Corrente de Foucault

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Corrente de Foucault (ou ainda corrente parasita) é o nome dado à corrente induzida em um material condutor, relativamente grande, quando sujeito a um fluxo magnético variável. O nome foi dado em homenagem a Jean Bernard Léon Foucault, que estudou esse efeito.

Em alguns casos a corrente de Foucault pode produzir resultados indesejáveis, como a dissipação por efeito Joule, o que faz com que a temperatura do material aumente. Para evitar a dissipação por efeito Joule, os materiais sujeitos a campos magnéticos variáveis são frequentemente laminados ou construídos com placas muito pequenas isoladas umas das outras.

O Efeito pelicular, também conhecido como efeito capilaridade ou ainda skin effect, em condutores é uma manifestação de um caso particular de corrente de Foucault, na qual a corrente elétrica tende a fluir na periferia de um condutor longo e retilíneo.


São correntes fechadas induzidas na massa de um metal que se move em um campo magnetico. Quando uma folha condutora entra em um campo, uma variação de fluxo ocorre que provoca uma força eletromotriz induzida na folha que por sua vez provoca o movimento dos eletrons livres no metal em circuitos fechados de correntes. Conforme a Lei de Lenz a magnitude e sentido dessas correntes deve se opor à variação que as provoca, formando polos magneticos que geram forças que efetivamente se opõe ao movimento do metal dentro do campo magnético. Exemplo da utilização da corrente de Foucault na frenagem de trens controlados por imãs magneticos ou nas balanças de precisão.

Outra aplicação se dá na medição da condutividade elétrica de metais não magnéticos.

Ícone de esboço Este artigo sobre física é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.