Araguaína

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde outubro de 2012). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Trechos sem fontes poderão ser removidos.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing.
Emblem-scales.svg
A neutralidade desse artigo (ou seção) foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão. (desde Outubro de 2012)
Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.
Município de Araguaína
Bandeira de Araguaína
Brasão de Araguaína
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 14 de novembro de 1958 (55 anos)
Gentílico araguainense
Padroeiro(a) Sagrado Coração de Jesus
Prefeito(a) Ronaldo Dimas Nogueira Pereira (PR)
(2013–2016)
Localização
Localização de Araguaína
Localização de Araguaína no Tocantins
Araguaína está localizado em: Brasil
Araguaína
Localização de Araguaína no Brasil
07° 11' 27" S 48° 12' 25" O07° 11' 27" S 48° 12' 25" O
Unidade federativa  Tocantins
Mesorregião Ocidental do Tocantins IBGE/2013[1]
Microrregião Araguaína IBGE/2013[1]
Municípios limítrofes Aragominas, Babaçulândia, Carmolândia, Filadélfia, Muricilândia, Nova Olinda, Palmeirante, Pau d'Arco, Piraquê, Santa Fé do Araguaia, Wanderlândia (TO) e Floresta do Araguaia (PA)
Distância até a capital 350 km
Características geográficas
Área 4 000,395 km² [2]
População 167,176 hab. http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?codmun=170210?2014
Densidade 0,04 hab./km²
Altitude 227 m
Clima tropical úmido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,752 alto PNUD/2010[3]
PIB R$ 1 582 447,000 IBGE/2009[4]
PIB per capita R$ 13 227,07 IBGE/2009[4]
Página oficial
Prefeitura www.araguaina.to.gov.br

Araguaína é um município brasileiro localizado no norte do estado do Tocantins, pertencente à Mesorregião Ocidental do Tocantins e à microrregião homônima.

Nos primeiros anos de vida do Tocantins foi a maior cidade do estado, possuindo atualmente 167.176 habitantes, a segunda maior população da unidade federativa, de acordo com estatísticas do IBGE em 2014[5] . Localiza-se a 368 km da capital Palmas, 1.148 km da antiga capital Goiânia e a 1.252 km da capital federal Brasília, além de importantes cidades da região, como Imperatriz 250 km, Marabá 280 km e à capital paraense, Belém a 842 km. É um polo regional pujante, que se destaca nos quesitos comercial, educacional, saúde e serviços.

Localiza-se a uma latitude 07º11'28" sul e a uma longitude 48º12'26" oeste.

História[editar | editar código-fonte]

Foram os silvícolas da tribo dos Carajás os primitivos habitantes da vasta região de ricas terras e luxuriante floresta compreendida entre os rios Andorinhas e Lontras, afluentes da margem direita do caudaloso Rio Araguaia. Essa extensa área constituiria mais tarde a maior parte do atual município de Araguaína. Os remanescentes dos Índios Carajás ainda habitam as margens do Rio Araguaia, numa pequena reserva sob a orientação da Fundação Nacional do Índio - FUNAI.

O início do desbravamento do município ocorreu no ano de 1876, com a chegada de João Batista da Silva e família, procedentes de Parnaguá, estado do Piauí. A família estabeleceu-se à margem direita do rio Lontra, em local que denominaram "livre-nos Deus", nome que expressava o temor permanente de ataque de índios e animais selvagens que habitavam a primitiva região. O primeiro desbravador da região trouxe em sua companhia sua esposa, Rosalina de Jesus Batista e seus filhos do primeiro matrimônio/ do segundo casamento vieram 10 filhos entre os quais, Tomás Batista, na época com nove anos de idade, ao qual muitos atribuem, erroneamente, a fundação do município. Poucos meses após a chegada da primeira família, ainda no mesmo ano, outras começaram a chegar e foram fixando-se no mesmo local formando um povoado ao qual denominaram Lontra, por localizar-se à margem do rio do mesmo nome.

Os primeiros colonizadores dedicaram-se inicialmente ao cultivo de cereais para subsistência que levavam para vender no povoado do Coco (atual Babaçulândia), e com objetivos mais lucrativos, iniciaram a implantação da cultura do café, como atividade predominante. Essa cultura foi abandonada posteriormente por dificuldades de escoamento da produção, decorrente da ausência total de vias terrestres para transporte, embora houvesse estradões de tropa.

O povoado Lontra pertenceu inicialmente ao município de São Vicente do Araguaia, atual Araguatins; anos mais tarde, o povoado Lontra passou a pertencer ao município de Boa Vista do Tocantins, hoje Tocantinópolis. Em razão do isolamento imposto pela ausência de estradas, condições geográficas e insalubridade do clima, o povoado passou por um longo período de estagnação, que durou até o ano de 1925, quando chegaram as famílias de Manuel Barreiro, João Brito, Guilhermino Leal e José Lira e João Batista Carneiro.

As famílias recém-chegadas injetaram novo entusiasmo aos antigos povoadores. Sob a liderança dessas famílias foi erigido no povoado, no mesmo ano, o primeiro templo católico dedicado ao Sagrado Coração de Jesus. A primeira professora nomeada para o povoado, foi Josefa Dias da Silva. Em 1936 chega o primeiro destacamento policial cujo primeiro delegado-comandante foi Paulino Pereira.

Com a criação do município de Filadélfia, pela lei estadual nº 154 de 8 de outubro de 1948, cujo instamento ocorreu em 1º de janeiro de 1949, o povoado Lontra passou a integrar-lhe. No mesmo ano sua denominação foi mudada para povoado Araguaína, nome cuja etnologia provém de Araguaia, em homenagem ao rio Araguaia, que serviria posteriormente de limite entre o município de Araguaína e o município de Conceição do Araguaia, Estado do Pará.

Pela lei municipal nº 86 de 30 de setembro de 1953, o povoado Araguaína foi transformado em distrito com a mesma denominação. Sua instalação ocorreu em 1º de janeiro de 1954. Em 5 de maio de 1957 foi criada a Paróquia de Araguaína sendo designado o Padre Pacífico Mecozzi.

Pela necessidade natural de um maior desenvolvimento da região, inicia-se o processo que culminaria com a criação do município de Araguaína. A lei municipal nº 52 de 20 de julho de 1958, autorizou o desmembramento do distrito de Araguaína, fixando-lhe os limites.

Finalmente a 14 de novembro de 1958, pela lei estadual nº 2.125, foi criado o município de Araguaína, tendo sido instalado oficialmente em 1º de janeiro de 1959. Foi nomeado como primeiro prefeito Casimiro Ferreira Soares, que foi exonerado em 3 de outubro de 1960, sendo substituído por Henrique Ferreira de Oliveira.

Ainda na mesma data foram realizadas as primeiras eleições municipais, sendo eleito para prefeito municipal Anatólio Dias Carneiro, para vice-prefeito Sr. Raimundo Falcão Coelho.

O autêntico desenvolvimento econômico-social do município começou na realidade a partir de 1960, com a construção da rodovia Belém-Brasília, o que fez com que a cidade crescesse exorbitantemente em relação às demais cidades próximas que eram maiores e mais antigas que ela. No período de 1960 a 1975, Araguaína atingiu um estágio de desenvolvimento sem precedentes na história do Estado de Goiás, sendo que em 1965 foi criada a indústria da Região norte a CIMBA-Companhia Industrial e Mercantil da Bacia Amazônica e em 1967 o primeiro frigorífico de Araguaína de propriedade do Grupo Boa Sorte e que até hoje é um dos maiores com capacidade de abate de 900 cabeças por dia. A repercussão desse desenvolvimento ultrapassou fronteiras do Estado e do País, despertando interesse até no exterior. Sobre o fenômeno escreveu o sociólogo americano Thomas G. Sanders, em estudo publicado na revista Fieldstaff Reports, vol XV, nº 2, editada pela Americam Universities Field Staff.

Araguaína era a quarta maior cidade do Estado de Goiás, de 1980 a 1986, perdendo somente para Luziânia, Anápolis e Goiânia. Com a criação do estado de Tocantins em 1989, Araguaína tornou-se a maior cidade do Estado e pretensa capital do Estado que estava nascendo, não foi escolhida devido a fatores geográficos, sociais e políticos, mas ganhou o carinhoso título de Capital Econômica do Estado, sendo atualmente a principal força econômica do Estado. Segundo pessoas ligadas ao ex-governador Siqueira Campos, por causa da influência do então Presidente do Brasil, José Sarney, que não queria que nascesse uma capital de estado perto da cidade de Imperatriz do Maranhão. Porque com a existência dessa capital, Imperatriz acabaria com o seu crescimento que ocorre há anos. Então o Presidente do Brasil impôs ao Sr. Wilson Siqueira Campos, a escolha de outro lugar do novo estado. Por isso houve a criação de Palmas, A "capital" do "Futuro".

Na realidade, Siqueira Campos, então primeiro governador do Tocantins, resolveu que nenhuma das cidades a quem ele prometera que seriam Capital, envergariam tal título, nem provisoriamente. Assim, a 8 de dezembro de 1988, seria anunciada a cidade de Miracema como Capital provisória do recém-criado estado. A decisão causou revolta na cidade, que pouco a pouco se acostumou a ser a Capital Econômica do Tocantins. Atualmente, Araguaína é um centro de referência em várias áreas e deverá ser por muito tempo a maior economia do Estado. Além disso, a abertura de faculdades e ampliação do número de cursos da Universidade Federal do Tocantins deram novo fôlego à economia local, que já era forte.

Economia[editar | editar código-fonte]

Existe a ideia de que Araguaína é a capital do boi, mas a grande força de Araguaína não é só essa. O comércio e o DAIARA-Distrito Agro Industrial de Araguaína, com indústrias e contando com 3 Frigoríficos de referência nacional sendo o Bertin, o Minerva e o Boiforte. Araguaína é cercada de grandes, médias e pequenas fazendas, que impulsionam o desenvolvimento econômico da cidade através da agricultura e da pecuária. Também a instalação de faculdades na cidade impulsionou nos últimos tempos a iniciativa privada na construção civil.

Clima[editar | editar código-fonte]

Gráfico climático para Araguaína
J F M A M J J A S O N D
 
 
244
 
29
23
 
 
255
 
29
23
 
 
281
 
29
23
 
 
207
 
29
22
 
 
87
 
30
22
 
 
16
 
31
21
 
 
9
 
33
20
 
 
18
 
35
21
 
 
57
 
36
23
 
 
132
 
35
24
 
 
175
 
33
23
 
 
224
 
31
23
Temperaturas em °CPrecipitações em mm
Fonte: [6]

O clima do município de Araguaína é tropical úmido, do tipo Aw na classificação climática de Köppen-Geiger, com uma estação definida de chuvas entre os meses de outubro a maio, e uma estação seca entre os meses de junho a setembro, com precipitação anual acima de 1 700 mm milímetros. As temperaturas são elevadas durante todo o ano, com mínima de 22 ºC e máxima de 32 ºC, chegando aos 36 ºC em setembro.[6]

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), desde 1984 a menor temperatura registrada em Araguaína foi de 11,3 ºC nos dias 11 de agosto de 1986 e 20 de agosto de 1988,[7] e a maior atingiu 38,2 ºC em 23 de setembro de 2011 e 15 de setembro de 2010.[8] O maior acumulado de chuva observado em 24 horas foi de 137,8 mm em 25 de abril de 1997.[9] Outros grandes acumulados foram 136,1 mm em 1º de janeiro de 1996, 128,5 mm em 10 de novembro de 2011, 124,8 mm em 20 de novembro de 1999, 119,2 mm em 10 de dezembro de 1988, 108,2 mm em 28 de fevereiro de 1990, 104,5 mm em 27 de março de 1992, 103,5 mm em 23 de janeiro de 1985, 102,3 mm em 22 de março de 2003 e 101 mm em 27 de março de 1995.[9] Em março de 1987 foi registrado o maior volume de chuva em um mês, de 572,6 mm.[10]

Comunicação[editar | editar código-fonte]

Correios[editar | editar código-fonte]

Criado em 1969, sendo o primeiro posto de correio em caráter extra-oficial que realizava um sistema de postagem simples (cartas simples), funcionando inicialmente na prefeitura, tendo como funcionária Izabel Milhomem. O transporte das malas postais era feito por Francisco Luz, em Jeep, com destino a Carolina - MA, de onde seguia por via aérea, para os seus respectivos destinos. Sendo oficialmente instalada em 1972, posteriormente elevado a Agencia Postal Radio Telegráfica, cuja instalação foi efetuada em 5 de abril do mesmo ano, e em espaço cedido pelo município na Praça das Nações, sob a jurisdição da Diretoria Regional do Pará. Em 8 de maio de 1973, sob a gerência da senhorita Lúcia Godói, a mesma agência foi transferida para sua sede própria, construída em terreno doado pela prefeitura. Com a instalação da agência, os serviços postais passaram a ser diretos, não mais via Carolina, e em 23 de abril de 1974, assume a gerência José Maria Brito, que veio transferido da agência de Carolina - MA. Atualmente, além da sede própria, existe espalhado pelo município duas agências para melhor prestar os serviços a comunidade, uma localizada na estação rodoviária de Araguaína e na Cônego João Lima.

Cinema[editar | editar código-fonte]

A implantação do primeiro cinema em Araguaína ocorreu em dezembro de 1960, com o nome de Cine Luz, localizado na Av. Castelo Branco nº 215, sendo seu proprietário Carlos Oliveira da Luz. Surgindo depois o Cine Natal, de propriedade da igreja católica localizado na Praça são luiz Orione. O Cine Luz foi desativado em meados de março de 1979, que se transferiu para os garimpos do Pará, em consequência da instalação da rede de televisão e da crise do cinema em nível mundial. o Cine Natal, foi alugado para particulares, e a programação era sexo e caratê, o fechamento definitivo se deu no ano de 1985, após o locatário ter tido a infeliz ideia de trazer uma trupe de atores que faziam sexo ao vivo, um escândalo punido com a rescisão de contrato. Hoje Araguaína tem apenas um Cinema (localizado no Moreira Center Shopping) na avenida Cônego João Lima, Centro.

Esporte[editar | editar código-fonte]

Araguaína conta com um pequeno estádio chamado Leôncio Miranda, mais conhecido como Mirandão, projetado para comportar até 15.000 torcedores, local de mando dos jogos do Araguaína Futebol e Regatas, time da cidade fundado em 1997 hoje é o time de maior torcida do Estado do Tocantins. No entanto, tal estádio encontra-se em estado de abandono pelo órgão público que o administra, o Governo do Estado do Tocantins. O Tourão do Norte, como é carinhosamente chamado por seus torcedores, disputou o Campeonato Brasileiro da Série C de 2011, e foi o primeiro time do Tocantins a subir de série numa competição Nacional. No ano anterior, foi o 3º colocado no Brasileiro série D.

Transporte[editar | editar código-fonte]

A localização geográfica de Araguaína possibilitou sua integração com todas as regiões do país para circulação de pessoas e mercadorias através de transporte aéreo e terrestre, contando com estradas federais, estaduais e municipais.

Com referência a via aérea, a cidade dispõe de um aeroporto com capacidade para pouso e decolagem de aeronaves de pequeno e médio porte. O 1º aeroporto foi construído no local onde hoje é a Vila Aliança, o 2º aeroporto, próximo ao Terminal Rodoviário e o atual se encontra no Setor Aeroporto, próximo ao Bairro de Fátima, denominado Aeroporto de Araguaína. Atualmente (2014), a cidade é servida por vôos das empresas Azul, Sete e Passaredo. A primeira agência de vendas de passagens criada em 1963 numa sala do hotel São Vicente, na Rua Cônego João Lima que atendia as primeiras empresas interestaduais que por aqui trafegavam como Expresso Braga, Rápido Marajó e Viação Jussara.

O transporte coletivo de Araguaína era feito pela empresa Rápido Amazonas que tinha apenas um ônibus que fazia o itinerário entre a Vila Aliança até o Entrocamento. Posteriormente a concessão passou para o senhor Rubens Gonçalves Aguiar, que era mecânico da empresa Rápido Amazonas, e desde essa época o transporte coletivo está a cargo da Viação Lontra. No início a Viação Lontra utilizou o mesmo ônibus que a empresa anterior utilizava.

Educação[editar | editar código-fonte]

Araguaína é referência estadual em educação, e também para o sul do Pará e do Maranhão. Além de ensino básico e profissionalizante, a cidade conta com três universidades a Universidade Federal do Tocantins (UFT), ITPAC - Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos (ITPAC) e a Faculdade Católica Dom Orione (FACDO). O o curso de medicina, oferecido pelo ITPAC, é destaque no estado, considerado o melhor curso em instituições privadas de ensino superior do Tocantins. Em decorrência desse fato, muitos estudantes de outros estados, deslocam-se a cidade para cursarem o curso mencionado. Os cursos disponíveis na cidade são os de medicina veterinária, zootecnia, logística, cooperativismo, turismo, matemática, física, biologia, química, letras, geografia, história [[(mantidos pela UFT), direito, administração, fisioterapia e psicologia (mantidos pela FACDO-Faculdade Católica Dom Orione), ciências contábeis, educação física, enfermagem, sistema de informação, pedagogia, farmácia, odontologia e medicina (mantidos pelo ITPAC). Encontra-se também Instituição em sistema EAD, Unitins - EADCOM e Uniderp, dentre outros polos de instituições nacionais.

Política[editar | editar código-fonte]

De acordo com a Constituição de 1988, Araguaína está localizada em uma república federativa presidencialista. A forma de Estado foi inspirada no modelo estadunidense, no entanto, o sistema legal brasileiro segue a tradição romano-germânica do Direito positivo. O federalismo no Brasil é mais centralizado do que o federalismo estadunidense; os estados brasileiros têm menos autonomia do que os estados norte-americanos, especialmente quanto à criação de leis.[11] A administração municipal se dá pelo poder executivo (Prefeitura de Araguaína) e pelo poder legislativo (Câmara Legislativa de Araguaína).[12]

Cidades-Irmãs[editar | editar código-fonte]

Cidades-irmãs é uma iniciativa do Núcleo das Relações Internacionais[13] , que busca a integração entre a cidade e demais municípios nacionais e estrangeiros. A integração entre os municípios é firmada por meio de convênios de cooperação, que têm o objetivo de assegurar a manutenção da paz entre os povos, baseada na fraternidade, felicidade, amizade e respeito recíproco entre as nações. Oficialmente Araguaína tem duas Cidades-irmãs, são elas:

Área Urbana[editar | editar código-fonte]

Bairros de Araguaína[editar | editar código-fonte]


  • 001 - Centro
  • 002 - Bairro DAIARA
  • 003 - Bairro Belo Horizonte
  • 004 - Bairro de Fátima
  • 005 - Bairro Eldorado
  • 006 - Bairro JK
  • 007 - Bairro Neblina
  • 008 - Bairro Santa Terezinha
  • 009 - Bairro São João
  • 010 - Bairro Senador
  • 011 - Barra da Grota
  • 012 - Jardim Ademar
  • 013 - Jardim Beira-Lago
  • 014 - Jardim Califórnia
  • 015 - Jardim das Palmeiras
  • 016 - Jardim das Palmeiras-Norte
  • 017 - Jardim do Lago
  • 018 - Jardim Esplanada
  • 019 - Jardim Filadélfia
  • 020 - Jardim Garavelo Sul
  • 021 - Jardim Paulista
  • 022 - Jardim Pedra Alta
  • 023 - Jardim Santa Helena
  • 024 - Jardim Santa Mônica
  • 025 - Povoado Pontes
  • 026 - Residencial Patrocínio
  • 027 - Setor Aeroporto
  • 028 - Setor Aeroviário
  • 029 - Setor Alaska
  • 030 - Setor Ana Maria


  • 031 Anhanguera
  • 032 - Setor Araguaína Sul I
  • 033 - Setor Araguaína Sul II
  • 034 - Setor Barros
  • 035 - Setor Bela Vista
  • 036 - Setor Bela Vista II
  • 037 - Setor Brasil
  • 038 - Setor Carajás
  • 039 - Setor Castelo Branco
  • 040 - Setor Céu Azul
  • 041 - Setor Cimba
  • 042 - Setor Coimbra
  • 043 - Setor Couto Magalhães
  • 044 - Setor Cruzeiro
  • 045 - Setor Dom Orione
  • 046 - Setor Dona Nélcia
  • 047 - Setor George Yunes
  • 048 - Setor Itaipu
  • 049 - Setor Itamarati
  • 050 - Setor Itapuã
  • 051 - Setor Itatiaia
  • 052 - Setor José Ferreira
  • 053 - Setor Jardim das Flores
  • 054 - Setor Jardim das Flores-2ª
  • 055 - Setor Jardim das Flores-3ª
  • 056 - Setor José Fernando
  • 057 - Setor Liberdade
  • 058 - Setor Luiz Vinhal
  • 059 - Setor Manoel Cardoso
  • 060 - Setor Manoel G. da Cunha


  • 061 - Setor Mansões do Lago
  • 062 - Setor Maracanã
  • 063 - Setor Martins Jorge
  • 064 - Setor Monte Sinai
  • 065 - Setor Morada do Sol I
  • 066 - Setor Morada do Sol II
  • 067 - Setor Morada do Sol III
  • 068 - Setor Noroeste
  • 069 - Setor Nova Araguaína
  • 070 - Setor Novo Horizonte
  • 071 - Setor Oeste
  • 072 - Setor Palmas
  • 073 - Setor Parque Bom-Viver
  • 074 - Setor Parque do Lago
  • 075 - Setor Planalto
  • 076 - Setor Raizal
  • 077 - Setor Recreativo
  • 078 - Setor Resid. Morumbi I
  • 079 - Setor Resid. Morumbi II
  • 080 - Setor Resid. Morumbi III
  • 081 - Setor Rodoviário
  • 082 - Setor Santa Luzia
  • 083 - Setor São Francisco
  • 084 - Setor São José
  • 085 - Setor São Luiz
  • 086 - Setor São Miguel
  • 087 - Setor São Pedro
  • 088 - Setor Sonhos Dourados
  • 089 - Setor Sul
  • 090 - Setor Tecnorte


  • 091 - Setor Tereza Hilário Ribeiro
  • 092 - Setor Tocantins
  • 093 - Setor Tocantins II
  • 094 - Setor Universitário
  • 095 - Setor Urbanístico
  • 096 - Setor Urbano
  • 097 - Vila Aliança
  • 098 - Vila Azul I
  • 099 - Vila Azul II
  • 100 - Vila Bragantina
  • 101 - Vila Cearense
  • 102 - Vila Couto Magalhães
  • 103 - Vila da Paz
  • 104 - Vila Ferreira
  • 105 - Vila Goiás
  • 106 - Vila Norte
  • 107 - Vila Nova
  • 108 - Vila Piauí
  • 109 - Vila Ribeiro
  • 110 - Vila Rosário
  • 111 - Vila Santiago
  • 112 - Vila União
  • 113 - Presidente Costa e Silva
  • 114 - Presidente Lula
  • 115 - Jardim dos Ipês I
  • 116 - Jardim dos Ipês II
  • 117 - Jardim Europa
  • 118 - Cidade Nova
  • 119 - Jardim Boa Sorte
  • 120 -

Principais Vias Públicas[editar | editar código-fonte]


  • Avenida Cônego João Lima
  • Avenida Santos Dumont
  • Avenida Prefeito João de Sousa Lima
  • Avenida Filadélfia
  • Avenida Castelo Branco
  • Avenida José de Brito Soares
  • Avenida Tibúrcio José Dantas
  • Avenida Guaíba
  • Avenida São Francisco


  • Rua 1º de Janeiro
  • Rua das Mangueiras
  • Rua 13 de Maio
  • Rua 14 de Dezembro
  • Rua 25 de Dezembro
  • Rua Sadoc Correia
  • Rua Tocantins
  • Rua Ademar Vicente Ferreira Sobrinho
  • Rua Aparecida
  • Rua Getúlio Vargas
  • Rua Paranaíba
  • Rua Jatobá
  • Rua Marechal Castelo Branco
  • Rua Rui Barbosa
  • Rua Santa Cruz


  • Rodovia Belém-Brasília/BR-153
  • Rodovia Filadélfia-Pontão/TO-222
  • Rodovia Araguaína-Xambioá/TO-164
  • Rodovia Araguaína-Garimpinho/TO-226

Principais Logradouros Públicos[editar | editar código-fonte]


  • Praça São Luiz Orione (antiga Praça das Nações)
  • Praça das Bandeiras
  • Praça do Bairro São João
  • Praça do Noroeste


  • Estádio Mirandão
  • Estádio Gauchão
  • Ginásio Estadual de Araguaína
  • Ginásio Municipal do Bairro São João


Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais (19 de julho de 2013). Divisão Territorial do Brasil Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Visitado em 27 de setembro de 2013.
  2. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (10 de outubro de 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 de dezembro de 2010. Cópia arquivada em 9 de novembro de 2011.
  3. Atlas do Desenvolvimento Humano (29 de julho de 2013). Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Visitado em 9 de setembro de 2013. Cópia arquivada em 9 de setembro de 2013.
  4. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2005-2009 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 14 dez. 2011.
  5. IBGE (2014). Pesquisa IBGE 2014..
  6. a b Instituto Nacional de Meteorologia. Climatologia: Araguaína - TO Climatempo. Visitado em 31 de julho de 2014.
  7. BDMEP - Série Histórica - Dados Diários - Temperatura Mínima (ºC) - Araguaína Instituto Nacional de Meteorologia. Visitado em 31 de julho de 2014.
  8. BDMEP - Série Histórica - Dados Diários - Temperatura Máxima (ºC) - Araguaína Instituto Nacional de Meteorologia. Visitado em 31 de julho de 2014.
  9. a b BDMEP - Série Histórica - Dados Diários - Precipitação (mm) - Araguaína Instituto Nacional de Meteorologia. Visitado em 31 de julho de 2014.
  10. BDMEP - Série Histórica - Dados Mensais - Precipitação Total (mm) - Araguaína Instituto Nacional de Meteorologia. Visitado em 31 de julho de 2014.
  11. Organização dos Estados Americanos (OEA). The Brazilian Legal System (em inglês). Visitado em 24 de agosto de 2010.
  12. Matos, Jurandir Batista de (24 de agosto de 2010). Lei Orgânica dos Municípios (pl) (em português) Leis municipais. Visitado em 24 de agosto de 2010.
  13. Home page - Center for International Relations Center for International Relations.
  14. História de Araguaína Scribd.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]