", que apresentava a previsão do tempo com bom humor e bordões como "piriri, pororó e tempos felizes!", fazendo sucesso com crianças em meio ao jornalismo sério voltado para adultos. A ousadia do jornal era tanta que chegou a ter Maguila, o lutador de boxe, como comentarista de economia.

Celso Russomanno, político paulistano, elegeu-se deputado federal graças à popularidade alcançada como repórter de defesa do consumidor. Suas reportagens mostravam as queixas de consumidores mal atendidos, que eram colocados frente a frente com fornecedores de serviços e produtos. A conversa muitas vezes descambava para brigas físicas. Russomanno fazia papel de advogado em busca de acordo. Quando conseguia, encerrava sempre com a mesma frase: "estando bom para ambas as partes, Celso Russomanno, Aqui Agora".

Na primeira versão teve vários apresentadores que se revezavam na leitura das notícias. Entre eles Ivo Morganti (assim como Russomanno, também ingressado na política graças à popularidade do programa: foi eleito vereador na cidade de São Paulo), Patrícia Godoy, Sérgio Ewerton, Christina Rocha, Sônia Abrão, Jorge Helal, Luiz Lopes Corrêa, Sílvia Garcia (hoje apresentadora do Auto Esporte na Globo e esposa de Sérgio Ewerton) e Liliane Ventura.

A equipe de jornalistas contava com Gil Gomes, Wagner Montes, Jacinto Figueira Júnior, conhecido como "o Homem do Sapato Branco", e César Tralli, que hoje é apresentador do SPTV.

O jornal criou também uma tendência que seria seguida pela maioria das emissoras: comprava material de cinegrafistas amadores e independentes, os amadores eram aqueles que haviam gravado imagens por puro acaso e os independentes que possuindo ou não DRT de cinegrafista trabalhavam regularmente vendendo imagens para a emissora. Os mais regulares foram Douglas Aguado, Tony Castro, Rogério Torres e Cacá.

Eventos que marcaram o Jornal[editar | editar código-fonte]

De 1991 a 1997, o Aqui Agora cobriu vários eventos. Os mais destacados foram:

Fim do programa e "ecos"[editar | editar código-fonte]

Com o passar do tempo, a audiência foi caindo e o Aqui Agora saiu do ar em 28 de abril de 1997, sendo substituído no horário pelo programa Disney Club. Apesar disso, o programa teve uma pequena volta em julho, desta vez apresentado por Ney Gonçalves Dias, até sair do ar definitivamente, em 6 de dezembro de 1997. Mas deixou "ecos" espalhados por outras emissoras, como os programas Cidade Alerta, da Rede Record, Brasil Urgente, da Band, Repórter Cidadão, da RedeTV! e 190 Urgente da Rede CNT.

Embora o programa nacional já tenha sido extinto, emissoras afiliadas do SBT fazem versões locais do Aqui Agora:

Segunda versão[editar | editar código-fonte]

No dia 26 de fevereiro de 2008, o SBT anunciou oficialmente a volta do programa, com os apresentadores Luiz Bacci, Herberth de Souza, Christina Rocha e Joyce Ribeiro.

O Aqui Agora reestreou no dia 3 de março de 2008, já com baixa audiência (5,3 pontos em São Paulo). Às 18h50min, o Aqui Agora saia da rede nacional, pois até 19h20min era reservado a telejornais locais fora da Grande São Paulo.

O diretor do programa, Albino Castro, negava que o programa buscasse um formato "mundo cão" e dizia que a meta "é chegar a 20 pontos de audiência" a longo prazo. Na estreia, esperava manter quatro ou cinco pontos, como habitualmente. Em um ano, pretendia ter passado de dez.[2]

Menos de um mês após a estreia do programa, o dono do SBT, Silvio Santos, determinou que o telejornal deveria atingir uma média de 8 pontos no Ibope ou sairia do ar novamente. Em março, o telejornal popular atingiu a média de 4,6 pontos. Teria de crescer 74% para atingir a meta.[3]

Em 21 de março, a assessoria da emissora anunciou que Herberth de Souza havia sido demitido no dia anterior. O motivo foi agressão ao produtor do telejornal, Renato Coimbra, durante a exibição de uma reportagem.[4]

Com o intuito de aumentar o Ibope, os apresentadores Luiz Bacci e Joyce Ribeiro foram substituídos por Analice Nicolau e César Filho. Analice não chegou a completar uma semana de trabalho, pois teve de se afastar em função da conjuntivite.

Em 11 de Abril de 2008, sem aviso prévio aos telespectadores e apenas divulgando à imprensa,[5] o SBT retirou o Aqui Agora da grade de programação, por causa da audiência insuficiente.[6]

Ex-Apresentadores e Repórteres[editar | editar código-fonte]

1ª Versão[editar | editar código-fonte]

2ª Versão[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Veja, 24/03/99
  2. Aqui Agora" não vai repetir erros, diz diretor. LAURA MATTOS, Folha de S.Paulo, 3 de março de 2008. Folha.com.
  3. Silvio Santos dá ultimato ao "Aqui Agora". Folha.com (2 de abril de 2009).
  4. Apresentador do "Aqui Agora" esmurra produtor e é demitido. Folha Online (21 de março de 2008).
  5. SBT confirma o fim do Aqui Agora. OFuxico. Ofuxico.terra.com.br (11 de abril de 2008).
  6. Folha Online, (11 de abril de 2008). Silvio Santos tira "Aqui Agora" do ar. Folha.com.