O Primo Basílio (minissérie)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde outubro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.

O Primo Basílio é uma minissérie brasileira produzida pela Rede Globo e exibida pela primeira vez em 1988[1] . Escrita por Gilberto Braga e Leonor Bassères, tendo por base a obra de Eça de Queiroz, e dirigida por Daniel Filho,Atualmente vem sendo apresentada pelo canal acabo viva Desde o dia 20/10/2013 de seg a sex as 23h15,

Trama[editar | editar código-fonte]

A história se passa na Lisboa do século XIX. O jovem Basílio (Marcos Paulo) acaba de chegar da Inglaterra e só tem olhos para Luísa (Giulia Gam), a sua bela e doce prima. Os dois são apaixonados desde a infância, e quando ele volta, essa paixão se torna incontrolável. Basílio é obrigado a viajar para o Brasil a negócios e antes de partir, porém, promete se casar com Luísa quando regressar a Portugal. Durante aqueles meses naquele distante país, Basílio escreve para Luísa com alguma assiduidade, mas, com o passar do tempo, deixa de mandar quaisquer notícias, até que acaba por escrever para terminar tudo entre ambos, pois não queria fazê-la sofrer pela sua ausência, e que ela pudesse ser feliz, pois ele demorará a voltar.

Os anos se passam e Luísa, após forte depressão, retoma a sua vida social. Conhece Jorge, um jovem engenheiro, com quem se casa e aparentemente é feliz, até a morte de uma velha tia dele. Além de uma pequena fortuna, Jorge herda uma empregada, Juliana, uma mulher cruel, amargurada e muito invejosa. O tempo passa e Luísa perde as esperanças de reencontrar seu grande amor, o primo Basílio. Para abalar a felicidade do casal, está de volta o sedutor Basílio, que novamente arrebata Luísa de paixão e a deixa descontrolada de amor. O adultério acontece numa viagem de Jorge, e o casal de primos passa a se encontrar na cama de Luísa e Jorge, e ela se sente mal pela traição. O caso é descoberto por Juliana através de várias cartas que Basílio esreve para Luísa, com juras de amor eterno e lembranças dos encontros deles. Juliana passa a chantagear a patroa criando um clima de terror e passa a torturar Luísa com acusações.

A infelicidade de Luísa aumenta quando se sente usada pelo amante e desobrir que realmente ama de verdade Jorge, seu marido, que agora está de volta. Ela sente que poderá perdê-lo por causa das ameaças de Juliana. Ela lhe pede 600 mil réis em troca do silêncio. Luísa não dispõe da quantia e passa a servir Juliana numa mudança de posição. A criada vira patroa, e a patroa ocupa o lugar da criada. Jorge não entende nada e Luísa tem que mentir, dizendo que Juliana está doente e não aguenta mais os serviços de casa, enquanto sofre ao ter que esconder a traição do marido e por Basílio nunca mais tê-la procurado, confirmando que ele só a usou. Ela se sente mal em ter que conviver com mentiras, ameaças e chantagens.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.

Referências