Dener Augusto de Sousa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Dener
Informações pessoais
Nome completo Dener Augusto de Sousa
Data de nasc. 2 de abril de 1971
Local de nasc. São Paulo (SP),  Brasil
Falecido em 19 de abril de 1994 (23 anos)
Local da morte Rio de Janeiro (RJ),  Brasil
Altura 1,71 m
Informações profissionais
Posição Segundo atacante - Meia-ofensivo
Clubes de juventude
19881991 Brasil Portuguesa
Clubes profissionais1
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
19911993
1993
1994
Brasil Portuguesa
Brasil Grêmio (emp.)
Brasil Vasco da Gama (emp.)
00101 000(38)
00023 0000(4)
00017 0000(5)
Seleção nacional
1991 Brasil Brasil 00002 0000(0)


1 Partidas e gols pelo clube profissional
contam apenas partidas das ligas nacionais,
atualizados até 2 de janeiro de 2008.


Dener Augusto de Sousa (São Paulo, 2 de abril de 1971Rio de Janeiro, 19 de abril de 1994) foi um futebolista brasileiro.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Em 1982, aos onze anos, Dener entrou pela primeira vez no Estádio do Canindé para defender a equipe mirim da Portuguesa de Desportos. Quatro anos mais tarde, teve de abandonar o sonho de fazer carreira no futebol para ajudar a mãe com as despesas de casa.

Órfão de pai desde os oito anos, Dener e os irmãos tiveram de começar a trabalhar para ajudar no sustento da família. Ele estudava pela manhã, trabalhava à noite e jogava futebol de salão por cachê na Vila Mariana, pelo Colégio Bilac, com o qual foi campeão em torneios Intercolegiais, como a Copa Dan'up - Jovem Pan.

Em 1988 voltou a treinar nas categorias de base da Portuguesa de Desportos, após uma passagem frustrada de dois meses pelo São Paulo. O treinador José Wilson, na época treinador da equipe sênior, promoveu o jogador à categoria mesma equipe, transformando-o em profissional. Dener treinava entre os seniores e ainda jogava pelo juniores, e foi assim que levou a Portuguesa ao primeiro título do clube na Copa São Paulo de Futebol Júnior em 1991, sendo no fim eleito o melhor jogador do campeonato.

Com apenas 20 anos o jogador teve a sua primeira oportunidade com a camisa da Seleção Brasileira e em 27 de Março de 1991, contra a Seleção Argentina em Buenos Aires, fez a sua estreia.

Em 1993, Dener foi emprestado por três meses ao Grêmio, clube no qual conquistou o seu primeiro título numa equipe profissional. No fim do empréstimo, o jogador retornou à Portuguesa para disputar o Campeonato Brasileiro.

No ano seguinte o jogador foi novamente emprestado, agora para um clube carioca, o Vasco da Gama. Este seria o seu último clube até a sua prematura morte.

Morte prematura[editar | editar código-fonte]

Na época em que estava no Rio de Janeiro, sofreu um grave acidente que lhe tirou a vida. Dener voltava de São Paulo, onde havia se reunido com dirigentes da Portuguesa e do Stuttgart, da Alemanha, para uma futura transferência, e passado o fim de semana com a família, quando o seu carro, dirigido pelo amigo Oto Gomes, perdeu a direção[1] e chocou-se com uma árvore na Lagoa Rodrigo de Freitas. O jovem jogador viajava dormindo no banco do carona do seu Mitsubishi Eclipse e foi sufocado pelo cinto de segurança, terminando tragicamente uma carreira promissora. Investigações posteriores descobriram que Dener deixou o banco inclinado demais, anulando a eficiência do cinto. Mesmo assim, a morte do jogador de futebol fez com que muitos jovens passassem a recusar o uso do dispositivo de segurança, que se tornaria obrigatório em 1998.

Após a morte[editar | editar código-fonte]

Em homenagem ao jogador, no mesmo ano da sua morte, foi disputada a Copa Dener, torneio reunindo Cruzeiro, Atlético, ambos de Minas, Botafogo e Vasco, do Rio de Janeiro, Portuguesa e Santos, sendo que o Santos FC sagrou-se campeão ao vencer o Atlético Mineiro por 4 x 2.

Também em homenagem ao jogador, uma placa foi colocada no local do acidente e registra que ali Dener Augusto de Sousa perdeu a vida.

Dener deixou viúva e três filhos. Após a morte de Dener, a família que tinha direito a parte do dinheiro do seguro do jogador foi surpreendida com a notícia de que o jogador não tinha um seguro pois o Vasco da Gama, clube responsável no contrato a tratar do seguro, não fez qualquer seguro em nome do jogador. A família reclamou na justiça os seus direitos e após dez anos de julgamento o tribunal decidiu em definitivo que o Vasco da Gama deveria pagar à família e à Portuguesa de Desportos quantia referente ao seguro. A Portuguesa recebeu a sua parte, porém a família do atleta precisou mover uma ação judicial contra o Vasco da Gama para receber o dinheiro, pois o clube não reconhecia Luciana Gabino como esposa legítima de Dener, já que, apesar de estar com o jogador desde os 18 anos e de ser a mãe dos seus filhos, não era oficialmente casada com ele.[2] Após treze anos de disputas judiciais, o clube e a viúva de Dener chegaram a um acordo para o pagamento da dívida.[2] [3]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Portuguesa
Grêmio
Vasco da Gama

Notas

  1. Meses após o acidente um laudo policial confirmou que Oto Gomes havia dormido ao volante, causando assim o acidente.
  2. a b Viúva de Dener não quer falar em valores Globo.com Globoesporte.globo.com (26 de Setembro de 2007). Visitado em 2 de Janeiro de 2008.
  3. Caso Dener: clube faz acordo Globo.com Globoesporte.globo.com (25 de Setembro de 2007). Visitado em 2 de Janeiro de 2008.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]