Maysa: Quando Fala o Coração

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde janeiro de 2013).
Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Maysa: Quando Fala o Coração
Maysa: Se o Coração Cantar[1]
Informação geral
Formato Minissérie
Gênero Drama
Romance
Biografia
Duração aprox. 1h
Criador(es) Manoel Carlos
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Jayme Monjardim
Mário Meirelles (musical)
Produtor(es) Guilherme Bokel
Elenco Larissa Maciel
Jayme Matarazzo
André Matarazzo
Rogério Falabella
Denise Weinberg
Ângela Dip
Mateus Solano
Eduardo Semerjian
ver mais
Tema de abertura "Demais"/"Meu Mundo Caiu" - Maysa
Exibição
Emissora de
televisão original
Brasil Rede Globo
Formato de exibição 1080i (HDTV)
480i (SDTV)
Transmissão original 5 de janeiro de 2009 - 16 de janeiro de 2009
Nº de episódios 10
Cronologia
Último
Último
Capitu
Som e Fúria
Próximo
Próximo
Programas relacionados Dalva e Herivelto: uma Canção de Amor

Dercy de Verdade

O Canto da Sereia

Maysa: Quando Fala o Coração é uma minissérie brasileira que foi produzida pela Rede Globo e escrita por Manoel Carlos, com colaboração de Ângela Chaves, Maria Carolina e Mariana Torres, que retratou a vida da cantora Maysa. Teve direção geral e de núcleo de Jayme Monjardim, direção musical de Mário Meirelles e cenografia de Raul Travassos. Foi ao ar de 5 a 16 de janeiro de 2009, totalizando dez capítulos. Recebeu uma indicação ao Emmy Internacional 2010 de Melhor Telefilme ou minissérie. [2]

Foi reapresentada pelo Canal Viva de 15 á 26 de Abril de 2013, ás 23:15. Em Portugal a minissérie teve estréia em 10 de fevereiro de 2014, pelo canal Globo Premium.[3]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Da menina sapeca à mãe, mulher rebelde e em busca de seus sonhos. Da época do rádio até o predomínio da televisão. A minissérie cobre toda a vida da cantora Maysa Matarazzo, e, por meio dela, é possível obter um panorama da vida brasileira no período dos anos 50, 60 e 70.

No começo dos anos 50, quando a cantora ainda é uma criança, veem-se famílias conservadoras da alta sociedade. À medida que Maysa cresce, é possível ver as mudanças pelas quais o Brasil passou nesse tempo. O comportamento devia ser "adequado", pois havia uma cobrança muito grande para isso, tanto que Maysa foi enviada para um internato em Paris quando era criança para ter uma educação digna de jovens de seu nível social.

Chegam os anos 60 e, com eles, começam as mudanças. Maysa, porém, já estava adiantada há muito tempo. Não era a menina que seus pais imaginavam, mas a que ela mesma havia criado. Seguia seus sonhos e se afirmava como uma mulher independente. Tanto é que não recebia pensão depois de divorciar-se e nem quando era casada. Não se cansava e buscou várias novidades.

Já viúva, foi para a Europa seguir sua carreira e fugir da fama que lhe perseguia aqui no Brasil, deixando seu filho num internato em Madrid por muitos e muitos anos. Encontrou vários amores e por lá ficou. Voltou e os anos 70 apareceram meio de surpresa. O sucesso continuava e o país se modernizava, enquanto isso. Era tempo do milagre econômico e as vendas de discos de Maysa se mantinham sustentáveis. No Brasil, ela abraçou de vez a carreira televisiva. Arriscou-se até em telenovelas, já famosas pela qualidade e popularidade. Mas um fim trágico ocorreu, calando para sempre a voz de uma estrela.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Produção[editar | editar código-fonte]

Foi o primeiro trabalho de prestígio da atriz Larissa Maciel, que interpreta a protagonista Maysa. A atriz fez tanto sucesso como a cantora Maysa, que renovou seu contrato com a Globo por mais quatro anos.[4] Maciel participou de um concurso, para viver a cantora, no qual venceu cerca de mais de 200 candidatas para conseguir o papel.[5]

Trechos dos diários da cantora podem ser vistos na minissérie. Além disso, a narrativo não é linear e a voz da cantora foi usada. O diretor musical Mário Meirelles teve a ideia de colocar trechos de músicas, sendo dubladas por Larissa Maciel, ao invés da atriz cantar, como estava previsto.[6]

No dia do extenso último capítulo de Maysa, a programação da Rede Globo ficou comprimida, devido ao Big Brother Brasil, ao Globo Reporter e ao último capítulo da novela A Favorita, que também era um pouco extenso. A novela das nove se iniciou ás 20:50, o BBB ás 22:00, o Globo Reporter ás 22:30 e, por fim, a minissérie se iniciou ás 23:30 e foi encerrada ás 01:10, contando com praticamente 2h de duração. Mesmo assim, marcou uma média excelente de audiência: 23 pontos.[7]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
Larissa Maciel Maysa Figueira Monjardim
Eduardo Semerjian André Matarazzo
Mateus Solano Ronaldo Bôscoli
Jayme Matarazzo Jayme Monjardim (jovem)
Nelson Baskerville Alcebíades Monjardim (Monja)
Ângela Dip Ináh Monjardim
Marat Descartes Carlos Alberto
Cristine Perón Nara Leão
Priscilla Rozenbaum Ana
Denise Weinberg Amália
Pablo Bellini Miguel Azanza
Melissa Vettore Gabriela
Simone Soares Nina (Miss Turquia)
Beto Matos Régis
Caio Sóh Guto (Augusto)
Cristiane Carniato Marlene
Fátima Montenegro Yvone
Rogério Falabella Andrea Matarazzo
André Matarazzo Jayme Monjardim (criança)
Maria Salvadora
Elenco de apoio

Músicas[editar | editar código-fonte]

  • A produção musical da minissérie é assinada por PH Castanheira e Marcus Viana, este último parceiro do diretor Jayme Monjardim desde a novela Pantanal.
  • As cenas onde Larissa Maciel dubla a cantora Maysa nas apresentações musicais foram dirigidas por Mário Meirelles, diretor de shows da emissora.

Capa: Larissa Maciel como Maysa Matarazzo

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

CD 1[editar | editar código-fonte]

  1. Resposta
  2. Tarde Triste
  3. Adeus
  4. Ouça
  5. Franqueza
  6. O que
  7. Se Todos Fossem Iguais a Você
  8. To the Ends of the Earth
  9. Bronzes e Cristais
  10. Por Causa de Você
  11. Suas Mãos
  12. Bom Dia, Tristeza
  13. Eu Sei que Vou Te Amar
  14. Hino ao Amor

CD 2[editar | editar código-fonte]

  1. Dindi
  2. O Barquinho
  3. Bésame Mucho
  4. Chão de Estrelas
  5. I Love Paris
  6. Quizás, Quizás
  7. Fim de Noite
  8. Primavera / Valsa de Eurídice / Canção do Amanhecer
  9. Demais / Meu Mundo Caiu / Eu Preciso Aprender a Ser Só - ao Vivo
  10. Ne Me Quitte Pas - ao Vivo
  11. Bonita
  12. What Are You Doing the Rest of Your Life?
  13. Morrer de Amor

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Ano Prêmio Categoria Indicação Resutado
2009 Prêmio Qualidade Brasil Melhor Atriz Coadjuvante Larissa Maciel Venceu
Melhor Ator Coadjuvante Mateus Solano Venceu
Jornal Comércio/RS Destaque do Ano nas Artes Maysa - Quando Fala o Coração Venceu
Troféu APCA Prêmio APCA de Melhor Atriz Larissa Maciel Venceu
Prêmio do Caderno Pop TV Atriz Revelação Larissa Maciel Venceu
Emmy Internacional Filme para TV ou Minissérie Indicado
Prêmio Contigo! Melhor Minissérie Venceu
Melhor Autor Manoel Carlos Venceu
Melhor Direção Jayme Monjardim Venceu
Atriz Revelação Larissa Maciel Venceu
Prêmio Extra de Televisão Melhor Minissérie Venceu
2010 Melhores do Ano Atriz Revelação Larissa Maciel Indicado
Prêmio Portal Caras Melhor Minissérie Venceu

Reconhecimento da Crítica[editar | editar código-fonte]

  • Maysa - Quando Fala o Coração mostrou em seus primeiros capítulos um eficiente elenco, esmero na produção dos cenários e figurinos, além da bela fotografia de Affonso Beato, num padrão raro na TV brasileira. A série revelou também a talentosa atriz gaúcha Larissa Maciel, que personifica a cantora de maneira bem convincente. Ainda que falte um pouco de intensidade em sua interpretação, justamente nas cenas em que dubla Maysa cantando, seus grandes e expressivos olhos verdes são capazes de hipnotizar o espectador. - Carlos Calado para à Folha de São Paulo[8]
  • Lindo, lindo, lindo! É a melhor descrição para o primeiro capítulo de Maysa – Quando Fala o Coração. Do texto maravilhoso de Manoel Carlos e Ângela Chaves à direção elegantíssima de Jayme Monajardim, tudo foi um banho de emoção e bom gosto. Na pele de Maysa, a estreante Larissa Maciel deu um show. - Jorge Brasil para à Revista M de Mulher[9]
  • Interpretada pela gaúcha Larissa Maciel que faz estreia na tevê, aos 30 anos, é essa Maysa intensa, autêntica, inconstante e perturbada que o público vai ver em nove capítulos. - Estado de S. Paulo[10]
  • Além de impecável tecnicamente, falou ao coração, como seu subtítulo sugeria. Emocionou mesmo. - Patrícia Kogut para O Globo[11]

Produção e Custo[editar | editar código-fonte]

  • Com o custo de R$ 1 milhão por capítulo - ao todo, a produção teve um orçamento de R$ 9 milhões.[12]
  • Seguindo uma abordagem realista, a direção optou por filmar as cenas externas da minissérie em edifícios históricos do Rio de Janeiro, que retratam a alta sociedade das décadas enfocadas na história. Foram usados como locações o Hotel Copacabana Palace, o Hotel Glória, a Casa Julieta de Serpa, o Museu de Arte Moderna (MAM), o Palácio Gustavo Capanema, o Palácio Itamaraty e a Reitoria da UFRJ. O Palácio Laranjeiras – residência oficial do governador do Rio de Janeiro – serviu de cenário para o interior da mansão da família Matarazzo. A direção de arte teve apenas de acrescentar flores, louças e pratarias para melhor caracterizar o local.
  • Os grandes shows retratados na trama foram gravados no Palácio Quitandinha, em Petrópolis, na região serrana do Rio. A fachada da mansão Matarazzo, que era situada na Avenida Paulista, em São Paulo, teve como locação uma avenida com casas de época, no mesmo município. O diretor Jayme Monjardim ainda abriu as portas de sua casa em Maricá, na região litorânea do Rio de Janeiro, construída pela cantora, para realizar as cenas finais da minissérie.
  • A minissérie teve cenas gravadas na Espanha, na França e em Portugal.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Larissa Maciel mergulhou intensamente no processo de preparação para viver Maysa. Leu diversas vezes o diário da cantora e tudo que foi publicado sobre ela na imprensa, além de entrar em contato com objetos pessoais, fotos, entrevistas e DVDs com shows e especiais de TV. Durante seis meses, a atriz teve aulas de canto e corpo e sessões de fonoaudiologia, treinando um timbre mais grave. Na reta final, fez treinamentos específicos para as cenas de shows. Um software aproximou a voz falada de Larissa da voz de Maysa. A atriz dublou a cantora nas cenas de canto.
  • Maysa – Quando Fala o Coração trouxe para o mercado dramatúrgico talentos desconhecidos do grande público. Jayme Monjardim procurou atores com carreira consolidada no teatro e no cinema para formar o elenco da minissérie. Semelhança física foi um dos pontos mais exigidos na escalação. Além da própria Larissa Maciel, cria do teatro, também tinham intimidade com os palcos os atores Mateus Solano (Ronaldo Bôscoli), Nelson Barskerville (Monja), Angela Dip (Inah), Priscilla Rozenbaum (Ana), Eduardo Semerjian (André Matarazzo), Denise Weinberg (Amália Matarazzo) e Marat Descartes (Carlos Alberto). Para viver o casal de espanhóis Miguel e Gabriela Azanza, o diretor escalou o ator argentino Pablo Bellini, que vive há anos no Brasil, e a brasileira Melissa Vettore, que morou seis meses em Barcelona. Com isso, garantiu um sotaque espanhol à dupla.
  • Culta e muito bem informada, Maysa apesar de não ter cursado além do 2º ano ginasial, cantava e falava fluentemente francês, inglês, espanhol e italiano. Ela gravou músicas internacionais como I Love Paris (Cole Porter), Light My Fire (The Doors), Besame Mucho (da mexicana Consuelo Velasquez) e Ne Me Quitte Pas, do franco-belga Jacques Brel, uma das canções mais marcantes de sua carreira. A minissérie mostrou alguns desses shows, escolhidos pelo autor Manoel Carlos, como os do King’s Club, em Buenos Aires; do Cassino Estoril, em Portugal, e do Olympia, de Paris. Também foram mostrados shows marcantes feitos no Brasil, como um dos muitos que a cantora fez no Golden Room, no Copacabana Palace, e a antológica apresentação realizada na casa de espetáculos Canecão, após Maysa voltar ao país depois de uma longa temporada na Europa.
  • A minissérie foi rodada com moderna tecnologia de alta definição, com câmeras que ainda estavam em teste no mundo inteiro. Para conferir mais sofisticação às cenas, foi convidado o consagrado diretor de fotografia Affonso Beato, responsável por Tudo sobre Minha Mãe (Todo sobre Mi Madre, 1999) e Carne Trêmula (Carne Trémula, 1997), filmes do espanhol Pedro Almodóvar, e A Rainha (The Queen, 2006), dirigido pelo inglês Stephen Frears.
  • A minissérie foi lançada em DVD, em abril de 2009. Uma das ideias do diretor Jayme Monjardim era transformar a minissérie em filme, para exibição nas salas de cinema. Também foi lançada em Blu-ray, mas sem o disco de Extras.
  • Manoel Carlos contou que Maysa teve pelo menos sete romances palpitantes, mas, por questões dramatúrgicas, ele escolheu apenas quatro para explorar na trama. Ele usou o mesmo recurso em relação aos países visitados pela cantora: ela viajou pelo mundo inteiro, mas o autor optou por citar apenas Paris, Buenos Aires, Lisboa e Espanha, onde Maysa chegou a morar.
  • Para mergulhar no farto material biográfico de Maysa, guardado com cuidado por Jayme Monjardim, único filho da cantora, Manoel Carlos contou com a colaboração da pesquisadora Mariana Torres. Foram examinados mais de três mil fotos, recortes de jornais e revistas, centenas de vídeos com imagens de arquivo de várias emissoras, além das páginas originais do diário da cantora. Durante a carreira, Maysa colecionou fitas de vídeo, recortes de jornal e páginas de revistas que falavam sobre ela, material também usado na pesquisa. A minissérie ainda usou como base de consulta a biografia Maysa - Só Numa Multidão de Amores, de Lira Neto.[13]

Audiência e repercussão[editar | editar código-fonte]

Capítulo Audiência Fonte
Cap. 1 30 pontos [1]
Cap. 2 30 pontos [2]
Cap. 3 28 pontos [3]
Cap. 4 29 pontos [4]
Cap. 5 25 pontos [5]
Cap. 6 23 pontos [6]
Cap. 7 23 pontos [7]
Cap. 8 24 pontos [8]
Cap. 9 23 pontos [9]
  • Media Geral: 26,1 pontos

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]